Presidente da OAB diz que Brasil precisa combater intolerância e violência

Passados 50 anos do golpe militar que instituiu no Brasil o fim das liberdades individuais e a repressão como forma de calar vozes contrárias ao governo, o presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB),  Marcus Vinicius Coêlho, alertou nesta segunda-feira que o país precisa combater os atos de intolerância e a violência como forma de debate de ideias para afastar definitivamente o risco da volta de regimes autoritários.

Brasília - A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) realiza ato público Para Não Repetir, que relembra os 50 anos do golpe militar, ocorrido na mesma data, em 1964 (Antônio Cruz/Agência Brasil)
Brasília – A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) realiza ato público Para Não Repetir, que relembra os 50 anos do golpe militar, ocorrido na mesma data, em 1964 (Antônio Cruz/Agência Brasil)Antonio Cruz / Agencia Brasil

“É fundamental verificarmos que nos dias de hoje ainda temos muitos atos de autoritarismo. Podemos perceber isso na intolerância, no desrespeito às divergências, nas agressões às liberdades, como à liberdade de expressão. São momentos que devem ser evitados porque eles muito se aproximam à regimes ditatoriais”, pontou Coêlho.

Em lembrança às cinco décadas do golpe de 1964, a OAB promove o ato público Para Não Repetir, que pretende relembrar e debater a ditadura, além de promover o lançamento de livros que relatam os momentos “chumbo” vividos pelos país.

O evento fará também uma homenagem ao advogado Raimundo Faoro, que batalhou pela volta do habeas corpus para presos políticos, que foi suspenso pelo regime militar. “Com a impossibilidade do habeas corpus, os advogados usavam da criatividade, faziam petições diretas aos ministros [do Supremo Tribunal Federal], com pedido de relaxamento de prisão, liberdade condicional, possibilidade de sair do país. Medidas que foram fundamentais para que grandes brasileiros não fossem torturados e assassinados nos porões da ditadura”, disse Coêlho.

PMs mudam foto do perfil do Facebook em sinal de luto

Como forma de protesto e também de mostrar que estão de luto pela morte do soldado da Polícia Militar de Pernambuco (MPPE) Romário Campos da Silva, 24 anos, vários policiais militares trocaram as suas fotos do perfil do Facebook.

Romário foi assassinado na madrugada desse sábado durante um tiroteio no Conjunto Habitacional Abençoada por Deus, no Cordeiro. O sepultamento do corpo acontece neste domingo.

Leia mais sobre o assunto em:

Corpo de soldado da PM morto em tiroteio será sepultado neste domingo

Corpo de soldado da PM morto em tiroteio será sepultado neste domingo

Catorze pessoas foram detidas para investigação de participação na morte do soldado do 13º Batalhão de Polícia Militar Romário Campos da Silva, 24 anos. O policial morreu depois de levar um tiro na axila esquerda, na madrugada deste sábado (29), em uma troca de tiros dentro do Conjunto Habitacional Abençoada por Deus, no bairro do Cordeiro. O sepultamento do corpo será neste domingo.

Dos suspeitos detidos, sete tiveram a participação direta nos dois tiroteios registrados dentro da comunidade entre a noite da sexta-feira e a madrugada do sábado. Esse foram encaminhados ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Os outros seguiram para a Central de Plantões, na Avenida Agamenon Magalhães.

O policial morreu depois de levar um tiro em uma troca de tiros dentro do Conjunto Habitacional Abençoada por Deus (Alcione Ferreira/DP/D.A Press)

Segundo a polícia, cinco mulheres e nove homens foram detidos. Desses, três são menores de idade. Jeferson da Silva Wanderley, 18 anos, e Alyson Rodrigo Lira Oliveira, 22 anos, são suspeitos de atirar contra uma viatura da PM que fazia ronda de rotina no habitacional, por volta das 21h. “Essa guarnição saiu do local após o disparo de arma de fogo. Por volta da 0h30, recebemos oito chamados de perturbação ao sossego. Ao chegarem, as viaturas foram recebidas a tiros”, explicou o tenente coronel Ebenézer Machado, comandante do 13º BPM, responsável pela área.


