Polícia Federal apresenta esquema de segurança para Copa do Mundo

A Polícia Federal em Pernambuco anunciou algumas ações e treinamentos realizados através do seu homem de polícia visando à segurança e o bem estar de todos brasileiros e estrangeiros que participarão da Copa do Mundo, principalmente nos jogos que serão realizados na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata.

Fotos: Polícia Federal/Divulgação

Fotos: Polícia Federal/Divulgação

Os agentes federais irão trabalhar com segurança de dignitários, polícia marítima, segurança cibernética, identificação de vítimas de desastre, gerenciamento e negociação de crises, vistorias e contramedidas, sem contar os diversos simulados de exercícios em eventos-teste.

Desde 2011, foram investidos na PF mais de R$ 400 milhões, dos quais R$ 90 milhões estritamente em equipamentos e capacitação para os Grandes Eventos. Foram compradas viaturas, inclusive blindadas, embarcações, armamento menos letal, coletes balísticos, equipamentos para os grupos de operações especiais, para os grupos de bombas e explosivos e soluções de tecnologia da informação.

GBE-GRUPO DE BOMBAS E EXPLOSIVOS:

O Grupo de Bombas e Explosivos – GBE é formado por peritos criminais federais previamente selecionados, extremamente experientes com treinamento especial, ficando de sobreaviso 24 horas para qualquer intervenção. O objetivo desse grupo é intervir mais rapidamente e resolver situações de risco envolvendo bombas e materiais explosivos, onde se exija habilidade e destreza na elucidação e solução de situações extremamente sensíveis.

O ROBÔ tem como função evitar a aproximação de pessoas em áreas de risco, seja ela ameaça de bombas ou ambiente saturado por gás. O instrumento tem quatro câmeras integradas, iluminação própria e uma “garra” para vasculhar locais ou remover artefatos suspeitos e funciona com controle remoto a uma distância de até três quilômetros, em um espaço sem grandes obstáculos para a transmissão do sinal. Outra função do robô é carregar uma espécie de canhão d’água que, com apenas um esguicho, separa as peças de um artefato para evitar que ele exploda.

A ROUPA ANTIFRAGMENTAÇAO é usada para proteger o operador em casos de explosões e é feita de material resistente, pesa em média 40 quilos, é refrigerada, com a intenção de expor o policial ao menor risco possível.

CÃES FAREJADORES

A Polícia Federal em Pernambuco também tem a sua disposição cães farejadores capazes de detectar drogas e até artefatos explosivos que serão utilizados durante os jogos da copa do mundo realizando diversos tipos de tarefas e buscas em malas, veículos, instalações, imóveis e diversos ambientes. Ao encontrar um material suspeito o cão  pode arranhar ou  morder o local onde a droga está escondida, ou se  posicionar ao lado desse local ou da pessoa. O tempo de atuação pode variar, mas em geral eles ficam na ativa até os 10 anos de idade.

COORDENAÇÃO REGIONAL DE SEGURANÇA PARA GRANDES EVENTOS

A Coordenação Regional de Segurança para Grandes Eventos é uma superestrutura que foi montada através de contêineres com diversas salas na quadra de esportes da Superintendência Regional e que vão viabilizaar às ações que estão sendo desenvolvidas pela Polícia Federal com o objetivo de dar uma resposta rápida e eficaz em diversas áreas de atuação que são de competência da PF no evento copa do mundo de 2014.

Nesta estrutura estão funcionando sala de vistoria e contra medidas, sala de segurança de dignitários, sala de monitoramento e controle com circuito de câmeras em diversas localidades capaz de acompanhar em tempo real todas as situações que estão em andamento, auditório, banheiro, logística e telecomunicações.

Com informações da assessoria da Polícia Federal em Pernambuco

Polícia Federal terá o efetivo triplicado na Copa do Mundo

O efetivo da Polícia Federal em Pernambuco será triplicado nos cinco dias de jogos da Copa do Mundo, com reforço de policiais de outros quatro estados. O esquema de atuação durante o Mundial, que busca dar segurança à população, aos turistas e às autoridades, foi divulgado pelo superintendente regional da PF, Marcello Lins Cordeiro, que não detalhou números do efetivo, por motivos estratégicos.

Policiais participaram do treinamento. Fotos: Polícia Federal/Divulgação

Policiais participaram do treinamento. Fotos: Polícia Federal/Divulgação

O superintendente informou, porém, que duas das 36 viaturas blindadas recentemente adquiridas pela corporação para uso durante o Mundial estarão disponíveis em Pernambuco. Os veículos, modelo Mitubishi Pajero Full, serão usados na segurança de autoridades estrangeiras e nacionais. “Consideramos alguns riscos mais elevados, como a possível presença do vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, no dia do jogo contra a Alemanha”, afirmou Marcello Lins Cordeiro.

