Pátio do IML segue lotado de familiares à espera de corpos

Depois de uma segunda-feira bastante agitada na portaria do Instituto de Medicina Legal (IML), em Santo Amaro, no Recife, a terça-feira também amanheceu movimentada no local. Mais uma vez, dezenas de familiares estavam à espera das liberações dos corpos para providenciar os sepultamentos. Fontes do blog apontam que o dia começou com um total de 27 corpos para serem periciados e liberados. Ontem, a Secretaria de Defesa Social (SDS) havia informado que apenas quatro corpos estavam no IML e que seriam liberados até o final do expediente dessa segunda-feira.

Foto: Julio Jacobina/DP

Na manhã desta terça-feira, muita gente ainda estava no local. Foto: Julio Jacobina/DP

Hoje pela manhã, a dona de casa Silvania Maria Gomes, 38 anos, estava aflita na portaria do IML. O pai dela, um senhor de 75 anos, morreu no início da manhã dessa segunda-feira e, até as 10h, o corpo não havia sido liberado. “Além dessa demora toda para liberar o corpo, ainda houve outro problema. Meu pai morreu por volta das 5h, mas o carro do IML só chegou para recolher o corpo perto das 14h. Isso é um descaso. A gente já sofre pela perda e ainda passa por isso quando chega aqui. Tratam as pessoas como bichos”, reclamou Silvania. O pai dela, José Francelino Gomes, morreu depois de levar uma queda da cama.

A SDS se pronunciou por meio da nota abaixo:

Os serviços periciais no IML estão sendo desenvolvidos sem nenhum tipo de interrupção ou problema, incluindo o serviço de remoção de corpos. No dia de hoje e até o presente momento, foram feitas 22 necropsias, além de todos os outros exames periciais feitos rotineiramente (sexológicos, traumatológicos, histopatológicos, etc). No momento, há apenas cinco corpos sendo periciados e que deverão ser entregues às famílias até o final do dia. Esclarecemos que o IML não realiza apenas remoção e liberação de corpos. A razão de ser do IML é realizar perícias de natureza médico legal, em busca de provas materiais que determinem a causa e as circunstâncias da morte, cujo laudo pericial fará parte de uma investigação policial. O tempo para a conclusão de uma perícia tanatoscópica depende de vários fatores (documentação, identificação do cadáver, condições do cadáver,  tempo entre o óbito e a chegada ao IML, necessidade de exames complementares, etc), fatores estes que determinam o nível de dificuldade para se chegar às respostas necessárias e com qualidade suficiente para subsidiar a justiça e esclarecer crimes. Neste contexto, o perito médico legista tem o tempo que julgar necessário para a conclusão dos trabalhos periciais e consequente liberação do corpo para sepultamento. Diante do exposto, naturalmente, algumas perícias demandam mais tempo que outras e a espera muitas vezes é inevitável.

Leia mais sobre o assunto em:

Parentes reclamam da demora na liberação de corpos no IML

Ladrões de prédios de luxo tinham lista de apartamentos para furtar

A Polícia Civil está tentando identificar os dois fugitivos comparsas de uma dupla de assaltantes que foi detida furtando objetos de um apartamento do Edifício Akrópolis, na Avenida Boa Viagem. O crime aconteceu no início da tarde da quarta-feira. Segundo o delegado Carlos Couto, que investiga o caso, a quadrilha veio de São Paulo com uma lista de apartamentos para invadir e praticar furtos no Recife.

Edifício Akrópolis foi invadido na quarta-feira. Foto: Ricardo Fernandes/DP

Edifício Akrópolis foi invadido na quarta-feira. Foto: Ricardo Fernandes/DP

“Esses suspeitos usavam informações de bancos de dados da internet e imagens do Google Street View para escolher seus alvos”, explicou Couto. Ainda segundo a polícia, o grupo é especializado em ações em prédios de luxo e pode ter praticado outros dois furtos no Recife recentemente.

“Até agora, sabemos que quatro pessoas participaram do crime em Boa Viagem e estamos trabalhando na identificação dos dois que conseguiram escapar. A quadrilha costumava agir em outros estados do Brasil. Como em São Paulo esse tipo de crime já está ‘batido’, eles começaram a atuar em outros locais. Dois deles têm passagem pela polícia em Belo Horizonte e Rio de Janeiro, onde chegaram a ser presos”, ressaltou o delegado. Ainda de acordo com o Couto, o grupo estava no Recife desde o dia 12.

