Os uniformes da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo 2018. De 149 a 449 reais

Uniformes da Seleção Brasileira em 2018. Crédito: CBF/site oficial

Dando sequência ao longo contrato, a Seleção Brasileira irá vestir uniformes produzidos pela Nike pela sexta Copa do Mundo consecutiva: 1998, 2002, 2006, 2010, 2014 e 2018 – a cada ciclo mundialista a fabricante paga US$ 48 milhões à CBF. Para esta temporada, com a edição na Rússia na mira, a linha adota as “cores vivas de 58 (1º título) e 70 (tri)”, tendo como inspiração o “legado de habilidade, técnica e ousadia”. À parte do discurso marketeiro, a linha chega completa, com dois uniformes, padrão pré-jogo e linha casual – nos modelos masculino e feminino, inclusive na apresentação. No caso do padrão de jogo, existem três versões, com R$ 300 de variação.

Na camisa principal, o amarelo mais vibrante é chamado de ‘ouro samba’, com um detalhe azul na parte de trás da nuca – segundo a confederação, isso não acontecia há 50 anos. No padrão reserva, um mosaico de estrelas projetado a partir de escudo, além da numeração amarela, a mesma em 58, quando a Canarinha venceu o seu primeiro Mundial jogando de azul. Na apresentação desta nova coleção, imagens com Neymar, Philipe Coutinho, Willian, Daniel Alves, Paulinho e Thiago Silva. Nomes certos na lista de Tite.

Camisa oficial da Seleção na linha 2018/2019 (amarela ou azul)
R$ 449,90 (modelo jogador)
R$ 249,90 (modelo torcedor – único com versão feminina)
R$ 149,90 (modelo supporter)
R$ 229,90 (modelo infantil torcedor) 
R$ 129,90 (modelo infantil supporter) 

Sobre a diferença de R$ 200 entre as camisas de jogador e de torcedor, nota-se basicamente a cor mais clara na versão mais barata – sem contar a tecnologia de absorção etc. Tirando isso, fica a critério do consumidor…

Confira os três modelos adultos da camisa 1 clicando aqui.

A estreia dos uniformes ocorrerá no giro europeu em março, com o azul no jogo com a Rússia, dia 23, e o padrão amarelo contra a Alemanha, dia 27.

Uniforme da Seleção Brasileira em 2018. Crédito: CBF/site oficial

Uniforme da Seleção Brasileira em 2018. Crédito: CBF/site oficial

Uniforme da Seleção Brasileira em 2018. Crédito: CBF/site oficial

Uniforme da Seleção Brasileira em 2018. Crédito: CBF/site oficial

Uniforme da Seleção Brasileira em 2018. Crédito: CBF/site oficial

Caixa segue no Sport pelo 5º ano. Valor congelado evita correção de R$ 3,4 mi

Uniforme 3 do Sport na temporada 2017/2018. Crédito: Sport/divulgação

A Caixa Econômica Federal é a patrocinadora-master do Sport desde 2014. E continuará sendo ao longo de 2018, após a reunião em 13 de março, em Brasília, com a presença de outros clubes, como Bahia e Vitória – que recebem o mesmo valor que o leão pernambucano. Sobre a cota, aliás, a instituição manteve o aporte de R$ 6 milhões, o penúltimo nível proposto na Série A – onde o clube se manteve durante todo o acordo. Ou seja, são cinco anos consecutivos com a receita congelada, sem qualquer correção inflacionária , tendo, no máximo, a bonificação por títulos criada em 2017.

O patrocínio, que ainda será publicado no Diario Oficial da União, segue como uma das principais receitas do leão. No entanto, vem perdendo ‘força’ a cada ano. Justamente por causa do congelamento. Calculando a correção anual, através do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), é possível estimar o montante que o clube deixou de ganhar – vendo por este lado, uma vez que nada garante que o Sport conseguiria no mercado outro patrocinador deste porte. Sendo assim, a diferença absoluta já chega a R$ 3.473.133

Em 2017, a Caixa Econômica patrocinou 26 clubes das Séries A e B, distribuindo R$ 145 milhões. A tendência de congelamento é geral…

O aporte da Caixa no Sport (entre parênteses, a correção do IGP-M*)
2014 – R$ 6 milhões
2015 – R$ 6 milhões (R$ 6.134.521)
2016 – R$ 6 milhões (R$ 6.876.181)
2017 – R$ 6 milhões (R$ 7.246.576)
2018 – R$ 6 milhões (R$ 7.215.855)
* A partir de julho de 2014, comparando com fevereiro dos anos seguintes

