Namorado matou adolescente de 15 anos por ciúmes

O eletricista Jonanthan Oliveira da Silva, 27 anos, está preso sob a acusação de ter assassinado a namorada de 15 anos, Maria Beatriz Vital. A garota estava desaparecida desde o dia 25 de janeiro deste ano. Segundo o delegado Carlos Barbosa, responsável pelas investigações, Jonanthan nega a autoria do crime, mas todas as evidências apontam que ele foi o culpado pela morte.

Carlos Barbosa concluiu o caso. Fotos: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Carlos Barbosa concluiu o caso. Fotos: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

O caso foi apresentado na manhã desta terça-feira pela Polícia Civil. O inquérito concluiu que a motivação foi passional. “Ele tinha muitos ciúmes da adolescente, segundo as pessoas que foram ouvidas na investigação. Apesar de não ter confessado sua participação, a Justiça decretou a prisão dele. A vítima já havia relatado a outras pessoas que o suspeito tentou matá-la uma vez com as mesmas características das quais ela foi encontrada”, afirmou o delegado.

O corpo de Beatriz Vital foi encontrado carbonizado em um engenho no distrito de Ponte dos Carvalhos, no Cabo de Santo Agostinho. De acordo com a polícia, a jovem foi agredida e teve o corpo queimado. Jonanthan foi indiciado pelos crimes de estupro de vulnerável, homicídio qualificado e ocultação de cadáver. A vítima e o suspeito tinham um relacionamento amoroso desde quando ela tinham 13 anos. Juntos, o casal teve uma filha que hoje está com um ano e dois meses.

Mãe da adolescente pediu Justiça para o caso

Mãe da adolescente pediu Justiça para o caso. “Ele não merece sair da prisão”

Quem cuida da criança é a mãe de Beatriz, a dona de casa Maria Selma Vital. Ele estava presente na coletiva de imprensa que detalhou a investigação e pediu prisão prepétua para o assassino da sua única filha. “Uma pessoa feito ele deveria ficar preso para sempre. Não merece sair da cadeia nunca. Ele acabou com a minha vida e com a minha família. Eu nunca aceitei o relacionamento dos dois por ele ser mais velho”, desabafou Selma.

Adolescentes e mulheres cada vez mais vítimas do ciúme dos homens

Quanto mais se fala em campanha contra a violência doméstica, mas vemos explodir na imprensa casos de mulheres agredidas e assassinadas pelos seus namorados e companheiros. O motivo das brigas e dos crimes são sempre os mesmos. Ciúmes ou a recusa da mulher para reatar o relacionamento. Nesse final de semana, a vítima foi uma jovem de 16 anos com a vida inteira pela frente. O suspeito, o namorado da garota, fugiu após o disparo que ele afirmou ter sido acidental.

Acompanhe os detalhes desse caso.

Uma adolescente de 16 anos foi morta com um tiro na cabeça em Aguazinha, bairro de Olinda, e o principal suspeito de ter disparado o revólver calibre 38 é o namorado dela, G.B.C, cuja idade não foi revelada pela polícia. O crime aconteceu na noite do último sábado em um depósito de materiais recicláveis, onde o suspeito morava há cerca de uma semana. A polícia está investigando se o crime foi acidental ou motivado por ciúmes.

Logo após o crime, testemunhas contaram à polícia que ouviram o barulho do disparo e logo em seguida presenciaram a fuga do suspeito em uma moto. Nesse momento, G. teria afirmado que o tiro tinha sido acidental. Familiares e amigos de Claudijane Maria do Nascimento, no entanto, discordam dessa versão e garantem que o assassinato foi motivado pelo ciúme excessivo de G.

No sepultamento, na tarde desse domingo, no Cemitério de Beberibe, familiares e amigos da vítima informaram que Claudijane namorava há pouco tempo com G. e que pretendia acabar o relacionamento por conta dos ciúmes dele. O casal, inclusive, teria discutido, na mesma tarde do dia do crime, porque a adolescente foi ao dentista com uma amiga e não atendeu às ligações do namorado. A atitude teria levado ele a imaginar que estava sendo traído. Além disso, ela era muito bonita e costumava chamar a atenção de outros homens.

Leia matéria completa na edição desta segunda-feira do Diario de Pernambuco