Há cerca de uma semana, eles monitoravam o Akrópolis. “Da orla eles acompanhavam as luzes do edifício para saber a rotina dos moradores. Aqueles que passavam dias sem ter as luzes acesas indicavam que não havia moradores. O grupo ainda telefonava várias vezes para os apartamentos. Eles descobriam que a moradora do Akrópolis estava viajando”, contou.

Para conseguir entrar no edifício considerado de luxo, os suspeitos se passaram por sobrinhos da moradora. Um dia antes, uma mulher, também integrante do grupo, telefonou para o prédio informando que dois sobrinhos dela estariam em seu apartamento. O porteiro do edifício acompanhou os passos dos dois rapazes e percebeu que estavam furtando o imóvel. Eles foram detidos por funcionários do edifício, que acionaram a polícia.

Com a dupla foram encontradas duas chaves de fenda e uma bolsa contendo todo o material furtado do apartamento. Na bolsa, estavam 22 relógios e várias joias. “Essa quadrilha tem foco também em apartamentos onde moram pessoas orientais”, destacou o delegado.

Metrô implantará Vagão Rosa e aplicativo para denúncias

Um vagão exclusivo para as mulheres, um aplicativo de celular no qual os passageiros poderão fazer denúncias e o reforço de 120 policiais militares da reserva são as principais apostas do metrô do Recife para tentar reduzir a violência nesse tipo de modal. As medidas, propostas pelo consultor de segurança do metrô, coronel Luiz Meira, foram apresentadas ao superintendente da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) do Recife, Leonardo Villar. Os testes para a implantação do Vagão Rosa, como será chamado o espaço, devem ser iniciados na próxima semana em alguns trens da Linha Centro. Segundo coronel Meira, 38% dos 400 mil usuários/dia do metrô são do sexo feminino. O Vagão Rosa já existe em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte.

Abordagnes criminosas acontecem nas estações e dentro dos vagões

Muitas abordagnes criminosas acontecem nas estações e dentro dos vagões. Foto: Peu Ricardo/Esp/DP

“Muitas passageiras já fizeram reclamações de que nos horários de pico, quando os vagões estão lotados, elas sofrem assédio por parte de alguns homens. Há relatos de mulheres que foram apalpadas. Recentemente houve também uma usuária assassinada durante um assalto dentro de um vagão”, relembra Meira. A morte à qual o consultor se refere aconteceu no dia 1º de dezembro de 2016, nas imediações da Estação Imbiribeira, na Linha Sul. Em abril do ano passado uma mulher foi agredida num assalto entre as estações Joana Bezerra e Recife.

O coronel Luiz Meira destacou ainda que o Vagão Rosa poderá ser usado por mulheres de todas as idades, mas que elas não serão obrigadas a entrar apenas nesses vagões. “A partir dos testes que iremos fazer, vamos saber se o serviço será bem aceito pelos usuários e onde poderemos melhorar. Os vagões destinados às mulheres serão todos adesivados”, alertou o superintendente da CBTU, Leonardo Villar.

Em relação ao aplicativo de celular que será disponibilizado para passageiros e vigilantes do metrô, Villar explica que em breve a empresa responsável fará a adaptação do app para que ele possa ser implantado no metrô. “O usuário vai poder mandar fotos, vídeos e áudios de pessoas em atitude suspeitas ou de criminosos diretamente para a nossa central. Com isso, os vigilantes ou até mesmo a Polícia Militar, serão acionados rapidamente para resolver a situação”, detalhou.

Segundo o coronel Luiz Meira, a CBTU vai solicitar ao governo do estado que a Guarda Patrimonial passe a ajudar na segurança das estações e trens do metrô do Recife. Atualmente, a segurança é feita por uma empresa de vigilância terceirizada. “Será socilitado ao governador a presença de 120 policiais militares que estão na reserva, mas que continuam trabalhando, para atuarem no policiamento do metrô”, adiantou o coronel.

Usuários do metrô reféns do medo

Um dos meios de transporte mais rápidos e baratos da Região Metropolitana do Recife (RMR) tem se tornado também, na opinião dos usuários, um dos mais perigosos. Os constantes assaltos e até mortes nos trens e estações têm assustado quem usa o metrô do Recife. Do início deste ano até este sábado, quatro pessoas foram assassinadas nas instalações do metrô. Uma violência que reflete na redução de usuários no sistema.

