Classificação da Série B 2017 – 6ª rodada

A classificação da 6ª rodada da Série B de 2017. Crédito: Superesportes

Tricolores e alvirrubros perderam nesta sexta rodada do Brasileiro e caíram na tabela de classificação. Na noite de sexta-feira, o Santa Cruz perdeu do Londrina, no primeiro revés no Arruda nesta edição. Com isso, caiu três posições, saindo do G4 para a 7º lugar. Na tarde do sábado, o Náutico foi derrotado pelo Internacional, em Porto Alegre, e voltou à lanterna, devido à primeira vitória do Criciúma. Agora, os times pernambucanos voltam a campo na próxima terça, juntamente aos outros 18 participantes, em mais uma “terça-feira cheia” na segundona.

Na ponta, o Juventude não só manteve a liderança como ampliou a vantagem, de 1 para 2 pontos. E o Inter enfim voltou ao G4. De vez?

Resultados da 6ª rodada
Criciúma 1 x 0 CRB
Vila Nova 2 x 0 América
Santa Cruz 1 x 3 Londrina
Paysandu 0 x 1 Goiás
Inter 4 x 2 Náutico
Boa 0 x 2 Juventude
Brasil 2 x 3 Ceará
Paraná 0 x 1 Guarani
ABC 2 x 2 Figueirense
Oeste 0 x 0 Luverdense 

Balanço da 6ª rodada
3V dos mandantes (12 GP), 2E e 5V dos visitantes (14 GP)

Agenda da 7ª rodada
13/06 (19h15) – Londrina x Oeste (Estádio do Café)
13/06 (19h15) – Guarani x Paysandu (Brinco de Ouro)
13/06 (19h15) – Náutico x Paraná (Arena Pernambuco)
13/06 (20h30) – CRB x Vila Nova (Rei Pelé)
13/06 (20h30) – Juventude x ABC (Alfredo Jaconi)
13/06 (20h30) – Goiás x Boa (Serra Dourada)
13/06 (20h30) – Figueirense x Criciúma (Orlando Scarpelli)
13/06 (21h30) – Ceará x Santa Cruz (Castelão)
13/06 (21h30) – América x Internacional (Independência)
13/06 (21h30) – Luverdense x Brasil (Arena Pantanal)

Sport perde do Vasco em São Januário e segue sem pontuar como visitante

Série A 2017, 6ª rodada: Vasco x Sport. Foto: Celso Pupo/Foto Arena/Estadão conteúdo

Três jogos como visitante no Campeonato Brasileiro, três derrotas. Em todas, o Sport teve como característica marcante o futebol passivo. Desconto dado à estreia contra a Ponte Preta, quase uma formação reserva, nos jogos seguintes a inoperância ofensiva do time estagnou qualquer possibilidade de vitória. E até mesmo o empate, uma vez que defensivamente a equipe vem falhando sistematicamente, sofrendo gols em cinco dos seis jogos disputados.

Se contra o Avaí o time foi cobrado, como ficou claro na fala de Luxemburgo no vídeo de bastidores da vitória contra o Fla, diante do Vasco a equipe voltou a jogar sem inspiração. Com a posse de bola, limitou-se a trocar passes laterais na intermediária, buscando infiltrações, sem sucesso. A verticalização de jogadas é, com o perdão do trocadilho, uma barreira na equipe. Se na Ilha ainda há “coragem” para buscar algo, fora do Recife o time vem muito mal. Nada diferente do histórico do leão, manso longe de casa. Em 2017, porém, chama a atenção a quantidade de oportunidades claras. Em São Januário, teve apenas duas, com Rithely (1T) e Thomás (2T), com uma sensação de cansaço já na metade do segundo tempo.

Desta vez, o próprio Luxemburgo colaborou para a má atuação. Na quarta, melhorou o time no intervalo. Desta vez, piorou. Thallyson estava mal, mas não era o pior (era Thomás). Deu lugar ao estreante Sander, com o lateral/volante Patrick indo para o meio. Lá, nem combateu nem ajudou na criação. Escolha pior ocorreu ao tomar o gol de Luís Fabiano, livre, por mais que fosse o único a ser marcado. Acionou Leandro Pereira, deixando um hiato entre setores, pois Rithely não exerce a função de meia – o péssimo início do camisa 21 contra o Flamengo parecia ter mostrado isso. Assim, a ligação direta tornou-se recorrente. Nesta temporada, quantas vezes isso funcionou no Sport? Duas? Uma? Nenhuma. Num contragolpe, ainda levou o segundo gol. Nos acréscimos, André descontou de pênalti,  2 x 1. Só serviu para quebrar uma estatística. Ao menos o time já fez um golzinho fora de casa…

