No Arruda, o Santa Cruz toma virada do Criciúma e chega a 4 derrotas seguidas

Série B 2017, 20ª rodada: Santa Cruz 1 x 2 Criciúma. Foto: Peu Ricardo/DP

Imerso numa crise financeira, com seguidos atrasos salariais, o Santa não vai conseguindo obter resultados contrários em campo. De volta ao Arruda, após mandar cinco jogos na arena, o tricolor perdeu do Criciúma na abertura do returno. Chegou a quatro derrotas seguidas e vê o Z4 como um perigo real.

Tentando sacudir a equipe, Givanildo Oliveira fez seis mudanças em relação ao jogo anterior, em Caxias. À parte dos retornos do goleiro Júlio César e do zagueiro Bruno Silva, após a suspensão, o técnico mexeu à frente, puxando o atacante Ricardo Bueno para o meio e deixando Halef Pitbull centralizado. Era uma tentativa para melhorar a articulação, após seguidas apresentações sem muita inspiração. Não adiantou, com o time criando pouco e atacando mal. Desconfiada, a torcida coral deu o recado “em casa”. Mesmo com o hiato de 52 dias, apenas 4.308 torcedores compareceram ao Mundão. Borderô abaixo até da média (ruim) registrada em São Lourenço da Mata, de 6.374.

Série B 2017, 20ª rodada: Santa Cruz 1 x 2 Criciúma. Foto: Rafael Brasileiro/DP

No gramado, poupado no período, os catarinenses assustaram já aos 4 minutos, trocando dois passes e ficando cara a cara com JC. Seria uma síntese dos erros defensivos do tricolor, marcando à distância. É verdade que, num bom contragolpe, André Luís ainda abriu o placar – tropeçando na placa de publicidade na comemoração. Contudo, àquela altura o jogo já era equilibrado, com o visitante marcando forte um meio-campo pouco eficaz.

O empate saiu com 1min37s do segundo tempo, justificando o futebol visto. Jaime farrapou (novidade?) e a bola sobrou para o atacante Silvinho, que marcou o seu 6º gol na Série B. Depois, Bueno ainda perderia boa chance para desempatar, com o jogo truncado e o Criciúma retraído, deixando a bola com o Santa. Esperava o erro, claro. Já na reta final, aos 30, vacilo duplo, com Erick Flores (cruzamento) e Alex Maranhão (chute de prima) livres. Na hora da finalização, eram cinco corais na área, nenhum deles marcando o rival. Com o 1 x 2, o tigre devolveu a virada da estreia. Quanto ao Santa, do aniversariante Giva, 69 anos, a campanha tende a ser contra o rebaixamento

Os 9 jogos sob o comando de Givanildo Oliveira*
07/07 – Santa Cruz 3 x 0 Brasil
11/07 – Luverdense 2 x 2 Santa Cruz
15/07 – Náutico 0 x 0 Santa Cruz
18/07 – Santa Cruz 1 x 0 Vila Nova
21/07 – Santa Cruz 1 x 1 Boa
29/0
7 – Paraná 4 x 0 Santa Cruz

01/08 – Santa Cruz 1 x 2 Paysandu
05/08 – Juventude 2 x 1 Santa Cruz
08/08 – Santa Cruz 1 x 2 Criciúma

* 33% de aproveitamento (2V-3E-4D)

Série B 2017, 20ª rodada: Santa Cruz 1 x 2 Criciúma. Foto: Peu Ricardo/DP

As probabilidades de título, acesso e rebaixamento após o 1º turno da Série B

As projeções de campanha para acesso e rebaixamento na Série B de 2017

Com 190 jogos disputados na Série B de 2017, ou 50% da competição, vamos às projeções sobre as chances de classificação à elite nacional, de título e, também, de rebaixamento à terceirona. O blog compilou as estatísticas de cada time em três sites especializados no assunto: Chance de Gol, Infobola e UFMG, através do departamento de matemática da universidade mineira.

A partir de cálculos sobre o desempenho em casa, histórico em confrontos e campanha atual, o Chance de Gol e a UFMG também projetam as pontuações finais necessárias, com os percentuais que dão mais “garantia” a cada opção. Na segunda divisão, a média histórica de pontuação para o acesso (4º lugar), considerando as onze edições nos pontos corridos, é de 63 pontos. Nesta temporada, essa campanha tem, na pior das hipóteses, 90% de confiança. Em relação ao rebaixamento, o índice histórico para escapar, na 16ª posição, é de “45,18″. Arredondando para 45, significaria 80% de chance de sucesso.

