O desafio do banho gelado no futebol e a previsível chegada ao Recife

Desafio da água gelada no futebol. Crédito: youtube/reprodução

O viral é o mesmo. Uma ação inusitada ganhando força nas redes sociais e turbinada mundialmente pela participação de celebridades e atletas famosos das mais diversas modalidades.

Foi assim no Harlem Shake, aquela dança doida que surgiu nos Estados Unidos.

Agora é a vez do Ice Bucket Challenge, ou “desafio do banho gelado”. como está sendo chamado por aqui.

O desafio incentiva doações para pesquisas e institutos para diversas doenças. No entanto, a que tem recebido mais atenção é a ALS (no Brasil, ELA) ou esclerose lateral amiotrófica (saiba mais aqui).

Após o banho de gelo (ou água gelada), a pessoa desafia outras, aumentando consideravelmente o raio de ação. Daí, a viralização na web.

No futebol, já participaram nomes como Mario Götze, Iniesta, Gerrard, Marcelo, David Luiz, Benteke, Cristiano Ronaldo, Daniel Alvez, Balotelli, Thiago Silva, Neymar e Sturridge, entre outros…

Como aconteceu no Harlem Shake, a onda deve chegar rapidamente no Brasil.

No Recife, Marinho do Náutico foi o primeiro a puxar a fila…

Desafio da água gelada no futebol. Crédito: youtube/reprodução

A 17ª classificação da Segundona 2014

Classificação da Série B 2014, na 17ª rodada. Crédito: Superesportes

Ceará e Vasco foram derrotados de forma surpreendente na 17ª rodada do Brasileiro, aumentando a briga pela liderança, com Avaí e América-MG próximos (somaram três pontos). Em relação aos pernambucanos, quatro pontos.

O Timbu fez 3 x 2 no Oeste, de virada, e se distanciou do Z4, dando fôlego para voltar a pensar em algo mais na Série B. Já o Santa, apesar da expectativa sobre o time, mantém um rendimento bem irregular. Somou um ponto fora de casa (0 x 0 com o Sampaio), sendo ultrapassado pelo rival alvirrubro.

No G4, um cearense, um carioca, um catarinense e um mineiro.

A 18ª rodada dos representantes pernambucanos
23/08 – Náutico x América-RN (16h10)
23/08 – Avaí x Santa Cruz (16h10)

A tabela segue incompleta. Na 16ª rodada, devido à morte do ex-governador de Pernambuco, Santa x Bragantino foi adiado – e ainda sem data.

Empate tecnicamente pobre entre Sampaio e Santa

Série B 2014, 17ª rodada: Sampaio Corrêa x Santa Cruz. Foto: Jamil Gomes/Santa Cruz/Instagram

Um jogo de nível técnico sofrível em São Luís.

O empate sem gols no Castelão foi mesmo digno do jogo disputado entre Sampaio Corrêa e Santa Cruz, nesta terça.

O técnico Sérgio Guedes havia passado os últimos dias dando entrevistas com sinais de que armaria um time mais ofensivo, compacto. Ficou no discurso.

Keno e Pingo cansaram de correr mais do que a bola, de errar passes curtos. Léo Gamalho, mais técnico, ainda teve algumas oportunidades, mas esteve a maior parte da noite isolado lá na frente.

Nas laterais, destaque negativo para Renatinho, numa queda de produção assustadora. Não rende no ataque e boa parte dos principais lances adversários são nas suas costas. A volta de Tiago Costa é necessária.

O empate em 0 x 0 ainda teve quatro bolas na trave, é verdade, sendo duas da Bolívia Querida no primeiro tempo e duas da Cobra Coral no segundo. Mas nem isso tornou a partida mais interessante. Havia resquício da final da Série C.

Com um jogo a menos na Série B, o Tricolor acabou ficando mais atrás na luta pelo G4. Na verdade, foi até ultrapassado pelo rival Náutico (24 x 23 pontos).

O baque do Santa Rita ainda não foi digerido. A falta de uma atuação convincente só deixa o processo lento. E nem o discurso está mais ajudando…

Série B 2014, 17ª rodada: Sampaio Corrêa x Santa Cruz. Foto: Jamil Gomes/Santa Cruz/Instagram

O grupo alvirrubro reagiu na Arena. Agora, o papel cabe à diretoria

Série B 2014, 17ª rodada: Náutico x Oeste. Foto: Marlon Costa/FPF

E o Náutico vai arrumando a casa…

A chegada de Dado Cavalcanti realmente mudou a cara do Timbu.