Vasco x Sport no Rio de Janeiro, pelo Brasileiro
5 vitórias do Vasco
2 empates
4 vitórias do Leão

Série A 2017, 6ª rodada: Vasco x Sport. Foto: Vasco/twitter (@vascodagama)

Em jogo com 4 pênaltis e 2 expulsões, Náutico perde do Inter no Beira-Rio

Série B 2017, 6ª rodada: Inter x Náutico. Foto: Ricardo Duarte/Internacional (site oficial)

Imerso numa crise técnica, o Náutico foi ao Beira-Rio sem grandes pretensões. Enfrentaria o Inter, o maior favorito da Série B, vindo de vitória e com o novo treinador, Guto Ferreira. Jogar com o mínimo de organização defensiva era o que se esperava, em busca algum pontinho. No intervalo, isso até acontecia. Num primeiro tempo no qual o colorado largou melhor, tendo um gol mal anulado e outro bem assinalado, ambos com Carlos, o timbu conseguiu estabilizar a pressão. Para o jogo, o meio-campo havia sido reforçado por Waldemar Lemos. A bronca era nas laterias, com Manoel e David sendo envolvidos. Ainda assim, com 43% de posse, o visitante começou a oferecer perigo através de Erick, arisco. O atacante deu dois ótimos passes para o estreante Vinicius, que aproveitou o segundo, aos 44 minutos.

A história do jogo sofre enorme transformação na etapa complementar, tendo como protagonista o árbitro Paulo Roberto Alves. Em 18 minutos, o paranaense marcou três pênaltis para o mandante. Pottker e D’Alessandro converteram e Tiago Cardoso defendeu a 3ª cobrança, de Cirino. Embora, na visão do blog, as marcações tenham sido corretas, disciplinarmente o juiz atrapalhou. Não por acaso, dois alvirrubros foram expulsos, Nirley (em péssima atuação, com duas penalidades cometidas) e Darlan.

Acuado pelas marcações – dificilmente algum time ignoraria-, o Timbu limitou-se ao seu campo, mesmo com o placar já desfavorável. No finzinho, Iago, também estreante, recebeu um lançamento e tocou na saída de Danilo Fernandes, 3 x 2. Haveria um último suspiro? Foi encerrado no minuto seguindo, em novo pênalti, esse questionável, de Tiago Cardoso. E olhe que o goleiro pegou outra cobrança! Deu nem tempo de projetar uma última bola na área, pois Cirino marcou o quarto gol com a defesa pernambucana desarmada, 4 x 2. Sobrou reclamação após o apito final..

Série B 2017, 6ª rodada: Inter x Náutico. Foto: Ricardo Duarte/Internacional (site oficial)

Eutrópio deixa o Santa com rendimento de 57% em 32 jogos, mas sem evolução

Série B 2017, 6ª rodada: Santa Cruz 1 x 3 Londrina. Foto: Nando Chiappetta/DP

“A diretoria coral se reuniu com o treinador neste sábado. De forma tranquila e amigável, a saída de Eutrópio foi definida. O Santa Cruz agradece os serviços prestados por Eutrópio, que foi importante no processo de remontagem do elenco para 2017.”

Vinícius Eutrópio foi o principal responsável pela formação do elenco, esfacelado após a saída dos principais nomes presentes no Brasileirão. Com um orçamento enxuto e a meta de retornar de forma imediata à elite, o técnico conseguiu dosar apostas (como Pitbull e Thomás) com jogadores de potencial, mas em baixa (como Elicarlos, Barbio etc). Com o time formado, passou longe de agradar o torcedor com o esquema adotado, de característica defensiva. Embora a limitação ofensiva justificasse a decisão, faltou ambição (tática e técnica, como a manutenção de Everton Santos) para encontrar soluções.

Com três eliminações em um semestre, a relação tornou-se bem distante. Apesar dos índices regulares, faltava “bola”. O bom início na Série B até apaziguou, mas as derrotas para Goiás (recuando o time quando fazia boa partida) e Londrina (sem compactação, em casa), quando foi expulso, encerraram o vínculo. As aspas acima, informadas pela direção coral através das redes sociais, encaminham um novo trabalho. Entretanto, cabe uma ressalva: caso o clube não regularize a situação financeira, com seguidos salários atrasados, a simples troca de comando tende a ser insuficiente…

Tricolor, o que você achou da mudança no comando técnico?

