Quase 400 jovens foram assassinados no Recife em 2012

Os jovens do Recife, assim com os de todo o Brasil, continuam sendo as maiores vítimas de crimes de homicídios, segundo o Mapa da Violência 2013. Entre os anos de 1980 e 2011, as mortes não naturais e violentas de jovens (acidentes, homicídio ou suicídio) cresceram 207,9%. Se forem considerados só os homicídios, o aumento chega a 326,1%.

Do total de 46.920 mortes na faixa etária de 14 a 25 anos, em 2011, 63,4% tiveram causas violentas (acidentes de trânsito, homicídio ou suicídio). No Recife, das 598 mortes resgistradas no ano de 2012, um total de 399 tiveram como vítimas pessoas com menos de 30 anos. E um dado que preocupa ainda mais: 60 pessoas assassinadas nesse período eram menores de 17 anos.

Esses números fizeram o Recife voltar as principais ações do Pacto pela Vida, lançado nessa quarta-feira, para os jovens de 13 bairros considerados violentos. A criação dos cinco Centros Comunitários da Paz (Compaz) tem como principal objetivo tirar das ruas e afastar da criminalidade os jovens que estejam longe da escola e aqueles que ainda não estão trabalhando.

“O número de assassinatos de pessoas jovens ainda é um fator preocupante no Recife. Quase 400 vidas perdidas no ano passado foram de pessoas com menos de 30 anos. As ações do programa municipal visam mudar esse cenário”, apostou o secretário de Planejamento e Gestão do Recife, Alexandre Rebêlo, durante o lançamento do Pacto pela Vida.

Outra aposta da gestão municipal será a capacitação de 160 jovens egressos da Funase. Eles iriam trabalhar nos Compaz como auxiliares administrativos e agentes multiplicadores da cultura de paz.

One thought on “Quase 400 jovens foram assassinados no Recife em 2012

  1. Futuro PM PE (aprovado e aguardando a convocação)!

    Estamos PRONTOS PARA contribuir na segurança do nosso estado. No Último dia 31/07, o governador Eduardo Campos, se pronunciou sobre uma suposta convocação, visando aumentar o atual efetivo da corporação. Esperamos que isso ocorra com bastante brevidade. Afinal, devemos levar em conta que ANUALMENTE uma turma vai a reserva remunerada (aposentadoria). Logo, se o nosso estado continuar sem contratar novos policiais, chegaremos a um déficit ainda maior.

    “Em Deus faremos proezas…”