Osvaldo Morais será o novo chefe da Polícia Civil

 

O delegado Osvaldo Morais de Almeida Júnior, que atualmente é o diretor geral de operações de Polícia Judiciária, vai ser nomeado, ainda nesta semana, como o novo chefe da Polícia Civil de Pernambuco (PCPE). Osvaldo Morais vai ocupar o lugar do delegado Manoel Carneiro Soares Cardoso, que deve deixar o posto para assumir um cargo no governo do estado. Manoel Carneiro está na chefia da Polícia Civil pela segunda vez desde 2007, quando substituiu o delegado Djalma Raposo, e sempre foi um policial pacífico e respeitado pelos colegas e subordinados.

Osvaldo vai ser nomeado para o novo cargo ainda nesta semana

Já o delegado Osvaldo Morais, que vem ganhando cada vez mais notoriedade na corporação, antes de chegar ao posto que ocupa atualmente, foi delegado do município de Floresta, no Sertão do estado, onde comandou investigações relativas às brigas das famílias Ferraz e Novaes. Foi titular da Delegacia do Espinheiro, Zona Norte do Recife, e depois comandou a Delegacia de Repressão ao Narcotráfico.

Manoel Carneiro, delegado especial, deve assumir cargo no governo do estado

Educado, discreto e calmo, Manoel Carneiro foi o chefe da PC que passou mais tempo no cargo. Começou ainda na gestão do então governador Jarbas Vasconcelos e permaneceu com Eduardo Campos. Ele também comandou a corporação entre os anos de 1999 e 2001, quando foi substituído pela delegada Olga Câmara, que foi a primeira mulher no cargo.

 

 

3 thoughts on “Osvaldo Morais será o novo chefe da Polícia Civil

  1. Pingback: Polícia Civil do estado terá novo chefe | Diário do Congresso - Os Bastidores do Poder On-line

  2. Deus ajuda quem trabalha com amor e dedicação a sua corporação e ao estado de pernambuco, a segurança está de parabéns,DEUS ABENCOE OSVALDO MORAIS.

  3. É inegável a competência do Delegado Osvaldo Morais, fazendo jus à nomeação. Parabenizo mais ainda o Governador Eduardo Campos. Sem dúvida é o responsável pela mudança significativa que vem ocorrendo na área de segurança. Teve a coragem de “mandar para casa” aqueles que de há muito tempo na instituição nada faziam. Eduardo é sem dúvida um marco na segurança do estado.