Polícia investiga padres e funerárias que estariam superfaturando túmulos

Por Raphael Guerra

Padres, membros de irmandades da Igreja Católica e funcionários de pelo menos seis funerárias estão sendo investigados por fazerem parte de um esquema de venda ilegal de túmulos no Cemitério de Santo Amaro, no Recife. Segundo a Polícia Civil, os suspeitos estariam se aproveitando da fragilidade de familiares de pessoas mortas para comercializarem espaços pertencentes às irmandades religiosas por preços que chegam a R$ 800.

Por uma vaga, parentes dos mortos têm que desembolsar valores de até R$ 800 (BLENDA SOUTO MAIOR/DP/D.A PRESS)

Oito vítimas já prestaram depoimento. O vigário geral da Arquidiocese de Olinda e Recife, monsenhor Albérico de Almeida, também foi ouvido como testemunha. Ele confirmou que há instituições da Igreja proibidas, pelo estatuto criados por elas, de vender ou alugar túmulos. Diante da gravidade, o Ministério Público de Pernambuco passou a acompanhar o caso.

As denúncias começaram a ser investigadas há três meses. Pelo menos três padres são suspeitos de participação no esquema por terem autorizado a venda dos túmulos.
À polícia, as vítimas relataram que, ao procurarem funerárias próximas ao cemitério, foram abordadas por funcionários que alegaram falta de vagas. Mostrando-se solidários, porém, eles afirmaram que tentariam conseguir um túmulo e pediram um telefone para contato.

Pouco tempo depois, as vítimas receberam telefonemas, que informaram que havia vaga de posse das irmandades católicas. Para isso, precisariam pagar a taxa de R$ 38,80 à prefeitura e até R$ 800 em dinheiro à vista. No inquérito ainda consta que um suposto padre também era indicado aos familiares para o momento de oração no velório por R$ 100.

Leia matéria completa na edição impressa do Diario desta quinta-feira

Jornalistas falam sobre a cobertura policial no estado de Pernambuco

Assista ao vídeo dos jornalistas Wagner Santos e Raissa Tabosa onde eles conversaram com vários jornalistas pernambucanos sobre a cobertura policial no estado. Fui um dos entrevistados no trabalho.

Videodocumentário produzido para a conclusão do curso de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, da Faculdade Maurício de Nassau (FMN), em junho de 2012. Produção prática apresentada como exigência final para a obtenção do título de bacharel em Comunicação Social – Jornalismo da Faculdade Maurício de Nassau, sob orientação da Professora Mestre Andréa Trigueiro.

O jornalismo policial compõe uma linha editorial de grande audiência, e com o passar dos anos vem tomando cada vez mais espaço na preferência da população consumidora de informação. Realizado em forma de videodocumentário, “A nossa arma é essa?” pretende retratar os jornalistas e o trabalho da editoria policial, além de propor o inicio de um questionamento aos espectadores sobre as diretrizes nas quais a programação pernambucana é baseada.

RAISSA TABOSA JACINTO
WAGNER JOSÉ DOS SANTOS

Policiais federais de Pernambuco param atividades nesta quinta-feira

Após deliberação em assembleia realizada pelo Sindicato dos Policiais Federais do Estado de Pernambuco – SINPEF/PE na última sexta-feira, os escrivães, papiloscopistas e agentes da Polícia Federal no Recife decidiram parar suas atividades (greve) nesta quinta-feira (Dia das Bruxas).

A greve de um dia acompanha o movimento nacional da categoria promovido pelo Conselho de Representantes da Federação Nacional dos Policiais Federais – FENAPEF, que congrega os Presidentes dos Sindicatos dos Policiais Federais dos 26 estados do Brasil e do Distrito Federal.

Em Pernambuco, a paralisação ocorrerá na Superintendência Regional da Polícia Federal no Recife e Delegacias de Polícia Federal de Caruaru e Salgueiro, visando protestar e denunciar a insatisfação das categorias com o tratamento que a Administração da Polícia Federal e o Governo Federal têm lhes dispensado, especialmente sobre:

  • a péssima gestão de recursos humanos da Polícia Federal que ignora a Lei nº 9.266/96 que definiu o nível superior dos cargos de Escrivão, Papiloscopistas e Agentes Federais e que, por outro lado, não estabelece em lei as atribuições desses cargos, atualmente definidas em uma Portaria do MPOG, (523/89) e por isso inconstitucional, assim declarada pelo STF (Supremo Tribunal Federal);
  • a crise decorrente do sucateamento funcional e salarial desses policiais, caracterizada pela desvalorização, desmotivação, assédio moral, adoecimentos, perseguições e evasão de policiais para outros órgãos.
  • a ineficiente gestão da Polícia Federal, que aliada à redução sistemática do orçamento do Órgão,  vem produzindo inoperância, retrocesso e queda na persecução criminal, agravando as deficiências inerentes ao modelo ultrapassado de investigação que é feita através do inquérito policial.

