Vítima de assalto a ônibus pensa em processar o Consórcio Grande Recife

O desabafo abaixo é do leitor Wagner Gonçalves. A esposa dele foi assaltada dentro de um ônibus depois que o motorista abriu a porta para um homem entrar pela traseira sem apresentar qualquer documento. Era um assaltante.

NOTA: À galera que transita de ônibus na Boa Vista. Tenham bastante cuidado e atenção.

Passageiros não sentem segurança nos coletivos. Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A.Press

Passageiros não sentem segurança nos coletivos. Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A.Press

Nova modalidade de assalto: o meliante pede carona aos motoristas de ônibus, QUE AUTORIZAM a entrada pela porta traseira sem a apresentação da carteira de livre acesso, o mesmo senta do seu lado e com porte de arma branca (faca) ou revólver leva seus pertences e ameaça você caso faça algum alarme.

ISSO ACONTECEU COM MINHA ESPOSA ONTEM DIA 13/09/2013 NA LINHA DE ÔNIBUS TORRE/PREFEITURA DA EMPRESA PEDROSA, AO QUAL O MOTORISTA AINDA FOI IGNORANTE COM ELA, PORQUE ELA COGITOU O FATO DELE AUTORIZAR A ENTRADA DE PESSOAS SEM CARTEIRA DE LIVRE ACESSO. FORAM LEVADOS SEUS 2 CELULARES E O DINHEIRO DE PAGAMENTO DOS NOSSOS CARTÕES DE CRÉDITO.

ENTRAREMOS COM UMA CAUSA NA JUSTIÇA CONTRA A GRANDE RECIFE E A EMPRESA DE ÔNIBUS PEDROSA, POIS SABEMOS DA IMPORTÂNCIA DE NÃO DAR CARONA A PASSAGEIROS SEM CARTEIRA DE LIVRE ACESSO, AINDA MAIS QUANDO SE TRATA DE UM ÔNIBUS QUE ENCONTRAVA-SE COM APENAS UMA PASSAGEIRA (MINHA ESPOSA), A QUAL FICARIA NA COMPANHIA DO MELIANTE APARENTEMENTE EM ATITUDE SUSPEITA, POR SE TRATAR DE UM RAPAZ DE RUA QUE FICA NAQUELAS REDONDEZAS DO HOPE, ONDE A PRATICA DESSES FURTOS JÁ SE TORNARAM ROTINEIRAS.

OBS: Quando se trata da entrada de idosos no ônibus pela porta traseira, o motorista e cobrador já vão logo pedindo a carteira sem antes sequer eles terem entrado completamente no coletivo, onde acho isto um desrespeito com o idoso. Mas quando é moleque de rua que pede carona, eles abrem sem problemas expondo a população ao males que já sofremos dia-a-dia (assaltos, furtos, assassinatos…) gerando prejuízos para nós que trabalhamos e damos duro para manter nossas famílias.

REVOLTA, INDIGNAÇÃO E TRISTEZA SÃO OS MEUS SENTIMENTOS NESTE MOMENTO… FAVOR GALERA, COMPARTILHEM PARA QUE POSSAMOS LUTAR DE UMA FORMA INDIRETA SOBRE NOSSOS DIREITOS… OBG A TODOS.

Caso o Grande Recife Consórcio de Transporte queira comentar o assunto, aguardo uma resposta.

10 thoughts on “Vítima de assalto a ônibus pensa em processar o Consórcio Grande Recife

  1. Se pedir na justiça a revogação da concessão da linha, que é pública, alegando a falta de segurança que é obrigação da empresa oferecer, você vai enlouquecer o empresário detentor da concessão. O ideal seria uma ação coletiva, 3 ou mais pessoas.

  2. concordo ,temos que tomar iniciativa ,pra levar a consciência das empresas ,que seus usuarios precisam de mais seguranca!!!…tem meu apoio !!!!!

  3. É um absurdo mesmo esses nossos transportes públicos, não temos conforto, agilidade e muito menos segurança. Tem mais é que entrar com uma ação mesmo contra a ‘Grande’ Recife.

