Usuários do metrô reféns do medo

Um dos meios de transporte mais rápidos e baratos da Região Metropolitana do Recife (RMR) tem se tornado também, na opinião dos usuários, um dos mais perigosos. Os constantes assaltos e até mortes nos trens e estações têm assustado quem usa o metrô do Recife. Do início deste ano até este sábado, quatro pessoas foram assassinadas nas instalações do metrô. Uma violência que reflete na redução de usuários no sistema.

Passageiros contam com a sorte para não serem assaltados. Fotos: Peu Ricardo/Esp/DP

Passageiros contam com a sorte para não serem assaltados. Fotos: Peu Ricardo/Esp/DP

Dados da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) do Recife indicam queda de quase 5% no total de passageiros transportados em outubro deste ano, que foi de 8.911, em relação ao mesmo mês de 2015, quando foram registrados 9.354 usuários. Para tentar mudar esse cenário, a direção da CBTU aposta na tecnologia. Ainda no início de 2017, 1.300 câmeras de monitoramento serão instaladas em todas as áreas do metrô e um novo sistema de videomonitoramento será implantado.

Atualmente, cerca de 400 mil usuários são transportados diariamente pelos trens do metrô. Existem 37 estações em operação e 40 trens e 9 VLTs (Veículo Leve sobre Trilho) são os responsáveis por levar e trazer os passageiros do sistema. Moradores dos municípios do Recife, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e Cabo de Santo Agostinho são atendidos pelo modal. Porém, quem mora em outras cidades pode acessar as estações do metrô através dos terminais do Sistema Estrutural Integrado (SEI). Para o próximo ano, a CBTU irá investir R$ 61 milhões em várias melhorias. Reforço nas equipes de segurança, limpeza de estações e aquisição de novos equipamentos estão entre as prioridades da direção.

Abordagnes criminosas acontecem nas estações e dentro dos vagões

Abordagens criminosas acontecem nas estações e dentro dos vagões

A estudante Thayra Nóbrega, 22 anos, costuma usar os trens da Linha Sul, os mais visados recentemente pelos criminosos. Na última quarta-feira, Thayra fazia mais uma viagem de metrô, mas não escondia o medo. “Sempre andei de metrô, porque era um meio de transporte muito rápido, mas depois desses assaltos e das mortes que aconteceram tenho evitado fazer muitas viagens. E quando estou dentro dos trens e nas estações não atendo o telefone celular. Acho que deveria haver policiais militares dentro do metrô, pois a insegurança está aumentando a cada dia e somente os vigilantes não são suficientes para garantir a nossa tranquilidade”, relatou a estudante. Para o diretor de Comunicação do Sindicato do Metroviários, Levi Arruda, o sentimento dos trabalhadores em relação à insegurança é de “indignação e revolta.”

Passageiros assustados e relatos de assaltos são frequentes entre os usuários do metrô. Segundo a CBTU, do início deste ano até a semana passada, 131 ocorrências de roubo foram registradas pela empresa. Em todo o ano de 2015, o número de registros feitos pelos usuários aos funcionários do metrô foi de 171 casos. “A violência é um problema generalizado na Região Metropolitana do Recife. Temos alguns pontos de incidências e com maior frequência nesse mês de dezembro. Na verdade, o metrô não tem uma situação insegura. É uma das áreas mais seguras, mas está sendo alvo da insegurança geral”, declarou o superintendente da CBTU, Leonardo Villar.

Tamirys pego o metrô na Estação Imbiribeira todos os dias com medo

Tamirys pego o metrô na Estação Imbiribeira todos os dias com medo

Usuária da Linha Sul diariamente, a caixa Tamirys Thaine Dias, 26, cobra mais segurança. “Pego o metrô todos os dias na Estação Imbiribeira e, apesar de nunca ter sido assaltada, me machuquei duas vezes por conta dos arrastões e assaltos no metrô, pois tive que correr junto com as outras pessoas para não ser vítima. Acredito que somente um reforço na segurança pode acabar com essa situação. Largo tarde do shopping e chego na estação num horário que não tem quase ninguém”, contou Tamirys. O funcionário público Ricardo Pereira de Sobral, 44, também utiliza a Estação Imbiribeira todos os dias. “É preciso mais segurança dentro dos trens e também nas estações”, destacou.

2 thoughts on “Usuários do metrô reféns do medo

  1. Caro jornalista.
    o metro do Recife, foi estabelecido em 1985 sobre três pilares: RAPIDEZ, CONFORTO E SEGURO. Com a ação da Polícia Federal em fevereiro de 2013 retirando do sistema a Polícia cidadã (Polícia Ferroviária )o item seguro caiu por terra, puxando para baixo também o item conforto, aliás é importante lembrar que o processo criminal contra os policiais ferroviarios foi arquivado e todo material devolvido. Temos outra ação na 9a cara Federal que já tivemos sentença favorável para voltarmos a atuar na malha ferroviária. Aliás digo mais sem a força da resposta dessa categoria não adianta investir em tecnologia. Um abraço.

  2. OS SEGURANÇAS DO METRÔ DO RECIFE, SÓ TRABALHAM NAS MANSÕES DO PRESIDENTE, DOS DIRETORES , DOS GERENTETE E DOS SUPERVISORES DO METROREC.
    CBTU SÓ TEM UMA ÚNICA FINALIDADE: EMPREGUISMO.
    QUANDO ESTIVE EM RECIFE, TODA VEZ QUE EU IA A RODOVIÁRIA , DEZENAS DE VENDEDORES AMBULANTES , PERTURBAM MUITISSIMO , INCOMODAM MUITISSIMO E OS USUÁRIOS NÃO RECLAMAM.
    EU TELEFONEI TR~ES VEZES PARA A OUVIDORIA DO METROREC E FUI MAL ATENDIDO POR UMA ” SIMPÁTICA” E “EDUCADA” EMPREGADA.
    EU PEDI DESCULPA A ELA , POR TÊ-LA INCOMODADO.
    É NORMAL, É VERGONHOSO, SÃO USUÁRIOS MASOQUISTAS, É METROREC, É RECIFE, ESTÁ EXPLICADO.
    PARABÉNS AO WAGNER OLIVEIRA, MAIS UMA REPORTAGEM IMPORTANTE E ÚTIL.
    DEUS NOS DÊ SAÚDE, PAZ, SUCESSOS, SORTE E FELICIDADES, TODOS OS DIAS E SEMPRE, AMÉM.
    ABRAÇO SINCERO.

    ITO CAVALCANTI
    ROSEVILLE, CALIFORNIA, U.S.A..