Em duas partidas, com pouco treino e muita conversa, duas vitórias. Após o bom resultado em Cuiabá, o time encaixou o segundo triunfo seguido.

Na Arena Pernambuco, o jogo foi de muita luta e pouca paciência.

O Oeste, adversário na briga contra o Z4, ficou em vantagem duas vezes nesta terça, em duas falhas grotescas da defesa. Uma na falta de combate num contragolpe e outra numa desatenção na área após uma bola alçada.

No primeiro tempo, os dois gols alvirrubros saíram no sufoco, com Mario Risso (cabeça) e Crislan (voleio). Antes, a torcida pedia a entrada de Marinho – que de certa forma surpreendeu ao não constar entre os titulares.

Como Crislan machucou o ombro ao marcar o seu tento, Marinho acabou mesmo sendo acionado no ataque. Com personalidade, puxando as jogadas, ele melhorou o time. Num elenco limitado, o atacante sobra.

Outra boa peça, o argentino Cañete enfim pôde jogar. Expulso na estreia, desta vez se controlou em campo e ajudou. Demais até…

Foi dele o gol da vitória por 3 x 2, numa bola chorada, mas muito comemorada.

As duas vitórias seguidas pressionam agora a diretoria a também fazer a sua parte, quitando os salários, dando tranquilidade ao elenco (é preciso).

No sábado, a chance de engatar a sequência, com outra atuação na Arena, às 16h10 contra o América de Natal. Ou vai ou racha.

Série B 2014, 17ª rodada: Náutico x Oeste. Foto: Marlon Costa/FPF

“Vou ter uma guerra em cima de mim. Já sei disso”. Por um Estadual no meio da pré-temporada, segundo Evandro

O presidente da FPF, Evandro Carvalho. Foto: Teresa Maia/DP/D.A Press

“Eu quero que alguém me diga como se faz um campeonato de futebol com apenas 12 datas. Me diga você”.

Durante uma conversa por telefone, o presidente da FPF, Evandro Carvalho, não fez a menor questão de esconder a insatisfação com o calendário da CBF para 2015. O dirigente tem na confederação uma aliada a toda prova, ou quase isso, pois desta vez criticou a entidade, algo raríssimo em sua gestão.

Na ligação, tive que responder à indagação. Considerando que o Pernambucano tem doze clubes, poderia ser disputado com um turno completo, de onze rodadas, e uma decisão em jogo único entre os dois primeiros colocados.

A resposta foi imediata, quase esperando o formato…

“A gente também pensou esse regulamento aqui, mas onze jogos num turno e final de um jogo dexaria campeonato ridículo. É um absurdo! Os grandes (do Recife) vão jogar só uma vez? Cadê os clássicos, a renda? Essa situação (doze datas) vai dar muito trabalho para a gente conseguir um caminho legal. A CBF cedeu ao Ministério Público, ao Clube dos 13, ao Bom Senso FC, a todo mundo, mas acabou prejudicando os clubes pequenos.”

Questionado pelo blog se lutaria para ganhar mais algumas datas, ao menos para uma fase preliminar envolvendo os times intermediários, o mandatário não só confirmou o pleito como disse o que o aguarda…

“O ano do futebol profissional não pode começar só em 1º de fevereiro. Isso só funciona para os maiores times do país, que já estão até negociando amistosos internacionais. Enquanto isso, os pequenos não têm como ficar um mês sem atividade (a pré-temporada oficial será de 7 a 31 de janeiro). O menor contrato possível com um atleta é de três meses de duração. Os clubes não vão aceitar fazer isso para jogar só onze vezes. Não tem como! Vou lutar para ter jogos em dezembro e janeiro (como em 2013/2014, com a Taça Miguel Arraes). Vou ter uma guerra em cima de mim. Já sei disso…” 

A preocupação do mandatário deve-se à própria imagem, com a possível repercussão negativa de jogos no meio da pré-temporada país afora.

