Crack é campeão de queixas no Disque-Denúncia

 

Vinte e oito ligações por dia. Essa é a média recebida pela central do Disque-Denúncia sobre os casos de venda e compra de crack em Pernambuco. Só neste ano, foram contabilizadas 5.956 denúncias relacionadas ao crack. No ano passado, o número foi de 11.252 denúncias. O que corresponde a um aumento de 225%, só na Região Metropolitana do Recife (RMR), em relação ao ano passado. Esse percentual vem crescendo num período de dez anos. Em 2002, o Disque-Denúncia somava apenas 26 queixas sobre o assunto.

Segundo a superintendente do Disque-Denúncia Pernambuco, Carmela Galindo, o crack é o líder do ranking de denúncias. “O perfil das informações recebidas pela central alertam para uma redução expressiva do uso de outras drogas, como maconha ou cola, em detrimento ao crack. O aumento, a cada ano, é alarmante. Entre 2010 e 2011, o crescimento foi de 225% apenas na Região Metropolitana do Recife”, explicou. Até o dia 22 de junho, a polícia de Pernambuco apreendeu 91 kg de crack prontos para o consumo. No ano passado todo, foram retirados de circulação um total de 84 kg da droga.

A superintendente acredita que o aumento está diretamente ligado à campanha de combate ao crack lançada no ano passado pelo governo do estado. De acordo com a central, 17% das denúncias referem-se ao tráfico de crack e os outros 83% tratam da venda da droga aliada a outros tipos de entorpecentes. Quase metade dos registros, 48%, revelam que a droga é encontrada com mais facilidade nas ruas. Em 17% dos casos, a venda de crack acontece à noite. O Recife é o responsável por 48% das denúncias, seguido por Olinda (16%), Jaboatão dos Guararapes (12%) e Caruaru (11%).

O Disque-Denúncia funciona durante 24 horas, todos os dias da semana. Quem telefona, tem o anonimato preservado e pode receber, no caso de informações sobre a venda da droga, até R$ 2.000 em recompensa. O serviço funciona através dos telefones 3421.9595, no Recife e RMR, e (81) 3719.4545.

 

Leia também:

Denarc de olho no tráfico de pasta base de cocaína

2 thoughts on “Crack é campeão de queixas no Disque-Denúncia

  1. Livro: Crack e o Labirinto das Drogas – como prevenir e combater ?

    Autora Alexandra de Pires
    Formato:16x23cm 40 págs

    Em meio a tanta calamidade com o uso de drogas por nossas crianças e adolescentes, resolvi escrever sobre a vida dessas pessoas, contar suas histórias e relatar tudo que lhes acontece e acontecera desde o início de suas vidas. Tenho convivência diária com eles e sei o quanto sofrem. Descobri que todos têm relações de amor e ódio com maior intensidade que as outras pessoas. Essa relação de amor e ódio também existe com as drogas. Eles odeiam ter que depender dela, mas ela existe, portanto não vivem sem ela! Descobri que são tão carentes quanto crianças; eles têm necessidade de expor sempre seus sentimentos. Querendo sempre atenções. Acho importante fazer com que nossas crianças e jovens leiam esses relatos para que saibam e procurem fazer caminhos diferentes aos dessas pessoas. De modo a saberem se esquivar das drogas. Também para aprenderem o quanto as drogas trazem desgraças para a vida de todos, das famílias e da sociedade.

    assista o video da autora:

    http://www.youtube.com/watch?v=zyrlZKLV4sQ

    contato: rigel@editorarigel.com.br
    (51) 3226-8668