Classificação da Série B 2017 – 16ª rodada

A classificação da 16ª rodada da Série B de 2017. Crédito: Superesportes

Dois empates e pouco a comemorar entre os pernambucanos. Na sexta-feira, o Santa cedeu o empate ao Boa Esporte, na Arena Pernambuco, e perdeu uma ótima chance para se aproximar do G4. Até subiu do 9º para o 8º lugar, mas a diferença ao grupo de acesso cresceu. De 2 para 3 pontos.

Na tarde do sábado, no interior paranaense, o Náutico ficou num empate sem gols com o Londrina. Nos últimos cinco jogos, apenas uma derrota alvirrubra. No entanto, como foram três empates, a lanterna da Segundona segue bem pesada. O 16º colocado, o primeiro time fora do Z4, está a 12 pontos…

Resultados da 16ª rodada
América 4 x 2 Figueirense
Santa Cruz 1 x 1 Boa
Luverdense 1 x 1 Paraná
Ceará 0 x 1 Goiás
Criciúma 2 x 1 ABC
Vila Nova 2 x 1 Inter
Londrina 0 x 0 Náutico
Oeste 3 x 0 Juventude
Brasil 2 x 1 Paysandu
CRB 1 x 1 Guarani 

Balanço da 16ª rodada
5V dos mandantes (16 GP), 4E e 1V dos visitantes (9 GP)

Agenda da 17ª rodada
25/07 (19h15) – ABC x Brasil (Frasqueirão)
25/07 (21h30) – Internacional x Oeste (Beira-Rio)
28/07 (19h15) – Juventude x América (Alfredo Jaconi)
28/07 (21h30) – Paysandu x Ceará (Mangueirão)
29/07 (16h30) – Figueirense x Vila Nova (Orlando Scarpelli)
29/07 (16h30) – Goiás x CRB (Serra Dourada)
29/07 (16h30) – Guarani x Londrina (Brinco de Ouro)
29/07 (16h30) – Paraná x Santa Cruz (Durival Britto)
29/07 (19h00) – Náutico x Criciúma (Arena Pernambuco)
29/07 (19h00) – Boa x Luverdense (Dilzon Melo)

Em atuação fraquíssima, Santa Cruz cede o empate ao Boa Esporte na Arena

Série B 2017, 16ª rodada: Santa Cruz x Boa Esporte. Foto: Ricardo Fernandes/DP

O Santa Cruz jogou muito mal contra o Boa Esporte. Até chegou a abrir o placar, levando a vantagem até a metade do segundo tempo, mas o tricolor não merecia melhor sorte na Arena Pernambuco, com o 1 x 1 travando a reação. O time quase não assustou o goleiro Fabrício, ao contrário de Júlio César, que agradeceu aos céus após a terceira bola em sua trave.

Abrindo a 16ª rodada, o time pernambucano tinha a possibilidade de dormir no G4, pressionando os adversários no complemento. Em tese, o adversário era interessante, mesmo vindo de um resultado positivo. E ficou mesmo nisso, “em tese”. Na prática, o time mineiro foi superior, antes e depois de tomar o gol – que saiu num raro momento de lucidez da equipe coral. Aos 26 do primeiro tempo, proporcionou um lance incrível. Num cruzamento da direita, Diones (livre) cabeceou na trave. Na sequência, Jaime afastou mal e Eduardinho pegou a sobra na meia lua. Sem marcação, soltou uma bomba, no travessão. O bombardeio tirou a torcida coral do sério, com o volante Wellington Cézar (que nem foi o protagonista da bobagem) sendo o alvo.