A luta dos Policiais Federais é pela valorização de seus cargos que são os responsáveis pelas investigações policiais de combate à sonegação, à corrupção, aos crimes do colarinho branco, dentre outros tão relevantes para o Brasil.

Na paralisação programada, os Policiais Federais estarão trajando as camisas SOS POLÍCIA FEDERAL, (movimento decretado a partir da greve de 70 dias ocorrida em 2012 e até hoje sem solução do Governo Federal). Serão ainda ostentadas faixas de protestos e distribuídos panfletos informativos para o esclarecimento da população.

Durante o dia de greve serão mantidas as atividades dos Serviços Essenciais com 30% (trinta por cento) do efetivo grevista, conforme estabelecido pela Lei de Greve (Lei nº 7.783, de 28 de junho de 1989).

Com informações da assessoria de imprensa do Sinpef/PE

Morre policial militar do 6º Batalhão baleado na BR-232

Deve ser sepultado na manhã desta quinta-feira o corpo do policial militar Alisson Lima Ribeiro, 24 anos, que era lotado no 6º Batalhão da Polícia Militar. O PM estava internado desde o último sábado após ter sido baleado no final da tarde, na rodovia BR-232, próximo a cidade de Moreno, após sair do trabalho.

Alisson tinha 24 anos. Foto: Reprodução/Facebook

Alisson tinha 24 anos. Foto: Reprodução/Facebook

Alisson morreu no por volta das 12h desta quarta-feira, no Hospital Otávio de Freitas, no bairro do Sancho, no Recife. O militar estava em sua moto quando um carro ainda não identificado emparelhou ao seu lado e fez vários disparos. Dois tiros atingiram o soldado. A polícia está investigando o crime, mas ninguém foi preso ainda.

Soldado era constantemente homenageado. Foto: Divulgação

Soldado era constantemente homenageado. Foto: Divulgação

Segundo colegas da Polícia Militar, o soldado Alisson Ribeiro era considerado um policial honesto, destemido, prestativo e sempre disposto a trabalhar. Homenagens ao mesmo eram uma rotina, de acordo com o capitão Manoel Augusto do Rego Barros de Lima. Alisson servia na 4ª  Companhia do 6º BPM,  em Moreno.

Delegados ouvirão 30 pessoas sobre morte de promotor nesta semana

Pelo menos 30 novos depoimentos estão previstos para acontecer até o final desta semana sobre as investigações da morte do promotor Thiago Faria Soares, 36 anos, assassinado no dia 14 deste mês, em Itaíba. Na tarde dessa terça-feira, o advogado Leandro Ubirajara, 28, foi ouvido pelos investigadores na Delegacia de Águas Belas. O depoimento durou aproximadamente três horas.

Thiago Faria foi morto a caminho do trabalho. Foto: Reprodução/Facebook

Thiago Faria foi morto a caminho do trabalho. Foto: Reprodução/Facebook

Além dele, pelo menos outras nove pessoas foram interrogadas por três delegados. Leandro é o filho mais velho de José Maria Pedro Rosendo Barbosa, o Zé Maria de Mané Pedo, que está sendo apontado pela polícia como o mandante do assassinato do promotor. Ele é a segunda da pessoa da família a ser ouvida pela polícia. Na semana passada, a esposa de Zé Maria, a dona de casa Jandira Cruz, 52, também prestou depoimento.

Apesar dos delegados que investigam o caso não estarem falando sobre o assunto, um dos policiais adiantou que essa semana terá depoimentos todos os dias da semana. Também nessa terça-feira, o advogado Anderson Flexa protocolou, no Fórum de Itaíba, no Agreste do estado, o pedido de revogação da prisão temporária do agricultor Edmacy Cruz Ubirajara, 47, que está preso desde o último dia 15 sob acusação de ter efetuado os disparos que matou o promotor.

