Polícia colhe depoimentos sobre morte de menina de 9 anos

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga a possibilidade de três pessoas estarem envolvidas na morte da menina Vitória Batista Nascimento dos Santos, 9 anos. A criança foi assassinada com tiros na cabeça na manhã do último domingo, dentro de casa, no Ibura de Baixo, Zona Sul do Recife. O crime chocou o bairro. A mãe dela também foi baleada. Segundo o delegado Paulo Furtado, da 3ª Delegacia de Homicídios, uma equipe de investigação já foi ao local do crime e identificou os apelidos dos supostos executores.

O corpo de Vitória Batista dos Santos foi sepultado no Cemitério de Santo Amaro (REPRODUCAO TV CLUBE)

O corpo foi sepultado na tarde de ontem, em Santo Amaro. Hoje, a polícia começa a ouvir depoimentos para tentar esclarecer o caso. A mãe de Vitória, a dona de casa Ana Cristina do Nascimento, 32, está internada no Hospital Otávio de Freitas. Segundo a polícia, a família estava sendo ameaçada desde a semana passada.

De acordo com Furtado, além da hipótese de o crime ter sido motivado por uma dívida de drogas do irmão da garota, um menino de 12 anos, outra linha de investigação está sendo analisada. A primeira informação é de que o garoto estaria devendo R$ 250 a traficantes da comunidade de Terra Nostra, também na Zona Sul, onde a família reside. “Mas também estamos apurando uma informação de que um traficante queria comprar a casa e a mãe da menina que morreu não queria fechar negócio com ele. Além disso, parece que ela também tinha dívidas.” Ana Cristina e filho seriam viciados em crack, segundo familiares.

Vitória ajuda a cuidas dos irmãos mais novos

Vitória ajudava a cuidas dos irmãos mais novos

De acordo com a polícia, além de Ana Cristina e Vitória, outras quatro crianças, todas filhas de Ana, estavam dormindo quando dois homens chegaram de moto ao local para cometer os crimes. Uma das meninas, de seis anos, conseguiu tirar os três irmãos menores de casa e fugiu com eles para a casa da tia, que fica próxima. Vitória teria sido baleada porque estava gritando muito. A mãe dela tentou se esconder debaixo da cama, mas foi atingida várias vezes. Ambas chegaram a ser socorridas e foram levadas para a Políclinica Arnaldo Marques. A criança não resistiu. Até o fim da tarde de ontem, ninguém havia sido preso pelo crime.

Cirurgia
Ana Cristina foi submetida a uma cirurgia na manhã de ontem e segue internada na sala de recuperação. Os outros filhos estão com o pai, que é separado dela. Ele e as crianças se encontram na casa de parentes. “Estamos aqui no cemitério para enterrar minha sobrinha. Os outros meninos ficaram todos em casa. É um momento muito triste”, lamentou Alexandre Vicente, tio de Vitória.

Os comentários estão fechados.