O gol do Santa, pouco antes do intervalo, foi à parte do que vinha jogando. Tiago Costa cruzou, Bueno ajeitou e João Paulo marcou de cabeça. Aos poucos, o meia vai se firmando na equipe, embora, numa nota geral, também tenha sido irregular desta vez. Para que o gol desse tranquilidade na etapa complementar, o time precisaria melhorar também. Não aconteceu, com um futebol lento e insistente na bola aérea – já com Pitbull em campo. Quem apareceu foi Reis, atacante rival. Numa cobrança de falta, bola no travessão. Na segunda tentativa, tirou tinta da trave. Na terceira, num escanteio, colocou na cabeça de Thaciano, que empatou aos 25. A partir dali, não houve uma finalização efetiva do Santa, com vaias pelo tropeço e pelo desempenho…

Os 5 jogos sob o comando de Givanildo Oliveira*
07/07 – Santa Cruz 3 x 0 Brasil
11/07 – Luverdense 2 x 2 Santa Cruz
15/07 – Náutico 0 x 0 Santa Cruz
18/07 – Santa Cruz 1 x 0 Vila Nova
21/07 – Santa Cruz 1 x 1 Boa
* 60% de aproveitamento (2V-3E-0D)

Série B 2017, 16ª rodada: Santa Cruz x Boa Esporte. Foto: Ricardo Fernandes/DP

Classificação da Série B 2017 – 15ª rodada

A classificação da 15ª rodada da Série B de 2017. Crédito: Superesportes

Terça-feira cheia no Campeonato Brasileiro, com sentimentos distintos nos dois representantes pernambucanos. Abrindo a rodada, o Náutico perdeu no Mangueirão, numa partida de pouquíssimo ímpeto ofensivo do lanterna da Série B. Ao menos, se é que podemos dizer assim, manteve a diferença de 10 pontos em relação ao 16º colocado. Na sequência, na Arena Pernambuco, o Santa superou o Vila Nova num jogo complicado, com boas chaces desperdiçadas na segunda etapa. Com isso, pela segunda rodada seguida, o tricolor reduziu a diferença ao G4, desta vez de 4 para 2 pontos.

Na briga pela ponta da segundona, Guarani e Juventude empataram em seus respectivos estádios. Melhor para outro alviverde, o América, que ganhou em Natal e proporcionou um triplo empate, todos com 27 pontos. É a menor marca de um líder (empatada com 2006) após 15 rodadas.

Resultados da 15ª rodada
Figueirense 0 x 0 Oeste
Juventude 1 x 1 CRB
Paraná 4 x 1 Brasil
Paysandu 1 x 0 Náutico
Guarani 2 x 2 Ceará
ABC 0 x 1 América
Santa Cruz 1 x 0 Vila Nova
Goiás 0 x 1 Londrina
Internacional 1 x 0 Luverdense
Boa 2 x 0 Criciúma 

Balanço da 15ª rodada
5V dos mandantes (12 GP), 3E e 2V dos visitantes (6 GP)

Agenda da 16ª rodada
21/07 (19h15) – América x Figueirense (Independência)
21/07 (20h30) – Luverndese x Paraná (Passo das Emas)
21/07 (20h30) – Santa Cruz x Boa (Arena Pernambuco)
21/07 (21h30) – Ceará x Goiás (Castelão)
22/07 (16h30) – Vila Nova x Internacional (Serra Dourada)
22/07 (16h30) – Londrina x Náutico (Estádio do Café)
22/07 (16h30) – Criciúma x ABC (Heriberto Hulse)
22/07 (19h00) – CRB x Guarani (Rei Pelé)
22/07 (19h00) – Oeste x Juventude (Arena Barueri)
22/07 (19h00) – Brasil x Paysandu (Bento Freitas)

Em jogo batalhado, o Santa vence o Vila Nova e fica a 2 pontos do G4 da Série B

Série B 2017, 15ª rodada: Santa Cruz 1 x 0 Vila Nova. Foto: Rodrigo Baltar/Santa Cruz

No primeiro tempo, a reação dos 6.731 torcedores presentes sintetizou o futebol do Santa Cruz, que não conseguiu tramar jogadas, restringindo as tentativas a dois arremates de longe. Um deles, de Tiago Costa, foi bem defendido pelo goleiro do Vila Nova, Luís Carlos. Faltava imposição ao time, que empatara dois jogos como “visitante”, diante do vice-lanterna e do lanterna. Só um resultado positivo na arena deixaria sequência produtiva (vitória em casa e empate fora) sob o comando do técnico Givanildo Oliveira.

