Em jogo na Europa, Brasil vence o Japão com Diego Souza atuando em 37 minutos

Amistoso da Seleção em 2017: Brasil x Japão. Foto: Lucas Figueiredo/CBF

O Brasil fez um ótimo primeiro tempo em Lille, na França. Rápido e objetivo, o time marcou três gols no Japão, com Neymar, Marcelo e Gabriel Jesus. No intervalo, Tite promoveu a estreia do goleiro Cássio. Na linha, passou a mexer aos 13 minutos, numa troca dupla, incluindo Diego Souza na vaga de Jesus. 

Pouco depois, Neymar e Willian foram substituídos por Taison e Douglas Costa, com DS87 atuando com o ataque reserva, num claro teste do treinador da Seleção, em busca de alternativas de jogo – além de manter a disputa por vagas no grupo para o Mundial de 2018. Mas a verdade é que no segundo tempo o ritmo da equipe caiu bastante, tanto em velocidade quanto em entrosamento. Os japoneses diminuíram o placar e o time brasileiro, já com seis mudanças, pouco fez em campo, numa atuação burocrática.

Na Europa, o meia do Sport entrou com o papel de retenção de bola e força na jogada aérea, mas limitou-se ao posicionamento. Pela convocação, ainda tem mais uma chance visando a Copa, em Londres. No Recife, o leão, em sua ausência, também parece ter mais uma oportunidade na Série A, em Goiânia.

Diego Souza no Sport em 2017
51 jogos
20 gols
7 assistências

Diego Souza na Seleção em 2017
5 jogos (206 minutos)
2 gols

Participação de Diego Souza na Seleção Brasileira em 2017
25/01 – Brasil 1 x 0 Colômbia (titular, 64 minutos), Amistoso
23/03 – Uruguai 1 x 4 Brasil (reserva, 5 minutos), Eliminatórias
28/03 – Brasil 3 x 0 Paraguai (reserva, 6 minutos), Eliminatórias
09/06 – Brasil 0 x 1 Argentina (reserva, não entrou), Amistoso
13/06 – Austrália 0 x 4 Brasil (titular, 94 minutos e 2 gols), Amistoso
10/11 – Brasil 3 x 1 Japão (reserva, 37 minutos), Amistoso
14/11 – Inglaterra x Brasil (a disputar), Amistoso

Jogos em 2017 nos quais DS87 não foi convocado
31/08 – Brasil 2 x 0 Equador, Eliminatórias
05/09 – Colômbia 1 x 1 Brasil, Eliminatórias
05/10 – Bolívia 0 x 0 Brasil, Eliminatórias
10/10 – Brasil 3 x 0 Chile, Eliminatórias

Amistoso da Seleção em 2017: Brasil x Japão. Imagem: Rede Globo/reprodução

Diego Souza é reconvocado à Seleção Brasileira, mantendo a disputa à Copa

Diego Souza na Seleção Brasileira em 2017. Fotos: dsoficial.com (reprodução)

O meia Diego Souza voltou a ser lembrado por Tite na Seleção Brasileira em 2017. Artilheiro do Brasileirão da temporada anterior, o jogador havia sido chamado para as cinco primeiras partidas do escrete nacional, atuando quatro vezes. No entanto, após uma queda técnica, simultânea ao imbróglio sobre a quase saída para o Palmeiras, DS87 acabou ficando fora das listas seguintes, para quatro partidas das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

Com o fim da fase classificatória ao Mundial, com o Brasil classificado como líder, o treinador terá quatro amistosos preparatórios. Começa já agora, num giro na Europa, em Lille, na França, diante do Japão, e em Londres, na Inglaterra, contra os donos da casa. Entre os 25 nomes chamados, o do principal jogador do Sport, que ganha mais duas chances, recolocado-se na disputa de forma até surpreendente neste momento – embora tenha voltado a jogar bem. Vale lembrar que, para a Canarinha, Diego Souza vem sendo chamado como “atacante”, numa briga ferranha com Firmino, que, apesar de se destacar no Liverpool, ainda não brilhou com a camisa verde e amarela.

