Bairro da Madalena na mira dos assaltantes

 

Os moradores do bairro da Madalena, no Recife, vivem uma rotina de medo ao andarem pelas ruas. Basta passar uma moto ou uma bicicleta, até mesmo à luz do dia, que a atenção é redobrada. De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS), no primeiro semestre deste ano houve um aumento de 43,3% no número de assaltos na Madalena em relação ao ano passado.

Já no Parnamirim, o crescimento foi de 21,5%. Em contrapartida, houve descréscimo no número de casos em Boa Viagem e Casa Forte. A polícia pretende adotar, na Madalena e no Parnamirim, a estratégia de reforço policial que se provou ter sucesso nesses outros bairros. No primeiro semestre do ano, a Madalena teve 357 assaltos registrados.

As ruas desertas pela manhã são as preferidas pelos ladrões

“Não tem dia nem hora. As motos e as bicicletas passam e levam os pertences das pessoas. É difícil a polícia aparecer por aqui”, relatou o comerciante Ricardo Diniz Jucá, 45, enquanto caminhava pelo mercado público da Madalena. O universitário Daniel Carvalho, 22, permanece cauteloso ao passar pelas ruas do Parnamirim. A pé ou dirigindo o seu carro, prefere não se aproximar de bicicletas ou motos. “É a única forma de me prevenir”.

O comandante de Policiamento da Capital, coronel Gilmar Oliveira, avaliou o quadro como preocupante, mas garantiu que haverá redução nos próximos meses. “Vou marcar uma reunião com os delegados dessas áreas. Os inquéritos em andamento serão analisados para que as investigações sejam intensificadas e os bandidos capturados”, afirmou.

Já à noite, moradores temem sair de casa devido à escuridão

O gestor metropolitano da Polícia Civil, Antônio Feitosa, acredita que houve migração de criminosos para Parnamirim e Madalena. “Eles deixaram outras áreas que receberam reforço no policiamento. Apesar de preocupante, é natural essa variação nos números”, argumentou. Equipes da CipMotos e da Radiopatrulha vão reforçar segurança da localidade.

* Colaboração de Raphael Guerra, repórter do Diario de Pernambuco

Os comentários estão fechados.