Peritos Papiloscopistas confirmam que marcas na casa do PM morto são de suspeito preso

Após a prisão do suspeito de matar o policial militar Roseildo Pereira Dantas, 45 anos, dentro da casa em que morava, na Rua Crucilândia, no bairro de Afogados, no último dia 11, peritos papiloscopistas do Instituto de Identificação Tavares Buril (IITB) confirmaram que as impressões papilares feitas por marcas de pés manchadas de sangue na casa da vítima são de Jeferson Gomes da Silva, 21 anos.

Jeferson foi preso por PMs do 6º Batalhão. Foto: Polícia Militar/Divulgação

Jeferson foi preso por PMs do 6º Batalhão. Fotos: Polícia Militar/Divulgação

Ele foi detido em ação do 6º Batalhão no bairro de Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes, com a pistola do policial e foi encaminhado ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro do Cordeiro. Segundo fontes do blog, o retrato falado do suspeito produzido pelo IITB é muito parecido com Jeferson, que confessou o crime. Os peritos papiloscopistas trabalham agora na identificação das outras digitais encontradas na casa da vítima para saber se pertencem a outras pessoas.

Pistola e munições foram recuperadas

Pistola e munições do PM assassinado foram recuperadas com o suspeito

O policial militar era lotado no 12º Batalhão da PM e teve o carro e a arma levados durante o crime. O veículo foi encontrado horas depois do latrocínio com pneus baixos e marcas de batida próximo ao terminal de ônibus de San Martin.

Roseildo Dantas tinha 45 anos

Roseildo Dantas tinha 45 anos

A vítima foi assassinada com um tiro de pistola .40, de uso restrito, na cabeça. Além da arma, o suspeito também foi encontrado com três carregadores e 43 munições da vítima que pertencem a carga da PM. Em depoimento, vizinhos contaram que ouviram uma discussão e disparos durante a madrugada.