As duas viaturas encaminhadas ao local receberam apoio de outras quatro viaturas. Em uma delas, estava Romário. Segundo a Polícia Civil, Alyson e outros quatro elementos estariam envolvidos no tiroteio que resultou na morte da vítima. Darlan Neves Mesquita da Silva, 18 anos, Ítalo Henrique de Farias, 18, conhecido como Ítalo Bruxo, e dois adolescentes de 17 e 16 anos. “Vamos instaurar um inquérito para saber os detalhes da ocorrência, como quem disparou contra o policial e qual a participação de cada um dos envolvidos”, afirmou o delegado Sérgio Ricardo Vasconcelos.

Durante a operação, foram recuperados a pistola da vítima e um celular roubado de outro PM, além de outros três revólveres e munições. Participaram das prisões, 50 policiais militares e 12 civis. “O local é conhecido por ser ponto de distribuição de drogas e disputa de território do tráfico. Os suspeitos confessaram que estavam fumando maconha e tomando comprimidos e iriam cometer um homicídio de um rival na noite da ocorrência”, detalhou Sérgio Vasconcelos.

Uma mulher identificada como Severina Albenise da Silva, 38 anos, também foi detida por estar com um revólver e um prato de “pó virado” (crack e ácido bórico) dentro de casa. A polícia desconfia que essa arma teria sido utilizada no tiroteio e Severina tenha escondido a pedido dos bandidos. O corpo de Romário foi conduzido para a cidade natal dele, Calumbi, no interior, onde será velado e enterrado na manhã deste domingo (30).

Do Diariodepernambuco.com.br

Comandante divulga nota de repúdio sobre PM melado em protesto

Após o episódio ocorrido na última segunda-feira, onde um policial militar teve o rosto melado de tinta durante uma manifestação na Avenida Conde da Boa Vista, o comando da PMPE divulgou uma nota de repúdio nesta sexta-feira. Confira a nota na íntegra:

Militar foi melado no rosto . Foto: Alcione Ferreira/DP/D.A Press

Militar foi melado no rosto . Foto: Alcione Ferreira/DP/D.A Press

O Comando da Polícia Militar de Pernambuco vem, de forma veemente, tornar público o seu apoio ao policial militar que, durante o exercício de suas atividades profissionais, servindo à população na proteção da vida, do patrimônio e da dignidade humana, foi atingido no rosto e no seu uniforme com tinta que seria utilizada em pichação de paredes, durante um protesto realizado por ambulantes na avenida Conde da Boa Vista, na última segunda-feira (24).
Não podemos admitir que os integrantes da Polícia Militar de Pernambuco, entidade com 188 anos de serviços prestados à sociedade, sejam tratados de forma afrontosa por indivíduos que não têm compromisso com o civismo e, tampouco compreendem o direito à cidadania. Manchar com tinta a farda de um Policial Militar arrepia e contradiz os direitos democráticos conquistados pela sociedade durante anos de luta.
Por fim, o Comando Geral da Corporação em nome de toda família policial militar, irmana-se com o PM, que pelo treinamento, senso de responsabilidade e compromisso profissional, portou-se de forma irrepreensível e com total respeito aos Direitos Humanos, mesmo sendo visivelmente afrontado e instigado a agir por outros meios de força, legalmente amparados, quando do exercício da sua nobre e honrosa missão.
JOSÉ CARLOS PEREIRA
Comandante Geral

Mais dinheiro para saúde nos presídios de Pernambuco

Nesta sexta-feira, Pernambuco assina o Termo de Adesão à Politica Nacional de Saúde do Sistema Prisional. Os secretários de Saúde, Antônio Carlos Figueira, e o de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Bernardo D `Almeida, se encontram para firmar o termo.

Com a assinatura, a verba do Ministério da Saúde para a Secretaria de Ressocialização de Pernambuco podem saltar de R$ 592 mil para R$ 18,4 milhões por ano. A cerimônia será na sede da Secretaria de Saúde, no bairro do Bongi.

O estado já conta com 16 equipes de saúde cadastradas nas unidades de saúde do sistema prisional. Segundo a gestão estadual, no entanto, é preciso incluir mais 39 equipes para o atendimento integral de 30 mil detentos.

