Polícia Civil localiza criança que havia sido levada pelo pai

Foi localizada na noite deste sábado, pela Polícia Civil de Pernambuco, a menina Júlia Cavalcanti de Alencar, de 1 ano e 9 meses, que havia sido levada pelo pai. Ela está em segurança. A garota e o pai, Janderson Rodrigo Salgado Alencar, 29, estavam na cidade de Santana, no Amapá. Ele está preso.

A operação pela prisão contou com o apoio da Polícia Civil daquele estado que realizou a abordagem em uma residência localizada na área central da referida cidade. A operação que resultou na localização da criança e prisão do genitor da mesma foi fruto de trabalho em conjunto entre as Polícias Civis de Pernambuco e do Amapá, onde esta última também contou com informações da Inteligência da PCPE.

As delegadas da 9ª DPH da cidade de Olinda/PE, Gleide Angelo e Fabiana Leandro, que presidem as investigações, estão em vôo do Pará para o Amapá com o objetivo de proceder ao recambiamento do preso e trazer a criança para o Estado de Pernambuco.

Júlia e Janderson estavam sendo procurados desde o dia 10 de julho depois que ele não devolveu a menina para a mãe como estava previsto em decisão judicial. Ainda não há previsão para o horário de chegada de pai e filha a Pernambuco, pois as delegadas irão precisar de autorizacão judicial para viajar com a criança.

15 thoughts on “Polícia Civil localiza criança que havia sido levada pelo pai

  1. Parabéns Dra Gleide.A senhora é digna de todas as honrarias por desempenhar com tanto empenho sua profissão.
    Louvável sua atitude.
    Beijos

    • Não discordo; mas na matéria tem um segundo nome e duas equipes e temos que tirar o chapéu para todos: PC Pernambuco e Amapá, Gleide Ângelo e Fabiana Leandro. Espero que continuem nos orgulhando!

    • O crime de rapto se refere a sequestrar alguém com fins unicamente libidinosos. O referido crime já foi extindo do código penal há alguns anos, deixando de existir no ordenamento jurídico brasileiro.

  2. Eu confio muito no trabalho dessa delegada . Nunca vi uma pessoa tão dedicada e empenhada em solucionar os casos . Sempre muito humilde ela consegue elucidar com agilidade .

  3. Precisamos de uma equipe dessa no “Caso Beatriz”!

    Tem algo muito estranho neste caso: ambiente monitorado por câmeras, mais de 500 pessoas, local de tradição religiosa, escola reconhecidíssma e de peso político, local do fato ocorrido destacado (se não me engano depósito de materiais esportivos), entrada na festa restrita por senha, segundo pessoal local a escola “tem segurança”,…!!!!!

    Atenção imprensa, vamos pressionar e pedir agilidade para o “Caso Beatriz”!

    Parabéns equipe da PC Pernambuco e Amapá, em especial Gleide Ângelo e Fabiana Leandro por elucidarem o “Caso Júlia Alencar”!

  4. Vivemos em uma sociedade extremamente sexista e com um judiciário totalmente perdido. Tenho a absoluta certeza de que se fosse o contrário seria dada a razão à mãe por existir uma cultura de que o filho é praticamente uma propriedade do sexo feminino e o judiciário é conivente com esse tipo de situação. Se tivesse sido feita justiça de fato nada teria acontecido.
    Falo por experiência própria: luto judicialmente há dois anos por ter sido vítima com minha filha de situação semelhante.
    Infelizmente judicialmente a mulher tem os direitos e os homens os deveres.

  5. Parabéns as duas delegadas! Pernambuco mais uma vez outro caso errado. Parabéns pela competência.

  6. Parabéns a Polícia Civil e em particulamente as delegadas. tenho certeza que se a doutora gleide chegace a ser secretaria de segurança pública do estado, ela não deixaria acontecer este é outro delitos envolvendo as mulheres e crianças pernambucanas.

  7. Rapaz, esse cabra gosta mesmo dessa filha, ou seria simplesmente por vingança contra a mãe dela???
    Pela triste tradição, o que se vêem são muitos pais correndo da responsabilidade e sumindo por anos…

  8. Parabéns aos investigadores de ambas as polícias civís. O povo gosta de exaltar essa delegada, sabendo que por trás dela existe uma equipe gigantesca, que faz o trabalho pesado. Parem de endeusar ela por favor. Ela não faz nada mais nada menos do que seu trabalho, onde todo santo dia, delegados fazem a mesma coisa, e não são exaltados dessa forma.