Maconha produzida no Sertão de Pernambuco está contaminada

A maconha produzida no polígono está contaminada. Investigadores da Polícia Federal afirmam que em quase 100% da droga apreendida no Sertão Pernambuco nos últimos meses foram encontrados agrotóxicos. Peritos da PF e médicos afirmam que a presença dessas substâncias representa um risco extra à saúde humana.

Outra descoberta é de que produtores do entorpecente, para burlar a fiscalização, estão levando técnicas utilizadas na agricultura para seus plantios. A bola da vez são os aceleradores de crescimento. Com a aplicação, os pés da droga atingem tamanho ideal para extração em três meses, quando o tempo de crescimento natural seria de até cinco meses.

Equipes da PF realizaram operação no Sertão recentemente. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Equipes da PF realizaram operação no Sertão recentemente. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Segundo o delegado Carlo Marcus Correia, da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da PF em Pernambuco, tem sido frequente encontrar recipientes de agrotóxicos nas plantações descobertas na região do semiárido.

Leia a matéria completa sobre o assunto no segundo dia da série A migração do tráfico, publicada na edição impressa do Diario desta quarta-feira.

Saiba mais sobre o polígono da maconha em:

Confira vídeo da Operação Angico I da PF no Sertão

Polígono da maconha em Pernambuco tem novos lados

5 thoughts on “Maconha produzida no Sertão de Pernambuco está contaminada

  1. Ah, deixa dessa, claro que a maconha na realidade da proibição é uma porcaria, mais uma desvantagem do probicionismo em relação à saúde da população. Legaliza Dilma vez!

  2. Sou usuário de maconha há uns 20 anos e na última década o gosto do fumo mudou completamente, a quantidade de agrotóxico usada é altíssima. É mais um dos malefícios da proibição. Poderia plantar meus pés em casa, seria melhor pra minha saúde e não teria que interagir com traficantes.

  3. Uma pena que esta notícia remeta à área de segurança, pois deveria mesmo constar do assunto agricultura e ajudar a banir os agrotóxicos de nossa vida. Mas a ilegalidade da cannabis no país permite esse contra-censo e omite o uso abusivo das verdadeiras drogas, estão sim ‘legalizada’, como o álcool, os agrotóxicos, os hormônios do crescimento, os anabolizantes, a comida industrializada e muitas outras drogas.

  4. Sinceramente fico triste pois a cidade de Salvador passa pela mesma situação, sou usuário de maconha NATURAL á qual creio que não me faz mal algum, então deixo claro que não apoio de forma alguma que substâncias sejam adicionadas ao plantio que para mim é superimportante tanto para obter qualidade e bem estar. Legalizando a maconha parcialmente ajudaria os usuários que além de não gostar de interagir com bandidos, poderá plantar seu pé em casa e usando de bom censo a sua PRÓPRIA produção, que de fato seria reduzida pelo fato de ele (o usuário) não ver necessidade de plantar um arsenal de maconha na sua casa. NECESSITAMOS DE MACONHA BOA, POIS A SAÚDE É DESGASTADA E DINHEIRO NÃO FAZ ELA RETORNAR!