Dai, pois, a César o que é de César

O Decreto nº 39.397 publicado no Diário Oficial desta quinta-feira instituindo a Medalha Pacto pela Vida do Estado de Pernambuco que será destina a homenagear policiais civis e militares já está causando reboliço nas duas instituições. É que o 5º artigo do decreto diz que “a condedoração Pacto pela Vida Resultado Valor Público será concedida pelo Governador do Estado aos Delegados Seccionais e Comandantes de Organização Militar Estadual de Áreas Integradas de Segurança que tenham obtido a maior redução absoluta, ou percentual, nos crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), no ano anterior à consessão da medalha.”

A queixa, que me parece pertinente, partiu dos policiais que trabalham diretamente no combate à criminalidade como os soldados, cabos e sargentos da Polícia Militar e dos agentes, comissários e delegados da Polícia Civil que investigam os crimes de homicídios. Em Pernambuco, por exemplo, são as equipes dos núcleos de CVLIs e do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) as responsáveis pela elucidação dos assassinatos. No entanto, na hora de receber os louros, os agraciados são os superiores. “O único incentivo que temos para trabalhar na investigação de homicídios é porque gostamos muito do que fazemos. Temos muita cobrança e nada de reconhecimento”, ressaltou um policial.

 

2 thoughts on “Dai, pois, a César o que é de César

  1. Devia ter mais uma artigo dizendo que só é para quem esta na atividade fim. Será que vai ter gente da ALEPE, SDS, CAMIL, TJPE,TRE ganhando essa medalha? Galho de mato salve esse meu comentário que ano que vem veremos quem mereceu tal condecoração. Agora vai ter um dilema, pois a promoção é em março e quando é o aniversário do pacto? Outra coisa interessante é que se os índices não forem alcançados? Vai ter medalha?
    Outra coisa interessante um ex preso vai ganhar a medalha? É isso? Então vejamos uma situação, no mínimo engraçada, usando-se da estática, vamos supor que uma pessoa comete um crime cuja a pena não seja longa, tipo cinco anos. O policial militar vê essa pessoa cometer um crime, detém e leva para delegacia, a pessoa é autuada, abra-se o inquérito a pessoa é denunciada e inicia-se o processo na justiça. A defensodoria pública defende a pessoa. O juiz sentencia a prisão. A mãe do rapaz passa mal e o corpo de bombeiro faz o socorro. O condenado cumpre a pena na Barreto Campelo.. Depois de algum tempo ele é solto. Agora que vem o melhor de tudo. Vamos usar a probalidade: O PM, PC, DELEGADO, PROMOTOR, DFENSOR,JUÍZ,BM, DIRETOR DO PRESIDIO, ASP e o EX PRESO, poderão receber tal medalha num só evento. Isso que é o ciclo completo da medalha. Ah para a historinha ficar mais legal a mãe funda uma ONG contra as drogas e pode também receber a medalha. Sim possa ser que a prefeitura tenha doado o terreno e o prefeito possa ganhar a medalha, também. Conclusão cometer um crime compensa?