Os profissionais desenvolverão todas as ações da atenção primária em saúde nas unidades prisionais, tais como controle da hipertensão, diabetes, hanseníase, tuberculose, DST/Aids, saúde bucal, entre outras, auxiliando na prevenção e promoção à saúde e no diagnóstico e tratamento precoce dos casos existentes.

PM vai ampliar policiamento perto do Shopping RioMar

A partir desta sexta-feira, o 19º Batalhão da Polícia Militar de Pernambuco vai lançar um reforço no policiamento no entorno do shopping Rio Mar, no Pina, na Zona Sul. O esquema contará com a implantação de um trailer da PM e de uma viatura, que atuarão 24h na área externa do estabelecimento.

Serão realizadas rondas policiais ostensivas de forma preventiva e com repressão qualificada naqueles casos que necessitem de ação policial na localidade. O esquema de policiamento contará, ainda, com a atuação de policiais militares em motocicletas, ciclo-patrulhas e com o apoio de uma guarnição tática na região.

Assaltos são constantes no entorno do shopping. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Assaltos são constantes perto do shopping. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Com a medida, a PM pretende diminuir os números de assaltos registrados nesta semana. No último final de semana, três boletins de ocorrência foram registrados da Delegacia de Boa Viagem de vítimas de assaltos na localidade, um deles, no estacionamento do centro de compras.

Como a segurança contratada pelo shopping e o policiamento já deslocado para a área não estavam dando conta da criminalidade, o reforço da PM vai ser muito bem-vindo. Resta saber agora qual será a área que vai ficar descoberta para que o entorno do RioMar se torne um pouco mais seguro.

Faroeste na Zona Sul do Recife

Enquanto clientes, funcionários e lojistas do Shopping RioMar seguem assustados com a onda de violência ao redor do mais luxuoso centro de compras da cidade, suspeitos de crimes continuam agindo livremente na área. E o pior; desfilando com armas nas mãos.

Imagens das câmeras de segurança no entorno do shopping foram encaminhadas à Delegacia de Boa Viagem para ajudar nas investigações sobre os constantes assaltos registrados, principalmente nos finais de semana. No vídeo aparecem dois adolescentes com rostos cobertos e armados com espingardas.

Dois adolescentes suspeitos são vistos pelas câmeras com os rostos cobertos e portando espingardas de compressão (REPRODUÇÃO TV CLUBE)

Segundo a polícia, eles estão em cima do muro de um conjunto habitacional ao lado do centro de compras. A ação aconteceu na madrugada da última terça-feira, o que demonstra que o grupo continuou agindo após os assaltos do último final de semana. Dos quatro suspeitos identificados pela polícia, três já prestaram depoimento e confessaram participação nas investidas criminosas.

Casarões abandonados invadidos por usuários de drogas e ladrões

Casarões abandonados de alto padrão têm virado pontos de concentração de consumidores de drogas e esconderijos de suspeitos em bairros nobres da Zona Norte do Recife. Na Torre, a situação de um sobrado em estilo moderno situado na esquina da Avenida José Bonifácio com a Rua Padre Anchieta, um dos locais mais movimentados do bairro, tem preocupado moradores, comerciantes e pessoas que trafegam a pé ou de carro pelo local. O mesmo problema acontece em uma casa na Madalena.

Casa na esquina da Avenida José Bonifácio com a Rua Padre Anchieta, na Torre, virou ponto de uso de drogas (NANDO CHIAPPETTA/DP/D.A PRESS)

O imóvel da Torre, que já abrigou uma família de alto poder aquisitivo, está há mais de um ano abandonado. Viciados usam o lugar para consumir crack em meio a muito lixo, excrementos, ratos e baratas. O horário preferido dos usuários de drogas é a noite. Na Madalena, outro imóvel virou motivo de apreensão para moradores da Rua Monsenhor Silva. Há menos de um mês, uma mulher de 22 anos foi morta no local. Populares disseram que a vítima era usuária e estava fumando crack quando teve o pescoço cortado com pedaços de vidro por um desconhecido.

