Modelo que foi solto pela Justiça Federal voltará para o Cotel

Durou poucos dias a liberdade do modelo catarinense Paulo Ricardo Evangelista Mantovani, 28 anos. Depois de ter sido preso no último sábado pela Polícia Federal no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes – Gilberto Freyre com 3,3kg de haxixe, ele acabou liberado no final da tarde do domingo por decisão da Justiça Federal. No entanto, a Polícia Federal solicitou a prisão preventiva do modelo. O Ministério Público Federal e a própria Justiça Federal determinaram a prisão e Paulo Ricardo chegará ao Recife na tarde desta quinta-feira.

Paulo Mantovani voltará para o Cotel. Foto: Polícia Federal/Divulgação

Paulo Mantovani voltará para o Cotel. Fotos: Polícia Federal/Divulgação

A autorização de liberação do modelo foi assinada pelo juiz plantonista Leonardo Augusto Nunes Coutinho. O documento endereçado ao diretor do Cotel, onde Paulo estava preso, determinava que colocasse em liberdade o modelo catarinense, caso por outro motivo ele não devesse permanecer preso. Segundo a Polícia Federal, durante uma entrevista prévia na sala da PF, o passageiro começou a se contradizer em algumas das respostas, e também não soube explicar o que veio fazer no Recife. Ele teve a mochila vistoriada pelos agentes com ajuda de um aparelho de raio-x.

O equipamento constatou a existência de diversas embalagens de formato quadrado. A mochila foi aberta e nela foram encontrados 120 invólucros acondicionados em papel carbono com uma substância que, submetida ao narcoteste, resultou positivo para haxixe, uma resina extraída de maconha que possui uma alta concentração de THC, princípio ativo responsável por produzir o efeito alucinógeno.

Também foi apreendida uma quantia em dinheiro

Além da droga, também foi apreendida uma quantia em dinheiro com o modelo

O suspeito recebeu voz de prisão em flagrante, foi autuado por tráfico internacional de drogas e, caso seja condenado, poderá pegar penas que variam de cinco a 20 anos de reclusão. Após a autuação, o preso realizou exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal (IML) e foi encaminhado para a audiência de custódia onde foi liberado e vai responder pelo crime em liberdade. Além da droga também foram apreendidas passagens aéreas, passaporte, um celular, R$ 1.050 e além de € 1.290 (o equivalente a cerca de R$ 4.500)

No interrogatório, o preso informou que morava em Milão desde 2011, onde teria estudando medicina (sem concluir o curso) e depois foi para a Suécia, onde estudou gestão em consultoria e paralelamente trabalhava como modelo. Disse ainda que seria a primeira vez que trafica drogas e que teria feito para custear empreendimentos que pretendia abrir no Brasil. Ele disse também que recebeu a proposta para transportar o haxixe através de um brasileiro não identificado para ir até Barcelona, na Espanha, para pegar a droga e trazer para o Brasil.

Por fim, o modelo informou que recebeu R$ 12 mil para arcar com as despesas e passagens aéreas e que quando chegou em Barcelona entregou a sua mochila e depois a recebeu de volta com a droga. Ao desembarcar no Recife, caso não fosse preso, iria comprar outra passagem aérea para São Paulo e quando entregasse a droga receberia R$ 35 mil. Na última segunda-feira, a Justiça Federal enviou uma nota ao blog sobre a decisão judical que havia determinado a soltura do modelo.

Em relação à audiência de custódia realizada ontem, 16 de outubro de 2016, a Justiça Federal em Pernambuco (JFPE) esclarece que o juiz federal Leonardo Augusto Nunes Coutinho, titular da 14º Vara em Pernambuco, determinou que o modelo catarinense, de 27 anos, respondesse em liberdade ao crime de tráfico internacional de drogas. Para a formação de sua convicção, considerou o magistrado a natureza e quantidade da droga transportada (3,3 kg de haxixe), o fato de o flagranteado haver colaborado com as investigações, havendo o juiz, em sua decisão, concluído que, a liberdade dele, não poria em risco a ordem pública ou a efetividade do processo, na medida em que comprovado endereço fixo e profissão definida.
 
Ademais, além de haver sido arbitrada fiança (substituída pelo bloqueio de bem do flagranteado), ficou determinado que ele se apresentará mensalmente ao juízo federal do seu domicílio (Santa Catarina), bem como que estava proibido de deixar o pais (teve seu passaporte, computador, dinheiro e celular apreendidos). A propósito, o próprio Ministério Público Federal (MPF), além da Defensoria Pública da União (DPU), pediram a soltura do flagranteado.

Os bastidores da cobertura do caso da menina Júlia Alencar

Ainda no sábado à noite, pouco antes das 23h, recebi a informação de que a menina levada pelo pai havia sido localizada pela polícia do Amapá e que o homem estava preso. Na mesma hora, corri para escrever um texto e postar aqui no blog. A notícia logo foi para as redes sociais do Diario de Pernambuco. No dia seguinte, por volta das 9h, cheguei em frente ao prédio onde mora a mãe da criança, em Casa Caiada, Olinda. O objetivo era saber como ela havia recebido a notícia e o que pretendia fazer de agora em diante.

