Polícia conclui inquérito que apurou quadrilha dos golpes pela internet

A Polícia Civil do Pará encaminhou hoje à Vara de Combate às Organizações Criminosas o inquérito que indiciou 11 pessoas da quadrilha que usava sites de venda online para publicar falsos anúncios de carros usados. Segundo a polícia paraense, o grupo criminoso fez publicações nos sites OLX, Bom Negócio e outro de nome não informado, além de criar uma página falsa na internet em nome de uma agência de carros do Pará.

Pelo menos 100 pessoas de sete estado do país foram vítimas do golpe que causou um prejuízo estimado em R$ 1 milhão. Os criminosos ofereciam carros com valores abaixo do mercado, pediam parte do pagamento mas os carros nunca eram entregues. Dez suspeitos foram presos, sendo seis no Sertão de Pernambuco e quatro na Bahia.

Suspeitos fizeram cerca de 100 vítimas em sete estados. Fotos: Policia Civil do Para/Divulgação

Suspeitos fizeram cerca de 100 vítimas em sete estados. Fotos: Polícia Civil do Pará/Divulgação

Ainda de acordo com a Polícia Civil do estado do Pará, os suspeitos foram indiciados pelos crimes de estelionato e formação de quadrilha. O delegado Bruno Brasil, da Delegacia de Capanema, identificou pelo menos dez vítimas do golpe no estado do Pará. As outras pessoas enganadas são dos estados do Tocantins, Maranhão, Ceará, Bahia, São Paulo e Santa Catarina.

A organização tinha bases em Petrolina e Juazeiro (BA). Segundo a assessoria de impresa da Polícia Civil do Pará, uma segunda fase da investigação será iniciada no mês de setembro, quando o delegado Bruno Brasil retornar das férias, para identificar os responsáveis pelas contas bancárias onde eram realizados os depósitos. Os anúncios ofereciam desde carros populares até luxuosos. Um comprador chegou a perder R$ 100 mil.

Delegado Bruno Brasil encaminhou inquérito à Justiça nesta quinta-feira

Delegado Bruno Brasil encaminhou inquérito à Justiça nesta quinta-feira

O grupo foi preso por policiais do Pará no último dia 24 com o apoio das polícias pernambucana e baiana. A investigação foi iniciada em novembro do ano passado, na cidade de Capanema, após a dona de uma loja de carros denunciar à polícia que havia sido procurada por duas vítimas do golpe. As pessoas realizaram depósitos pensando que estavam comprando carros no site da loja Estrela Veículos, mas a empresa não oferece esse tipo de serviço.

O blog procurou a assessoria de imprensa do site OLX, o qual também é proprietária do site Bom Negócio que respondeu por meio de nota que lamenta o ocorrido e coloca-se à disposição das autoridades para colaborar no que for necessário. A nota diz ainda que “apesar de não participar da negociação realizada diretamente entre comprador e vendedor, a OLX ressalta que preza pela qualidade do serviço prestado. Para isso, conta com uma equipe de atendimento dedicada a aprimorar e melhorar ainda mais seu serviço, a fim de manter segura a comunidade de usuários.”

A empresa ressaltou ainda que disponibiliza um botão de denúncia em todos os anúncios e recomenda que quando os usuários verificarem a existência de anúncios que apontem para práticas irregulares ou conteúdos indevidos, denunciem o conteúdo no próprio site ou entrem imediatamente em contato com a equipe de atendimento ao cliente da OLX, para que a empresa investigue o anúncio e tome as medidas necessárias.