E essa pode ser a última oportunidade para “testes” na visão de Tite, que quer utilizar os dois amistosos de 2018 (Rússia em 22/03 e Alemanha em 27/03) já com o grupo fechado. Ou seja, com a lista final de 23 nomes…

Obs. Em relação à Série A, o jogador poderá desfalcar o leão contra Botafogo (08/11), Atlético-GO (12/11) e Palmeiras (16/11). Aí, depende da logística.

Diego Souza no Sport em 2017
46 jogos
17 gols
8 assistências

Diego Souza na Seleção em 2017
4 jogos
2 gols

Participação de Diego Souza na Seleção Brasileira em 2017
25/01 – Brasil 1 x 0 Colômbia (titular, 64 minutos)
23/03 – Uruguai 1 x 4 Brasil (reserva, 5 minutos)
28/03 – Brasil 3 x 0 Paraguai (reserva, 6 minutos)
09/06 – Brasil 0 x 1 Argentina (reserva, não entrou)
13/06 – Austrália 0 x 4 Brasil (titular, 94 minutos e 2 gols)

31/08 – Brasil 2 x 0 Equador (não foi convocado)
05/09 – Colômbia 1 x 1 Brasil (não foi convocado)
05/10 – Bolívia 0 x 0 Brasil (não foi convocado)
10/10 – Brasil 3 x 0 Chile (não foi convocado)

10/11 – Brasil x Japão (a disputar)
14/11 – Inglaterra x Brasil (a disputar)

Limite de trocas de técnicos de futebol? Equiparação de licença aos estrangeiros? Cresce na CBF o debate sobre os artigos

1º Encontro Nacional dos Treinadores de Futebol, na CBF. Foto: Lucas Figueirêdo/CBF

No futebol brasileiro, a função mais instável é, de longe, a do treinador, cujo emprego é colocado em xeque a cada má sequência de resultados. Ocorre antes de uma análise criteriosa sobre o desempenho dos atletas, tanto em nível técnico quanto físico, ou mesmo sobre a própria direção, considerando atrasos salariais e problemas estruturais. Por outro lado, também parece ser uma categoria desunida, com treinadores acertados antes da demissão do antecessor, nomes à espera de uma queda rápida etc. Costurando tudo isso, os profissionais organizaram o 1º Encontro Nacional de Treinadores de Futebol. O evento reuniu 73 técnicos, incluindo nomes recorrentes no futebol pernambucano, como Luxemburgo, atual técnico do Sport, Gallo e Martelotte. Realizado na sede da CBF, também contou diretores dos departamentos de competições, registro e transferência, patrimônio e financeiro da entidade, além do técnico da Seleção Brasileira, Tite.

Na pauta dos treinadores, dois pontos chamaram a atenção do blog:

1) Limitação de troca de treinadores durante as competições nacionais (no máximo 2 mudanças, tanto para clubes quanto para técnicos) 

O pedido já foi vetado pelos clubes. Por isso, o pedido direto à confederação. Considerando Brasileiro (Séries A, B, C e D) e Copa do Brasil, o clube só poderia ter dois treinadores efetivos numa temporada. De fato, há limitação semelhante para atletas – número máximo de jogos num torneio para uma transferência no mesmo torneio ou o número de clubes no mesmo ano. Porém, na visão do blog, a aplicação da mesma regra aos treinadores – ao menos a curto prazo – teria um efeito apenas protecionista, forçando uma estabilidade de comando independentemente da relação clube/profissional. No caso de um atleta, o clube pode substituir por um reserva ou alguém da base. Já no caso do treinador, o trabalho seguiria sem norte devido a um artigo no regulamento geral? Soa uma influência além da conta na gestão do clube.

2) Exigência de certificado para técnicos estrangeiros e/ou equiparação da licença para trabalhar no exterior

Esse pedido faz mais sentido, até porque a Licença de Clubes da CBF entrará em vigor em 2018, com uma série de exigências administrativas para chancelar as participações dos times em torneios nacionais. A exigência escalonada começará na Série A, demandando a Licença Pro, o mais alto dos cinco níveis de cursos para técnicos em vigor no país. No caso de um estrangeiro, ele precisaria ter um certificado semelhante em seu país, desde que o documento brasileiro tivesse o mesmo reconhecimento lá.