Estadual (3º lugar, eliminado pelo Salgueiro)
14 jogos; 6 vitórias, 5 empates e 3 derrotas; 23 GP e 14 GC; apt. de 54,7% 

Nordestão (3º lugar, eliminado pelo Sport)
10 jogos; 7 vitórias, 1 empate e 2 derrotas; 13 GP e 5 GC; apt. de 73,3%  

Copa do Brasil (oitavas, eliminado pelo Atlético-PR)
2 jogos; nenhuma vitória, 1 empate e 1 derrota; 0 GP e 2 GC; apt. de 16,6%  

Série B (7º lugar)
6 jogos; 3 vitórias, nenhum empate e 3 derrotas; 8 GP e 9 GC; apt. de 50,0%

Total (jogos oficiais)
32 jogos; 16 vitórias, 7 empates e 9 derrotas; 44 GP e 30 GC; apt. de 57,2%

Santa perde a segunda seguida na Série B. Desta vez no Arruda, para o Londrina

Série B 2017, 6ª rodada: Santa Cruz 1 x 3 Londrina. Foto: Marlon Costa/Futura Press/Estadão conteúdo

Em apenas quatro dias, o Santa Cruz acumulou duas derrotas na Série B, com cinco gols sofridos, expondo justamente o setor mais ajustado do time. Diante de Goiás e Londrina, a relação da torcida coral com Vinícius Eutrópio tornou-se ainda mais turbulenta, tendo como ponto alto a expulsão do técnico nesta sexta, no Arruda, com o tricolor perdendo a invencibilidade em casa.

Por volta de 46 minutos, na reclamação do pênalti a favor dos paranaenses, o treinador foi repreendido pelo árbitro gaúcho Jean Pierre Lima. Entre os poucos corais nas sociais, mais reclamações. A maioria direcionada ao próprio treinador, na descida para o vestiário. Àquela altura, o volante Germano já convertera, no cantinho de Júlio César. Embora tenha começado melhor, propondo o jogo e com Ricardo Bueno tirando tinta da trave numa cabeçada, a equipe tricolor já vinha tomando pressão nos últimos 15 minutos da primeira etapa. Escapara em dois contragolpes e numa cobrança de escanteio, no travessão. Na penalidade cometida por Anderson Salles, não teve jeito.

No segundo tempo, a reação parou com apenas seis minutos, quando Salles, em noite infeliz, escorregou, com Belusso se aproveitando e rolando a bola para Artur marcar. O mesmo Artur faria mais um, num chutaço de fora da área, justamente no “melhor momento” do Santa em termos de criação. As aspas são necessárias (e óbvias) devido à situação do jogo, com o placar bem favorável ao Londrina, já compactado na defesa. Enquanto isso, aquele time que chegou a mirar a liderança no Serra Dourada ia sendo goleado em casa. Acionado numa fogueira, o estreante Léo Lima ainda deu um passe, no finzinho, para João Paulo anotar o único e insuficiente tento coral, 1 x 3. Eutrópio acompanhou o restante pela tevê, longe da pressão estabelecida…

Série B 2017, 6ª rodada: Santa Cruz 1 x 3 Londrina. Foto: Nando Chiappetta/DP

Os 20 clubes da Copa do Nordeste 2018, com 11 já garantidos na fase de grupos

Os 20 clubes da Copa do Nordeste de 2018. Arte: Cassio Zirpoli/DP

A composição da Copa do Nordeste de 2018 está quase pronta. Ao menos, já saíram os nomes dos 20 clubes classificados. Uma pendenga na justiça atrasou o campeonato maranhense, que só agora definiu os seus finalistas, Sampaio e Cordino. Como cada clube ganhou um turno, ambos asseguraram vaga na 15ª edição do torneio regional. Entretanto, com a reformulação da Lampions, ainda não é possível dizer para qual etapa cada um se classificou.

O próximo Nordestão terá a mesma quantidade de participantes estabelecida em 2015, vinte, mas agora terá uma fase preliminar envolvendo oito times, com os vencedores dos quatro mata-matas avançando à fase de grupos, com doze já assegurados. Ou seja, apenas o campeão maranhense tem vaga nesta segunda fase, com o vice tendo que largar no “Pré-Nordestão”. A decisão no Maranhão está marcada para os dias 15 e 21 de junho. E essa definição tem relação direta com o Santa, que disputará a primeira fase nordestina, uma vez que os oito clubes serão divididos em dois potes no sorteio, de acordo com o Ranking da CBF – no pote 1, o tricolor enfrentará um time do 2. Se o Cordino for campeão estadual, o pote 2 teria CSA, Parnahyba, Itabaiana e Fluminense de Feira de Santana. Caso o Sampaio fique com a taça, o pote 2 teria Parnahyba, Itabaiana, Flu e Cordino.

