Identificados suspeitos de furto no valor de R$ 22 mil em shopping

A Delegacia de Boa Viagem está concluindo o inquérito que apurou o furto de cinco relógios de uma loja de marca famosa instalada em um shopping da Zona Sul do Recife. Segundo o delegado Carlos Couto, as cinco peças furtadas estavam avaliadas em R$ 22 mil. Apenas um relógio foi recuperado. Um adolescente e um adulto entraram na loja em horário comercial e furtaram os objetos. Ainda de acordo com a polícia, uma vendedora da loja facilitou o crime. Uma quarta pessoa que estava revendendo os relógios foi identificada. Todos os suspeitos confessaram o crime. Ninguém está preso.

Caso está sendo apurado pelo delegado Carlos Couto. Foto: Julio Jacobina/DP/D.A Press

Caso está sendo apurado pelo delegado Carlos Couto. Foto: Julio Jacobina/DP

“O furto aconteceu no dia 16 de dezembro. Um adulto e um adolescente entraram na loja no momento em que a amiga deles, que era vendedora do estabelecimento, estava sozinha. Ela facilitou a ação. Temos gravações que comprovam isso. Todos eles já foram ouvidos e confessaram o furto. Os donos da loja também já foram ouvidos. Agora os suspeitos serão indiciados pelo crime de furto. Um receptador que estava revendendo os relógios também foi identificado”, explicou o delegado Carlos Couto. A prisão dos suspeitos vai depender do entendimento da Justiça.

PMs suspeitos de furtar jovens na Zona Norte do Recife

A Corregedoria Geral da Secretaria de Defesa Social (SDS) está investigando uma denúncia feita por dois universitários e um autônomo de que quatro policiais militares teriam furtado objetos deles durante uma abordagem policial. Segundo uma das vítimas, o fato aconteceu no final da noite dessa quarta-feira, nas proximidades de uma casa de shows na Zona Norte do Recife. Na denúncia, os rapazes afirmam que tiveram um relógio de marca, uma corrente de prata e dinheiro levados pelos PMs.

Suspeitos dizem que PMs estavam em duas viaturas. Foto: Inês Campelo/DP

Suspeitos dizem que PMs estavam em duas viaturas. Foto: Inês Campelo/DP

“Estávamos dentro do carro com a luz interna ligada e falando com algumas pessoas pelo WhatsApp quando os PMs chegaram. Eles estavam muito violentos e afirmaram que nós estávamos consumindo drogas, o que não era verdade. Depois de passarmos mais de dez minutos com as mãos na cabeça e eles revistando o nosso carro, fomos colocados na mala da viatura, o que não poderia ter acontecido. A gente não estava com nada de errado. Nós famos assaltados pela polícia”, relatou o universitário de 19 anos.

Ainda de acordo com as vítimas, as viaturas que os abordaram eram da Patrulha do Bairro do Alto do Páscoal e de Água Fria. “Percebemos que eles tinham levado nossos pertences depois que fomos liberados da mala da viatura e recebemos a chave do carro. Eles tinham dito para a gente não entrar no carro naquele momento, mas entramos e fomos atrás deles. Depois de um tempo, conseguimos anotar as placas e acionamos a Corregedoria da SDS”, detalhou uma das vítimas.

O universitário de 19 anos contou ainda que os quatro PMs foram chamados para prestar esclarecimentos na sede da Corregedoria, que fica na Avenida Conde da Boa Vista, mas que negaram os fatos e que os quatro foram ouvidos todos juntos. “Além disso, o caso aconteceu antes da meia-noite e eles só chegaram na Corregedoria por volta das 4h da quinta-feira”, relatou.

Aprovada pena maior para uso de explosivo no furto de caixa eletrônico

Da Agência Câmara

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nessa terça-feira proposta que aumenta a pena pelo uso de explosivos no furto qualificado. A ideia é coibir as explosões de caixas automáticos em bancos. A matéria deve ser votada ainda pelo Senado.