R$ 30.000.000, o total em 5 temporadas
R$ 33.473.133, a projeção com a correção

Náutico x Ponte. Em jogo, R$ 2,4 milhões e a vaga nas oitavas da Copa do Brasil

Os confrontos da 4ª fase da Copa do Brasil de 2018. Crédito: CBF/site oficial

O Náutico avançou nas três primeiras fases da Copa do Brasil enfrentando adversários das Séries C e D. Passou por Cordino, Fluminense de Feira e Cuiabá. Na quarta fase, o timbu irá encarar um clube estabelecido num patamar acima. Em sorteio realizado na sede da CBF, no Rio de Janeiro, o time pernambucano foi a 6ª bolinha selecionada, compondo o confronto com a Ponte Preta, hoje na Série B. Com R$ 4,3 milhões acumulados em cotas, o alvirrubro agora joga por uma premiação de R$ 2,4 milhões! No primeiro jogo, no Moisés Lucarelli, o timbu terá o desfalque do atacante Ortigoza – o paraguaio foi expulso após o segundo amarelo em Cuiabá. Em termos de nível técnico, o duelo é acessível. Ainda mais comparando com as demais opções. Entre as nove bolinhas estavam São Paulo, Inter e Atlético-MG.

Prováveis datas da chave, em abril: 4 ou 11 (Campinas) e 11 ou 18 (Arena)

Vale destacar que das 21 partidas oficiais disputadas em 2018, os alvirrubros enfrentaram dois times da Série A – vitorias sobre Sport (3 x 0) e Bahia (1 x 0)

Confrontos da 4ª fase da Copa do Brasil (16 avos de final)
Ponte Preta x Náutico*
Atlético-PR x São Paulo*
Avaí x Goiás*
Internacional x Vitória*
Ferroviário-CE* x Atlético-MG
* Decidem o mata-mata em casa

Pré-classificados às oitavas: América-MG, Bahia, Chapecoense, Corinthians, Cruzeiro, Grêmio, Flamengo, Luverdense, Palmeiras, Santos e Vasco

Das 22 participações anteriores na competição, o Náutico chegou às oitavas de final em nove oportunidades – todas em edições com menos fases. A última vez foi em 2011, quando parou no Vasco, que posteriormente seria o campeão. Já em relação ao número de classificações numa mesma edição, jamais chegou a quatro seguidas. Portanto, o alvirrubro podede fazer história.

Cotas do Náutico na Copa do Brasil
1ª fase – R$ 500 mil (vs Cordino-MA, 1 x 1)
2ª fase – R$ 600 mil (vs Fluminense-BA, 1 x 0)
3ª fase – R$ 1,4 milhão (vs Cuiabá-MT, 2 x 1 e 1 x 0)
4ª fase – R$ 1,8 milhão (vs Ponte Preta-SP)
Oitavas – R$ 2,4 milhões?

Após as quartas, Estadual 2018 soma 131 mil torcedores e R$ 1,9 milhão de renda

Os quatro jogos das quartas de final do Campeonato Pernambucano de 2018 registraram a presença de 37.188 torcedores nos estádios, com uma renda bruta de R$ 573 mil. Com isso, o público total da competição teve um aumento de 39%, com a média passando de 1,7 mil para 2,2 mil espectadores, já evitando o rótulo de pior índice desde que a FPF passou a contabilizar o dado (em 1990). Já a arrecadação subiu ainda mais, 40%, indo de 25 mil para 33 mil reais por partida. Ponto positivo para esta fase eliminatória, novidade nesta temporada – e que teve apenas dois jogos no Grande Recife, uma vez que o Santa terminou fora do G4. E o principal destaque fica para a torcida do Náutico, que estabeleceu o maior público do Estadual, com 18 mil pessoas na Arena, barrando dois Clássicos das Multidões na Ilha do Retiro.

Agora, o blog volta a atualizar este quadro após a decisão, em 8 de abril. Vale lembrar que a federação tem direito a 8% da renda bruta de qualquer jogo. Logo, já abocanhou R$ 159.368, superior à renda de 6 dos 11 clubes.

