Mais de 870 policiais farão segurança na Arena e no entorno

Um efetivo de 1.642 policiais civis, militares, científicos e do Corpo de Bombeiros atuará em cada um dos cinco dias de jogos da Copa do Mundo em Pernambuco. Ao todo, 738 policiais militares vão trabalhar no entorno da Arena Pernambuco. Na área interna do estádio, outros 140 PMs estarão distribuídos em pontos estratégicos. O esquema de segurança para o evento foi anunciado ontem pela Secretaria de Defesa Social (SDS).

Cerca de 200 mil torcedores devem comparecer ao estádio durante a competição (PAULO PAIVA/DP.D.A PRESS)

Somente da Polícia Militar, 1.757 homens atuarão durante todo o período do evento. Eles estarão espalhados, principalmente, nas estações de metrô (inclusive com uso de cães farejadores), nos terminais integrados, próximos aos hotéis e pousadas e em outros pontos onde haverá maior fluxo de pessoas.

Haverá pontos de verificação dos veículos que circulam nas proximidades do estádio, sob responsabilidade da PM. As fiscalizações serão iniciadas pelo menos seis horas antes de cada partida e após o término delas. Já a escolta dos jogadores e autoridades da Fifa será feita pela Polícia Rodoviária Federal.

Além disso, 50 homens do Corpo de Bombeiros estarão disponíveis para casos de emergência. O esquema prevê que 30 viaturas operacionais estarão posicionadas no subsolo do estádio.
Pontos turísticos como a Casa da Cultura, Recife Antigo e o Mercado de São José terão reforço de policiamento. O mesmo acontecerá nos principais locais de exibição pública de jogos, como no Sítio da Trindade, na Praça do Arsenal, na Rua da Moeda, no Pátio de São Pedro e no Parque Dona Lindu.

O comandante-geral da PM, coronel Carlos Pereira, destacou que a polícia também está preparada para atuar no Fifa Fan Fest, caso a festa seja confirmada. “Haverá um aumento do efetivo”, disse. Segundo ele, não haverá alteração do policiamento nas ruas por conta dos jogos.

Já os casos de maior gravidade durante a Copa serão tratados no Comitê Executivo de Segurança Integrado Regional (Cesir), que integra três centros de controle: segurança, defesa e inteligência. Para o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, o comitê garantirá que as decisões estratégicas de maior complexidade sejam decididas de forma mais ágil.

Os comentários estão fechados.