Qual é a sua opinião sobre os dois pedidos dos técnicos à direção da CBF?

1º Encontro Nacional dos Treinadores de Futebol, na CBF. Crédito: CBF/youtube (reprodução)

Brasil goleia a Austrália com dois gols de Diego Souza, o primeiro aos 10 segundos

Amistoso, 2017: Austrália x Brasil. Foto: Brasil Globar Tour/twitter (@BGT_ENG)

Início de jogo com a Austrália trocando passes para trás. No primeiro toque à frente, Giuliano interceptou e enfiou para Diego Souza. O camisa 21 entrou na área pela direita e tocou apenas uma vez na bola. Bastou para abrir o placar no Melbourn Cricket Ground, com apenas 10 segundos. Simplesmente o gol mais rápido da história da Seleção Brasileira, em sua 1.078ª apresentação desde 1914, considerando partidas contra clubes e países. Desde que a cronometragem passou a marcar os segundos dos gols, no futebol, ninguém havia precisado de tão pouco tempo. O recorde pertencia a Neymar, embora num contexto mais amplo, com a Seleção Olímpica. Em 2016, nos Jogos do Rio, o craque do Barça marcou sobre Honduras com 14 segundos.

Voltando ao amistoso, o gol do meia do Sport, jogando como centroavante na Canarinha, abriu a goleada por 4 x 0. Foi um jogo com muitas mudanças na equipe, começando pelo ataque brasileiro, sem Neymar, que não foi convocado, e Gabriel Jesus, que se machucou contra a Argentina. Com o país confirmado na Copa do Mundo de 2018, Tite aproveitou para testar outras peças, como Diego Souza, que nunca ficara tanto tempo em campo pelo Brasil nesta temporada. Titular e presente o jogo inteiro, o jogador anotou dois gols, desperdiçou outra boa chance e trabalhou muito bem como pivô. Inclusive, participou de forma direta do terceiro gol, numa jogada iniciada por Willian, com Paulinho tabelando com Diego e tocando para Taison marcar – Thiago Silva, de cabeça, marcara o segundo tento. No último lance, em cobrança de escanteio, Diego fez de cabeça. Deixou boa impressão.

Convocado três vezes, para cinco partidas, o craque do Sport totaliza 169 minutos na Seleção Brasileira sob o comando de Tite. Agora, para voltar a ser lembrado, DS87 precisa retomar o ritmo na Ilha. Ah! Um rubro-negro não fazia um gol pelo Brasil desde 23/09/1981, com Roberto Coração de Leão, no 6 x 0 sobre a Irlanda, no Rei Pelé. Foi, também, a primeira vez que um atleta do clube marcou 2 gols num jogo da Canarinha. No futebol pernambucano, não acontecia desde Nunes, do Santa Cruz, em 1978. Manhã histórica…

Participação de Diego Souza na Seleção em 2017
25/01 – Brasil 1 x 0 Colômbia (titular, 64 minutos)
23/03 – Uruguai 1 x 4 Brasil (reserva, 5 minutos)
28/03 – Brasil 3 x 0 Paraguai (reserva, 6 minutos)
09/06 – Brasil 0 x 1 Argentina (reserva, não entrou)
13/06 – Austrália 0 x 4 Brasil (titular, 94 minutos e 2 gols)

Amistoso, 2017: Austrália x Brasil. Foto: Brasil Globar Tour/twitter (@BGT_ENG)

Austrália x Brasil ao vivo via CBF TV

A CBF liberou o sinal de transmissão do amistoso entre Brasil e Austrália, em Melbourne, através do compartilhamento de seu perfil oficial no Livestream. Um jogo marcado pela titularidade de Diego Souza, do Sport, na vaga do machucado Gabriel Jesus. O camisa 21 da Seleção assume o ataque.