  4. Isso é um absurdo! Já aconteceu comigo e vários amigos, os motoristas deixam pessoas sem acesso livre entrar pela porta de trás, enquanto nós cidadãs cumprimos com os nossos direitos. Os motoristas não cumprem com o seu trabalho e acabamos como vítimas de sua incompetência e falta de responsabilidade com os usuários.

  5. Um absurdo o que aconteceu e o descaso do Motorista diante do ocorrido, acho que deve sim colocar a empresa na justiça e aguardo ansiosamente por uma resposta dos responsáveis. Desta forma não podemos continuar…

  6. É REALMENTE REVOLTANTE, ISSO TAMBÉM ACONTECEU COMIGO NO FINALSINHO DE DEZEMBRO DO ANO PASSADO, EU ESTAVA NO ONIBUS QUE FAZ A LINHA – CAXANGÁ CONDE DA BOA VISTA, UM RAPAZ SUBIU E SENTOU NA CADEIRA DE TRAZ E PEDIU MEU CELULAR E DINHEIRO. NEM OS PASSAGEIROS , NEM COBRADOR E MOTORISTA PERCEBERAM , DESCI DO ÔNIBUS E O MESMO SEGUIU VIAGEM.

  7. É UM ABSURDO! PAGAMOS IMPOSTOS E MERECEMOS RESPEITO,PERCEBO QUE PESSOAS SUSPEITAS ENTRAM PELA PORTA DO MEIO SEM EXIGÊNCIAS ALGUMAS,ENQUANTO OS IDOSOS QUASE SEMPRE SENTEM DIFICULDADES.TEMOS QUE COMENTAR MESMO PESSOAL,E ESSA VÍTIMA TEM MAIS É QUE PROCURAR SEUS DIREITOS.

  8. Alguma coisa se deve fazer, mas acredito que quem deva ressarcir a vítima sejam os criminosos.
    Já vi muitos motoristas abrirem por medo e muitos maloqueiros entrarem às espreitas e, quando descobertos, ameaçarem motoristas e cobradores.
    Embora não isente as empresas de culpa, acredito que seja a polícia quem deva tomar a providência mais cabível.

  9. Passei por situação parecida no último domingo (24/11) e considero bastante justo ser indenizada. Na Praça do Derby, por volta das 16h45, eu subi em um ônibus da linha TI Tancredo Neves/Conde da Boa Vista, que ia para o terminal, na Imbiribeira. Na parada antes do Hospital Português, entraram vários integrantes da Torcida Jovem. Um deles, menorzinho, entrou pela janela. Policiais tentaram impedir o ônibus de sair, mas o motorista arrancou e seguiu viagem, mesmo os passageiros pedindo para parar. A viagem prosseguiu com o movimento habitual desse tipo de público, mas sem estardalhaços até o momento em que um grupo pediu parada e começou a pedir objetos pessoas e tomá-los das pessoas. O fato ocorreu entre a estação de metrô da Imbiribeira e a Universo, eram aproximadamente 17h. Eu estava em pé, de costas para a porta traseira do ônibus, com vários deles o meu redor. Meteram a mão nos meus bolsos, pegaram dinheiro, meteram a mão na minha bolsa-mochila, que estava vestida pela frente, pegaram carregador de celular Nokia, carregador de iPad, fone de ouvido Nokia e um celular Samsung. Além disso, pegaram do meu rosto os meus óculos de grau da marca Rayban, dos quais preciso diariamente para enxergar direito no dia-a-dia e no trabalho. As imagens devem estar registradas nas câmeras de segurança interna da empresa. Roubados alguns objetos, os torcedores bandidos desceram do coletivo. Eu desci umas duas paradas depois, sem me segurar nas lágrimas, e fiquei uns dez minutos sentada na parada de ônibus, feito criança, sem saber o que fazer. Não lembrei de anotar número de ônibus, nem da empresa, mas creio que pela linha e horário em que o coletivo chegou ao terminal seja possível identificar essas informações e solicitar as imagens. Tenho interesse em correr trás, afinal, sou trabalhadora e pago pelos objetos, pelo transporte e, penso, também, que deveria ser me garantida a segurança.