Passageiros contam com a sorte para não serem assaltados. Fotos: Peu Ricardo/Esp/DP

Passageiros contam com a sorte para não serem assaltados. Fotos: Peu Ricardo/Esp/DP

Dados da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) do Recife indicam queda de quase 5% no total de passageiros transportados em outubro deste ano, que foi de 8.911, em relação ao mesmo mês de 2015, quando foram registrados 9.354 usuários. Para tentar mudar esse cenário, a direção da CBTU aposta na tecnologia. Ainda no início de 2017, 1.300 câmeras de monitoramento serão instaladas em todas as áreas do metrô e um novo sistema de videomonitoramento será implantado.

Atualmente, cerca de 400 mil usuários são transportados diariamente pelos trens do metrô. Existem 37 estações em operação e 40 trens e 9 VLTs (Veículo Leve sobre Trilho) são os responsáveis por levar e trazer os passageiros do sistema. Moradores dos municípios do Recife, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e Cabo de Santo Agostinho são atendidos pelo modal. Porém, quem mora em outras cidades pode acessar as estações do metrô através dos terminais do Sistema Estrutural Integrado (SEI). Para o próximo ano, a CBTU irá investir R$ 61 milhões em várias melhorias. Reforço nas equipes de segurança, limpeza de estações e aquisição de novos equipamentos estão entre as prioridades da direção.

Abordagnes criminosas acontecem nas estações e dentro dos vagões

Abordagens criminosas acontecem nas estações e dentro dos vagões

A estudante Thayra Nóbrega, 22 anos, costuma usar os trens da Linha Sul, os mais visados recentemente pelos criminosos. Na última quarta-feira, Thayra fazia mais uma viagem de metrô, mas não escondia o medo. “Sempre andei de metrô, porque era um meio de transporte muito rápido, mas depois desses assaltos e das mortes que aconteceram tenho evitado fazer muitas viagens. E quando estou dentro dos trens e nas estações não atendo o telefone celular. Acho que deveria haver policiais militares dentro do metrô, pois a insegurança está aumentando a cada dia e somente os vigilantes não são suficientes para garantir a nossa tranquilidade”, relatou a estudante. Para o diretor de Comunicação do Sindicato do Metroviários, Levi Arruda, o sentimento dos trabalhadores em relação à insegurança é de “indignação e revolta.”

Passageiros assustados e relatos de assaltos são frequentes entre os usuários do metrô. Segundo a CBTU, do início deste ano até a semana passada, 131 ocorrências de roubo foram registradas pela empresa. Em todo o ano de 2015, o número de registros feitos pelos usuários aos funcionários do metrô foi de 171 casos. “A violência é um problema generalizado na Região Metropolitana do Recife. Temos alguns pontos de incidências e com maior frequência nesse mês de dezembro. Na verdade, o metrô não tem uma situação insegura. É uma das áreas mais seguras, mas está sendo alvo da insegurança geral”, declarou o superintendente da CBTU, Leonardo Villar.

Tamirys pego o metrô na Estação Imbiribeira todos os dias com medo

Tamirys pego o metrô na Estação Imbiribeira todos os dias com medo

Usuária da Linha Sul diariamente, a caixa Tamirys Thaine Dias, 26, cobra mais segurança. “Pego o metrô todos os dias na Estação Imbiribeira e, apesar de nunca ter sido assaltada, me machuquei duas vezes por conta dos arrastões e assaltos no metrô, pois tive que correr junto com as outras pessoas para não ser vítima. Acredito que somente um reforço na segurança pode acabar com essa situação. Largo tarde do shopping e chego na estação num horário que não tem quase ninguém”, contou Tamirys. O funcionário público Ricardo Pereira de Sobral, 44, também utiliza a Estação Imbiribeira todos os dias. “É preciso mais segurança dentro dos trens e também nas estações”, destacou.