 

Polícia continua buscando suspeitos. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Polícia procura suposto mandante do crime. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Edmacy foi detido após se apresentar à polícia porque havia um mandado de prisão contra ele por outro crime. No entanto, o agricultor foi reconhecido pela noiva do promotor, a advogada Mysheva Ferrão Martins, 30, como sendo o autor dos disparos que mataram Thiago Faria. Apesar de ter negado o envolvimento no crime, Edmacy foi levado ao Centro de Triagem, em Abreu e Lima, por força de um mandado de prisão temporária.

“Protocolamos o pedido de revogação da prisão temporária de Edmacy e o juiz vai analisar o documento nesta quinta-feira. Nós entendemos que não existem mais subsídios para que Edmacy continue preso. Além disso, no depoimento dele não houve contradições. A família tem esperanças de que ele seja solto antes do dia 9 de novembro porque vai ser o dia da formatura da filha dele. A jovem vai se formar em veterinária e o pai vai ser o homenageado dela na festa”, ponderou Anderson Flexa.

Após sair do Fórum de Itaíba, o advogado seguiu para Águas Belas onde foi pegar cópias das imagens coletadas pela família de Edmacy com as quais pretendem provar que ele estava no centro da cidade no momento do crime. Além dos nomes das testemunhas que podem depor a favor do seu cliente.

 

Filho de suspeito de mandar matar promotor depõe nesta terça

Está marcado para as 15h desta terça-feira, na Delegacia de Águas Belas, o depoimento do advogado Leandro Ubirajara à polícia. Leandro é o filho mais velho de José Maria Pedro Rosendo Barbosa, o Zé Maria de Mané Pedo, que está sendo apontado pela polícia como o mandante do assassinato do promotor de Justiça, Thiago Faria Saores, 36 anos, morto no último dia 14.

Leandro será ouvido nesta terça à tarde. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Leandro será ouvido nesta terça à tarde. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Leandro seria ouvido nessa segunda-feira, mas o depoimento, segundo ele próprio, foi adiado para esta terça à tarde. Também está previsto para esta tarde a entrada no pedido de revogação de prisão do agricultor Edmacy Cruz Ubirajara, 47, que está preso apontado como o suspeito de ter afetuado os tiros contra o promotor.

Edmacy é cunhado de José Maria. Esse último está foragido e o Disque-Denúncia está oferecendo uma recompensa de R$ 10 mil por informações que levem à prisão dele.

Leia mais sobre o assunto em

Polícia faz exame moderno para detectar chumbo ou pólvora em suspeito do crime

CPI do Tráfico de Pessoas avalia relatório parcial nesta terça

A relatora da Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga o tráfico de pessoas no Brasil, deputada Flávia Morais (PDT-GO), vai apresentar seu relatório parcial nesta terça-feira, no Plenário 11. A deputada informou que o relatório vai tratar de práticas de tráfico que ainda não estão no Código Penal (Decreto-Lei 2.848/40) (Decreto-Lei 2.848/40). O relatório prevê o endurecimento das penas contra o tráfico de pessoas.

O Código Penal já prevê penas para os casos de exploração sexual, que podem chegar a cinco anos de reclusão e multa. Para o tráfico de pessoas, no entanto, não existe previsão penal. Flávia Morais destacou que o relatório é o resultado de diversas audiências públicas e contou com a contribuição de juízes e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Ela acredita que não haverá dificuldade na aprovação do relatório. “Faz parte do processo essa peça inicial e essa participação efetiva de todos os integrantes da casa acompanhando e dando sua opinião. Nós acreditamos que esse trabalho vai ter um efeito importante. Essa lei – se aprovada – vai ser um instrumento muito importante para o combate do tráfico de pessoas em nosso País.”

A CPI vai realizar um seminário no dia 12 de novembro para apresentar a proposta final para os parlamentares e para a sociedade civil. Depois o projeto será votado em Plenário.

Da Agência Câmara

 

Associação denuncia abandono da Polícia Militar no interior de Pernambuco

Uma comitiva da Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados da Polícia Militar (ACS–PE) viajou, na semana passada, para o interior do estado, com o objetivo de verificar as condições de trabalho dos policiais militares no Agreste e Sertão de Pernambuco. As visitas foram feitas nas cidades de Águas Belas, Itaíba, Manaíra, Inajá, Tacaratu, Carnaubeira, Nova Petrolândia, Floresta, Trevo do Ibó, Cabrobó, Orocó, Santa Maria da Boa Vista, Salgueiro, Bom Nome e Algodões.