Como ocorreu na sexta-feira, diante dos argentinos, a confederação não negociou os direitos com a Rede Globo. Além da exibição online, comprou espaços na tevê aberta, na TV Brasil (TV Universitária no Recife, canal 11) e TV Cultura (TV Nova no Recife, 22). Assista, a partir de 7h05.

Atualização: o Brasil goleou por 4 x 0, com dois gols de Diego Souza.

Diego Souza é convocado para o 5º jogo seguido da Seleção. É a chance do 87…

Diego Souza convocado por Tite para dois amistosos em junho de 2017. Crédito: CBF TV/reprodução

Diego Souza segue presente na lista de Tite. O técnico da Seleção Brasileira convocou o meia do Sport para dois amistosos em junho. Com isso, já são cinco partidas seguidas da Canarinha com DS87. Após a confirmação da classificação à Copa do Mundo de 2018, na goleada sobre os paraguaios na Arena Corinthians, o treinador adiantou que aproveitaria o calendário para fazer testes na equipe. Então, parece a hora do destaque rubro-negro.

Diante argentinos e australianos, em jogos no Cricket Ground, com 100 mil lugares, o Brasil não terá Neymar. Então, o destaque à frente é Gabriel Jesus, recuperado de lesão. Contudo, Diego Souza foi chamado no lugar de Firmino, com quem briga pela reserva do atacante do Manchester City – Taison e Douglas Costa completam o ataque desta vez. Embora no leão siga numa transição entre meia, ponta e centroavante, na Seleção a sua função é clara. É um atacante centralizado, mas com mobilidade, encurtando o espaço entre os meias e os pontas. Nas Eliminatórias, jogou apenas onze minutos. Em janeiro, quando apenas atletas que atuam no país foram chamados, foram 64.

No Sport, quem mais defendeu o Brasil foi Leomar, com 6 jogos em 2001. Diego poderá empatar com Traçaia e Édson, ambos com 5 em 1959.

Participação de Diego Souza na Seleção em 2017
25/01 – Brasil 1 x 0 Colômbia (64 minutos, titular)
23/03 – Uruguai 1 x 4 Brasil (5 minutos, reserva)
28/03 – Brasil 3 x 0 Paraguai (6 minutos, reserva)

Jogos a disputar, em Melbourne
09/06 – Argentina x Brasil
13/06 – Austrália x Brasil

Os 24 convocados em 19 de maio
Goleiros: Diego Alves (Valência), Weverton (Atlético-PR) e Ederson (Benfica) 

Zagueiros: David Luiz (Chelsea), Gil (Shandong Luneng), Jemerson (Monaco), Rodrigo Caio (São Paulo) e Thiago Silva (PSG)  

Laterais: Alex Sandro (Juventus), Fagner (Corinthians), Filipe Luis (Atlético de Madrid) e Rafinha (Bayern de Munique) 

Meias: Fernandinho (Manchester City), Giuliano (Zenit), Lucas Lima (Santos, Paulinho (Guangzhou Evergrande), Philippe Coutinho (Liverpool), Renato Augusto (Beijing Gouan), Rodriguinho (Corinthians) e Willian (Chelsea) 

Atacantes: Diego Souza (Sport), Douglas Costa (Bayern de Munique), Gabriel Jesus (Manchester City) e Taison (Shakhtar Donetsk)

Diego Souza como Embaixador do Sport na Seleção, com a ajuda de Neymar

Diego Souza na concentração da Seleção Brasileira. Foto: Diego Souza/twitter (@DiegoSouzaDS87)

Convocado para dois jogos pelas Eliminatórias da Copa de 2018, Diego Souza entrou em campo nas duas partidas, mas em apenas onze minutos. À parte disto, esteve com a força máxima do Brasil, exceção feita ao lesionado Gabriel Jesus. Na concentração, na resenha com astros de Barça e Real, o meia do Sport (centroavante para Tite) seguiu o papel de “Embaixador de 87″.

