Assaltos e medo perto do Túnel da Abolição, no bairro da Madalena

Por Thamires Oliveira
Especial para o Diario

Após o feriadão do São João, os comerciantes Genivaldo Lima, 49 anos, e José Marcionila Santos, 56, encontraram a grade de sua loja amassada e muito danificada. Uma tentativa de arrombamento que, por sorte, não deu certo. O sentimento de medo dos comerciantes e moradores aumenta, juntamente com a frequência dos assaltos no entorno do Túnel da Abolição, no bairro da Madalena, ao lado da Avenida Caxangá.

Fotos: Malu Cavalcanti/ Esp. DP

Assaltos perto do túnel estão assustando quem passa pelo local. Fotos: Malu Cavalcanti/ Esp. DP

“É muito preocupante. Depois da construção do túnel o movimento diminuiu, ficou esquisito andar por aqui e tem assaltos quase todos os dias, de manhã, à tarde e à noite. Não importa a hora”, relata Genivaldo.

Moradores, estudantes e motoristas que transitam naquela área denunciam que a quantidade de assaltos vem aumentando e o policiamento é insuficiente. A situação fica ainda mais grave no turno da noite, quando o comércio fecha e diminui a circulação de carros e pedestres. Josias Costa passa todos os dias por cima do túnel, mas não recomenda a ninguém fazer esse trajeto.

“A gente corre o risco de ser assaltado a qualquer momento. Depois das 18h eu até prefiro mudar de rota. E o pior é que quase não vemos policiamento”, afirma o professor de judô.

Pedestres são vítimas de assaltantes armados com facões

Pedestres são vítimas de assaltantes armados com facões

Há apenas três meses, Ana Morreira, 26, trabalha em uma banca do jogo do bicho na Rua João Ivo da Silva, próximo à Avenida Caxangá. Em pouco tempo que trabalha lá, Ana já presenciou vários assaltos e teme que aconteça o mesmo com ela. “Daqui a gente sempre vê os assaltos, à luz do dia mesmo. Essa semana uma moça foi assaltada por dois homens com uma faca. Outro dia levaram o celular e dinheiro de uma senhora de Carpina. Dá medo ficar aqui, mas a gente tem que trabalhar”, confessa a cambista. Segundo ela, na maioria dos casos, os assaltantes estão com facas nas mãos.

De acordo com o 13º Batalhão da Polícia Militar, responsável pela segurança da área, o policiamento é realizado diariamente por duas viaturas, quatro motos e dois policiais militares a pé. “Não temos muitos registros”, diz o sargento Daniel Oliveira. “É necessário que as vítimas registrem o Boletim de Ocorrência, para que possamos identificar esses assaltos”, ressalta o sargento do 13º BPM.

Casarões abandonados invadidos por usuários de drogas e ladrões

Casarões abandonados de alto padrão têm virado pontos de concentração de consumidores de drogas e esconderijos de suspeitos em bairros nobres da Zona Norte do Recife. Na Torre, a situação de um sobrado em estilo moderno situado na esquina da Avenida José Bonifácio com a Rua Padre Anchieta, um dos locais mais movimentados do bairro, tem preocupado moradores, comerciantes e pessoas que trafegam a pé ou de carro pelo local. O mesmo problema acontece em uma casa na Madalena.

Casa na esquina da Avenida José Bonifácio com a Rua Padre Anchieta, na Torre, virou ponto de uso de drogas (NANDO CHIAPPETTA/DP/D.A PRESS)

O imóvel da Torre, que já abrigou uma família de alto poder aquisitivo, está há mais de um ano abandonado. Viciados usam o lugar para consumir crack em meio a muito lixo, excrementos, ratos e baratas. O horário preferido dos usuários de drogas é a noite. Na Madalena, outro imóvel virou motivo de apreensão para moradores da Rua Monsenhor Silva. Há menos de um mês, uma mulher de 22 anos foi morta no local. Populares disseram que a vítima era usuária e estava fumando crack quando teve o pescoço cortado com pedaços de vidro por um desconhecido.

Leia matéria completa no Diario de Pernambuco desta quinta-feira

Cliente ferida em assalto no supermercado passa por cirurgia

Uma mulher foi assaltada e agredida no final da noite dessa segunda-feira dentro do estacionamento coberto de um supermercado na Rua Benfica, no bairro da Madalena, no Recife.Testemunhas contaram que a vítima, uma servidora pública de 29 aos que pediu para não ser identificada, foi agredida e ferida em um dos olhos com uma chave, quando guardava as compras no carro.

Homem foi autuado em flagrante e levado para o Cotel. Foto: TV Clube/Reprodução

Homem foi autuado em flagrante e levado para o Cotel. Foto: TV Clube/Reprodução

A vítima foi levada para o Hospital do Português. Ela sofreu várias fraturas na face e deve ser submetida a uma cirurgia.