A vitória saiu, por 1 x 0, com o resultado bem comemorado. No apito final, os mesmos torcedores reconheceram a entrega do time, que marcou melhor e finalmente conseguiu penetrar na área do adversário goiano, que passara oito rodadas no G4 até o tropeço em casa na rodada anterior. O gol da noite saiu aos 9 minutos da etapa final. Bruno Paulo (de volta após o DM) abriu na esquerda para o meia João Paulo, que tocou entre as pernas do zagueiro Alemão (aquele), com André Luís dominando e batendo rapidamente. Bola no ângulo. Em vantagem, o time coral obrigou o Vila a se mexer. Com desfalques e mais interessado em travar o jogo até então, o alvirrubro até levou perigo – mais pelo nervosismo da zaga pernambucana e dos volantes, Derley e Wellington Cézar, apesar da alta rotação da dupla. Acabou virando um jogo franco, com Halef Pitbull (titular) desperdiçando duas chances cara a cara, após assistências precisas de JP. Nas duas, força excessiva. Do outro lado, Júlio César garantiu, com a colaboração de um ataque batendo cabeça.

Com isso, o Santa chegou a 8 pontos em 12 disputados com Giva, com 66% de aproveitamento. Ficou a dois pontinhos do G4. Antes, dos 33 pontos disputados, somou 14, com 42%. Tendência de ascensão? Na sexta-feira, o 4º dos cinco jogos programados na Arena Pernambuco, contra o Boa…

Os 4 jogos sob o comando de Givanildo Oliveira
07/07 – Santa Cruz 3 x 0 Brasil
11/07 – Luverdense 2 x 2 Santa Cruz
15/07 – Náutico 0 x 0 Santa Cruz
18/07 – Santa Cruz 1 x 0 Vila Nova

Série B 2017, 15ª rodada: Santa Cruz 1 x 0 Vila Nova. Foto: Ricardo Fernandes/DP

Duque, o treinador com mais títulos em Pernambuco e campeão no Trio de Ferro

Duque. Crédito: Placar/reprodução

Como técnico, Duque alcançou duas marcas expressivas no futebol pernambucano. Em 1975, quando tirou o Sport de uma fila de doze anos, com o “Supertime da Ilha”, o treinador chegou a sete títulos estaduais, igualando a marca, ainda vigente, de Palmeira, hepta em 1962. Ali, tornou-se também um dos quatro nomes com conquistas no Trio de Ferro. Campeão nos Aflitos, no Arruda e na Ilha do Retiro. Para se ter uma ideia, o último a obter o feito foi o multicampeão brasileiro Ênio Andrade, no já distante ano de 1984.

Esses números dão lastro à carreira do mineiro no Recife, comandando alguns dos maiores times de cada clube. Não por acaso estava na área técnica observando o gol de Ramos, que deu o hexacampeonato ao timbu. Um ano antes esteve no Maracanã, num duelo contra Mário Travaglini, na decisão da Taça Brasil entre Náutico e Palmeiras. Após as quatro taças conquistadas no alvirrubro, onde fincou o seu nome como o melhor técnico da história do clube, foi ser campeão no tricolor, levando o lateral-direito Gena. Lá, encontrou Givanildo Oliveira (como volante), Luciano Veloso e Fernando Santana. Ganhou duas finais seguidas, contra Náutico e Sport.

Até então então, o leão havia sido vice-campeão em cinco dos seis títulos de Duque. Ele acabou se “redimindo” ao azeitar um timaço com Luciano Veloso (na maior, e mais polêmica, transação da época), Assis Paraíba e Dadá Maravilha. Davi Ferreira, para os chegados, aposentou-se da função no início dos anos 80, após se arriscar no Oriente Médio. Ainda virou comentarista de rádio no Rio de Janeiro, onde viveu até os 91 anos. Duque faleceu em 2017, mantendo um legado difícil de ser superado em Pernambuco.

“Eu era o preparador físico, o preparador técnico, o preparador tático e o homem que impunha a psicologia a serviço da equipe.”

