Conheça a história do delegado que inspirou a série A Teia

Da IstoÉ Independente

É como montar um quebra-cabeça. Assim o ex-delegado da Polícia Federal, Antonio Celso dos Santos, 55 anos, refere-se ao maior roubo a banco do País, que ajudou a desvendar: o assalto ao Banco Central de Fortaleza, em 2005, crime que virou filme. O objetivo era prender os bandidos e recuperar o dinheiro roubado, cerca de R$ 165 milhões.

Treze anos se passaram desde que ele assumiu a chefia do Núcleo de Combate ao Crime Organizado e Delitos Patrimoniais (Nucopa) da Polícia Federal e hoje sua trajetória inspira a série “A Teia”, transmitida pela Rede Globo e com roteiro de Bráulio Mantovani e Carolina Kotscho. Em comum com o personagem, vivido pelo ator João Miguel, Santos afirma ter empenho ao presidir uma investigação. “Gosto do desafio de solucionar um crime a partir dos indícios que vão surgindo e me permitem montar a teia”, diz.

chamada.jpg
PERFIL
Santos ainda na ativa: o anti-Capitão Nascimento

Filho de nordestinos, Santos nasceu no interior de São Paulo e começou a estudar para concursos públicos ainda adolescente. Em 1979, foi aprovado como agente de Polícia Federal e adotou como estratégia profissional a incansável busca por informações. “Seu traço principal é a obstinação pelo trabalho”, afirma Getúlio Bezerra, diretor do Nucopa entre 2003 e 2007.

O trabalho de Santos despertou a curiosidade da cinegrafista Luciana Burlamaqui, única pessoa de fora da equipe a ter acesso às investigações do assalto ao Banco Central de Fortaleza. “Paciência, persistência e foco eram seus lemas. Não havia uma política de vingança”, afirma. Segundo a roteirista Carolina Kotscho, Santos é a antítese do Capitão Nascimento, de “Tropa de Elite”. “Ele tem um lado intelectual, estuda cada caso para que o resultado seja o melhor possível”, diz.

CARTAZ-07-IE-2306.jpg
NA TEVÊ
João Miguel como o delegado na série

Atualmente longe da rotina das investigações, ele usa o tempo livre para se dedicar à leitura e à saúde e revela a fórmula na qual acredita: “Prisão espetacular é aquela em que o mais perigoso meliante é preso sem que as pessoas ao redor nem sequer percebam o que está acontecendo, sem violência”, diz ele, que acompanhou como consultor todo o processo de criação do roteiro, gravações e montagem dos episódios.

Fotos: Paulo Francisco/Folhapress; Globo/Estevam Avellar

2 thoughts on “Conheça a história do delegado que inspirou a série A Teia

  1. LADRÕES

    O Crime Organizado, suas Quadrilhas, seus Chefes e Operadores no Poder, e com Poder de DECISÃO de mando para agir e decidir com o aval do Palácio do Planalto.

    José Sérgio Gabrielli, Graça Foster, Dilma Rousseff e Paulo Roberto Costa em visita à Plataforma P-56, em Angra dos Reis, em junho de 2011

    Quem é Quem no PODER?

    Paulo Roberto Costa, que era diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras, um dos autores do contrato de compra da refinaria de Pasadena, preso pela Polícia Federal na Operação Lava-Jato, foi nomeado por um acordo entre José Dirceu, (ministro chefe da Casa Civil à época), Pedro Corrêa (Presidente do PP, Deputado Federal à época),e José Janene, Líder do PP,na Câmara dos Deputados a época,um dos réus do esquema do mensalão. á Falecido. E que foi substituido pelo operante Pedro Henry, também condenado na Ação 470 do Memsalão. Esse ramo dentro do PP se estende como um câncer que devemos extirpar combatendo a impunidade. Hoje você tem o Líder no Partido na Câmara, Eduardo da Fonte, sobrinho de Severino Cavalcanti, e cria de Pedro Corrêa, e de toda essa gente. Pois do contrário não seria Líder do Partido.
    Na época, o caso de Pedro Corrêa foi examinado pela Corregedoria da Câmara e terminou arquivado, mesmo diante de muita polêmica e das denúncias do relator da CPI, deputado Luiz Antônio de Medeiros (PL-SP), de estar sofrendo forte pressão política para inocentá-lo. A filha do ex-deputado, Aline Corrêa, hoje deputada federal pelo Estado de São Paulo, também esteve envolvida naquele processo, assim como seu marido,à época, José Antônio Newald, mas asdenúncias foram igualmente arquivadas. É Operadora do Esquema de Paulo Roberto Costa com as empresas que atuam no segmento de Abastecimento da PETROBRAS.

    A derrocada das empresas de Eike Batista é um dos motivos que colaboraram para um deficit milionário dos fundos de pensão no Brasil, e tudo feito com a ordem direta de Lula e Dilma. Não existe precedente em toda a História de fatos como esses. E nada foi feito. O Chefe Oculto de tudo é LULA. Todos sabem, e nada é feito contra o Crime de Lesa-Pátria. Os Ministros do PT, no Supremo Tribunal Federal, tem que enchergar que ao julgarem ideologicamente e não a luz do direito, colocaram o Brasil, em trevas a beira do abismo. E vão pagar caro por isso. Roubo é Roubo, Ladrão é Ladrão, Quadrilha é Quadrilha!

