Segurança nos bancos reforçada com programa da Febraban

Após quase um ano sofrendo pressões do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e dos sindicatos, a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) finalmente deu um passo à frente para frear os assaltos aos clientes e funcionários. Deve ser lançado ainda neste ano o Programa de Melhorias de Segurança Bancária no Recife. Trata-se de um projeto-piloto de investimento financeiro para instalação de itens obrigatórios como portas com detectores de metais, divisórias entre os caixas e câmeras de monitoramento internas e externas. Além da capital do estado, que será a primeira contemplada, as cidades de Olinda e Jaboatão dos Guararapes serão beneficiadas com a ação, que, caso dê certo, será estendida às outras capitais brasileiras.

Agência do Banco do Brasil de Afogados foi a última assaltada no Recife. Foto: Paulo Paiva/DP.D.A/Press

“O projeto foi assinado pela Febraban após as negociações salariais. É um avanço. Agora vamos discutir que itens serão instalados em todas as agências. Eles já apresentaram uma proposta, e nós outra. Teremos que ceder em alguns pontos e eles em outros”, afirmou a presidente do Sindicato dos Bancários, Jaqueline Mello. Está marcada para hoje a reunião, em São Paulo, que vai discutir o assunto. O promotor do Consumidor, Ricardo Coelho, comemorou a medida. “É um fato inédito que estamos vivenciando e que servirá de exemplo para o resto do Brasil. Uma vitória também para o programa Pacto pela Vida, pois vai contribuir para reduzir a violência”, pontuou.

Somente neste ano, o estado já registrou 27 assaltos a bancos. No Recife, o mais recente aconteceu, há menos de duas semanas, em Afogados. Um comerciante de 61 anos foi assaltado quando iria depositar R$ 30 mil em um caixa eletrônico do Banco do Brasil. Em 2011, foram 16 ocorrências registradas. O crescimento, nos primeiros meses do ano, levou a comissão formada pelo MPPE, polícias Civil e Federal, Prefeitura do Recife e sindicatos da categoria, a realizar reuniões de rotina para criar medidas que punissem as agências que não cumprem as três leis de segurança em vigor na capital. Cem foram multadas e 15 interditadas, desde junho. Apenas a agência do Itaú do Real Hospital Português continua fechada, por não se adequar às normas.

 

O texto acima é do repórter Raphael Guerra da editoria de Vida Urbana do Diario de Pernambuco

 

Os comentários estão fechados.