Ranking de títulos pernambucanos entre treinadores

7 títulos, Palmeira: 1946 e 1947 no Santa; 1950, 1951 e 1952 no Náutico; 1961 e 1962 no Sport 

7 títulos, Duque: 1964, 1966, 1967 e 1968 no Náutico; 1970 e 1971 no Santa; 1975 no Sport 

5 títulos, Givanildo Oliveira: 1991, 1992, 1994 e 2010 no Sport; 2005 no Santa

Técnicos campeões pelo Trio de Ferro (e o ano do ciclo completo)

1960, Gentil Cardoso (55 Sport, 59 Santa, 60 Náutico) 

1962, Palmeira (46/47 Santa, 50/51/52 Náutico, 61/62 Sport) 

1975, Duque (64/66/67/68 Náutico, 70/71 Santa, 75 Sport) 

1984, Ênio Andrade (76 Santa, 77 Sport, 84 Náutico)

Podcast – A análise do 7º clássico entre Náutico e Santa em 2017. O primeiro 0 x 0

Série B 2017, 14ª rodada: Náutico 0 x 0 Santa Cruz. Foto: Peu Ricardo/DP

O 45 minutos analisou o Clássico das Emoções na Arena Pernambuco, num empate insatisfatório para os dois rivais visando a Série B A igualdade manteve o timbu muito distante do objetivo de sair do Z4, com a diferença aumentando. No tricolor, o hiato ao G4 até diminuiu, mas o futebol opaco deixou a torcida reticente. Ao menos, os dois próximos jogos são na mesma arena, agora na condição de mandante. Estou nesta gravação, num debate sobre as questões técnica e tática, além de análises individuais. Ouça!

15/07 – Náutico 0 x 0 Santa Cruz (51 min)

Clássico das Emoções termina em 0 x 0. Ruim para os dois, pior para o Náutico

Série B 2017, 14ª rodada: Náutico x Santa Cruz. Foto: Peu Ricardo/DP

Após doze jogos, o clássico entre alvirrubros e tricolores acabou em branco, o que não ocorria desde 2014, curiosamente pela mesma Série B. Os dois times saíram devendo no Clássico das Emoções de maior público em 2017, com 13.450 torcedores. Mesmo sem vencer, o Santa Cruz ao menos reduziu a diferença ao G4, de 5 para 4 pontos, graças ao tropeço do Vila Nova. Já o Náutico, mesmo sem perder há três rodadas, não consegue levar essa reação para a classificação, numa caminhada já difícil para escapar do rebaixamento.

Em um campo com sinais de desgaste – após a incomum sequência de jogos do Trio de Ferro em São Lourenço da Mata -, os times entraram sem grandes mudanças. O alvirrubro iniciou num 4-4-2, com o meio num losango, com Giovanni municiando Erick e Alison – era a ideia, mas ele se machucou aos 35/1T. Giva manteve 4-2-3-1 no tricolor, no mesmo padrão desde sua estreia.

Série B 2017, 14ª rodada: Náutico x Santa Cruz. Foto: Rafael Brasileiro/DP

O primeiro tempo foi de poucas chances, com 50% de posse para ambos. O tricolor se apresentou um pouco melhor, prendendo mais a bola no campo ofensivo. Teve uma grande chance, aos 21 minutos. Pitbull ganhou do marcador e tocou para João Paulo, que arrumou de calcanhar para Augusto, frente a frente com Tiago Cardoso. Porém, ele finalizou muito mal, chutando em cima do goleiro. À parte disso, passes curtos e pouca objetividade. Pior foi o timbu, que só chegou uma vez, aos 44. E sem perigo, diga-se.

