Rotina de assaltos e medo em Santo Amaro e na Boa Vista

O medo faz parte da rotina de moradores, comerciantes e funcionários de empresas dos bairros de Santo Amaro e da Boa Vista, na região central do Recife. Eles reclamam que os assaltos têm sido constantes. Os crimes acontecem em ruas próximas de órgãos policiais e à luz do dia.

Os bairros integram a Área de Segurança 01, uma das que mais reduziram a violência após a criação do Pacto Pela Vida, em 2007. De acordo com um levantamento da Secretaria de Defesa Social (SDS), a quantidade de roubos na região aumentou 5% nos meses de janeiro e fevereiro de 2014, em comparação ao mesmo período em 2013.

Ruas pacatas são ponto preferencial para abordagens (DEBORA ROSA/ESP.DP/D.A.PRESS)

A presença da sede da SDS, que fica na Rua São Geraldo, em Santo Amaro, não tem inibido ações criminosas nas proximidades. Na última segunda-feira, um estudante de 19 anos foi assaltado por volta das 15h enquanto caminhava na Rua Araripina, a cerca de 650 metros da secretaria. O relógio e a carteira dele foram levados. “Vi um homem vindo de bicicleta no sentido Aurora/Cabugá. Ele tirou uma arma de debaixo da camisa, apontou para mim e mandou passar a carteira”.

O estudante, que fez boletim de ocorrência pela internet, disse temer novos assaltos. Outro problema na região tem sido os constantes casos de arrombamentos de carros e casas. Já na Rua Gervásio Pires, na Boa Vista, lojistas dizem que em uma semana quatro estabelecimentos foram assaltados, mesmo perto de uma delegacia. Um comerciante de 34 anos, dono de uma loja de roupas e bijuterias, está assustado.

Nos últimos seis meses, foi assaltado duas vezes. Em uma delas, foi amarrado e teve uma arma apontada para si. O prejuízo passou dos R$ 8 mil. “Os assaltos ocorrem entre 13h e 15h. No último, em 10 de fevereiro, levaram 35 relógios, dois iPhones, dinheiro do caixa e celulares de funcionárias. Vários empregados deixaram de trabalhar. Estou desesperado. Nem consigo ficar na loja, com medo”.

A Polícia Militar, por meio de sua assessoria de comunicação, informou que o policiamento na área é feito por uma viatura da Patrulha dos Bairros, uma guarnição do programa Polícia Amiga, uma dupla de motopatrulhamento, uma guarnição tática, um Posto de Policiamento Ostensivo, além do recobrimento do Grupo de Apoio Tático Itinerante (Gati). Não informou, entretanto, se vai reforçar o policiamento.

Do Diario de Pernambuco

Evento na Unicap pede fim da violência contra a mulher

Quase metade das mulheres assassinadas em Pernambuco no ano passado foi vítima de violência doméstica. Segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS), das 251 mortes, 108 casos (43%), tiveram como motivação os conflitos afetivos ou familiares. Neste ano, 44 mulheres foram mortas nos dois primeiros meses.

Apenas no mês de fevereiro, 23 mulheres perderam a vida, praticamente um crime por dia. É por esse e muitos outros motivos que o Grupo de Gênero e Diversidade Izaelma Tavares convida a todos para reivindicar pelas vidas de todas as vítimas de violência de gênero.

O evento vigília pelo fim da violência contra a mulher acontece nesta quinta-feira e marcará o dia de luto e de luta. O encontro será no hall do bloco G, às 18h. Com a hashtag #todxsvitimasdomachismo, vários temas serão abordados.

Lavagem de dinheiro na mira da polícia

Pernambuco agora conta com uma nova arma de combate ao crime organizado. Foi inaugurado ontem o laboratório de tecnologia contra a lavagem de dinheiro. O estado é o terceiro do Nordeste a receber o equipamento da Secretaria Nacional de Justiça. Atualmente, há 25 centros como esse espalhados pelo país.