Unidade policial da cidade de Águas Belas foi visitada. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Unidade policial da cidade de Águas Belas foi visitada. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

O coordenador Renílson Bezerra, os diretores Romero Galindo e Luiz de Melo e o advogado Maurício Gomes puderam constatar que a tropa está abandonada. Segundo a ACS, em algumas localidades, apenas dois homens trabalham para garantir a segurança de uma população de 22 mil pessoas. Foram encontrados postos de policiamento sem água ou banheiro, trailers à beira da estrada sem nenhuma proteção para praças, poucas viaturas e escalas abusivas.

A ACS-PE pede que “as autoridades competentes mudem o tratamento dado a esses profissionais, voltando à atenção para a garantia da proteção primeiro do policial para que ele possa realizar seu serviço em defesa da sociedade. Afinal, o Pacto pela Vida também deve ser para os PMs. Deve ser pela vida e dignidade do policial militar e bombeiro.”

Muita gente foi furtada na Trivela

As mulheres continuam sendo as maiores vítimas de furtos de telefones celulares durante grandes eventos. Foram muitas as reclamações da mulherada que teve o aparelho levado, principalmente das bolsas, na noite desse sábado durante a Trivela. Os furtos aconteceram tanto na área da pista quanto no camarote.

Enquanto Asa tocava, os "espertinhos" faziam a festa na Trivela. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Enquanto Asa tocava, os “espertinhos” faziam a festa na Trivela. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

A polícia afirma que existe uma quadrilha especializada nesse tipo de crime. Os ladrões compram os ingressos caros e ficam circulando no meio das pessoas para aproveitar os momentos de descuido e furtar o que estiver a seu alcance. Os iPhones são os produtos mais cobiçados.

Nem mesmo a presença de seguranças contratados pela organização do evento faz os bandidos ficarem inibidos. A dica é evitar levar coisas de valor para lugares com muita gente e, se levar, ficar atento. No caso das mulheres, nunca deixem suas bolsas de lado ou para trás. Tentem deixá-la sempre à sua frente.

Leia mais sobre o assunto em:

Furtos de iPhones em festa e camarotes Vips em alta no Recife

Agente da CTTU indiciado por agredir comerciante em discussão

O agente de trânsito da Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) Felipe Aguiar da Silva, 38 anos, foi indiciado por lesão corporal grave por ter golpeado, segundo a polícia, com punhal, o comerciante Mário Francisco do Nascimento, 32, durante discussão no bairro de Santo Antônio, no dia 24 de setembro, por conta de estacionamento irregular na Zona Azul.

A conclusão do inquérito, que seguiu para o Ministério Público, foi apresentada nessa sexta-feira pela delegada Patrícia Domingos. Já a vítima foi indiciada por lesão corporal leve e desacato. Ambos vão responder pelos crimes em liberdade. O agente, caso condenado, pode pegar até cinco anos de prisão. O comerciante até um ano.

Segundo as investigações, Felipe multou o veículo de Mário, que estava estacionado de forma irregular na Rua da Palma. O motorista admitiu ter discutido com o guarda por conta da multa, tendo dado um murro no rosto dele. “A vítima narra que entrou em pânico e saiu correndo quando Felipe sacou um punhal. Testemunhas ouvidas confirmam a versão. Quando Mário estava entrando no prédio onde trabalha, na Rua Frei Caneca, Felipe o golpeou nas costas. Mário caiu no chão e a agressão só não continuou porque Felipe foi apedrejado pela população”, detalhou Patrícia Domingos.

Logo após a agressão, Mário se escondeu num posto da Guarda Municipal, no Pátio de São Pedro, onde policiais o encontraram e o levaram para a Delegacia de Santo Amaro. A vítima foi levada para o HR onde ficou internada por sete dias. O laudo feito no IML apontou que o comerciante foi ferido por arma branca próximo ao pulmão. A arma não foi localizada.

A delegada disse que o agente não foi indiciado por tentativa de homicídio porque teve chances de golpear a vítima mais vezes e não o fez. No dia da briga, o delegado Paulo Clemente autuou o agente apenas por lesão corporal leve. O advogado da vítima, José Siqueira, disse que ele vai entrar com um processo indenizatório contra a prefeitura.

Do Diario de Pernambuco