Disque-Denúncia oferece R$ 10 mil por pista sobre mandante do crime

Disque-Denúncia Pernambuco, em parceria com a Secretaria de Defesa Social (SDS), está oferecendo até R$10 mil para quem tiver informações que levem à prisão de José Maria Pedro Rosendo Barbosa (Zé Maria de Mané Pedo), apontado como mandante do assassinato do promotor Thiago Faria Soares. O suspeito já possui mandato de prisão preventiva expedido pela Justiça.

O oferecimento da recompensa é um estímulo a mais para que a população repasse informações que levem à localização do suspeito. “Esperamos contar mais uma vez com a participação ativa da população. O serviço se coloca à disposição para ser uma ponte entre o público e a polícia, recebendo dados que possam auxiliar efetivamente com a resolução do caso”, explica a superintendente do Disque-Denúncia Pernambuco, Carmela Galindo.

Até o momento, já foram recebidas cinco denúncias sobre o possível paradeiro do acusado. Todas foram encaminhadas imediatamente para a SDS. Das ligações para o serviço, três informações chegaram pela central da Região Metropolitana do Recife e as outras duas pela unidade do serviço no Agreste.

Para denunciar, basta telefonar para 3421-9595, na Região Metropolitana do Recife e Zona da Mata Norte, ou para (81) 3719-4545, no interior do Estado. Também é possível repassar informações no site da central (www.disquedenunciape.com.br), que permite o envio de fotos e vídeos. O serviço funciona durante 24h, todos os dias da semana. O anonimato é garantido.

Com informações da assessoria de imprensa do Disque-Denúncia

Pernambuco registra aumento de 25% na violência contra o idoso

Segundo os dados do Disque-Denúncia Pernambuco, somente até setembro deste ano, já foram registradas 1.054 ligações anônimas dando conta de casos de violência contra os idosos. No comparativo com o mesmo período de 2012, houve um crescimento de 25% no número de denúncias registradas. No ano passado foram registradas 840 até setembro.

Cenas de agressões a idosos revoltam a população. Foto: Reproducao/Futura Press

Cenas de agressões a idosos revoltam a população. Foto: Reproducao/Futura Press

De acordo com a superintendente do serviço, Carmela Galindo, esse número só não é maior pela dificuldade de identificar esses casos. “Na maioria dos casos, a violência acontece dentro do ambiente familiar, e isso faz com que seja mais difícil a existência de testemunhas para denunciar. Além disso, os que sofrem com esse tipo de situação se sentem muitas vezes inibidos de informar, até pelo fato de que os próprios filhos podem ser os responsáveis”, explica.

O número do Disque-Denúncia é o 3421-9595. No interior, a central atende pelo (81) 3719-4545. As denúncias também podem ser feitas no endereço (www.disquedenunciape.com.br). O anonimato é garantido.

Com informações da assessoria de imprensa do Disque-Denúncia

 

Quando a população vira um investigador

 

Cada vez mais, a sociedade tem procurado ajudar a polícia a diminuir a criminalidade. Muitas vezes, essa iniciativa ganha corpo porque as pessoas estão descrentes na Justiça e cansadas de verem criminosos agirem livremente aos olhos de todos. As denúncias anônimas pela internet têm motivado a população colaborar mais com as investigações policiais. Em uma semana, o novo serviço do Disque-Denúncia recebeu 257 informações referentes a crimes cometidos no estado. O tráfico de drogas ocupa o primeiro lugar no ranking. Foram 92 casos. Na segunda colocação está a queixa sobre poluição sonora, que somou 47 reclamações e em terceiro lugar, a violência doméstica, com 21. As demais denúncias são de outros tipos de crimes.

Facilidade em prestar informações pelo site e a garantia do anonimato têm incentivado as denúncias (HEITOR CUNHA/DP/D.A PRESS)

Qualquer pessoa pode entrar no site www.disquedenunciape.com.br e denunciar. Foto: Heitor Cunha/DP.D.A Press

O que a população talvez não saiba é que todo o material que será enviado para a polícia poderá ser transformado em provas materiais. O que torna o cidadão um detetive auxiliando a polícia. As fotografias, os vídeos e outros documentos que comprovam crimes poderão servir como provas na investigação policial. O chefe da Polícia Civil de Pernambuco, delegado Osvaldo Morais, adianta que tudo o que for enviado será analisado e submetido a uma perícia antes de ser considerado uma prova.

A estudante Amanda Lacerda, 18 anos, aprovou o novo modelo de fazer denúncias, apesar de ainda não ter utilizado o serviço. “Isso vai encorajar mais as pessoas a denunciarem os crimes que acontecem aqui em Pernambuco. Agora, posso fazer uma denúncia pela internet sobre crimes”, ressaltou a estudante.

O assunto foi manchete do Diario de Pernambuco desta quinta-feira. Confira reportagem completa na edição impressa publicada na editoria de Vida Urbana.

http://imgsapp.impresso.diariodepernambuco.com.br/portlet/354/20120920004330179420u.jpg