Menina de 9 anos morre por conta de dívida de drogas do irmão

Uma menina de apenas 9 anos, Vitória Batista Nascimento dos Santos, foi assassinada com tiros na cabeça nas primeiras horas da manhã de ontem, na comunidade Terra Nostra, no Ibura de Baixo, periferia do Recife. A criança dormia com a mãe e cinco irmãos mais novos quando a pequena casa em que viviam foi invadida por desconhecidos.

Crime aconteceu na casa das vítimas, no Ibura. Fotos: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Crime aconteceu na casa das vítimas, no Ibura. Fotos: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

A mãe, Ana Cristina do Nascimento dos Santos, 32, foi baleada no peito e, até o fechamento desta edição, estava internada em estado grave na UTI do Hospital Otávio de Freitas. Segundo investigações da polícia, o crime foi praticado por traficantes. O alvo dos criminosos seria um garoto de 12 anos, também filho de Ana Cristina. Ele não estava no imóvel no momento da invasão. O menino estaria devendo R$ 250 ao tráfico.

Vitória ajuda a cuidas dos irmãos mais novos

Vitória ajuda a cuidas dos irmãos mais novos

Parentes das vítimas contaram que os traficantes iniciaram as ameaças à família na semana passada, em plena rua. “Eles só não mataram Ana Cristina na hora porque ela estava com o bebezinho dela, de um ano e seis meses, no colo”, disse Rosana Batista, 56, cunhada da mulher. Segundo ela, assim como o filho de 12 anos, Ana Cristina também é dependente de drogas desde a adolescência. “Ela já foi espancada e ameaçada várias vezes por conta dessas dívidas. Uma vez, apanhou grávida de Vitória”, completou. Depois das últimas ameaças, o garoto estava escondido para não morrer.

Vizinhos e policiais envolvidos na ocorrência ficaram chocados com a violência

Vizinhos e policiais envolvidos na ocorrência ficaram chocados com a violência

A família também informou que o mesmo menino teria se envolvido no assassinato de um morador de rua no Ibura, há dois anos. O homem foi queimado enquanto dormia em um carro abandonado. A irmã mais velha de Vitória, Elaine Cristina dos Santos, 18, lamentava a forma trágica como a criança foi assassinada. “Por que não eu? Ela era uma pessoa boa”, dizia, agarrada a uma foto da irmã.

A desestruturação da família de Vitória era assistida de perto pela pastora Ana Elizabeth Campelo, da igreja frequentada pela menina. “Diante da dependência da mãe, ela assumia todas as tarefas de casa e cuidava dos irmãos. Mas mesmo com esse tipo de vida, a menina não aparentava tristeza”, comentou a pastora. A partir de agora, as crianças deverão ficar com o pai, Wellington dos Santos, que já não vivia com a mãe delas.

Vitória ainda foi levada com vida para a Policlínica Arnaldo Marques, no Ibura, mas não resistiu. A violência praticada contra a criança emocionou os guardas municipais e equipes de plantão na unidade de saúde. “O pai chegou carregando ela nas costas, desesperado. Tinha muito sangue”, comentou o guarda municipal Roberto Cássio dos Santos. Até o fechamento desta edição, nenhum suspeito havia sido encontrado. O corpo da criança será sepultado hoje no Cemitério de Santo Amaro.

Do Diario de Pernambuco