Abaixo, os rankings de público e renda, com ordem através das médias

O balanço de público e renda do Pernambucano 2018 após as quartas de final. Quadro: Cassio Zirpoli/DP

Os 10 maiores públicos
18.136 – Náutico 1 x 0 Afogados (Arena PE, 18/03 – quartas de final)
15.180 – Sport 3 x 0 Santa Cruz (Ilha do Retiro, 14/03 – quartas de final)
13.218 – Sport 1 x 1 Santa Cruz (Ilha do Retiro, 07/03 – 11ª rodada)
6.015 – Santa Cruz 0 x 0 Náutico (Arruda, 17/02 – 7ª rodada)
4.292 – Santa Cruz 1 x 1 Vitória (Arruda, 18/01 – 1ª rodada)
4.090 – Santa Cruz 0 x 0 Pesqueira (Arruda, 25/02 – 9ª rodada)
4.035 – Santa Cruz 1 x 1 Central (Arruda, 25/01 – 3ª rodada)
3.724 – Sport 2 x 0 Pesqueira (Ilha do Retiro, 29/01 – 4ª rodada)
3.685 – Náutico 3 x 0 Sport (Arena PE, 24/01 – 3ª rodada)
3.601 – Central 1 x 1 Sport (Lacerdão, 03/02 – 5ª rodada)

Balanço geral – 59 partidas
Público total: 131.052 
Média: 2.221 pessoas
Arrecadação total: R$ 1.992.106 
Média: R$ 33.764 

Eis os borderôs oficiais das quartas de final do Estadual de 2018…

Náutico 1 x 0 Afogados; 18.136 torcedores e R$ 222.155

Pernambucano 2018, quartas: Náutico x Afogados. Foto: João de Andrade Neto/DP

Sport 3 x 0 Santa Cruz; 15.180 torcedores e R$ 283.685

Pernambucano 2018, quartas: Sport 3 x 0 Santa Cruz. Foto: Lindainês Santos/Sport Club do Recife

Central 3 x 2 América; 2.525 torcedores e R$ 59.870

Pernambucano 2018, quartas: Central 3 x 2 América. Foto: Central/twitter (@centraloficial)

Salgueiro 1 x 0 Vitória; 1.347 torcedores e R$ 7.649

Pernambucano 2018, quartas: Salgueiro 1 x 0 Vitória. Foto: Carcará Net/twitter (@CarcaraNet)

ABC chega a 55 títulos no Rio Grande Norte e estabelece ‘recorde mundial’

ABC no campeonato potiguar de 2018

O ABC foi o primeiro clube a ganhar o título estadual em 2018. Manteve o domínio no Rio Grande do Norte, com o tri – desta vez, de forma antecipada, com a conquista dos dois turnos. Mas o alvinegro de Natal foi além. À parte da relevância de cada competição, o clube se autoproclamou o “Maior Campeão do Mundo”. Um exagero sem tamanho, mas que, acredite, tem justificativa.

Considerando todas as competições oficiais, o ABC se tornou o clube com mais títulos dentro de um mesmo torneio. Chegou ao 55º título potiguar em 97 edições (56,7%) – no país, detém esse recorde há tempos. Com isso, desempatou a ‘disputa’ com o Rangers, que não ergue a taça do campeonato escocês desde 2011 – com o arquirrival Celtic trilhando o hexa. Neste contexto, entre títulos internacionais, nacionais e estaduais, apenas quatro clubes ultrapassaram a barreira de 50 títulos – sem somar torneios distintos, claro, pois o Real Madrid, por exemplo, tem 88 troféus em sua galeria.

Os 10 maiores campeões de uma competição oficial de futebol
55 – ABC (Brasil – Rio Grande do Norte)
54 – Rangers (Escócia)
52 – Linfield (Irlanda do Norte)
50 – Peñarol (Uruguai)
48 – Celtic (Escócia)
47 – Paysandu (Brasil – Pará)
46 – Nacional (Uruguai)
46 – Bahia (Brasil – Bahia)
45 – Rio Branco (Brasil – Acre)
45 – Internacional (Brasil – Rio Grande do Sul)

Podcast – A análise da classificação do Náutico à semifinal diante do Afogados

Pernambucano 2018, quartas: Náutico 1 x 0 Afogados. Foto: Peu Ricardo/DP

Júnior Timbó, Gilberto Castro Júnior e Evandrízio antes da cobrança do pênalti

O Náutico venceu o Afogados e se classificou à semifinal do Estadual de 2018. Com o apoio de 18 mil alvirrubros, o time foi superior no 2T, chegando ao gol num pênalti discutível. O 45 Minutos analisou a partida, com os pontos positivos e negativos do timbu, que agora enfrentará o Salgueiro na semi. Estou nesta gravação com Celso Ishigami e João de Andrade Neto. Ouça!

