Advogados dos condenados do Caso Jennifer irão recorrer

Mal a sentença havia sido anunciada pela juíza Marinês Marques Viana, os advogados dos quatro condenados pela morte de Jennifer Kloker já se articulavam quanto aos recursos que vão impetrar nos próximos dias na Justiça. José Carlos Penha, que defende Delma Freire, por exemplo, afirmou que ficou surpreso por ela também ter sido condenada por fraude processual e formação de quadrilha. Na visão dele, esses dois crimes não foram praticados por sua cliente.

“A pena pelo homicídio já havia sido elevada de 12 para 30 anos. Acredito que foi alta, por isso, vou recorrer. Vou pedir ainda pela absolvição dos outros dois crimes. Não há provas que apontem que Delma tentou fraudar o curso das investigações, nem que formou uma quadrilha”, argumentou Penha. Antes de deixar o fórum, o advogado destacou que está muito triste porque o colega de profissão Washington Barros abandonou o caso após Delma assumir que foi a mentora intelectual do assassinato da turista alemã. “Fiquei só, mas não desisti”, disse.

A defesa de Ferdinando e Pablo Tonelli afirmou que deve ir ao Complexo Aníbal Bruno conversar com seus clientes e decidir sobre o futuro deles. “Temos dois dias para embargar a decisão judicial e cinco dias para entrar com recursos”, explicou o advogado Rodrigo Almendra.

Já a defesa de Dinarte Medeiros informou que houve omissões na sentença e que, por isso, vai solicitar embargo. O advogado José Félix Santos, no entanto, não apontou que falhas teriam sido observadas. “Vamos também entrar com pedido de apelação da pena. Ele pegou mais de 14 anos de prisão, mas deveria ter sido condenado a no máximo oito anos”.

Do Diario de Pernambuco

 

Os comentários estão fechados.