Golpe aplicado em familiares de pacientes é alertado em hospitais

Um golpe que chegou ao Recife nos primeiros meses deste ano segue preocupando familiares de pacientes internados em hospitais particulares da capital pernambucana e também as direções das unidades de saúde. Aproveitando-se da fragilidade emocional dos familiares de pacientes, criminosos telefonam para os parentes se passando por funcionários das unidades e fazem cobranças indevidas de procedimentos. Foram registrados casos no Real Hospital Português, no Paissandu, e também no Hospital Esperança, na Ilha do Leite. Os dois centros emitiram alerta aos pacientes.

Avisos estão espalhados em vários pontos do Hospital Português. Foto: Wagner Oliveira/DP

Avisos estão espalhados em vários pontos do Hospital Português. Foto: Wagner Oliveira/DP

No comunicado amplamente divulgado pela direção do Hospital Português está escrito que “a leitura deste aviso é muito importante e tem a finalidade de esclarecer a forma de cobrança da conta hospitalar e evitar que pessoas de má-fé obtenham vantagens financeiras indevidas.” O aviso alerta ainda que “os valores referentes à conta hospitalar deverão ser pagos somente através da tesouraria do Real Hospital Português.” Portanto, se você tem algum parente ou conhecido internado em hospitais particulares, fique atento. Passe a informação adiante.

Denuncie
A Delegacia de Repressão ao Estelionato fica na Rua São Miguel, 268, no bairro de Afogados, no Recife, mas os cidadãos também podem denunciar golpes através do número (81) 3182-5451. O Disque-Denúncia pode ser acionado através do (81) 3421-9595, Região Metropolitana, ou (81) 3719-4545, Agreste.

Confira dicas para não cair no golpe:

– Fique atento ao receber ligações de números desconhecidos
– Tente verificar a veracidade das informações repassadas
– Não acredite em supostos benefícios mediante pagamentos de qualquer espécie
– Não repasse seus dados pessoais, principalmente número de contas bancárias e cartões de crédito
– Em casos de cobranças indevidas, procure o posto de atendimento bancário ou ligue para a empresa citada para se certificar de que não se trata de golpe

Com colaboração da repórter Adaíra Sene

Equipamentos de musculação são alvo de furtos em Boa Viagem

Dos 30 equipamentos de musculação da orla de Boa Viagem, na Zona Sul da cidade, 19 estão danificados. Instalados ao longo dos 8km do calçadão como uma opção de lazer e atividade física gratuita para a população, os módulos que foram entregues em março do ano passado têm sido alvos de furtos. Feitos de aço inoxidável, os pontos de musculação são bastante utilizados por quem frequenta a orla no período da noite e nos finais de semana.

Frequentadores da orla reclamam da falta de peças. Fotos: Julio Jacobina/DP

Frequentadores da orla reclamam da falta de peças. Fotos: Julio Jacobina/DP

Segundo o secretário de Turismo do Recife, Camilo Simões, todas as peças que foram furtadas serão recolocadas nos terminais num prazo de 30 dias. Apesar de não saber informar o total do prejuízo, Simões adiantou que os custos serão pagos pela iniciativa privada, que inaugurou a nova orla de Boa Viagem em parceira com a prefeitura.

Nem a presença das câmeras de monitoramento e a grande quantidade de pessoas e carros que circulam na Avenida Boa Viagem impediu a ação criminosa nos equipamentos. “Isso é um absurdo. Em vários pontos de musculação estão faltando peças. Acho que roubam os pedaços para vender. Como estão faltando peças não consigo fazer todos os exercícios como flexões, por exemplo”, reclamou o autônomo Walter Martins de Andrade Júnior, 30 anos, que costuma se exercitar na orla da Zona Sul. Ontem pela manhã, ele estava em um equipamento no Pina e que estava com peças faltando.

Em alguns módulos ao longo do calçadão, faltam mais de uma peça

Em alguns módulos, falta mais de uma peça

Ainda segundo o secretário de Turismo do Recife, fiscalizações periódicas são realizadas na orla para verificar o funcionamento dos equipamentos de lazer. “A cada dois ou três meses fazemos um pente fino para verificar as condições dos terminais de musculação e observamos que algumas peças com as quais as pessoas fazem exercícios para trícepes estão sendo roubadas. Como são de aço, acho que tiram para vender. A iniciativa privada vai repor todas as peças que foram roubadas em até 30 dias. E agora, no lugar de um parafuso que prendia essas peças, elas serão soldadas”, destacou Simões.