18/03 – Náutico 1 x 0 Afogados (32 min)

Náutico x Salgueiro e Central x Sport, as semifinais do Pernambucano de 2018

As semifinais do Campeonato Pernambucano de 2018. Arte: Cassio Zirpoli/DP

O G4 do Campeonato Pernambucano de 2018 está definido, com os times com as melhores campanhas na fase classificatória exercendo o mando de campo nas quartas de final: Salgueiro (vs Vitória), Central (vs América), Sport (vs Santa) e Náutico (vs Afogados) venceram e chegaram à semifinal, que pela primeira vez em nove edições  – desde que esta etapa foi implantada pela FPF – será realizada em jogo único. Portanto, vantagem para os dois melhores no turno, o timbu e a patativa, mandantes contra o carcará e o leão, respectivamente. Já entre os clubes eliminados nas quartas, a classificação final foi a seguinte: Vitória (5º), Santa (6º), América (7º) e Afogados (8º).

Obs. A finalíssima será em ida e volta, nos dias 1 e 8 de abril, dois domingos.

Semifinais estaduais (2010-2018)
9 – Sport (avançou 7x à final)
8 – Santa Cruz (avançou 5x à final)
8 – Náutico (avançou 2x à final)
6 – Salgueiro (avançou 2x à final)
3 – Central
1 – Porto
1 – Ypiranga

Náutico x Salgueiro
Confronto: 25/03, às 16h00, na Arena Pernambuco

Retrospecto (todos os mandos)
30 jogos
14 vitórias alvirrubras (46,6%)
5 empates (16,6%)
11 vitórias salgueirenses (36,6%)

Mata-matas desde 2010: 2 x 0 para o timbu (semi de 2014 e 3º lugar em 2016)

Central x Sport
Confronto: 21/03, às 21h45, no Lacerdão

Retrospecto (todos os mandos)
266 jogos
176 vitórias rubro-negras (66,1%)
62 empates (23,3%)
28 vitórias alvinegras (10,5%)

Mata-matas desde 2010: 2 x 0 para o leão (semi de 2010 e 3º lugar de 2015)

Qual será a final do Campeonato Pernambucano 2018?

  • Náutico x Sport (41%, 424 Votes)
  • Náutico x Central (28%, 286 Votes)
  • Salgueiro x Sport (23%, 239 Votes)
  • Salgueiro x Central (8%, 96 Votes)

Total Voters: 1.034

Loading ... Loading ...

Náutico elimina o Afogados com pênalti polêmico diante do maior público do PE

Pernambucano 2018, quartas: Náutico 1 x 0 Afogados. Foto: Léo Lemos/Náutico

Foram 18.136 torcedores na Arena Pernambuco. Quase todos com a camisa vermelha e branca, numa mobilização que quebrou o recorde de público do Pernambucano 2018, superando o último Clássicos das Multidões (15.180). E esse público saiu celebrando a classificação, com a vitória sobre o Afogados por 1 x 0, justificando a melhor campanha na primeira fase. Agora, na semifinal, o alvirrubro encara o Salgueiro, novamente em São Lourenço.

Possivelmente, terá outra retranca pela frente. Nas quartas, viu o Afogados jogar fechadinho, aguardando lançamentos. À parte das 4 roubadas de bola no 1T, o visitante tentou bastante travar o jogo. Já o Náutico foi forçado a sair de sua característica, com posse e um perfil propositivo – uma dificuldade da equipe. Via lançamentos e cruzamentos, o timbu finalizou 5 vezes na primeira etapa, só uma com perigo. No intervalo, Roberto Fernandes acionou o meia Timbó no lugar do ponta Rogerinho, buscando uma bola mais trabalhada. A troca surtiu efeito, com o Náutico verticalizando as jogadas e chegando com perigo. Aos 17 teve duas grandes chances, com Robinho (chute) e Wallace Pernambucano (cabeçada), com Evandrízio espalmando. No minuto seguinte, o lance da tarde, com o árbitro Gilberto Castro Júnior enxergando pênalti de Arlan em Wallace – na visão do blog, disputa de bola normal.