Leia matéria completa no Diario de Pernambuco desta quinta-feira

Delma Freire é transferida de presídio após ameaças de outras presas

Quem acompanhou através da imprensa a cobertura sobre a morte da alemã Jennifer Kloker, assassinada em fevereiro de 2010, na BR-408, em São Lourenço da Mata, certamente lembra de uma mulher que aparecia frente às câmeras chorando e pedindo justiça pela morte da nora. Ao final da investigação, Delma Freire de Medeiros acabou presa e apontada pela polícia como a mandante da morte de Jennifer, que era casada com Pablo, filho dela. O motivo: a família queria ficar com o seguro de vida milionário feito em nome da vítima pelo italiano Ferdinando Tonelli, pai adotivo de Pablo.

Delma Freire foi apontada como mandante do crime. Foto: Teresa Maia/DP/D.A/Press

Delma Freire foi apontada como mandante do crime. Foto: Teresa Maia/DP/D.A/Press

Assim como Jennifer, que foi assassinada na presença do filho de apenas três anos, Ferdinando também seria executado. Nos planos de Delma, segundo a polícia, estava cogitado ela casar com Ferdinando e depois mandar matá-lo para assim ficar com todo o dinheiro dele. Em 2012, cinco pessoas foram a júri popular pela morte de Jennifer. Delma, Pablo, Ferdinando e Dinarte Medeiros, irmão de Delma, foram condenados. O executor, Alexsandro Neves dos Santos, foi condenado em 2013. Pois bem, de personalidade forte, a senhora Delma toda vida foi o centro das atenções do Caso Jennifer. Sempre negou sua participação no assassinato da nora. Só abriu o jogo depois que os outros acusados confessaram que ela foi a mentora.

Expectativa é a de que Delma Freire confesse o crime. Foto: Reprodução/Diariodepernambuco.com.br

Dia em que Delma Freire foi levada para a Colônia Penal Feminina de Paratibe. Foto: Reprodução/Diariodepernambuco.com.br

Com exceção de Dinarte, que recebeu delação premiada por colaborar com o trabalho da polícia, todos os acusados estão cumprindo pena em regime fechado. Os advogados estão esperando uma decisão da Justiça para as apelações que fizeram relativas às penas recebidas pelos acusados. Pablo e Ferdinando foram condenados a 25 anos e seis meses de prisão. Dinarte pegou 14 anos e Delma Freire foi condenada a 32 anos reclusão. A sogra da alemã estava cumprindo sua pena na Colônia Penal Feminina de Paratibe, em Abreu e Lima, no entanto, por determinação judicial, foi transferida para a Colônia Penal Feminina do Recife, no Engenho do Meio, antiga Bom Pastor.

Fontes do blog informaram que Delma teria se envolvido em algumas brigas na unidade prisional e por isso precisou deixar o local. Segundo a Secretaria de Ressocialização, a mudança de endereço da presa em questão foi devida à convivência com as outras detentas que não estava lá em coisas. Sob constantes ameaças e hostilização por parte das demais presas e após ser chamada várias vezes de caboeta, a direção da unidade achou por bem tirá-la do presídio antes que algo de pior acontecesse.

Cena que perdemos de ver foi a saída dela do presídio. Deve ter mandado um beijo no ombro para as ex-colegas de cárcere e seguiu de cabeça erguida. Só não sabemos até quando ela não vai arrumar confusão na nova casa, que abriga presas muito mais descoladas e brabas que a primeira unidade.

Presídio de Tacaimbó vai desafogar Penitenciária de Caruaru

Fotos: Paulo Maciel/SDSDH

Bernardo visitou a unidade. Fotos: Paulo Maciel/SEDSDH

A Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SEDSDH) anunciou nesta terça-feira que com a construção do Presídio de Tacaimbó, que abrigará 920 presos, a Penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru, será desafogada. Atualmente, 1.363 homens cumprem pena na unidade.

A informação foi repassada aos detentos pelo secretário Bernardo D’Almeida em visita à unidade nesta manhã. Acompanhado pelo gestor da unidade, o agente penitenciário Sérgio Siqueira, Bernardo circulou pelas dependências do presídio, que ainda não conhecia. A notícia pode até ter deixado os reenducandos animados, já que muitos presos serão transferidos. No entanto, o governo do estado ainda não tem a data prevista para a inauguração da unidade de Tacaimbó.

Com informações da assessoria de imprensa da SEDSDH