Testemunhas contaram que a vítima chegou e ser ferida no olho por uma chave. O estacionamento ficou bastante movimentado após o assalto. Foto: Facebook/Reprodução
Testemunhas contaram que a vítima chegou e ser ferida no olho por uma chave. O estacionamento ficou bastante movimentado após o assalto. Foto: Facebook/Reprodução

O assaltante foi detido por clientes do estabelecimento e foi livrado de linchamento por  funcionários do local. Ferido, ele foi encaminhado por policiais militares para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Caxangá e de lá para Delegacia da Várzea. Identificado como Greysson Gomes Falcão, 39 anos, o suspeito foi encaminhado para o Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel) em Abreu e Lima.

Do Diariodepernambuco.com.br

Leia  mais sobre o assunto em:

Mulher é agredida durante assalto em supermercado na Madalena

Mulher é agredida durante assalto em supermercado na Madalena

Frequentar shoppings e supermercados, onde muitas vezes pagamos até um pouco mais caro pelos produtos, já foi sinônimo de um pouco de segurança. Isso porque como os estabelecimentos são particulares, supomos que eles tenham seguranças para garantir que os seus clientes façam suas compras e voltem para casa com tranquilidade. No entanto, uma cena registrada no final da noite dessa segunda-feira no Recife deixou muita gente revoltada.

Polícia chegou ao local após o suspeito ser detido. Foto: Augusto Farias/Facebook

Polícia chegou ao local após o suspeito ser detido. Foto: Augusto Farias/Facebook

Um homem de 39 anos foi detido ao tentar assaltar e espancar uma senhora no estacionamento coberto de um supermercado na Rua Benfica, no bairro da Madalena. Clientes da loja viram a ação e conseguiram deter o suspeito. Ele só não foi linchado porque os funcionários do estabelecimento impediram a fúria dos clientes. O suspeito foi levado para Delegacia da Várzea, após a chegada da Polícia Militar.

Segundo relatos postados no facebook, a senhora que foi vítima chegou e ser ferida no olho por uma chave, o que deixou os demais clientes ainda mais revoltados. A mulher, que não teve o nome revelado, teria sido levada para um hospital particular e estaria passando bem. Ainda segundo os depoimentos das pessoas que comentaram e compartilharam a notícia nas redes sociais, a tentativa de assalto aconteceu num conhecido supermercado na Madalena, no entanto, como ainda não tenho informação confirmada pela polícia e nem mantive contato com a rede de lojas (devido ao horário da publicação da nota), não irei publicar o nome do supermercado ainda.

Notícia publicada às 3h30. Esse post será atualizado quando obtiver mais informações.

 

Bairro da Madalena na mira dos assaltantes

 

Os moradores do bairro da Madalena, no Recife, vivem uma rotina de medo ao andarem pelas ruas. Basta passar uma moto ou uma bicicleta, até mesmo à luz do dia, que a atenção é redobrada. De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS), no primeiro semestre deste ano houve um aumento de 43,3% no número de assaltos na Madalena em relação ao ano passado.

Já no Parnamirim, o crescimento foi de 21,5%. Em contrapartida, houve descréscimo no número de casos em Boa Viagem e Casa Forte. A polícia pretende adotar, na Madalena e no Parnamirim, a estratégia de reforço policial que se provou ter sucesso nesses outros bairros. No primeiro semestre do ano, a Madalena teve 357 assaltos registrados.

As ruas desertas pela manhã são as preferidas pelos ladrões

“Não tem dia nem hora. As motos e as bicicletas passam e levam os pertences das pessoas. É difícil a polícia aparecer por aqui”, relatou o comerciante Ricardo Diniz Jucá, 45, enquanto caminhava pelo mercado público da Madalena. O universitário Daniel Carvalho, 22, permanece cauteloso ao passar pelas ruas do Parnamirim. A pé ou dirigindo o seu carro, prefere não se aproximar de bicicletas ou motos. “É a única forma de me prevenir”.

O comandante de Policiamento da Capital, coronel Gilmar Oliveira, avaliou o quadro como preocupante, mas garantiu que haverá redução nos próximos meses. “Vou marcar uma reunião com os delegados dessas áreas. Os inquéritos em andamento serão analisados para que as investigações sejam intensificadas e os bandidos capturados”, afirmou.

Já à noite, moradores temem sair de casa devido à escuridão

O gestor metropolitano da Polícia Civil, Antônio Feitosa, acredita que houve migração de criminosos para Parnamirim e Madalena. “Eles deixaram outras áreas que receberam reforço no policiamento. Apesar de preocupante, é natural essa variação nos números”, argumentou. Equipes da CipMotos e da Radiopatrulha vão reforçar segurança da localidade.

* Colaboração de Raphael Guerra, repórter do Diario de Pernambuco