A reclamação sobre os equipamentos de musculação danificados são recorrentes também nos quiosques do calcadão. “Cheguei para trabalhar na segunda-feira e percebi que algumas peças do aparelho de ginástica tinham sido levadas. Durante o horário em que estamos por aqui ninguém tira nenhuma peça. Isso deve acontecer tarde da noite ou de madrugada. Os clientes que chegam aqui no quiosque e costumam usar os equipamentos estão reclamando muito”, ressaltou uma comerciante que preferiu não ter o nome publicado.

Para tentar reduzir casos de vandalismo ou furtos de peças e equipamentos nas áreas de lazer do Recife, a Prefeitura do Recife faz campanhas de conscientização e espera que a população ajude fazendo denúncias. “Não queremos que a sociedade faça o papel de polícia, mas quem presenciar pessoas furtando ou danificando equipamentos pode acionar um guarda municipal ou a Polícia Militar pelo número 190”, completou o secretário de Turismo do Recife.

A renovação da orla de Boa Viagem nasceu da parceria dos grupos Ambev, Itaú e Mondelez com a gestão municipal e foi elaborado no início de 2014. São oferecidos à população academia Recife e do idoso, pista de cooper de 460 metros, cinco parques infantis, três campos de futebol, cinco quadras poliesportivas, uma quadra de basquete, quatro quadras de tênis, pistas de skate half-pipe, 30 módulos de musculação e reforma dos dez banheiros da orla. O projeto que custou R$ 12 milhões contemplou ainda a suavização de 98 curvas da ciclovia.

Cinco ônibus assaltados por dia

Cinco assaltos a ônibus, em média, acontecem por dia na Região Metropolitana do Recife (RMR). Segundo o Sindicato dos Rodoviários de Pernambuco, 671 foram registrados do início do ano até ontem. Apenas neste mês, de acordo com o sindicato da categoria, 117 coletivos foram assaltados na RMR. Uma realidade que tem deixado assustados os dois milhões de passageiros que se deslocam por dia nos coletivos.

Já os números divulgados pela Secretaria de Defesa Social (SDS) até o mês de abril indicam um registro de 498 crimes, nos quatro primeiros meses do ano. A diferença de 173 assaltos pode ser explicada tanto pela diferença de período como a possibilidade da falta de registro dos crimes nas delegacias.

Avenida Sul é um dos pontos mais críticos do Recife. Foto: Brenda Alcantara/Esp.DP

Avenida Sul é um dos pontos mais críticos do Recife. Foto: Brenda Alcantara/Esp.DP

Na lista dos lugares mais perigosos estão corredores viários e avenidas bastante movimentadas. Quem usa o transporte público relata o medo a cada viagem. Já a Polícia Militar garante que as fiscalizações e abordagens em coletivos continuam acontecendo. “Quando eu vou pegar um ônibus, procuro levar apenas as coisas necessárias e evito atender o telefone celular durante a viagem. Os assaltos estão acontecendo a qualquer hora e em todos os lugares”, destacou a dona de casa Ivonete Salustino, 45 anos. Pelas contas do sindicato, 2.200 assaltos foram notificados nos coletivos da RMR no ano passado. Para a SDS, o total foi de 798 crimes em 2015.

Segundo o assessor de imprensa do Sindicato dos Rodoviários, Genildo Pereira, o aumento no número de roubos em coletivos é fruto da falta de policiamento nos terminais integrados e de fiscalização dentro dos ônibus. “Andar no transporte público na RMR é sinônimo de medo. Não há policiamento nos terminais, onde acontecem muitos arrastões, e também não são mais vistas as blitze da Operação Transporte Seguro”, apontou Pereira. Ainda segundo ele, nos três primeiros meses deste ano ocorreram 398 assaltos contra 285 casos notificados no mesmo período do ano passado.

Apesar dos pontos mais frequentes de assaltos já serem conhecidos pelos usuários e pela polícia, os casos não deixam de acontecer sempre nos mesmos trechos. “Os dois locais mais críticos são a BR-101 Sul e a Avenida Sul. Todas as linhas que passam por esses dois locais já foram assaltadas. Além disso, sofrem assaltos os ônibus que passam pelas rodovias PE-60, PE-15, 2ª Perimetral, pela Agamenon Magalhães e em Rio Doce, entre a 3ª e 5ª etapas”, destacou o assessor do sindicato.

