Novidades sobre a Operação Corsário

 

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) concedeu habeas corpus em favor da nulidade do despacho proferido pela Justiça autorizando a interceptação telefônica do agente Sylvio Roberto Houly Lellis Filho, um dos presos durante a Operação Corsário, no dia 14 de março deste ano, quando cinco policiais, inclusive um delegado, foram presos suspeitos de fazer parte de um esquema criminoso dentro da Delegacia de Combate à Pirataria. O material apreendidos e os policiais presos foram levados para a sede do GOE.

Segundo o advogado de Sylvio, Ademar Rigueira, o julgamento aconteceu nessa quarta-feira e foi votado pelos desembargores Mauro Alencar, Antônio Carlos e Sandra Beltrão. Agora, todas as provas que foram conseguidas a partir da interceptação das linhas telefônicas do agente policial serão retiradas do processo.

Ainda de acordo com o advogado, o juiz não demonstrou no despacho das interceptações que havia fundamentos para quebrar o sigilo de Sylvio. “Não houve uma fundamentação capaz de indicar a quebra do sigilo do meu cliente. Agora vamos entrar com um requerimento ao juiz do processo pedindo a liberação dele do Cotel e depois a sua absolvição”, detalhou.

Leia também:

Delegado Tiago Cardoso fala sobre os dias no Cotel

Os comentários estão fechados.