Além de um vídeo exclusivo gravado para os torcedores rubro-negros da embaixada Leões de Sampa, ainda distribuiu camisas oficiais do Leão, enviadas pelo clube, aos colegas mais próximos na Seleção Brasileira. Na publicação em seu perfil no twitter, posou ao lado de Thiago Silva (PSG), Neymar (Barcelona), Paulinho (Guangzhou Evergrande) e Marcelo (Real Madrid), com o número “87″ bem visível através do camisa 10 da canarinha.

Na legenda: “Voltando pro Recife com novos reforços pro meu Leão”

Há dois dias, o blog havia postado sobre a visibilidade de Diego Souza, a partir do rendimento técnico na Seleção. Porém, esta nova visibilidade, em termos de marketing propriamente dito, segue grande, com o atleta alinhado ao Sport. Tal representatividade é importante. Daí, o Embaixador

Em 2 jogos pelas Eliminatórias, Diego Souza entra em campo em 11 minutos

Eliminatórias da Copa 2018, em 22/03/2017: Uruguai 1x4 Brasil. Foto: Lucas Figueiredo/CBF

O Brasil de Tite fez outra grande apresentação, goleando o Paraguai sem dificuldades. O 3 x 0 ficou barato, com gols de Coutinho (Liverpool), Neymar (Barça) e Marcelo (Real). A Rússia já é realidade, com a Seleção num desempenho técnico ascendente e surpreendente. A melhora pós-Dunga foi imediata. Com o novo técnico, 9 vitórias em 9 jogos, 8 pelas Eliminatórias.

Na Arena Corinthians, um viés local. Diego Souza foi acionado novamente nos minutos finais, outra vez no lugar de Firmino. Ambos disputando a reserva do centroavante titular, Gabriel Jesus, lesionado. A permanência do jogador do Sport foi modestíssima nesta passagem, com apenas onze minutos combinados. E foi até mais participativo no Centenário. Em São Paulo só teve tempo para roubar uma bola e participar de uma jogada pela ponta direita.

Porém, há um outro prisma nesta análise. Ao todo, foram 24 convocados, incluindo o lateral Mariano, chamado ao segundo jogo no lugar do suspenso Daniel Alves. Deste grupo, 16 foram acionados, com 12 entrando nos dois jogos. E neste contexto, Diego Souza. Entre os nomes que não saíram do banco, por exemplo, Diego do Flamengo. Em relação ao espaço, DS87 segue uma incógnita nos próximos jogos, amistosos ou oficiais. Ao ser acionado duas vezes, ainda que por pouco tempo, diria que a porta está mais aberta que fechada a uma nova convocação… Até como meia. E na sua opinião?

Participação de Diego Souza na Seleção em 2017
25/01 – Brasil 1 x 0 Colômbia (64 minutos, titular)
23/03 – Uruguai 1 x 4 Brasil (5 minutos, reserva)
28/03 – Brasil 3 x 0 Paraguai (6 minutos, reserva)

Escalações do Brasil nas rodadas 13 e 14 das Eliminatórias da Copa

Vs Uruguai (foto acima)
Alisson; Dani Alves, Marquinhos, Miranda e Marcelo; Casemiro; Coutinho (Willian), Paulinho, Renato Augusto (Fernandinho) e Neymar; Firmino (Diego Souza)

Vs Paraguai (foto abaixo)
Alisson; Fágner, Marquinhos (Thiago Silva), Miranda e Marcelo; Casemiro; Coutinho (Willian), Paulinho, Renato Augusto e Neymar; Firmino (Diego Souza)

Eliminatórias da Copa 2018, em 28/03/2017: Brasil 3 x 0 Paraguai. Foto: Mauro Horita/MoWA Press (cortesia)

A visibilidade de Diego Souza na Seleção

Home do site de esportes do UOL em 27/03/2017

Visando o jogo conta o Paraguai, Tite realizou dois treinos no local da partida, a Arena Corinthians. Na última movimentação, Diego Souza acabou entre os titulares do Brasil. Neste momento, o dono da posição no ataque é Firmino, à parte da lesão de Gabriel Jesus, do Manchester City. Contudo, o atacante do Liverpool sofreu uma inflamação na garganta e acabou poupado.