Apesar da norma exposta no novo calendário, o raciocínio de Evandro até faz sentido, sobretudo para os clubes menores. Impor o período de férias em dezembro é uma restrição às Séries A e B e aos melhores das Séries C e D. Isso contempla cerca de 50 times, num universo de 684 agremiações brasileiras em atividade. Atualmente, 16 mil dos 20 mil jogadores federados ficam seis meses parados, num estudo do próprio movimento Bom Senso (veja aqui).

Em seguida, Evandro, claro, valorizou o seu peixe…

“No Brasil, só dois campeonatos estaduais são rentáveis. São Paulo e Pernambuco (por causa do Todos com a Nota). Sem campeonato, não tem como manter os times do interior. Os times do Clube dos 13 (grupo que nem existe mais, mas numa afirmação válida para os grandes do Brasil) só pensam na sobrevivência deles.”

Vale destacar que o estado só terá doze datas por causa do Nordestão, que será realizado paralelamente. Na maior parte do país serão 19. Porém, apenas três pernambucanos disputarão as duas competições (Sport, Náutico e Salgueiro). Ou seja, o Santa só terá doze jogos até o Brasileiro…

Seguindo o prazo dado do Estatuto do Torcedor, a FPF tem até o fim de outubro para apresentar uma solução para a 101ª edição do Estadual. O presidente da federação encerrou a entrevista com uma sentença.

“O mínimo para um campeonato é ter 15 datas. Menos que isso não se faz”.

Ou seja, o mínimo seria justamente o regulamento adotado em 2014, com turno único e semifinal e final, ambos em ida e volta.

A última vez que um campeão pernambucano jogou no máximo doze partidas foi em 1943, quando o Leão foi campeão com apenas oito jogos, mas num torneio confuso, com oito jogos não realizados e no qual o Timbu pediu a desfiliação.

Você concorda com Evandro? Como você faria um torneio com 12 jogos?

Os potes do sorteio do Nordestão 2015

Participantes da Copa do Nordeste de 2015 sobre foto do sorteio de 2014 (Ricardo Stuckert/CBF)

O sorteio da Copa do Nordeste de 2015 acontecerá em 18 de setembro, no Recife.

O evento será em uma casa de recepções na capital pernambucana, numa noite com a presença dos presidentes das nove federações regionais e dos vinte clubes participantes do próximo regional. José Maria Marin, presidente da CBF, deve participar da cerimônia, como ocorreu na temporada passada, em Salvador.

Em relação à composição dos grupos, há uma clara mudança na nova edição.

Com a ampliação do Nordestão de 16 para 20 equipes, o regulamento também foi modificado, agora com cinco grupos de quatro times. Passam às quartas de final os cinco líderes e os três melhores segundos colocados.

O sorteio volta a ser dirigido, com os participantes divididos em quatro potes, seguindo a versão vigente do ranking da CBF, divulgado em 13 de dezembro de 2013. Cada chave terá um time de cada pote, mantendo um equilíbrio técnico geral.

Curiosamente, no último pote estão cinco clubes que não pontuaram nacionalmente nos últimos cinco anos, como preza a lista da confederação brasielira.

A – Vitória (16º), Bahia (17º), Náutico (21º), Ceará (22º) e Sport (24º)

B – Fortaleza (35º), América-RN (36º), Salgueiro (47º), CRB (50º) e Sampaio Corrêa (53º)

C – Campinense (65º), Botafogo (77º), Confiança (87º), Coruripe (122º) e Moto Club (201º)

D – Globo (s/r), Piauí (s/r), River (s/r), Serrano (s/r) e Socorrense (s/r)

Qual seria o grupo mais difícil do Nordestão? E o mais fácil…?

O campeão terá vaga assegurada na Copa Sul-Americana de 2015.

Do Santa Rita ao Cruzeiro, as forças restantes na Copa do Brasil

Oitavas de final da Copa do Brasil de 2014

O caminho até o título da 26ª edição da Copa do Brasil está traçado.

A tabela a partir das oitavas da final foi definida em um sorteio na sede CBF, no Rio

Sete ex-campeões do torneio detêm 18 dos 25 títulos desde 1989, o que corresponde a 72% de todas as taças já erguidas.

Eis as melhores campanhas de cada time ainda na briga em 2014…

Do Cruzeiro, atual campeão brasileiro e líder novamente, ao Santa Rita, única equipe sem divisão na temporada. Mais democrático, impossível.