Pernambucano 2018, quartas: Náutico 1 x 0 Afogados. Foto: Peu Ricardo/DP

Com confiança, coube a Timbó cobrar a penalidade. Após três minutos de reclamações, o jogador foi lá e marcou o gol do domingo. Definiu o jogo, pois o adversário foi incapaz, em 27 minutos, de criar uma chance efetiva, com o goleiro Bruno quase como espectador. Com o apito final, o Náutico chegou à 8ª semifinal em 9 edições locais com o formato. Agora, o clube de Rosa e Silva quer voltar à disputa do título depois de quatro anos. Na mesma arena, onde segue invicto em 2018 (8V, 2E e 0D), e com cada vez mais gente…

Náutico no Estadual na era do mata-mata
2010 – Final (vice)
2011 – Semifinal (3º lugar)
2012 – Semifinal (4º lugar)
2013 – Semifinal (3º lugar)
2014 – Final (vice)
2015 – Fase principal (6º lugar)
2016 – Semifinal (3º lugar)
2017 – Semifinal (4º lugar)
2018 – Semifinal (a definir)

Histórico de confrontos entre Náutico e Afogados (ambos pelo PE)
20/02/2018 – Náutico 2 x 1 Afogados (Arena PE)
18/03/2018 – Náutico 1 x 0 Afogados (Arena PE)

Pernambucano 2018, quartas: Náutico 1 x 0 Afogados. Foto: Léo Lemos/Náutico

1987: transitado em julgado (de novo)

Certidão do trânsito em julgado do caso do Brasileiro de 1987 no STF

A disputa judicial sobre o título de campeão brasileiro de futebol de 1987, após a vitória do Sport sobre o Guarani, na Ilha do Retiro, acabou às 10h41 de 16 de abril de 1999. A data precisa marca a baixa do processo de nº 00.0004055 no Tribunal Regional Federal da 5ª Região, com o trânsito em julgado. Ali, após onze anos nos tribunais, o rubro-negro pernambucano era confirmado como o único vencedor daquela conturbada competição.

Em 2011, como se sabe, o então presidente da CBF, Ricardo Teixeira, decidiu de forma administrativa, à parte da coisa julgada, declarar dois campeões de 87, Sport e Flamengo. E lá foi o leão ter que lutar mais uma vez pelos seus direitos, provocando novamente a justiça. Passados sete anos, com o caso indo da 10ª Vara da Justiça Federal até o Supremo Tribunal Federal, a esfera máxima, mais um caso termina transitado em julgado a favor do Sport, com a baixa dos autos no STF em 16 de março de 2018 (acima), um dia após o fim do prazo recursal aos cariocas sobre o recurso extraordinário de nº 881.864.

Na justiça brasileira, não há mais o que discutir acerca do título do Sport.

A lista oficial de campeões brasileiros (1959-2017)
9 – Palmeiras
8 – Santos
7 – Corinthians
6 – São Paulo
5 – Flamengo
4 – Cruzeiro, Fluminense e Vasco
3 – Internacional
2 – Bahia, Botafogo e Grêmio
1 – Atlético-MG, Atlético-PR, Coritiba, Guarani e Sport

A tabela detalhada da Série A de 2018, com a agenda da 1ª até a 12ª rodada

Sport no Campeonato Brasileiro da Série A. Arte: Cassio Zirpoli/DP (sobre imagem da CBF)

A CBF divulgou a tabela detalhada sobre as 12 primeiras rodadas da Série A, com datas, horários, locais e transmissões na tevê. Os jogos vão até 13 de junho, parando por um mês a partir do dia seguinte – data da abertura da Copa do Mundo na Rússia. Único representante do estado em 2018, o Sport estreia em Belo Horizonte às 11h de um domingo. Em relação às transmissões, neste primeiro recorte, o clube terá um jogo exibido na Globo Nordeste, na terceira rodada, diante do Paraná. Por outro lado, das cinco partidas do leão programadas para o SporTV, três terão sinal para o Recife.

Tabela do Leão (com os jogos com transmissão para o Recife*)
1ª) América-MG x Sport (15/04, 11h)
2ª) Sport x Botafogo (23/04, 20h) – SporTV (exceto PE)
3ª) Paraná x Sport (29/04, 16h) – Globo
4ª) Sport x Bahia (05/05, 21h)
5ª) Cruzeiro x Sport (13/05, 19h) – SporTV
6ª) Sport x Corinthians (20/05, 16h) – Globo (para SP)
7ª) Palmeiras x Sport (26/05, 19h) – SporTV
8ª) Sport x Atlético-MG (30/05, 19h30) – SporTV (exceto PE)
9ª) Internacional x Sport (02/06, 16h)
10ª) Sport x Atlético-PR (06/06, 21h)
11ª) Vasco x Sport (09/06, 19h) – SporTV
12ª) Sport x Grêmio (13/06, 19h30)
* À parte do pay-per-view, presente em todos os jogos

Confira a tabela básica da competição, com as 38 rodadas, clicando aqui.

Abaixo, as 120 partidas já programadas pela confederação.