Por meio de nota, a Polícia Militar de Pernambuco afirmou que a Operação Transporte Seguro permanece em andamento e os pontos são definidos a partir das estatísticas. “A operação acontece em alguns pontos da RMR que são selecionados, de acordo com a incidência criminal, a partir de dados divulgados pela Gerência de Análise Criminal e Estatística, para a realização de blitz policial com foco na abordagem em coletivos. Na operação, patrulhas especializadas realizam as abordagens”, disse a nota.

Assaltos a ônibus

Dados do Sindicato

671 assaltos a ônibus de janeiro até 22 de maio
117 assaltos apenas no mês de maio
398 assaltos de janeiro a março de 2016
285 assaltos de janeiro a março de 2105
2.200 assaltos no ano de 2015

Dados da SDS

498 assaltos a ônibus de janeiro a abril
798 assaltos a ônibus no ano de 2015
8.271 abordagens a ônibus de janeiro a abril de 2016
6 armas de fogos foram apreendidas nas abordagens
24 pessoas foram encaminhas à delegacia

Pontos mais críticos

BR-101 Sul
Avenida Sul
PE-60 (Cabo)
PE-15 (Paulista)
2ª Perimetral
Av. Agamenon Magalhães
3ª a 5ª Etapa de Rio Doce

Fontes: Sindicato dos Rodoviários de Pernambuco e Secretaria de Defesa Social (SDS)

Primeiro Compaz do Recife será inaugurado neste sábado

Moradores do Alto Santa Terezinha e outras comunidades da Zona Norte do Recife serão beneficiados, a partir de amanhã, com a inauguração do Centro Comunitário da Paz (Compaz) Governador Eduardo Campos. A unidade é a primeira do Recife a funcionar e será entregue à população no dia do aniversário de 479 anos da capital pernambucana. O equipamento tem o objetivo de promover a cultura de paz e a segurança cidadã, oferecendo serviços de educação, cultura, esportes e cidadania. Aproximadamente 220 mil pessoas serão beneficiadas com a estrutura, que vai funcionar de maneira integrada com a Escola Municipal Alto Santa Terezinha, a Creche Zacarias do Rego Maciel e a Academia das Cidades.

Unidade vai beneficiar 220 mil moradores das proximidades. Foto: Malu Cavalcanti/Esp/DP

Unidade vai beneficiar 220 mil moradores das proximidades. Foto: Malu Cavalcanti/Esp/DP

Na manh’a desta sexta-feira, o prefeito Geraldo Julio realizou a última vistoria no Compaz. O gestor aproveitou a visita para apresentar o equipamento ao secretariado municipal. Quem também participou da vistoria é o vice-governador de Pernambuco Raul Henry, que é um dos idealizadores do modelo do Compaz. Na última vistoria feita no local, em fevereiro deste ano, o prefeito Geraldo Julio destacou que a unidade vai oferecer serviços de qualidade em um local que fica perto da casa das pessoas que vivem no Alto Santa Terezinha e nas proximidades. O gestor ressaltou ainda que outra função importante do Compaz é que as escolas próximas a ele poderão levar seus alunos para praticarem das atividades e utilizar a biblioteca e espaços para esportes.

O Compaz vai complementar atividades que já são desenvolvidas no bairro e oferecer outras que agreguem cidadania e acesso à informação. Além das oficinas de artes marciais, dança e música, o centro terá atividades esportivas, cursos de capacitação profissional, mediação de conflitos, acesso à Justiça, serviços de assistência social, agência de emprego, Procon e biblioteca. Essa última terá vasto acervo e sistema de carteirinha de identificação para locação de livros. Alunos da rede municipal farão cadastro para poder locar livros e terem acesso ao espaço, que contará também com sala de estudo e computadores com internet.

O centro atuará em parceria com empresas e instituições no atendimento e desenvolvimento cidadão dos moradores da região, diminuindo o custo para a administração municipal. Entre os parceiros do Compaz estão a Fundação Bernard Van Leer, Fundação Itaú, Grupo Parvi, Instituto Cervantes, British Council, Livraria Cultura, Secretaria de Educação de Pernambuco, SESC, Fundação Gilberto Freyre, Conservatório Pernambucano de Música, Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e diversas secretarias municipais.