A pena atual para o furto simples é de reclusão de 1 a 4 anos e multa. O texto aprovado em Plenário (uma emenda ao Projeto de Lei 3481/12) eleva essa pena para 3 a 8 anos de reclusão em caso de uso de explosivos. O autor do projeto original é o deputado Alexandre Leite (DEM-SP).

Casos acontecem com frequência em Pernambuco. Foto: Teresa Maia/DP/D.A Press

Casos acontecem com frequência em Pernambuco. Foto: Teresa Maia/DP/D.A Press

Nas votações em Plenário, inicialmente foi aprovado o aumento da pena atual em 2/3 por meio de um substitutivo da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, de autoria do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP).

Entretanto, nova votação de uma emenda do deputado Nilson Leitão (PSDB-MT) elevou a pena para 3 a 8 anos de reclusão. Leitão relatou em Plenário o projeto em nome da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Polêmica
A votação da matéria foi marcada por polêmicas em torno de como as mudanças nas penas deveriam ser feitas, se somente no Código Penal (Decreto-Lei 2.848/40) ou se também no Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/03). Prevaleceu apenas a mudança no Código Penal.

Para Faria de Sá, o foco do projeto é a mudança no Código Penal e não em outras leis. “Com a aprovação do texto poderemos coibir o uso de dinamites para esse tipo de crime, que coloca, às vezes, populações inteiras de uma cidade em perigo”, disse.

Críticas foram feitas ainda à votação rápida em Plenário de projetos, sem passar pelas comissões.

Roubo de arma
A emenda aproveitou ainda dispositivos do parecer do relator anterior pela CCJ, deputado Alessandro Molon (PT-RJ), cujo substitutivo não foi votado na comissão nem no Plenário.

A proposta de Molon que foi incorporada ao texto prevê aumento de 1/3 da pena pelo roubo de arma de fogo, munição e explosivo. A pena atual prevista no código é de reclusão de 4 a 10 anos.

Furto de explosivos
Com a aprovação de dois textos pelo Plenário (substitutivo e emenda), não ficou claro na redação final qual será a pena maior para o crime de furto qualificado de explosivos.

O substitutivo da comissão prevê 3 a 8 anos de reclusão para o furto de substâncias explosivas ou de acessórios que permitam sua fabricação, montagem ou emprego.

Já a emenda estipula aumento de 1/3 à metade da pena de 1 a 4 anos de reclusão se o furto for de bem público, arma de fogo, munição ou acessório explosivo.

Muita gente foi furtada na Trivela

As mulheres continuam sendo as maiores vítimas de furtos de telefones celulares durante grandes eventos. Foram muitas as reclamações da mulherada que teve o aparelho levado, principalmente das bolsas, na noite desse sábado durante a Trivela. Os furtos aconteceram tanto na área da pista quanto no camarote.

Enquanto Asa tocava, os "espertinhos" faziam a festa na Trivela. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Enquanto Asa tocava, os “espertinhos” faziam a festa na Trivela. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

A polícia afirma que existe uma quadrilha especializada nesse tipo de crime. Os ladrões compram os ingressos caros e ficam circulando no meio das pessoas para aproveitar os momentos de descuido e furtar o que estiver a seu alcance. Os iPhones são os produtos mais cobiçados.

Nem mesmo a presença de seguranças contratados pela organização do evento faz os bandidos ficarem inibidos. A dica é evitar levar coisas de valor para lugares com muita gente e, se levar, ficar atento. No caso das mulheres, nunca deixem suas bolsas de lado ou para trás. Tentem deixá-la sempre à sua frente.

Leia mais sobre o assunto em:

Furtos de iPhones em festa e camarotes Vips em alta no Recife

Pernambuco terá mais 47 câmeras de monitoramento até o final deste mês

Até o final deste mês, o estado de Pernambuco deverá receber mais 47 câmeras de videomonitoramento. O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira durante uma coletiva de imprensa realizada pelo secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, na qual ele apresentou os resultados das ocorrências registradas através das câmeras instaladas no Grande Recife.

Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Imagens foram apresentadas à imprensa. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

De acordo com o balanço da SDS, de janeiro até o final de setembro, um total de 6.145 casos foram flagrados pelos equipamentos dos quais, 76 resultaram em prisões em flagrante e 62 em registros de Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs). Atualmente, 535 câmeras são monitoradas pelas SDS. A maior parte delas, 519 estão espalhadas pelo Recife. As outras 16 estão instaladas no Sítio Histórico de Olinda.

Foto:

Damázio disse que equipamentos são importantes. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Das 47 novas câmeras que serão instaladas, 20 serão colocadas no município de Caruaru, no Agreste, 20 em Petrolina, no Sertão, e outras sete na Avenida Presidente Kennedy, na cidade de Olinda. De acordo com a SDS, as principais ocorrências vistas pelas câmeras são crimes de furto, pichações e atos obscenos.

 

Novos depoimentos no caso Sérgio Falcão

Três novos depoimentos estão marcados para a próxima semana no inquérito que a apura a morte do empresário da construção civil Sérgio Falcão, 52 anos, que foi encontrado morto dentro do seu apartamento no dia 28 de agosto do ano passado, na Avenida Boa Viagem.

Empresário tinha 52 anos. Foto: Júlio Jacobina/DP/D.A/Press

Empresário tinha 52 anos. Foto: Júlio Jacobina/DP/D.A/Press

Devem ser ouvidos pelo delegado Erivaldo Guerra, da Delegacia de Boa Viagem, a mãe e o sobrinho de Sérgio e outra pessoa que não teve a identidade revelada. Ontem pela manhã, o delegado ouviu o depoimento do chaveiro que teria sido contratado para abrir os cofres do empresário, que ficavam em dois escritórios. A polícia está investigando o suposto furto de um valor de R$ 350 mil que pertenciam a Sérgio Falcão.

Apesar de não poder comentar o teor do interrogatório do chaveiro, o delegado Erivaldo Guerra informou que o depoimento durou aproximadamente uma hora. O rapaz, que não teve o nome revelado, teria sido contratado pela família do empresário para abrir os cofres que ficam no escritório de Falcão e no da mãe dele, ambos localizados na Avenida Domingos Ferreira, no bairro de Boa Viagem, Zona Sul do Recife.

O caso começou a ser investigado depois que a viúva do empresário, Adriana Miranda, formalizou, no mês de julho, uma queixa-crime alegando que, dias após a morte de Falcão, os familiares retiraram o dinheiro do cofre. A família do empresário informou que os cofres foram abertos mas apenas para a retirada de fotografias e documentos de Sérgio Falcão.

Em entrevista ao Diario no ínicio desta semana, o advogado da irmãs do empresário, Ernesto Cavalcanti, declarou acreditar que a queixa feita pela viúva foi uma maneira de prejudicar os familiares que estão disputando a guarda do filho do casal na Justiça. A avó paterna conseguiu o direito de ficar com a criança em fins de semana intercalados e em alguns dias da semana preestabelecidos.

Espertinhos de mãos bobas nas entradas de shows no Recife

Nesse final de semana, fui para uma casa de shows no Recife que tem sido um dos locais mais badalados nos últimos meses. Grandes artistas têm se apresentado no espaço. Como cheguei antes dos meus amigos, fiquei cerca de 15 minutos na porta da casa de shows para esperá-los e entrarmos juntos. Nesse pequeno intervalo, conversei com duas pessoas que estavam vendendo bebidas na frente da festa.

Além das dezenas de cambistas que circulavam de um lado pra outro gritando que compravam ingressos sobrando, observei que havia pelos menos três homens que não estavam ali vendendo nem comprando nada. Um deles tinha até um guarda-chuvas preso às costas. Antes que eu perguntasse, os vendedores ambulantes com os quais eu estava batendo um papo alertaram: “esses são os batedores de bolso”. Sem serem notados pelos seguranças que atuam apenas a partir da portaria da casa de shows, esses homens se aproveitam dos descuidos de algumas pessoas para praticar furtos.