Campeões: Grêmio (4), Cruzeiro (4), Corinthians (3), Flamengo (3), Palmeiras (2), Santos (1) e Vasco (1)

Vices: Coritiba (2), Ceará (1), Botafogo (1) e Atlético-PR (1)

Semifinal: Atlético-MG (2)

Oitavas de final: ABC (2), Américan-RN (2), Santa Rita (1) e Bragantino (1)

Pitacos para as quartas de final:

Grêmio x Ceará, Cruzeiro x Vasco, Flamengo x Atlético-PR, Atlético-MG x Corinthians…

Concorda? Opine.

Rede wi-fi como adversária, numa briga do futebol contra o avanço tecnológico

Protesto da torcida do PSV contra o "wi-fi"

A torcida do PSV fez um protesto inusitado na abertura da liga holandesa.

Durante a goleada por 6 x 1 sobre o NAC Breda, a torcida exbiu uma faixa com a seguinte frase no Philips Stadion:

“Fuck wi-fi, support the team”.

Traduzindo, literalmente: “Foda-se o wi-fi, apoie o time”.

O argumento vem do fato de que de tão concentrados nos seus smartphones e tablets, os torcedores passam a ignorar a tensão em campo.

Curiosamente, neste mesmo mês o Manchester United proibiu no seu mítico estádio, o Old Trafford, o uso de iPads. No caso inglês, a medida é para que os aparelhos não atrapalhem a visão de outros espectadores.

Trazendo a discussão para Pernambuco, os palcos de alvirrubros, rubro-negros e tricolores também contam com wi-fi gratuito. Na Ilha – um dos primeiros do país com o serviço, desde julho de 2010 – e no Arruda, a queixa não é pela oferta, mas pela demanda limitada da rede. É comum, sobretudo no Mundão, a queda da conexão. Já na Arena, nem todos os setores foram contemplados, 3G das operadoras à parte. Porém, existe um plano de ampliação.

Disponibilizar internet para a torcida pode mesmo influenciar no comportamento do público nos jogos, considerando que muitos (brasileiros) contam com smartphones? Não creio que chegue a tanto, mas vale o debate…

Já existem termos pejorativos como “torcida de vôlei” e “torcida de shopping”, mas o que seria isso de fato? Neste quesito, destaca-se o amplo compartilhamento de textos e fotos a partir dos celulares, durante os jogos.

No processo de modernização do estádios – e a internet em banda larga à disposição faz parte -, a tendência é a ampliação do cenário. Os termos pejorativos aparecem mais como um choque ao avanço do que outra coisa…

Arena Pernambuco (Náutico e Sport)
Rede: itaipavaarena
Operadoras: Embratel e WorldNet
Área: anel inferior oeste e camarotes

Ilha do Retiro (Sport)
Rede: hotlink_sport
Operadora: Hotlink
Área: todos os setores

Arruda (Santa Cruz)
Rede: hotlink_santacruz
Operadora: Hotlink
Área: todos os setores

Qual é o seu grau de satisfação com a rede wi-fi no estádio do seu time? Você concorda com a postura dos torcedores do PSV?

Manchester United proibiu o uso de ipads no Old Trafford. Foto: Getty Images

Podcast 45 minutos (50º) – Jogos de Náutico e Sport e defesa tricolor

A nova edição do 45 minutos traz uma análise os jogos de Náutico (vitória) e Sport (empate) no Brasileiro, os gritos na arquibancada entre a Jovem e os sócios do Leão. E no Santa, onde está fundamentado o o ponto fraco no sistema defensivo?

O 50º podcast teve 1h17min de gravação. Estou na discussão com Celso Ishigami, Fred Figueiroa, João de Andrade Neto e Rafael Brasileiro.

Classificação da Série A 2014 – 15ª rodada

Classificação da Série A 2014, na 15ª rodada. Crédito: Superesportes

O Sport chegou a ficar seis jogos sem perder. Agora são três rodadas sem vencer. O time ainda mantém uma distância confortável sobre o Z4 (8 pontos), a queda de produção preocupa a médio prazo.

No G4, a composição segue a mesma há várias semanas, mas agora com uma ameaça real, com a evolução do São Paulo no campeonato. Na briga pelo título, polarização entre Cruzeiro e Inter? A conferir.

A 16ª rodada do representante pernambucano
20/08 – Sport x Palmeiras (19h30)

Jogos no Recife pela elite: 5 vitórias leoninas, 4 empates e 7 derrotas.