Guardas municipais de Jaboatão usarão spray de pimenta

Da coluna Diario Urbano, por Jailson da Paz

Polícia Militar usa spray de pimenta. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press

Polícia Militar usa spray de pimenta. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press

Renderá muito debate a decisão da Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes em colocar nas ruas guardas com armas não letais. Leia-se, pistola de condutividade elétrica, conhecido também por taser, e spray de pimenta. A decisão já vigora e o detalhamento consta na Portaria 002/2016 da Secretaria Municipal de Ordem Pública e Segurança Cidadã. E a polêmica está nas ruas da cidade. Fico entre os que defendem o emprego dessas armas ao invés de armas letais, sendo indispensável, como manda a lei e o bom senso, o treinamento dos guardas. Melhor seria não usar nenhuma, porém regras permitem e ao leitor sugiro a leitura da portaria, disponível na edição eletrônica de 18 de fevereiro do Diário Oficial do município. Conhecer o conteúdo da portaria, sejamos favoráveis ou contrários ao que determina o documento, ajudará na fiscalização e possíveis correções de rumo do processo. Especialmente quando o emprego equivocado de tais armas por quem obteve o aval para portá-las. Diz a portaria, afinal, que elas devem ser o penúltimo “degrau” do uso diferenciado da força, ou seja, usá-las como recurso anterior à arma de fogo. E quando a ação do suspeita for de agressão ou de resistência ativa. O emprego do taser e do spray de pimenta requer dos guardas municipais o julgamento do momento seguro e da conveniência. É isso que o cidadão espera de um agente público exposto à pressão das ruas. Ao optar pelo uso das armas não letais, a Guarda Municipal de Jaboatão dos Guararapes trilha o exemplo da Polícia Militar e da Guarda Municipal do Recife. Na capital, utiliza-se apenas a pistola de condutividade elétrica. Em Jaboatão, o treinamento de armas não letais foi destinado aos cerca de 360 agentes lotados na Guarda Municipal, enquanto no Recife envolveu, no primeiro momento, parte dos 1.140 integrantes da corporação. A regra no Recife, desde a segunda metade de 2015, é capacitar todos os guardas municipais nomeados para o cargo. Isso prevaleceu para os 321 guardass efetivados para o cargo no mês de outubro. Explica o secretário de Ordem Pública de Jaboatão, Elmo José de Freitas, que o treinamento integra o “Combo da Ordem” do município. Esse inclui a instalação de centrais de videomonitoramento.

Livros contra a violência

O Alto Santa Terezinha, na Zona Norte, será a primeira comunidade do Recife a receber uma biblioteca-parque, formato criado em cidades como Bogotá e Medellín, na Colômbia, que contribuiu no combate à criminalidade. A implantação, que acontecerá até o fim desse ano, foi um dos assuntos discutidos ontem no I Seminário Bibliotecas Vivas e Comunidades: Criando Espaços de Cidadania Ativa, realizado no Centro de Formação Paulo Freire, no bairro da Madalena.

Foto: Ana Claudia Dolores/DP/D.A Press

Bogotá investe no modelo desde 2006.  Foto: Ana Claudia Dolores/DP/D.A Press

A biblioteca funcionará no Centro Comunitário da Paz Governador Eduardo Campos (Compaz). A obra terá 13 mil metros quadrados e está orçada em R$ 1 milhão em recursos do Tesouro Municipal.

No primeiro semestre de 2016, o serviço passará a ser oferecido no Compaz Cordeiro, com investimento de R$ 5 milhões em uma área de 17 mil m2. “As bibliotecas dos Compaz terão videoteca, informática e outras atividades e as reformadas darão acessibilidade às pessoas”, ressaltou Murilo Cavalcanti, secretário de Segurança Pública do Recife.

Na Colômbia, a primeira biblioteca-parque foi inaugurada em 2006. “Através do modelo, as pessoas podem ler, dançar e participar de várias atividades”, comentou Eliana Maldonado, diretora da biblioteca San Javier, em Medellín. A unidade tem um público leitor de cerca de mil pessoas. O seminário também apresentou o modelo das Bibliotecas do Parque de Manguinhos, no Rio de Janeiro, e Villa-Lobos, em São Paulo.

Reformas
No Recife, as obras de recuperação e reforma das Bibliotecas Populares de Casa Amarela e Afogados tiveram início em março deste ano.