Após os cinco jogos na Arena Pernambuco, nos dias 14, 20, 23, 26 e 29 de junho, os agentes que participarão do esquema especial serão transferidos para o Rio de Janeiro e São Paulo. “Os ajustes da operação foram feitos a partir da experiência que tivemos na Copa das Confederações. Estamos prontos para garantir a segurança a todas as delegações e autoridades”, assegurou o superintendente regional da PF.

R$ 400 milhões
O planejamento da PF começou em dezembro de 2009, junto à Comisão Especial de Segurança Pública para Grandes Eventos e à Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos. De acordo com a PF, desde 2011 foram investidos mais de R$ 400 milhões no esquema especial, sendo R$ 90 milhões para equipamentos e capacitação. Além das viaturas blindadas, foram adquiridas armas, coletes à prova de balas e equipamentos eletrônicos.

Saiba mais

Ações da Polícia Federal para a Copa:

Grupo de Pronta Intervenção (GPI)

– Policiais que passaram por
treinamento tático especial
– Ficarão de sobreaviso 24
horas para realizar intervenções
– Resolverão situações de crise
e risco, caso elas existam
– Efetivo da PF em Pernambuco
triplicou para a Copa do Mundo

Viaturas blindadas

36 veículos blindados foram adquiridos para a Copa

2 – desses veículos estão em Pernambuco

– Os carros são do modelo Mitsubishi Pajero Full
– As viaturas serão usadas na segurança de autoridades nacionais e internacionais
– Blindagem suporta tiros calibres 22, 38 e 9 mm; de fuzil e Magnum 357 e 44

Imigração no aeroporto

– Turistas envolvidos em denúncias de pedofilia, exploração sexual estão impedidos de entrar no Brasil
– Policiais federais do aeroporto Internacional do Recife- Guararapes/Gilberto Freyre checarão informações sobre os estrangeiros
– Dados do Interpol e do Disque 100 serão usados na investigação

Campanha educativa e segurança de autoridades

– Cartazes bilíngues com mensagens de combate do tráfico de mulheres foram elaborados pela PF em parceria com os Correios
– As peças foram afixadas no aeroporto
– Policiais foram treinados sobre o intinerário de autoridades durante a Copa

Fontes: Polícia Federal de Pernambuco e Fifa

Do Diario de Pernambuco

Mais de 870 policiais farão segurança na Arena e no entorno

Um efetivo de 1.642 policiais civis, militares, científicos e do Corpo de Bombeiros atuará em cada um dos cinco dias de jogos da Copa do Mundo em Pernambuco. Ao todo, 738 policiais militares vão trabalhar no entorno da Arena Pernambuco. Na área interna do estádio, outros 140 PMs estarão distribuídos em pontos estratégicos. O esquema de segurança para o evento foi anunciado ontem pela Secretaria de Defesa Social (SDS).

Cerca de 200 mil torcedores devem comparecer ao estádio durante a competição (PAULO PAIVA/DP.D.A PRESS)

Somente da Polícia Militar, 1.757 homens atuarão durante todo o período do evento. Eles estarão espalhados, principalmente, nas estações de metrô (inclusive com uso de cães farejadores), nos terminais integrados, próximos aos hotéis e pousadas e em outros pontos onde haverá maior fluxo de pessoas.

Haverá pontos de verificação dos veículos que circulam nas proximidades do estádio, sob responsabilidade da PM. As fiscalizações serão iniciadas pelo menos seis horas antes de cada partida e após o término delas. Já a escolta dos jogadores e autoridades da Fifa será feita pela Polícia Rodoviária Federal.

Além disso, 50 homens do Corpo de Bombeiros estarão disponíveis para casos de emergência. O esquema prevê que 30 viaturas operacionais estarão posicionadas no subsolo do estádio.
Pontos turísticos como a Casa da Cultura, Recife Antigo e o Mercado de São José terão reforço de policiamento. O mesmo acontecerá nos principais locais de exibição pública de jogos, como no Sítio da Trindade, na Praça do Arsenal, na Rua da Moeda, no Pátio de São Pedro e no Parque Dona Lindu.

O comandante-geral da PM, coronel Carlos Pereira, destacou que a polícia também está preparada para atuar no Fifa Fan Fest, caso a festa seja confirmada. “Haverá um aumento do efetivo”, disse. Segundo ele, não haverá alteração do policiamento nas ruas por conta dos jogos.

