Policial civil e marido são indiciados por cobrança de propina

A Polícia Civil indiciou por corrupção passiva uma agente lotada na Delegacia de Repressão ao Roubo e Furto de Veículos e o marido dela, que é motorista da Uber. O inquérito, concluído na última sexta-feira, já foi encaminhado à Justiça. O caso também está sendo acompanhado pela Corregedoria Geral da Secretaria de Defesa Social (SDS). De acordo com a investigação, a policial civil e o marido cobraram R$ 1 mil de propina para informar ao proprietário de um carro que havia sido roubado a sua localização.

Inquérito foi apurado pela Delegacia de Boa Viagem. Foto: Bruna Monteiro/DP

Inquérito foi apurado pela Delegacia de Boa Viagem. Foto: Bruna Monteiro/DP

O marido da agente encontrou um veículo abandonado, anotou a placa e verificou que o mesmo havia sido roubado. Depois disso, a policial obteve os dados do proprietário e repassou para o marido. A partir disso, o casal pediu dinheiro para dizer onde o veículo estava e marcou um encontro com o dono, no último dia 7 de fevereiro, no bairro de Boa Viagem. Após negociações, o valor acertado para indicar a localização do carro caiu para R$ 500.

A vítima do roubo, no entanto, acionou a Polícia Militar, que o acompanhou no dia do encontro. O carro havia sido roubado no dia 2 de fevereiro, também em Boa Viagem. Marido e mulher foram detidos no momento em que a vítima chegou com a PM. Na ocasião, a agente da Polícia Civil teria confessado que repassou os dados do proprietário do carro para o marido, informação somente obtida por policiais.

O caso foi encaminhado para a Central de Plantões, mas apenas o marido da policial foi atuado em flagrante. Ao ser apresentado em audiência de custódia, o homem acabou liberado. Agora, o casal vai responder pelo crime em liberdade. Já a policial ainda vai responder a um Processo Administrativo Disciplinar na Corregedoria.

Depois da queda, o coice

Apesar de toda a divulgação na mídia sobre a Lei Maria da Penha, ainda existem seres do sexo masculino que seguem espancando suas companheiras. O número de denúncias, infelizmente, ainda é baixo devido ao medo que as mulheres têm de sofrer represálias. São casos que ganham destaque na imprensa por conta da violência empregada. As agressões costumam ser tão fortes que em alguns casos as mulheres chegam a morrer. O jornal Aqui PE traz em sua manchete de primeira página desta terça-feira mais um desses casos de violência contra mulher. Uma jovem precisou ser atendida em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), depois de apanhar do marido, o qual ela flagrou com outra mulher dentro de casa.

O caso aconteceu no bairro do Ibura, na Zona Sul do Recife, nessa segunda-feira. A vítima contou que depois de encontrar o marido com outra mulher foi espancada por ele. Em entrevista à equipe do Aqui PE, a jovem disse que pela janela flagrou o marido com uma desconhecida. “Eu tentava entrar em casa, mas ele não deixava. Ficava empurrando a porta”, contou. Ela disse ainda ter visto a mulher sair pela porta dos fundos e tentou correr atrás dela. Foi nesse momento que o marido, um homem de 30 anos, a espancou.

A jovem revelou que já havia sido espancada outras vezes e que não denunciava porque era ameaçada. “Essa não foi a primeira vez que ele me bateu, mas agora eu quero justiça e vou até o fim”, destacou a jovem. O casal morava junto há um ano e meio e tem duas meninas gêmeas de oito meses. Se você souber de casos de agressões contra mulheres, denuncie através do telefone (81) 3421-9595.