Núcleo recebeu investimento de R$ 900 mil em softwares e outros equipamentos (DJAIR PEDRO/CICOM/SDS)

“Temos trabalhado com a ideia de que para combater o crime organizado precisamos de um estado organizado. Temos que ter agilidade na criação de tecnologias para estarmos atentos e garantir a diminuição da impunidade”, afirmou o secretário nacional de Justiça, Paulo Abrão Pires.

O núcleo vai atuar junto ao Centro Integrado de Inteligência de Defesa Social (CIIDS), auxiliando nas investigações da polícia cruzando dados obtidos a partir da quebra de sigilo bancário do investigado e identificando se houve a lavagem de dinheiro. “Os softwares vão dar a informação precisa, por meio de um relatório analítico e de forma mais ágil”, pontuou o gestor do CIIDS, Antônio Barros.

Já foram investidos cerca de R$ 900 mil em equipamentos e softwares. Até o fim de 2015 ainda estão previstos mais R$ 800 mil. “Para combater esse crime, é preciso ter uma estrutura montada e pessoal treinado. Essa equipe será de excelência para atender a Polícia Civil, Ministério Público e Poder Judiciário”, disse o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho. A expectativa da Secretaria Nacional de Justiça é de que até março de 2015 todos os estados brasileiros já tenham sido contemplados com laboratórios semelhantes.

Pernambuco ganhará laboratório contra lavagem de dinheiro

A Secretaria de Defesa Social (SDS) e a Secretaria Nacional de Justiça inauguram nesta sexta-feira o Laboratório de Tecnologia Contra Lavagem de Dinheiro – LAB/LD. O evento será realizado no auditório da SDS, rua São Geraldo, 111, bairro de Santo Amaro.

A instalação do laboratório dará suporte ao estado de Pernambuco no combate ao crime de lavagem de dinheiro, crime organizado, o crime de tráfico de drogas e também no enfretamento à corrupção, utilizando tecnologia de ponta e softwares especializados.

O evento contará com a participação do titular de Defesa Social, Alessandro Carvalho, do Secretário Nacional de Justiça, Paulo Abrão Pires Júnior, do Coordenador do CIIDS, Delegado Antônio Barros e também do Coordenador Nacional dos LAB-LD, do Coordenador e equipe do LAB-LD/PE, representantes da Inteligência das Polícias Civil e Militar de Pernambuco, da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e da Agência Brasileira de Inteligência – ABIN.

Com informações da assessoria de imprensa

 

Carnaval menos violento neste ano

Sessenta e três pessoas foram assassinadas em Pernambuco durante o carnaval deste ano. Ainda assim, a Secretaria de Defesa Social (SDS) considerou o período mais tranquilo em comparação ao ano passado, já que houve redução de 7% nos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) e de 10,9% nos crimes contra o patrimônio. Ontem, o órgão divulgou um balanço da segurança pública nos seis dias de festa no estado, da sexta-feira (28 de fevereiro) à quarta-feira de cinzas.

Operação foi considerada a mais exitosa desde 2007 (RICARDO FERNANDES/DP/D.A PRESS)

Dos homicídios ocorridos em Pernambuco, 10 foram cometidos na capital, 25 na Região Metropolitana do Recife e 28 no interior. A operação de carnaval foi definida como a mais exitosa desde 2007, quando o programa Pacto pela Vida foi implementado. “Tivemos um carnaval maior, com mais polos e turistas. A redução é ainda mais significativa se considerarmos o crescimento da festa”, destacou o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho.

Dos crimes com mortes, dois aconteceram em focos de folia: o primeiro na véspera do sábado de Zé Pereira, no desfile do Bloco do Tubarão, bairro do Prado, Zona Oeste do Recife, e o outro no Bloco Língua de Seda, no Cabo de Santo Agostinho, na terça-feira. “Apesar de terem ocorrido em focos, os crimes não teriam relação com a festa. No primeiro caso, a vítima seria envolvida com o tráfico de drogas. Já a vítima do crime que aconteceu no Cabo de Santo Agostinho tinha antecedentes criminais”, pontuou o secretário.

