Postos de policiamento ostensivo desativados no Recife

Os postos de policiamento ostensivo (PPOs) da Polícia Militar estão sumindo das ruas do Recife. Depois da retirada das unidades da Rua Sete de Setembro e da Praça Maciel Pinheiro, na Boa Vista, e da Praça da Independência, em Santo Antônio, comerciantes, frequentadores e moradores da região estão assustados, pois os relatos de assaltos são constantes. Já no Parque da Jaqueira, Zona Norte da capital, segundo trabalhadores da área, a cabine está funcionando de forma precária, fechando por volta das 19h.

Na Sete de Setembro

Na Rua Sete de Setembro, comerciantes e moradores reclamam da insegurança. Fotos: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press

Quem passa diariamente ou trabalha na Rua de Setembro, umas das mais movimentadas da Boa Vista, afirma que os roubos aumentaram. “Moro no fim da via, já perto da Rua do Riachuelo e estou evitando passar pela Sete de Setembro à noite. Depois que o posto foi retirado está muito perigoso. Os moradores estão assustados”, conta o cabeleireiro Marcelo Vaz, 22 anos.

Os postos da Sete de Setembro e da Maciel Pinheiro, que ultimamente vinha funcionando no calçadão da Rua da Imperatriz, foram retirados, segundo comerciários, há cerca de três semanas. O da Praça da Independência há mais tempo. “Depois do carnaval não houve mais policiamento aqui”, disse um lojista.

Dados da Polícia Civil apontam, no entanto, que 1.949 ocorrências de furtos foram registradas na AIS 1, que corresponde à Boa Vista, São José, Santo Antônio, Santo Amaro, Recife Antigo, Joana Bezerra, Coelhos, Ilha do Leite, Paissandu e Derby, nos seis primeiros meses de 2013, e que no mesmo período deste ano foram 1.679, uma redução de 13,9%. “Sem polícia aqui (Sete de Setembro), aumentou muito o número de garotos na rua. Alguns deles ficam armados de facas e assaltam as pessoas. Os moradores do prédio estão apavorados”, rebate um porteiro que preferiu não revelar seu nome.

sdakljflkadjfklsajkl

Na Jaqueira, posto de policiamento funciona de maneira precária

Receio
O comerciário Enéas Heleno da Silva, 31, trabalha em uma banca de revista na calçada do Parque da Jaqueira e afirma que à noite o local fica sem policiamento. “Depois das 19h, as pessoas têm medo de ficar por aqui. Comerciantes fecham as portas e quem faz atividades no parque reclama”, conta.

Apesar do medo de trabalhadores e comerciantes, o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Recife (CDL), Eduardo Catão, afirma que não tem recebido reclamações. “Estamos sabendo da retirada dos postos de policiamento do Centro, mas a polícia nos informou que estão circulando viaturas nas localidades”, disse Catão.