Polícia acompanhou rolezinhos do Recife bem de perto

Durante todo esse sábado e este domingo, quando grupos de jovens marcaram rolezinhos para os dois maiores shoppings do Grande Recife, dezenas de policiais civis e militares tiveram sua rotina de trabalho alterada. Até mesmo alguns que estavam de folga acabaram sendo escalados para acompanhar de perto as manifestações.

Protesto foi tranquilo no RioMar. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Protesto foi tranquilo no RioMar. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Apesar dos dois centros de compras, RioMar e Shopping Recife, terem reforçado sua segurança particular, policiais civis e militares trabalharam com a função de fotografar, filmar e monitorar os passos de todas as pessoas que estavam participando das manifestações. No caso do RioMar, nesse sábado, não foi registrado nenhum incidente.

Depois do rolezinho, outro grupo entrou no shopping

Depois do rolezinho, outro grupo entrou no shopping. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Além dos clientes e funcionários dos shopping, policiais militares do serviço reservado, que já trabalham sem a farda da corporação, e alguns policiais civis estavam registrando toda a movimentação dos rolezinhos em aparelhos de telefone celular e até mesmo em câmeras fotográficas. A medida, segundo uma fonte do blog, é uma precaução para caso seja preciso identificar posteriormente algum integrante do grupo que venha a causar problema nesse ou em outro protesto.

Assista ao vídeo do rolezinho no RioMar

 

Leia mais sobre o assunto em:

Primeiro rolezinho do Recife foi considerado tranquilo

Primeiro rolezinho do Recife foi considerado tranquilo

Quem esteve no Shopping RioMar na tarde deste sábado, teve a experiência de ver de perto o primeiro rolezinho realizado no Recife. O evento foi considerado tranquilo pela direção do centro de compras, apesar de muitas lojas terem baixado suas portas durante a manifestação. Um pequeno grupo apenas 11 pessoas compareceu ao ato, onde estavam confirmados mais de 1.700 na página do facebook. Com cartazes e um megafone, os jovens circularam pelo shopping pedindo o fim do racismo e também a igualdade de tratamento entre brancos e negros no mercado de trabalho.

Jovens usaram megafone para protestar. Fotos: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Jovens usaram megafone para protestar. Fotos: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Dez minutos após o fim dessa manifestação, um grupo com cerca de 60 pessoas que deixou o Parque 13 de Maio, na Boa Vista, e protestava contra a realização da Copa do Mundo também seguiu para o RioMar. Houve um pequeno tumulto, mas nenhum incidente foi registrado. Depois de dez minutos, os jovens deixaram o local. Eles foram acompanhados de perto pelos seguranças, que não precisaram intervir em nenhum momento. Outro rolezinho está previsto para as 17h deste domingo, no Shopping Center Recife, em Boa Viagem.

Algumas lojas baixaram as portas, mas logo depois levantaram

Algumas lojas baixaram as portas, mas logo depois levantaram

Quem estava no RioMar tinha opniões dividas sobre as manifestações. De férias na cidade, o desing Alan Araújo, 26 anos, chegou ao centro de compras no momento em que o primeiro grupo entrava no shopping. “Sei que o racismo existe em alguns grandes centros de compras. Nós que somos negros quando não chegamos bem arrumados nesses lugares somos olhados de maneira diferente pelos seguranças”, contou o jovem que visitava o shopping com um amigo.

Caminhada chamou a atenção de quem estava no shopping

Caminhada chamou a atenção de quem estava no shopping

Passava das 16h30 desse sábado quando o primeiro grupo de protestantes chegou ao RioMar. Alguns clientes até pararam para fotografar e filmar o ato. “Não estamos promovendo arrastões e, sim, lutando pelos nossos direitos”, ressaltou Janaína Oliveira, do Movimento Quilombola Raça e Classe, pouco antes dos jovens deixarem o local.
Quando tudo parecia ter voltado à normalidade, por volta das 18h30, o grupo de mascarados que deixou o centro do Recife entrou no shopping protestando contra a realização da Copa do Mundo.

Por meio de nota, o RioMar informou que não houve registro de nenhum incidente nas manifestações contra o racismo e contra a Copa. O shopping ressaltou “que todas as pessoas, sem qualquer discriminação racial ou social,  são bem-vindas ao shopping, desde que sejam pacíficas e coerentes com as boas regras do respeito humano.”

PM vai reforçar segurança nos shoppings por conta dos rolezinhos

Quem for aos shoppings centers Recife, em Boa Viagem, e RioMar, no Pina, ambos no Recife, neste fim de semana, vai se deparar com um policiamento reforçado do lado de fora dos centros de compra. A medida foi confirmada ontem pela assessoria de imprensa da Polícia Militar sob justificativa de garantir a segurança dos frequentadores desses espaços em meio às promessas de rolezinhos agendados para os próximos sábado e domingo.

Atos se tornaram frequente em São Paulo e devem chegar no Recife. Foto: Apu Gomes/FolhaPress

Atos se tornaram frequente em São Paulo e devem chegar no Recife. Foto: Apu Gomes/FolhaPress

Os encontros de jovens surgiram no Sudeste e são marcados nos shoppings, através das redes sociais, por jovens, em geral, pobres e negros, que querem ter direito à diversão. Na capital pernambucana, o fenômeno ganhou a simpatia da classe média que integra os movimentos sociais, que promete marcar presença nos eventos deste final de semana.

Até lá, a Polícia Militar afirmou que está monitorando o movimento para conhecer os rumos da manifestação e reagir diante de qualquer ação dos black blocs. Na semana passada, o governador do estado, Eduardo Campos, havia afirmado que rolezinho não era caso de polícia.

A agenda dos dois eventos locais pode ser checada com uma visita rápida às páginas do Facebook. “Este evento é em solidariedade aos jovens que estão sendo repreendidos pela polícia em todo país. Jovens das periferias”, diz um trecho da convocação. No evento do RioMar, previsto para às 16h deste sábado, 1.512 pessoas confirmaram presença. A programação para o rolezinho do Shopping Recife, no domingo, às 16h, conta com 242 confirmações.

Leia a matéria completa na edição impressa do Diario desta quinta-feira