A etapa complementar foi mais animada, com um grau tensão mais elevado no agora centenário duelo. Logo aos 2, outra chance incrível desperdiçada por Augusto. Desta vez na pequena área, escorando mal uma falta. O atacante seria substituído pouco depois por Barbio, mas Givanildo só modificou a estrutura, de fato, aos 27, quando colocou Sheik no lugar de André Luís. O ponta estava mal, mas o substituto tirou a velocidade. No mandante, muitas bolas esticadas, num indício de desespero. Por baixo, Erick tentou carregar demais, sendo desarmado. Extraindo as oportunidades, só uma real, com Alison cabeceando no ângulo de Júlio César, que fez grande defesa. E não saiu do 0 x 0, com a igualdade mantida no Troféu Gena após sete jogos. A “decisão” ficou para o returno, daqui a 19 rodadas, com objetivos incertos…

Histórico do Clássico das Emoções na Série B
13 jogos
6 vitórias do Santa (última em 2014, 3 x 0)
4 empates (último em 2017, 0 x 0)
3 vitórias do Náutico (última em 2015, 3 x 1)

Série B 2017, 14ª rodada: Náutico x Santa Cruz. Foto: Peu Ricardo/DP

Classificação da Série B 2017 – 13ª rodada

A classificação da 13ª rodada da Série B de 2017. Crédito: Superesportes

Em uma “terça-feira cheia”, o G4 e o Z4 da Série B continuaram com os mesmos integrantes, numa rodada em que o Internacional foi o único visitante a ganhar. Entre os pernambucanos, dois empates. Na Arena, o alvirrubro cedeu a igualdade ao líder. Já no interior do Mato Grosso, o tricolor arrancou o empate aos 43 minutos do segundo tempo, numa penalidade. Enquanto o timbu se manteve na lanterna (e pela pontuação seguirá lá a médio prazo), a cobra coral perdeu duas colocações, encerrando em 9º lugar, a 5 pontos do grupo de acesso.

Resultados da 13ª rodada
Criciúma 1 x 1 Paysandu
Brasil 3 x 1 Oeste
Londrina 3 x 1 ABC
América 2 x 0 Boa
Vila Nova 3 x 2 Paraná
Guarani 1 x 0 Goiás
Ceará 0 x 2 Internacional
CRB 2 x 1 Figueirense
Luverdense 2 x 2 Santa Cruz
Náutico 1 x 1 Juventude 

Balanço da 13ª rodada
6V dos mandantes (18 GP), 3E e 1V dos visitantes (11 GP) 

Agenda da 14ª rodada
14/07 (19h15) – Brasil x Figueirense (Bento Freitas)
14/07 (20h30) – Oeste x Paraná (Arena Barueri)
14/07 (21h30) – Criciúma x Goiás (Heriberto Hulse)
15/07 (16h30) – América x Guarani (Independência)
15/07 (16h30) – CRB x Internacional (Rei Pelé)
15/07 (16h30) – Vila Nova x Paysandu (Juscelino Kubitschek)
15/07 (16h30) – Náutico x Santa Cruz (Arena Pernambuco)
15/07 (19h00) – Ceará x Juventude (Castelão)
15/07 (19h00) – Londrina x Boa (Estádio do Café)
15/07 (21h00) – Luverdense x ABC (Passo das Emas) 

Histórico do Clássico das Emoções na Série B
12 jogos
6 vitórias do Santa (última em 2014, 3 x 0)
3 empates (último em 2014, 0 x 0)
3 vitórias do Náutico (última em 2015, 3 x 1)

Com gol de pênalti aos 43 do 2º tempo, Santa empata com o Luverdense no MT

Série B 2017, 13ª rodada: Luverdense 2 x 2 Santa Cruz. Crédito: Premiere/reprodução

No segundo jogo sob o comando de Givanildo Oliveira, o Santa Cruz manteve o 4-2-3-1, mas não pôde contar com Elicarlos e Roberto. O volante segue machucado. Já o lateral-esquerdo foi desconsiderado de última hora devido a uma negociação com a Chape. E foi justamente no setor onde começou o primeiro gol do Luverdense, antes dos dez minutos de bola rolando. Num cruzamento de Moacir, ex-Sport, Sérgio Mota apareceu na pequena área entre os zagueiros e testou para as redes – ao todo, eram quatro defensores corais no lance. Era o início de uma atuação pouco inspirada do tricolor, que acabou saindo no “lucro” no encerramento da 13ª rodada.