Do Diario de Pernambuco

Secretário da SDS diz que PF será bem-vinda no caso do promotor

Diante do silêncio do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) sobre o pedido feito por promotores de Justiça para que a Polícia Federal investigue o assassinato de Thiago Faria Soares, o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, rebateu as críticas ao trabalho do Polícia Civil.

A solicitação para que a apuração local dê lugar à PF foi feita pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), formado por promotores, e divulgada com exclusividade pelo Diario na edição de ontem. Segundo Carvalho, todos os esforços estão sendo empregados no caso. “Esse é o entendimento de um grupo de promotores, mas fizemos o possível para elucidar o crime. Se houver decisão que a Polícia Federal deve entrar em ação, ela será bem-vinda”, ressaltou.

O caso tem sido motivo de constantes desentendimentos entre o MPPE e a Polícia Civil. Desde 14 de fevereiro, segundo o chefe da Polícia Civil, Osvaldo Morais, os delegados responsáveis pelo caso, Alfredo Jorge e Josineide Confessor, não estão mais de posse do inquérito, o que paralisou a investigação. “Os promotores ficaram com os seis volumes do inquérito”, pontuou Morais.

Mais de 14 mil policiais nas ruas durante o carnaval

Um efetivo de 14.267 policiais irá trabalhar durante o carnaval deste ano para garantir a segurança do folião. O reforço na segurança foi divulgado pela Secretaria de Defesa Social (SDS) nessa quinta-feira. A novidade este ano será a implantação da central de flagrantes, que vai contar com uma equipe de cinco delegados só para atender a esse tipo de ocorrência durante os dias de folia.

Cúpula da Secretaria de Defesa Social divulga segurança para o carnaval. foto: Priscila Assis/TV Clube

Somente no desfile do Galo da Madrugada, no sábado de Zé Pereira, estarão nas ruas 3.956 policiais militares. O policiamento também contará com a ajuda de 33 câmaras de segurança, que estarão espalhadas no percurso do bloco. A Prefeitura do Recife informou que instalou um balão no Forte das Cinco Pontas em uma altura de cem metros, que terá uma câmera israelense com alcance de 10 quilômetros. Dessa forma, as imagens serão compartilhadas com a SDS.

Além do balão, a SDS anunciou também que estará monitorando a segurança no Grande Recife com o auxílio de 535 câmeras. Desse total, 20 estarão no Recife e 16 no Sítio Histórico de Olinda. Ao todo, durante os dias de Momo, estarão escalados para fazer a segurança 9.298 policiais militares, 2.679 bombeiros e 220 da equipe da Polícia Científica.

Segundo a secretaria, estão sendo aplicados R$ 6 milhões, dos quais R$ 5 milhões serão destinados ao pagamento das diárias dos policiais, o restante vai para logística. O Corpo de Bombeiros usará um sistema de monitoramento por meio de um software, que vai ajudar na logística dos bombeiros.

O juizado do Folião irá julgar os crimes de menor potencial ofensivo e vai funcionar das 13h até às 20h. Em sua sétima edição, o juizado estará instalado no Fórum Thomás de Aquino e na Estação Central do metrô. Os promotores José Bispo de Melo e Marcellus Ugiette ficarão de plantão.Em cada local, vão ter um representante do IML, ITB, IC, Corpo de Bombeiros e Batalhão de Choque. No ano passado, foram registradas 21 ocorrências com 29 infratores.

SDS diz que não existe toque de recolher em Ipojuca

Mesmo diante das denúncias da população e da recomendação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para que seja feito um reforço no policiamento, a Secretaria de Defesa Social (SDS) informou, através de nota, que não procede a notícia que exista toque de recolher no município de Ipojuca.

Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press

Polícia Militar fez abordagens no Bairro 13, em Nossa Senhora do Ó. Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press

No entanto, flagramos nessa última quarta-feira várias viaturas da Polícia Militar fazendo diligências em uma das comunidades que reclamou da insegurança e abordando algumas pessoas. Os moradores assistiam às abordagens em silêncio.

Ainda segundo a SDS, “a PM vem realizando o policiamento preventivo no município de Ipojuca, o que já resultou em diversas apreensões de drogas e armas. Já a Polícia Civil está investigando as ramificações do tráfico na cidade e em seus distritos, havendo identificado lideranças, estando alguns deles, com mandados de prisão expedidos.”

A nota enviada ao blog afirma ainda que “para colaborar no combate à violência em Ipojuca e região, duas grandes Operações de Repressão Qualificada (Areia Branca I e II), foram realizadas onde foram presas e apreendidas cerca de 80 pessoas envolvidas no tráfico de drogas.”

Moradores de Ipojuca pedem ajuda devido a toque de recolher

A população de Ipojuca, distante 43 Km do Recife, está aterrozida. Segundo o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), moradores de duas localidades da cidade que abriga uma das mais famosas praias do Brasil estão sendo obrigados a não sair de casa à noite devido ao toque de recolher imposto por traficantes.

Comunidade Bairro 13 está assustada.

Comunidade Bairro 13 está assustada. Fotos: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press

O pedido de socorro por parte da população foi feitos aos promotores Paula Katarine e Rinaldo da Silva, o que fez o procurador-geral de Justiça, Aguinaldo Fenelon, recomendar à Secretaria de Defesa Social (SDS) reforço no policiamento na área. Ontem, viaturas do 18º Batalhão da Polícia Militar fizeram rondas na comunidade Bairro 13, em Nossa Senhora do Ó. Já a Polícia Civil fez diligências nas Salinas e na praia de Maracaípe, em Porto de Galinhas. Uma força-tarefa foi montada para investigar os crimes e oferecer patrulha nas localidades.

Na denúncia feita ao MPPE, moradores das Salinas e do Bairro 13 relataram que não podem sair de casa depois das 21h por determinação dos traficantes. As reclamações da população incluem ainda o fechamento do comércio nesse mesmo horário. Um morador do Bairro 13 contou que pessoas armadas, inclusive com espingardas calibre 12, são vistas andando livremente pela localidade durante o dia. “Isso aqui está muito violento. Ninguém pode sair de casa nem de dia, nem à noite. Agora mesmo passaram umas quatro viaturas da Polícia Militar em alta velocidade por aqui”, apontou o morador.

Um grupo de jovens que estava na cobertura de uma casa foi abordado e revistado por PMs. Como nenhum deles foi encontrado com armas ou drogas, não foram levados para a delegacia. Informações extra-oficias apontam um dos rapazes como o responsável pelo medo imposto aos moradores. Uma reunião realizada entre a Prefeitura de Ipojuca, policiais Militar e Polícia Civil e o MPPE discutiu as ações de combate à iniciativa dos bandidos. “Não podemos admitir que bandidos imponham toque de recolher em lugar nenhum. Isso é muito grave”, ressaltou Fenelon.

Rapazes estavam na cobertura de uma casa quando a polícia chegou

Rapazes estavam na cobertura de uma casa quando a polícia chegou

Ainda entre as denúncias, os relatos de que as motos de 50 cilindradas (cinquentinhas) eram usadas para a entrega de drogas na cidade, resultaram numa determinação para abordagens e recolhimento das motonetas irregulares.

Segundo o delegado titular de Porto de Galinhas, Luciano Siqueira, desde o início do ano até ontem, apenas um homicídio foi registrado em Ipojuca. “A última morte da cidade foi no dia 14 de janeiro e o inquérito já está sendo concluído. Além disso, várias operações são realizadas com o objetivo de melhorar a segurança nas comunidades. Fazemos operações conjutas com a Polícia Militar. Amanhã (hoje) nossa equipe da delegacia seguirá com diligências em Nossa Senhora do Ó”, adiantou o delegado.