Já os casos de maior gravidade durante a Copa serão tratados no Comitê Executivo de Segurança Integrado Regional (Cesir), que integra três centros de controle: segurança, defesa e inteligência. Para o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, o comitê garantirá que as decisões estratégicas de maior complexidade sejam decididas de forma mais ágil.

Segurança da Copa do Mundo contará com 57 mil militares

Cerca de 57 mil militares vão trabalhar na segurança da Copa do Mundo deste ano e já foram investidos R$ 709 milhões, desde 2012, nas Forças Armadas para garantir a tranquilidade do evento. As informações são do gerente de operações de segurança e inteligência para grandes eventos do Ministério da Defesa, coronel Antônio Ruy Costa Junior. “Estamos prontos para sediar a Copa em um ambiente pacífico e seguro”, afirmou.

A estrutura de segurança está baseada em dez eixos, que incluem sistema de comunicação militar por satélite, segurança cibernética e controle do espaço aéreo em dias de jogos, entre outros. “Haverá restrição aérea uma hora antes dos jogos e três a quatro horas depois no perímetro dos estádios”, informou o coronel.

Ele participa de audiência pública da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado sobre a estrutura de segurança dos grandes eventos sediados no Brasil.

Da Agência Câmara

CPI vai propor à CBF pacto contra abuso sexual infantil durante a Copa

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes irá se reunir na segunda semana de fevereiro com o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, para firmar um pacto contra o abuso sexual de jovens durante a Copa do Mundo e também pelo combate à pedofilia nos clubes esportivos.

ajdad

O possível aumento dos casos de exploração sexual durante a Copa preocupa a comissão. A relatora da CPI, deputada Liliam Sá (Pros-RJ), informa que, na África do Sul, após a Copa de 2010, houve um aumento de 20% nos índices de abuso sexual de crianças e jovens. No Brasil, na avaliação da deputada, as políticas públicas de combate ao problema são insuficientes.

Liliam Sá destaca que o programa Proteja, com ações de proteção às crianças e adolescentes durante a Copa do Mundo, ainda não é uma realidade em todas as 12 cidades-sedes do evento. O programa é coordenado pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos e pelo Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente.

lksadas

“Falta investimento. Há uma certa negligência. Qual estado quer confirmar para uma autoridade que existe turismo sexual? É uma coisa feia. Ninguém quer falar sobre isso”, critica a deputada.

Iniciativas em andamento
Como exemplo de iniciativas bem-sucedidas, Liliam Sá cita o caso da Bahia, que, em grandes eventos, como o Carnaval, já realiza um trabalho de acolhimento de crianças cujos pais trabalham durante a festa, como ambulantes ou catadores.

A deputada elogia também o planejamento do governo federal para manter antes, durante e após os jogos da Copa pontos móveis dos conselhos tutelares locais para receber denúncias.

Em um esforço para combater o problema, o Ministério do Turismo está distribuindo cartazes, folhetos e adesivos em bares, hotéis, centros de atendimento ao turista, rodoviárias e aeroportos de todo o Brasil.

Membros da CPI estiveram em ponto de exploração no Recife. Foto: Arthur de Souza/DP/D.A/Press

Membros da CPI já estiveram em alguns pontos de exploração sexual no Recife, no ano passado. Foto: Arthur de Souza/DP/D.A/Press

O coordenador-geral de Proteção à Infância do Ministério do Turismo, Adelino Neto, avalia que, pelas campanhas, é possível aumentar a conscientização do setor e ampliar as denúncias.

“Turismo responsável só vai poder ser pautado se o desenvolvimento econômico que os países estão experimentando com a atividade turística também for acompanhado de uma questão social bem apurada e que possa garantir desenvolvimento de uma geração futura”, diz Adelino Neto.

Disque denúncia
Além do Disque 100, outra ferramenta para denunciar casos de violência sexual de crianças e adolescentes é o aplicativo gratuito para tablets e smartphones “Proteja Brasil”. Uma parceria da Secretaria Nacional de Direitos Humanos com o Unicef e outras entidades, o aplicativo facilita a localização de números e locais mais próximos para uma denúncia.

Na Câmara dos Deputados, a CPI que investiga a exploração de crianças e adolescentes também recebe denúncias, que podem ser encaminhadas pelo 0800 619 619. Segundo o Ministério da Justiça, o maior número de denúncias ocorre no Rio de Janeiro, na Bahia e em São Paulo.