Fotos: Wagner Oliveira/DP

Dezenas de pessoas aguardavam a chegada dos policiais com a criança e o pai dela. Fotos: Wagner Oliveira/DP

No entanto, no início da tarde de hoje, foi o ponto principal de toda essa cobertura. Era o momento de acompanhar o reencontro de mãe e filha depois de 15 dias afastadas. Além da cena de carinho da mãe com a filha e a expressão de alívio em seu rosto, me chamaram atenção também a satisfação dos policiais pernambucanos envolvidos na investigação e a multidão que esperava para ver não só mãe e filha, mas também a delegada Gleide Ângelo, que comandou os trabalhos.

asjkhdjkas

Um forte esquema policial foi montado na área de desembarque

Dezenas de curiosos e pessoas que se comoveram com a história da menina Júlia Alencar, que havia sido levada pelo pai, fizeram uma festa quando viram a menina com a mãe, Cláudia Cavalcanti, ao lado da delegada Gleide Ângelo no aeroporto do Recife. Aplausos, gritos, fotos e muitas filmagens foi o que se viu na área de desembarque. “Delegada, a senhora é rocheda. Eu sabia que iria dar tudo certo”, gritou uma mulher enquanto registrava as cenas.

pjkahjkads

Depois de entregar a criança à mãe, Gleide Ângelo saiu acompanhada delas

O blog Segurança Pública e o Diario de Pernambuco acompanharam a chegada dos policiais, do pai e da criança e selecionou essas imagens do que aconteceu no aeroporto. O caso do desaparecimento da menina Júlia Alencar, de um ano e dez meses, que havia sido levada pelo pai no último dia 10 de julho ganhou a atenção de muita gente pelo drama vivido pela mãe da garota. Depois de ter sido encontrada pela polícia do Amapá e o pai, Janderson Alencar, preso, a garota voltou ontem para os braços da mãe, a servidora pública Cláudia Cavalcanti.

asjkhdjkas

Jornalistas, fãs e curiosos registravam o reencontro entre mãe e filha

Designados para investigar o desaparecimento de Júlia no último dia 19, as delegadas Gleide Ângelo e Fabiana Leandro e o chefe de investigação Raldney Júnior chegaram ontem ao Recife trazendo a menina que estava aparentemente assustada. O avião que trazia os policiais, a criança e o pai pousou em solo recifense por volta das 12h30. Na área do desembarque do aeroporto, vários jornalistas esperavam para registrar o reencontro de mãe e filha.

alkjdlasjd

Foi difícil de andar até a Delegacia do Turista, onde a menina Júlia reencontrou os outros familiares

A caminhada de Gleide e Cláudia, com a filha nos braços, até a Delegacia do Turista, que fica dentro do aereporto, foi bastante tumultuada. Várias pessoas quase foram derrubadas no chão, inclusive idosas e crianças. Mesmo assim, muita gente fez questão de chegar perto da delegada para dar parabéns por ela ter voltado para o Recife com a criança. Janderson foi levado dentro de uma viatura direto para o IML, onde fez exames e depois seguiu para o Cotel, em Abreu e Lima. Antes da sua saída do aeroporto, o colega fotógrafo Peu Ricardo conseguiu esse registro dele dentro da viatura. Valeu, Peu.

Foto: Peu Ricardo/Esp. DP

O engenheiro Janderson Alencar saiu do aeroporto numa viatura descaracterizada. Foto: Peu Ricardo/Esp. DP

Fique atento para não ser furtado no aeroporto

 

Junto com o mês de julho chegaram as férias e as viagens. Neste período, no Aeroporto Internacional dos Guararapes, o número de passageiros triplica. Assim como a intensa movimentação de viajantes, também cresce o número de furtos. Os cuidados  devem ser redobrados para quem vai viajar de avião.

Para fazer a segurança do aeroporto, além da Polícia Militar também há um efetivo da Polícia Civil, da Polícia Federal, da Companhia de Apoio ao Turista e uma equipe privada contratada pela Infraero. Mesmo assim, o número de furtos no local ainda é bastante significativo nesta época do ano. Segundo o gerente de segurança do aeroporto, Carlos Eduardo de Almeida, apenas as câmeras de segurança e os agentes não são suficientes para zerar o número de ocorrências no local.  “Os passageiros devem ficar sempre atentos a seus pertences, principalmente no período de férias. Como há uma grande movimentação de pessoas e o furto é feito de maneira rápida e discreta, em um descuido a pessoa se torna vítima.”

Os cuidados com a bagagem devem ser redobrados para evitar furtos. Foto: Carolina Braga/Esp.DP/D.A Press (Carolina Braga/Esp.DP/D.A Press)

Segundo o gerente, alguns cuidados podem prevenir possíveis furtos, como não deixar objetos de valor em bancadas ou mesas, não virar as costas para bagagens e, quando for ao banheiro, levar bolsas e malas. Caso seja furtada, a pessoa deve procurar imediatamente a Delegacia do Turista, que fica no Térreo do Aeroporto, próximo ao Portão de Desembarque Sul.

Cuidados com a bagagem
– Não deixar objetos de valor, como notebooks e aparelhos celulares, em bancadas ou mesas
– No check-in, não virar as costas para a bagagem
– Quando for ao banheiro, entrar na cabine com bolsas e malas
– No momento do desembarque não virar as costas para a bagagem

Com informações do Diariodepernambuco.com.br