Dicas de segurança da OLX:

Mesmo que o anunciante forneça a você informações e dados pessoais, isso não garante a sua veracidade/idoneidade

Sempre que possível, peça a Nota Fiscal original e um recibo da compra

Nunca envie produtos antes de ter definido o pagamento e a forma de entrega. O OLX aconselha sempre a finalizar a venda em lugar público

Para uma maior segurança o OLX agora oferece um novo serviço de pagamento, o OLX Direto. Veja como funciona e nossas regras

Aprenda a identificar fraudes e golpes:

O anúncio parece bom demais para ser verdade (preço muito baixo, doações, etc)

Não confie se alguém pede o número da sua conta bancária, cartão de crédito ou pede para enviar dinheiro ao exterior. Nunca clique em nenhum link de e-mails que vem de quem afirma ser um banco ou instituição financeira

Quando é pedido que você envie o dinheiro antes de ver o item

O anunciante pressiona você para finalizar a compra

O anunciante envia mensagens com o português estranho. Exemplo: lindas cachorrinhas novos (parece um português falado por estrangeiros)

O olx.com.br sempre exibe as dicas de segurança à direita da visualização dos anúncios

Golpe dos carros fantasmas na internet descoberto pela polícia

Uma quadrilha que usava grandes sites de venda online para publicar falsos anúncios de carros usados lesou 100 pessoas em sete estados e causou prejuízo estimado em R$ 1 milhão. O bando, que teve seis membros presos no Sertão de Pernambuco e outros quatro na Bahia, pedia valores abaixo de mercado. Os carros nunca eram entregues.

Iludidas pelos preços atrativos, as vítimas deixavam de observar um dos critérios recomendados pela polícia e especialistas para escapar de golpes online: sempre desconfiar de anúncios de carros com preços mais de 20% abaixo do valor real. Em um dos casos, o comprador perdeu R$ 100 mil.

Suspeitos estão detidos no estado do Pará. Fotos: Policia Civil do Para/Divulgação

Suspeitos estão detidos no estado do Pará. Fotos: Policia Civil do Para/Divulgação

A organização tinha bases em Petrolina e Juazeiro (BA). Os bandidos também publicavam anúncios em sites de agências de automóveis. O grupo criou ainda uma página falsa na internet, usando nome e CNPJ de empresas verdadeiras. O bando anunciava que os veículos poderiam ser adquiridos mediante antecipado de uma entrada, e o restante via financiamento.

As prisões foram realizadas no dia 24 pela Polícia Civil do Pará, onde foi feita a primeira denúncia contra o bando, com apoio de policias pernambucanos e baianos. O inquérito, iniciado na cidade de Capanema, corria desde novembro. A quadrilha também fez vítimas em Tocantins, Maranhão, Ceará, Bahia, São Paulo e Santa Catarina.

Esquema criminoso foi investigados pela Polícia Civil do Pará, que deu detalhes dos golpes

Crimes foram investigados pela Polícia Civil do Pará, que deu detalhes dos golpes

“Começamos a investigar o caso após a proprietária de uma loja de veículos nos informar que algumas pessoas estavam procurando o estabelecimento sob alegação de que teriam pago um sinal pela compra de carros via internet. A loja, porém, não fazia anúncios na web”, afirmou o delegado paraense Bruno Brasil. Brasil. “Verificamos que eles agiam dando prioridade a cidades do interior, evitando as capitais”, acrescentou. Segundo o delegado Augusto Damasceno, também da polícia do Pará, os bandidos ofereciam carros populares e de luxo.

Das dez pessoas presas, oito são da mesma família. O líder do grupo é o pernambucano Joventino Soares Ramos, 47, preso em Petrolina, que já respondia a processos por estelionato em Pernambuco e São Paulo. Ele teria convidado familiares para o esquema. Os outros presos foram Eduardo José Souto, 36, César Rodrigues dos Santos, 35, Marcos Aurélio Santana Novaes, 31, Emerson Gonçalves, de idade não revelada, Erisson Gonçalves, 26, Flávio Ferreira da Silva, 33, Vandevelton Santana Caldas, 27, Wesley Ramos Oliveira, 20, Danilo Conceição da Silva, 22. Em Pernambuco, as prisões ocorreram em Petrolina, Cabrobó e Lagoa Grande. Na Bahia, houve prisões em Juazeiro, Senhor do Bonfim e Jacobina.