Devido ao ranking nacional vigente, divulgado em dezembro de 2016, Sport, Vitória, Bahia e Ceará já estão assegurados como cabeças de chave no sorteio dos grupos. Caso passe da etapa preliminar, o Santa Cruz ficaria no pote 2 do novo sorteio, junto a ABC, CRB, já confirmados neste patamar. Os demais dependem dos classificados do “pré”. A premiação da próxima Copa do Nordeste deve chegar a R$ 23 milhões, num aumento de 24% em relação a edição de 2017, vencida pelo Baêa. Os estreantes da vez são Parnahyba e Cordino – até hoje, 53 clubes já participaram do regional.

Fase preliminar (8 clubes, passando 4)
Santa Cruz (3º de PE) – 26º no Ranking da CBF
Treze (vice da PB) – 69º
Globo (vice do RN) – 77º
CSA (vice de AL) – 90º
Panahyba (vice do PI) – 100º
Itabaiana (vice de SE) – 117º
Fluminense de Feria (3º na BA) – 131º
Vice do MA (indefinido)

Fase de grupos (16 clubes, com 4 grupos de 4)
Sport (finalista do PE) – 17º
Vitória (campeão na BA) – 20º
Bahia (vice na BA) – 21º
Ceará (campeão no CE) – 23º
ABC (campeão no RN) – 31º
CRB (campeão em AL) – 37º
Botafogo (campeão na PB) – 46º
Salgueiro (finalista do PE) – 49º
Confiança (campeão em SE) – 56º
Altos (campeão no PI) – 136º
Ferroviário (vice no CE) – s/r
Campeão do MA (indefinido)

A definir (fase de grupos, campeão estadual; fase pré, vice)
Sampaio Corrêa (finalista do MA) – 36º
Cordino (finalista do MA) – s/r

Dados dos participantes da Copa do Nordeste 2018:

Alagoas
CRB (campeão alagoano): 13 participações, com 1 vice
CSA (vice): 11 participações, com 2 semifinais 

Bahia
Vitória (campeão baiano): 13 participações, com 4 títulos, 3 vices e 2 semis
Bahia (vice): 13 participações, com 3 títulos, 3 vices e 3 semifinais
Fluminense de Feira (3º lugar): 6 participações, com 1 vice 

Ceará
Ceará (campeão cearense): 12 participações, com 1 título, 1 vice e 2 semis
Ferroviário (vice): 2 participações, com 2 fases de grupos 

Maranhão
Sampaio Corrêa (finalista estadual): 3 participações, com 3 fases de grupos
Cordino (finalista estadual): estreante

Paraíba
Botafogo (campeão paraibano): 13 participações, com 1 semifinal
Treze (vice): 7 participações, com 1 semifinal 

Pernambuco
Sport (finalista estadual): 12 participações, com 3 títulos, 2 vices e 4 semis
Salgueiro (finalista estadual): 3 participações, com 2 quartas de final
Santa Cruz (3º lugar): 11 participações, com 1 título e 3 semifinais 

Piauí
Altos (campeão piauiense): 1 participação, com 1 fase de grupos
Parnahyba (vice): estreante 

Rio Grande do Norte
ABC (campeão potiguar): 12 participações, com 1 vice e 1 semifinal
Globo (vice): 1 participação, com 1 fase de grupos 

Sergipe
Confiança (campeão sergipano): 9 participações, com 9 fases de grupos
Itabaiana (vice): 2 participações, com 1 quartas de final

O segundo uniforme do Sport para a temporada 2017/2018, via Adidas

O 2º uniforme do Sport do Sport para a temporada 2017/2018

Como de praxe, o novo uniforme do Sport vazou antes de qualquer anúncio do clube acerca da produção, chegando logo às lojas da cidade. O segundo padrão oficial surge 43 dias após o lançamento da camisa rubro-negra, o modelo I, numa homenagem aos 30 anos do título brasileiro de 1987.

Desta vez, o modelo II foca na cor cinza, substituindo o preto do último ano. De cara, a peça lembra uma linha casual, mas é mesmo de jogo – semelhante ao padrão reserva do Real Madrid em 2015/2016. Com a cor forte, mantém o indício de uma terceira camisa clara, mais utilizada nas partidas do time na condição de visitante, como acabou ocorrendo com a dourada.

