A redução de custos e a revolta dos policiais civis do estado

Apesar de afirmar em alto e bom som que o programa Pacto pela Vida é sua menina dos olhos e que está conseguindo mudar a realidade de Pernambuco, o governo do estado está apertando o cinto no quesito segurança e deixando os profissionais de segurança pública de cabelos em pé. Denúncia enviada ao blog revela que mais de 60 viaturas da Polícia Civil foram retiradas de circulação nos últimos dias devido à redução de custos. Isso sem falar que a verba destinada para os combustíveis que restaram foi reduzida, os créditos dos telefones celulares funcionais também diminuíram e os salários seguem defasados.

A decisão dos gestores parece contraditória ao que prega o Pacto pela Vida, que é a valorização do policial e a melhoria nas condições de trabalho para a redução da criminalidade. Os policiais civis estão, e com toda razão, revoltados com a medida e esperam que o governo reveja a situação dos profissionais que trabalham para deixar o estado mais seguro. Como bem ressaltou o governador Eduardo Campos, Pernambuco foi o único estado do Nordeste que conseguiu reduzir os índices de criminalidade. Então, nada mais justo que recompensar quem tem feito esse trabalho.

Outra determinação que tem deixado os policiais irados foi a de que as viaturas oficiais, aquelas usadas pelos delegados, gestores, diretores e até pelo chefe de polícia, só podem ser utilizadas agora para questões de trabalho durante o horário do expediente. A ordem do governo inviabiliza o serviço investigativo da Polícia Civil fora da “jornada oficial” de trabalho. Os servidores da Polícia Civil, diferentemente dos da Polícia Militar, trabalham com produção investigativa, ou seja, precisam constantemente estar em contato com informantes, fazer levantamentos de suspeitos e cumprir mandados de prisão. O que ocorre, na maioria das vezes, fora do horário das 8h às 18h. A categoria já pensa inclusive em fazer uma assembleia para estudar a possibilidade de paralisação.

“A recente determinação governamental dificulta a utilização de viaturas oficiais à noite, de madrugada e nos finais de semana, justamente naqueles dias e horários em que o crime e os criminosos vêm à tona. Quem perde dessa maneira, sem sombra de dúvida, é a sociedade”, ponderou um policial.

6 thoughts on “A redução de custos e a revolta dos policiais civis do estado

  1. Hahaha é muito bom ter um carro para luxar por aí sem ter que pagar combustível, multas etc…Como disso o amigo aí em cima: “Viaturas para trabalhar, SIM! Mas para uso PARTICULAR, NÃO!

  2. O oficiais da PMPE tem viatura pra buscar em casa e deixar depois do expediente com motorista, ar condicionado (se tiver sem ar reclamam). Basta conferir no posto buriti todo dia pela manhã.

  3. Esqueci de comentar existe um decreto regulamentando o uso de viaturas, pena não ser cumprido, pelo menos na PM não é.
    DECRETO Nº 39.081, DE 25 DE JANEIRO DE 2013.
    Uso de viaturas fora de serviço.

  4. Como é bom ver a farra acabando. Certo o governo que entendeu que tá cheio de Dotorzinho e Chefinhos usando o patrimônio público como se fosse seu ou como se fosse um Secretário, que é quem deve ter carro exclusivo. Viva a moralidade!!!!!

  5. O governador vai minar tudo o que puder da segurança, saúde e educação para usar o nosso dinheiro na sua campanha para presidente.