Ainda que a participação de DS87 na segunda-feira não seja necessariamente uma escalação para o jogo na terça, o teste acabou ganhando destaque nos principais sites esportivos do país. O UOL e a ESPN colocaram nas respectivas manchetes. No globo.com foi a segunda chamada geral do portal.

Home do site de esportes da Globo em 27/03/2017

E assim o meia do Sport vai ganhando mais visibilidade nos principais centros, seja em sites ou mesas redondas de canais por assinatura. Reduz a imagem de uma convocação exótica, de um jogador de 31 anos em “fim de carreira”, para, simplesmente, um jogador da Seleção, avaliado e cobrado como tal.

Nas redes sociais, a preocupação de alguns torcedores rubro-negros foi com a “China”, numa brincadeira com um certo sentido. É o mercado imediato. De toda forma, o contrato vai até dezembro de 2018. A saída não seria barata…

Atualização: após o treino, Tite confirmou Firmino, mas DS deve ser utilizado

Home do site de esportes da ESPN Brasil em 27/03/2017

Com hat-trick de Paulinho e golaço de Neymar, Brasil goleia no Centenário

Eliminatórias da Copa 2018, em 22/03/2017: Uruguai 1x4 Brasil. Foto: CBF/twitter (@CBF_Futebol)

Que atuação da Seleção Brasileira! Diante do Uruguai, até então 100% nos seis jogos disputados no Centenário, o time verde e amarelo goleou por 4 x 1 e colocou um pé e meio na Copa do Mundo da Rússia. Com 30 pontos, já está dois pontos à frente da média histórica das eliminatórias sul-americanas. E este cenário não deve mudar nos cinco jogos restantes.

Em Montevidéu, com 50 mil torcedores e o velho clima de clássico, a Celeste abriu logo o placar numa penalidade convertida por Cavani. Consequência do péssimo recuo de Marcelo, que ainda cometeria outras faltas perigosas na entrada da área. Apesar da pressão e do placar desfavorável, o Brasil manteve a calma vista nesta Era Tite. Por sinal, foi a 7ª apresentação oficial sob o comando do técnico, com a 7ª vitória, um início recorde na história da Seleção. Com Neymar muito bem, avançando, driblando e distribuindo o jogo, a marcação charrúa acabou deixando espaço, como o rombo na intermediária, com a grata finalização de Paulinho, acertando o ângulo. Chute a 94 km/h.

Eliminatórias da Copa 2018, em 22/03/2017: Uruguai 1x4 Brasil. Foto: CBF/twitter (@CBF_Futebol)

Com 18 minutos, o jogo já voltava aos eixos. Controlado de tal forma pelos visitantes que Tite que sequer cogitou mudanças. Voltou do intervalo com a mesma formação, com o mesmo Paulinho aparecendo como elemento-surpresa, virando a partida após rebote de Firmino. Em vantagem, obrigando o Uruguai a se expor, a velocidade brasileira foi fatal. Sendo mais direto: a velocidade do camisa 10. Ganhando do marcador após um bico da defesa brasileira, Neymar ficou cara a cara com Martín Silva. Num curto espaço, mostrou plena frieza e categoria para encobrir o goleiro. Outro golaço na noite.

Aos 43 minutos, Diego Souza foi acionado no lugar de Firmino, O meia do Sport, utilizado na Canarinha como centroavante, atuou em apenas cinco minutos, mas se apresentou, com duas jogadas como pivô. Em campo, ainda viu Paulinho escorar um cruzamento nos descontos e encerrar a goleada. Com o hat-trick, chegou a 9 gols pelo Brasil e tornou-se o volante com mais gols pela Seleção. Deixou para trás Alemão, César Sampaio, Dunga, Emerson e Falcão, todos com 6 tentos. Fez história num estádio histórico.

Eliminatórias da Copa 2018, em 22/03/2017: Uruguai 1x4 Brasil. Foto: Lucas Figueiredo/CBF