Caso siga a ordem planejada sobre os lançamentos, a linha 2017/2018 do leão, produzida pela Adidas, ficará completa em agosto, com a apresentação do modelo III. Esta é a 4ª linha através da marca alemã, cujo contrato com o clube se encerra em 2018 – ainda sem detalhes de renovação.

Rubro-negro, o que você achou da nova camisa do Sport?

O 2º uniforme do Sport do Sport para a temporada 2017/2018

Brasil x Argentina ao vivo via CBF TV

A CBF liberou o sinal de transmissão do amistoso entre Brasil e Argentina, em Melbourne, através do compartilhamento de seu perfil oficial no Livestream.

A curiosa situação deve-se à política da confederação, que não negociou os direitos com a Rede Globo, parceira há décadas. Assim, acabou comprando espaço em duas emissoras menores, TV Brasil (TV Universitária no Recife, canal 11) e TV Cultura (TV Nova no Recife, 22). Assista, a partir de 7h05…

Atualização: a Seleção foi até superior, mas os hermanos venceram por 1 x 0.

Classificação da Série A 2017 – 5ª rodada

A classificação da 5ª rodada da Série A de 2017. Crédito: Superesportes

Diante do Grêmio, a primeira vitória leonina veio com a ressalva acerca da escalação reserva do time gaúcho. Tanto que, em cinco rodadas, o Grêmio venceu quatro vezes e perdeu apenas um jogo, na Ilha, quando poupou visando a Copa do Brasil. Desta vez, pela 5ª rodada, a segunda vitória do Sport no Brasileiro foi incontestável. Jogando de forma inteligente, num cenário de pressão, o rubro-negro pernambucano superou o Fla, subindo na classificação, do 15º para o 11º lugar. Abriu três pontos em relação ao Z4. Neste meio de semana, destaque para as goleadas de Corinthians e Grêmio como visitantes (11 gols somados!). Não por acaso, líder e vice-líder.

Resultados da 5ª rodada
Fluminense 1 x 1 Atlético-PR
Atlético-MG 1 x 0 Avaí
Coritiba 1 x 0 Palmeiras
Santos 1 x 0 Botafogo
Vasco 2 x 5 Corinthians
Sport 2 x 0 Flamengo
São Paulo 2 x 0 Vitória
Atlético-GO 3 x 0 Ponte Preta
Chapecoense 3 x 6 Grêmio
Bahia 1 x 0 Cruzeiro 

Balanço da 5ª rodada
7V dos mandantes (17 GP), 1E e 2V dos visitantes (12 GP) 

Agenda da 6ª rodada
10/06 (16h00) – Palmeiras x Fluminense (Allianz Parque)
10/06 (19h00) – Vasco x Sport (São Januário)
11/06 (11h00) – Botafogo x Coritiba (Nilton Santos)
11/06 (16h00) – Vitória x Atlético-MG (Barradão)
11/06 (16h00) – Avaí x Flamengo (Ressacada)
11/06 (16h00) – Corinthians x São Paulo (Arena Corinthians)
11/06 (16h00) – Ponte Preta x Chapecoense (Moisés Lucarelli)
11/06 (18h30) – Cruzeiro x Atlético-GO (Mineirão)
11/06 (19h00) – Atlético-PR x Santos (Arena da Baixada)
12/06 (20h00) – Grêmio x Bahia (Arena do Grêmio)

Histórico de Vasco x Sport no Rio, pela elite:
4 vitórias leoninas, 2 empates e 4 derrotas

Magrão x Muralha, um jogo de detalhes

No equilibrado jogo na Ilha, os goleiros foram decisivos para o placar favorável ao rubro-negro pernambucano. Enquanto Magrão salvou o Sport com quatro defesas de extrema dificuldade, Muralha falhou bisonhamente no primeiro gol leonino, numa reposição nos pés de Osvaldo, que mandou no ângulo.

Entretanto, chamou a atenção dois lances bem parecidos, de cada time, como alertado pelo blog no texto do jogo. Ambos com os atacantes puxando a bola na ponta esquerda da área e batendo canto oposto do goleiro. No primeiro tempo, o Magrão espalmou o chute de Damião. No segundo, Muralha não evitou o gol de Thomás, embora tenha tido um leve desvio na zaga.

Abaixo, como curiosidade, os lances quadro a quadro…