Da Agência Câmara

Cães estão sendo treinados para a Copa

Willy, Parada, Zumbi e Apolo, os cães farejadores da Companhia Independente de Policiamento com Cães, estão fazendo uma série de treinamentos para identificar explosivos e evitar tragédias em caso de atentado terrorista na Copa das Confederações, em junho, e na Copa do Mundo, em 2014. Ontem, eles foram a grande atração da Estação Central de Metrô, em São José. O local foi escolhido por sua importância e movimentação. Quase 70 mil pessoas passam pela estação todos os dias.

Esse foi o primeiro exercício prático numa estação de metrô visando as competições que o estado receberá. Operação semelhante já foi feita no TIP, no Curado. Os cães levaram segundos para localizar a emulsão explosiva escondida dentro de um carro e na locomotiva. Na próxima semana, o teste será repetido no Centro de Manutenção do Metrô, em Cavaleiro, Jaboatão. “Os cães precisam ser treinados nestes locais para se familiarizarem com a movimentação, os ruídos. Tudo isso interfere no desempenho”, contou o chefe de Operações da CIPcães, o tenente Jonathan Gomes. Hoje, a Companhia conta com 97 animais adestrados.

As Copas, os Jogos Olímpicos e a segurança pública no Brasil

*Artigo

 

Embora em ritmo aquém do desejado, os investimentos necessários para a realização no Brasil da Copa das Confederações, Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016 estão avançando. Em uma área essencial, contudo, os planos ainda não estão traçados. O que o país fará para garantir a segurança pública nas cidades que sediarão os jogos e receberão, além das delegações, dezenas de milhares de turistas? O que será feito para assegurar que todos os órgãos públicos e de segurança disponham da infraestrutura tecnológica e de comunicações para atender às demandas de missão crítica?

O Brasil precisa definir rapidamente as respostas a essas questões. Especialmente, porque essas respostas não só estabelecerão o tipo de segurança e de tecnologia que se quer para esses eventos, mas também o legado de segurança pública que será oferecido à sociedade nos próximos anos.

Um dos passos a serem seguidos para equipar as cidades e os Estados é a definição, por parte do governo, da faixa de espectro de tecnologia LTE a ser utilizada pelos órgãos de segurança pública. De preferência uma faixa dedicada, capaz de atender às necessidades específicas dessa área, além de oferecer folga para o futuro.

É necessário iniciar o processo de especificação e padronização das tecnologias e dos equipamentos a serem utilizados. Entre as soluções que podem ser licitadas e utilizadas, estão: as redes Wi-Fi, os sistemas digitais de rádiocomunicação, as centrais de comando e controle, os computadores móveis, entre outros.

A grande tendência tecnológica, principalmente levando em conta as características do Brasil, é a implementação de centrais de comando e controle em que os aplicativos para despacho das ocorrências são os elementos mais importantes para que as forças possam tomar decisões precisas e de forma rápida no momento em que os problemas são detectados pelo sistema. Sem essa função, as centrais perdem em eficiência e não atendem às exigências de missão crítica que as operações de segurança demandam.

Nas licitações, a serem realizadas após o processo de escolha, é preciso que se garanta abrangência – para que todas as empresas possam se candidatar – e, ao mesmo tempo, seletividade, para que sejam habilitados somente fornecedores qualificados e bem preparados, capazes de atender às exigências de uma área estratégica e vital para o País.

Outro passo que representa um grande desafio é mensurar o porte do investimento que cada Estado e cada município vão requerer para atingir os níveis de exigência tecnológica da Fifa e do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos. E, nessa etapa, é preciso levar em conta que as soluções que forem adotadas precisam atender não somente a esses critérios, mas também serem capazes de se transformar num legado para a população. Ou seja, os novos sistemas de segurança pública devem também atender às necessidades da sociedade brasileira nos próximos anos.

Outra questão que precisa ser analisada é a capacitação do contingente que irá operar esses sistemas e dar suporte ao trabalho dos órgãos de segurança pública. Precisaremos contratar pessoas e treiná-las para operar os equipamentos, seja na rua, nos centros de comando e controle ou em corporações como Polícias Militar e Civil e Corpos de Bombeiros.

Se conseguirmos implementar uma boa infraestrutura de sistemas de videovigilância nas 12 capitais que sediarão os jogos da Copa do Mundo, o Brasil certamente se tornará uma referência em segurança pública e confiabilidade, pois conseguiremos entregar à população as melhores soluções disponíveis.

*Wagner Andrade

Diretor de novos negócios da Motorola Solutions no Brasil