Veja as classificações da Série B após a 19ª rodada clicando aqui.

Náutico
Título: 0,002% a 0,009%
Acesso: 0% a 0,057%
Rebaixamento: 86,1% a 89,4%

Santa Cruz
Título: 0,009% a 0,24%
Acesso: 1,1% a 3,4%
Rebaixamento: 26,6% a 28,0%

As primeiras imagens do Sport no game PES 2018, com as marcas Adidas e Caixa

Sport no game Pro Evolution Soccer 2018. Crédito: officialpes/youtube

Sport no game Pro Evolution Soccer 2018. Crédito: officialpes/youtube

Sport no game Pro Evolution Soccer 2018. Crédito: officialpes/youtube

Pela 6ª consecutiva o Sport foi licenciado no game Pro Evolution Soccer, produzido pela Konami. No PES 2018, o leão vem com o seu uniforme rubro-negro atual, lançado pela Adidas para a temporada 2017/2018, com as faixas horizontais na parte frontal, vermelho dominante nas costas e as três listas douradas da fornecedora no ombro. Desta vez, o padrão do clube também vem com a patrocinadora-master, a Caixa Econômica Federal.

No trailer para o mercado brasileiro, a produtora confirmou o licenciamento do Brasileirão, com os vinte participantes da edição de 2017, incluindo Flamengo e Corinthians, que assinaram contratos de exclusividade. Durante as cenas sobre a jogabilidade, o Sport aparece em três momentos, em simulações contra Coritiba e São Paulo. No fim, na comemoração de um gol, um jogador troca de camisa rapidamente com os times licenciados. O blog captou os frames de cada momento para mostrar, num primeiro momento, como será a nova versão rubro-negra no game. Em relação aos nomes dos atletas, a tendência é que sejam genéricos. Por outro lado, Diego Souza aparece no PES 2018 como jogador da Seleção Brasileira, com imagem já digitalizada.

Clubes brasileiros licenciados no PES
2008 – 1 time
2009 – 1 time
2010 – 1 time
2011 – 5 times
2012 – 6 times
2013 – 20 times (Náutico e Sport)
2014 – 24 times (Náutico e Sport)
2015 – 21 times (Náutico e Sport)
2016 – 24 times (Sport)
2017 – 20 times (Sport e Santa Cruz)
2018 – 22 times (Sport)

Campeonato Brasileiro licenciado no Pro Evolution Soccer 2018, com o Sport

Clubes brasileiros licenciados no Pro Evolution Soccer 2018

Seguindo o contrato de dois anos, o Campeonato Brasileiro voltou a ser licenciado de forma exclusiva no game Pro Evolution Soccer. Até então, a produtora Konami assinava apenas contratos pontuais com os clubes. Para 2017 e 2018, a empresa firmou um acordo com a CBF com o objetivo de reproduzir a chancela da competição, com os vinte clubes, troféu, bola oficial e tabela. No PES 2018, a composição é a do campeonato de 2017. Ou seja, com o Sport, que aparece pela 6ª vez seguida no game. Pelo trailer para o mercado nacional, oito estádios foram digitalizados: São Januário, Maracanã, Arena Corinthians, Vila Belmiro, Morumbi, Allianz Parque, Beira-Rio e Mineirão

Pelo acordo Konami/CBF, o jogo também será utilizado no “E-Brasileirão”, o campeonato brasileiro de videogame. Na primeira fase, são feitas seletivas online em cada clube, de onde sairá um representante para a fase final.

No caso do Sport, a seletiva será em 17 de setembro, com até 1.024 vagas. Até a publicação deste post, 66 já haviam feito a inscrição gratuita. Veja aqui.

Eis os clubes brasileiros licenciados: Vasco, Palmeiras, Cruzeiro, Atlético-MG, Botafogo, Corinthians, Flamengo, Fluminense, Grêmio, Santos, Atlético-GO, Avaí, Bahia, Ponte Preta, Chapecoense, São Paulo, Atlético-PR, Coritiba, Sport e Vitória. Pelo trailer, Internacional e Red Bull Brasil também devem ser jogáveis, mas fora do contexto da Série A, naturalmente.

Obs. A narração do futebol brasileiro será de Milton Leite, locutor do SporTV.