    Veja ainda, as empreiteiras que fazem doação fora do período de campanha. Tudo isso é Lavagem de Dinheiro, dentro de um esquema de lavagem novo, onde o dinheiro não sai das empresas para não chamar a atenção e ficar no sistema financeiro de forma quente e legitima. Isso foi organizado pelo ex-presidente da Petrobras JOSÉ SÉRGIO GABRIELLI DE AZEVEDO.

    Nas solenidades no Palácio do Planalto, no 3 andar, onde esta o Gabinete Presidencial, por várias vezes, quando presente as Solenidades, Pedro Crorrêa, acompanhava ao término do evento a presidenta Dilma ao seu gabinete. Basta ver as fitas: Ela na frente, ele a um passo atras e a segurança. Para se reunirem e discutirem assuntos relacionados a Paulo Roberto Costa e seus interesses em sua área. Vejam ainda, quem era o diretor-adjunto de Paulo Roberto Costa, na diretoria de Abastecimento da Petrobras. Alan Kardec Duailibe, homem de confiança e operador de Walfrido Silvino dos Mares Guia Neto, que ocupou cargo de ministro de relações institucionais do governo do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. Walfrido, é um dos mentores do Mensalão mineiro. A Justiça de Minas Gerais decretou extinta a punibilidade de Walfrido dos Mares Guia, acusado de participar de esquema de desvio de dinheiro público em 1998 para a campanha do deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB-MG).

    Nas ações penais 536 e 606 são apurados possíveis desvios de dinheiro público durante a campanha de Azeredo. Segundo a Procuradoria Geral da República, o então candidato teria se beneficiado de recursos procedentes de um esquema que envolveu a empresa de publicidade SMP&B, de propriedade do publicitário Marcos Valério, condenado a Ação Penal 470, o processo do mensalão, por fatos semelhantes. De acordo com a procuradoria, R$ 3,5 milhões foram desviados de empresas estatais mineiras para a campanha.

    A juíza Neide da Silva Martins, da 9ª Vara Criminal de Belo Horizonte, entendeu que as acusações de peculato e formação de quadrilha prescreveram em 2012, quando Mares Guia completou 70 anos. “Tendo transcorrido prazo superior a oito anos entre os fatos e o recebimento da denúncia, declaro extinta a punibilidade do réu Walfrido Silvino dos Mares Guia Neto, qualificado nos autos, pela ocorrência da prescrição da pretensão punitiva do Estado”, decidiu a juíza.

    A Refinaria de Pasadena, é café pequeno, se comparado a desmobilização e venda de ativos da Petrobras feita por Graça Foster com o aval da Presidenta DILMA, depois de um final de semana no Palácio da Alvorada. Sem consulta ao Conselho de Administração da empresa.

    A PDVSA e a Refinaria ABREU e LIMA
    A Refinaria de Abreu e Lima, a PDVSA, não aceitou vir a participar da Refinaria, devido ao sobrepreço do custo político Brasil, para fazer caixa, de mais de Us$ 2 bilhões, para os envolvidos no esquema. Diga-se PT e PP, sobre o comando de Pedro Corrêa. Só na terraplenagem ouve sobrepreço de mais de R$ 250 milhões de reais para esse time. Portanto a PDVSA, não aceitou participar do esquema de corrupção montado por LULA, Dirceu e Corrêa.

    Amigas Perigosas da Presidente DILMA
    Denise Abreu, ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) preocupa os palacianos próximos à presidente Dilma Rousseff, muitos pensaram ser um exagero, mas isso vem se confirmando a cada dia. E se fizemos tal afirmação é porque as informações recebidas dão conta que essa é de fato a situação que reina no Palácio do Planalto quando surge em alguma conversa o nome de Denise Abreu ou Erenice Guerra. Erenice e Denise, tem visitado empresários do setor de P&G, para pedir dinheiro em nome de Dilma, e propor negócios na área de Paulo Roberto Costa. Nesse assunto a presidente tem tido o seu nome usado de forma indevida, mais a situação é muito séria.

    Contrato Bilionário dado por Gabrielli a WTORRES, de US$ 25 bilhões de dólares sem licitação, a época, a uma empresa sem tradição no setor de Petróleo e Gás, foi o maior crime já cometido por essa gestão do PT. Palocci, na época conselheiro da Petrobras, foi contratado pela empreiteira para fechar o contrato.
    Tudo isso já existia, mais piorou muito com a chegada de Lula e Dilma ao Poder. É hora de acabar com essa farra!

    LULA É O REI DOS LADRÕES
    http://www.dpf.gov.br/agencia/noticias/2014/03/operacao-lava-jato-desarticula-rede-de-lavagem-de-dinheiro-em-7-estados