Policiais do RN estão no Recife e corpos de suspeitos serão identificados através de DNA

Policiais da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor) do Rio Grande do Norte estão no Recife para levantar as informações necessárias sobre o assalto ocorrido no Cabo de Santo Agostinho. Membros da quadrilha são investigados no RN pela prática do mesmo tipo de crime. A polícia pernambucana segue investigando a ligação dos suspeitos que atacaram o Banco do Brasil e o banco Itaú com o grupo que assaltou a sede da empresa de transporte de valores Brinks. Entre os suspeitos estão homens dos estados do Rio Grande do Norte, Alagoas, Maranhão e Pernambuco.

Ação criminosa começou no Cabo e terminou em Moreno. Foto: Julio Jacobina/DP

Ação criminosa começou no Cabo e terminou em Moreno. Foto: Julio Jacobina/DP

Já a identificação de quatro dos cinco suspeitos mortos após o confronto com a Polícia Militar só será possível através de exames de DNA. Segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS), apenas um dos suspeitos foi identificado como Igor Reinaldo Peixoto, 37 anos. Parentes de outros dois mortos estiveram no Instituto de Medicina Legal (IML), no bairro de Santo Amaro, no Recife, mas os documentos apresentados por eles eram diferentes dos encontrados com os suspeitos. “Somente análises do código genético, em confronto com amostras dos familiares, poderão definir seus nomes, sem deixar dúvidas. Os exames ficam prontos na próxima semana. Nos outros dois casos sem identificação, ainda não houve o comparecimento de parentes ao IML nem documentos foram encontrados com os suspeitos”, destaca a nota enviada pela secretaria.

Os comentários estão fechados.