“Eles ficam por aí cubando as pessoas que chegam pra festa. Quando um cambista está vendendo o ingresso às pessoas eles ficam por perto. Se alguém der um vacilo, eles roubam mesmo. E quando está no aperto, com muita gente, eles metem a mão nos bolsos e nas bolsas das pessoas. Tenha cuidado, meu filho”, disse um dos ambulantes. Fica aqui, então, o alerta para os responsáveis pelas casas de shows, para a polícia e, sobretudo, para as pessoas que costumam ir para festas à noite.

Leia mais sobre o assunto em:

Furtos de iPhones em festa e camarotes vips em alta no Recife

Delegacia do Turista investiga furto à delegação da Espanha

A Delegacia do Turista da Polícia Civil de Pernambuco abriu inquérito para apurar a denúncia de um suposto furto à delegação da Espanha, ocorrido dentro do Hotel Golden Tulip, em Boa Viagem, onde os europeus se hospedaram em sua passagem pelo Recife. A polícia tem 30 dias para concluir as investigações.

Seleção da Espanha ficou hospedada em Boa Viagem. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Seleção da Espanha ficou hospedada em Boa Viagem. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

A primeira versão indicava que os quartos de alguns atletas teriam sido violados por um funcionário do hotel. Outra apontava que a delegação teria participado de um jantar após a vitória sobre o Uruguai, embalado por uma banda de pagode. Na sequência, cinco jogadores e um membro da comissão técnica teriam subido para um dos aposentos com cinco mulheres para uma partida de strip poker. Durante essa festinha particular, alguns pertencentes teriam desaparecido.

O diretor da Capital e da Região Metropolitana da Polícia Civil, Luiz Andrey, informou que o delegado Luiz Alberto será o responsavel pelo inquérito. “Um total de 27 pessoas que trabalham no hotel já foram ouvidas e enviamos uma carta precatória para o Rio de Janeiro e pessoas da delegação espanhola serão ouvidas para falarem efetivamente o que teria ocorrido”, afirmou Andrey.

Plenário pode votar projetos sobre crimes e penas

O Plenário pode votar neste ano nove projetos de lei que modificam penas atualmente previstas na legislação brasileira para diferentes tipos de crime. Em alguns casos, como no homicídio, a sanção é agravada. Em outros, como o furto, a pena é diminuída. As propostas são o resultado do trabalho da Subcomissão de Crimes e Penas, que faz parte da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). Durante vários meses, o grupo ouviu especialistas e discutiu uma reforma pontual no Código Penal (Decreto-Lei 2.848), que é de 1940, e também propôs mudanças na Lei dos Crimes Ambientais (9.605/98) e nos estatutos do Idoso (Lei 10.741/03) e da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/90), a fim de reequilibrar penas. “Propomos um ajuste na legislação penal brasileira de forma que ela se torne mais justa. Crimes mais graves devem receber punição mais dura e crimes mais leves, punição proporcional”, explica o relator da subcomissão, deputado Alessandro Molon (PT-RJ).

Crimes contra a vida
Na opinião de Molon, o aspecto mais relevante dos trabalhos é o agravamento das penas dos crimes contra a vida. Um dos projetos (o PL 4893/12) aumenta a pena mínima prevista para os casos de homicídio simples – de seis para oito anos de reclusão. A proposta também inclui os homicídios causados por preconceito de raça, condição socioeconômica ou religião, por exemplo, entre os homicídios qualificados, com pena de reclusão de 12 a 30 anos. Se virar lei, essa pena também passará a valer para os homicídios ligados a atos de improbidade administrativa.

Outro projeto aumenta as penas dos crimes de corrupção. O PL 4895/12 prevê pena de 4 a 15 anos de reclusão para os casos de corrupção qualificada, novo conceito definido pela proposta. Incorre no crime o funcionário que retarda ou deixa de praticar qualquer ato de ofício, pratica-o infringindo dever funcional, viola lei ou normas administrativas; causa elevado prejuízo ao patrimônio público; e desvia valores ou utiliza mal recursos destinados a serviços públicos essenciais, como saúde e educação. Atualmente, para o funcionário que infringe o dever funcional, o Código Penal estabelece detenção de três meses a um ano ou multa.

…Continue lendo…