Diante do então vice-lanterna da Série B (e campeão da Copa Verde), o time pernambucano vislumbrava a terceira vitória fora de casa, após Criciúma e Ceará. Não chegou nem perto. Na verdade, até “chegou”, com gols de Jaime e Augusto. Ambos anulados, corretamente, por impedimento. Ao menos, os lances foram sinal de que a troca de passes estava mesmo ajustada, pronta pra pegar a zaga adversária no limite, como foi o caso do gol de empate, em ótima finalização de Augusto (abaixo), logo na retomada da partida no Passo das Emas. Neste caso, com decisão polêmica da arbitragem, pois Barbio, que recebeu a bola antes de dar assistência, pareceu adiantado. De toda forma, a igualdade não durou muito, com o meia Sérgio Mota aparecendo de novo e colocando novamente os mato-grossenses em vantagem.

A partir dos 25, Giva fez três mudanças ofensivas, buscando referências na área. Entraram Parra, Halef Pitbull e Julio Sheik – neste caso na vaga de Ricardo Bueno, apagado. Do trio, a melhor chance foi de Pitbull, num chute cruzado, com a bola batendo nas duas traves! Mas, ironia do destino, o gol que valeu o pontinho saiu através de um zagueiro. Bruno Silva chamou a responsa na cobrança de pênalti, aos 43 minutos, e bateu com categoria, 2 x 2. Em termos de classificação, o resultado afastou o Santa do G4 (de 3 para 5 pontos), mas estabelecer uma sequência neste novo trabalho é fundamental…

Série B 2017, 13ª rodada: Luverdense 2 x 2 Santa Cruz. Crédito: Premiere/reprodução

Classificação da Série B 2017 – 12ª rodada

A classificação da 12ª rodada da Série A de 2017. Crédito: Superesportes

Após quatro rodadas sem vitória de clubes pernambucanos, uma rodada bem proveitosa na Série B, com seis pontos. Na terça, o Náutico venceu o ABC, em Natal, conquistando o primeiro triunfo nesta edição. Insuficiente para sair da lanterna, mas foi um alento, pois reduziu de 11 para o 8 pontos a diferença para o 16º, o primeiro time fora do Z4. Na sexta-feira, em São Lourenço da Mata, o Santa goleou o Brasil de Pelotas, ganhando cinco posições – do 12º para o 7º lugar. Reduziu de 5 para 3 pontos a distância ao G4.

Nesta rodada, destaque também para outro tropeço do Inter como mandante, seguindo fora do grupo de acesso, e para a vitória do Juventude no duelo de líder em Caxias do Sul. Com isso, o clube do interior gaúcho abriu três pontos na ponta. Na noite desta terça-feira, o Brasileiro volta a ter uma rodada cheia.

Resultados da 12ª rodada
Paysandu 1 x 2 Londrina
ABC 0 x 1 Náutico
Santa Cruz 3 x 0 Brasil
Goiás 3 x 1 Luverdense
Paraná 1 x 1 América
Figueirense 0 x 2 Ceará
Internacional 1 x 1 Criciúma
Juventude 2 x 0 Guarani
Oeste 2 x 2 Vila Nova
Boa 0 x 0 CRB 

Balanço da 12ª rodada
3V dos mandantes (13 GP), 4E e 3V dos visitantes (10 GP)

Agenda da 13ª rodada
11/07 (19h15) – Criciúma x Paysandu (Heriberto Hulse)
11/07 (19h15) – Brasil x Oeste (Bento Freitas)
11/07 (19h15) – Londrina x ABC (Estádio do Café)
11/07 (20h30) – América x Boa (Indenpendência)
11/07 (20h30) – Vila Nova x Paraná (Serra Dourada)
11/07 (20h30) – Guarani x Goiás (Brinco de Ouro)
11/07 (20h30) – Ceará x Internacional (Castelão)
11/07 (21h30) – CRB x Figueirense (Rei Pelé)
11/07 (21h30) – Luverdense x Santa Cruz (Passo das Emas)
11/07 (21h30) – Náutico x Juventude (Arena Pernambuco)