Entrevista – Comerciante do Bairro 13

“O crack está dominando tudo”

É verdade que as pessoas não podem mais sair de casa à noite?
As coisas aqui estão muito complicadas. A comunidade está assustada e a insegurança sem limites. Tenho um comércio e quando anoitece eu fecho as grades e fico atendendo as pessoas sem elas entrarem, pois o risco é muito grande. Algumas pessoas não saem mais de casa à noite.

Como está a situação do tráfico de drogas aqui na comunidade?
Eu não gosto nem de falar muito sobre essas coisas, mas como várias viaturas da polícia acabaram de passar por aqui e você mesmo viu, não tenho como dizer que está tranquilo, né? Esse tal de crack está domindo tudo por aqui.

Estão acontecendo muitos assaltos na localidade?
Com certeza. Eu, graças a Deus, nunca fui assaltada, mas outros comerciantes estão tendo muito prejuízo. E os bandidos andam armados e assaltam durante o dia mesmo. Parece que não têm medo de nada.

Espírito Santo investe pesado em segurança e segue modelo de Pernambuco

Um alto investimento está previsto para a área de segurança pública no estado do Espírito Santo. Entre as ações esperadas estão a construção de novas unidades de polícia, aumento do efetivo e mais recursos operacionais. Em 2013, o setor contou com um orçamento de R$ 100 milhões. Desde 2011, cerca de R$ 240 milhões já foram aplicados na área e mais R$ 149 milhões serão investidos nas polícias Militar, Civil e Corpo de Bombeiros neste ano.

Vista da cidade de Vitória (ES). Foto: Mauricio Mercer/Divulgação

Vistas da cidade de Vitória (ES). Fotos: Mauricio Mercer/Divulgação

Dentre as ações desenvolvidas no ano passado estão o projeto Patrulha da Comunidade. Esse programa reforça a segurança em 19 bairros comerciais da Grande Vitória com policiais militares em motos e viaturas. O principal foco é a redução dos crimes contra o patrimônio. As ações desenvolvidas no Espírito Santo estão sob o comando do secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, André Garcia, que já foi secretário executivo de Defesa Social de Pernambuco.

Aqui no estado, Garcia trabalhou na gestão do secretário Rodney Miranda, que foi o responsável pelo início das ações do Pacto pela Vida em Pernambuco. Inclusive, o pacto pernambucano é o inspirador do programa Estado Presente, que tem ações semelhantes em desenvolvimento.

No Espírito Santo, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesp) investiu na compra de novas viaturas para as corporações. Desde 2011, são mais de 1600 veículos destinados ao trabalho operacional das forças de segurança, o que representa um orçamento de R$ 80 milhões, aproximadamente.

Para reforçar o policiamento ostensivo, o governo do Espírito Santo espera aumentar o efetivo da Polícia Militar que chegará a 10 mil policiais na ativa até 2014. Atualmente, a corporação conta com 7.800 servidores. Em Pernambuco, o efetivo está próximo de 20 mil policiais, mas a população ainda reclama e sente na pele a falta de policiamento nas ruas. Uma turma de aprovados no concurso da PM em 2009 ainda espera ser nomeada pelo governo do estado.

Na Polícia Civil, mais de mil policiais foram contratados desde 2011, o que tem agilizado o atendimento à população nas unidades policiais de todo o Estado e possibilitado a implantação do Plantão 24 Horas nas delegacias do interior. O Governo também informatizou os boletins de ocorrência registrados nas delegacias da Grande Vitória. Um software possibilita a digitalização de ocorrências e inquéritos policiais instaurados pela Polícia Civil do Espírito Santo. Até 2014, todas as unidades do Estado contarão com o programa. Aqui no estado, esse modelo também já foi implantado em algumas unidades policiais e está em fase de testes.

Com informações da assessoria de imprensa da Sesp