Rio Capibaribe terá seis bases fluviais de segurança

O Rio Capibaribe, o principal do Recife, é cenário de uma ação inédita em segurança pública na capital pernambucana. Toda a calha vai receber seis bases fluviais fixas de policiamento para garantir a segurança do transporte  no rio, inclusive o turístico, e, de quebra, inibir o tráfico de drogas nas comunidades ribeirinhas, fugas de assaltantes que atuam no Centro e até mesmo afogamentos.

Primeira central será instalada em frente ao Fórum Thomaz de Aquino. Orçada em R$ 1 milhão, ela terá policiais militares, bombeiros e guardas municipais (NANDO CHIAPPETTA/DP/D.A PRESS)

O primeiro passo é construir uma base aproveitando os restos de um prédio em ruínas na Avenida Martins de Barros, no bairro de Santo Antônio, Centro do Recife. O lugar, na frente do Foórum Thomaz de Aquino, vai funcionar como uma espécie de sede do projeto e terá também um restaurante no primeiro andar, o que seria mais um pontapé para atrair turistas ao bairro.

O Corpo de Bombeiros está com o projeto arquitetônico da obra em fase de conclusão. Em cada base, haverá policiais militares, bombeiros e guardas municipais. “Será uma ação preventiva e repressiva ao mesmo tempo”, informou o secretário de Defesa Social, Wilson Damázio. O projeto, batizado de Capibaribe Seguro, funcionará paralelamente a outro projeto do governo do estado, o Rios da Gente, que prevê a implantação de um sistema integrado de transporte de passageiro com o uso de embarcações, ônibus e metrô.

A ideia já foi apresentada pelo secretário de Defesa Social ao prefeito do Recife, Geraldo Julio, que mostrou-se interessado em apoiar a iniciativa. Depois de concluído o projeto arquitetônico, será a vez de licitar o projeto executivo para o início das obras. A expectativa é que a construção seja iniciada até o final deste ano.

Atrativo
O modelo a ser aplicado no Rio Capibaribe é semelhante ao usado ao longo da beira mar da Zona Sul. “Já temos algo parecido na orla de Boa Viagem, que são as plataformas erguidas na praia, onde PMs e bombeiros trabalham juntos 24 horas. Queremos levar isso também para o Centro”, comentou o secretário. “Em primeiro lugar, vamos oferecer mais segurança às pessoas que usam o transporte fluvial, mas a iniciativa também visa dar apoio às operações policiais realizadas no rio e no mar”, acrescentou Damázio.

Do Diario de Pernambuco, onde você pode ler a matéria completa na edição deste domingo.

 

Os comentários estão fechados.