Pelo menos foi seguro na Arena

Diante de tantas reclamações e da tamanha repercussão da “tragédia” que foi o retorno do jogo entre Espanha e Uruguai na Arena Pernambuco, pelo menos uma boa notícia pode ser destacada. Segundo a polícia, apenas seis registros foram feitos na delegacia móvel instalada no local para atender ao público do jogo.

Apenas seis registros policiais foram feitos na Arena. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Seis registros policiais foram feitos na Arena. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

As queixas feitas aos policiais civis que estavam trabalhando foram de uma perda de documentos e cinco de perdas de ingressos. Também, depois de enfretarem filas quilométricas, apertos, espera para comprar comida e muita falta de informação, para o dia terminar pior só faltavam os “espertinhos” terem aparecido por lá para afanar carteiras e celulares do público.

Confira o esquema de segurança da SDS para a Copa das Confederações

3.294 Policiais Militares
299 Policiais Civis
335 Bombeiros
26 Homens da Polícia Científica
448 Policiais rodoviários federais
541 Policiais federais
240 Guardas Municipais/CTTU

Pernambuco pronto para enfrentar as broncas da Copa das Confederações

Enquanto os jogadores das seleções que irão disputar a Copa das Confederações estão preocupados em treinar para suas partidas, um efetivo de mais de cinco mil servidores da segurança pública de Pernambuco está nos ajustes finais para usar o arsenal de segurança para evitar grandes incidentes, caso seja preciso. A Secretaria de Defesa Social (SDS) recebeu os equipamentos de segurança que serão usados durante a Copa das Confederações e Copa do Mundo.

Equipamentos foram recebidos pela SDS. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Equipamentos foram recebidos pela SDS. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Também foi inaugurado o Centro Integrado de Comando e Controle Regional de Pernambuco (CICCR), de onde serão monitoradas e planejadas as ações de segurança. Entre os dispositivos estão bombas, robô antibomba, imageador aéreo e plataforma de observação elevada.

Policiais receberam treinamento para usar material.

Policiais receberam treinamento para usar material. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A Press

Saiba mais

a segurança para a Copa

3.294
policiais militares

299
policiais civis

335
Bombeiros

26
Homens da Polícia Científica

448
Policiais rodoviários federais

541
Policiais federais

240
Guardas Municipais/CTTU

 Leia mais sobre o assunto em:

Robôs serão usados para detectar e detonar explosivos na Copa

Equipamentos de segurança para a Copa das Confederações serão entregues

Os equipamentos de segurança que serão utilizados pelos órgãos que compõem o sistema estadual de segurança pública será entregues à Secretaria de Defesa Social na tarde desta quinra-feira. A doação está sendo feita pelo Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Especial de Segurança para Grandes Eventos.

Também nesta tarde, será inaugurado o Centro Integrado de Comando e Controle Regional de Pernambuco (CICCR), que vai integrar serviços referentes à segurança pública. O centro vai abrigar os serviços de emergência que estão à disposição da população e são oferecidos por órgãos como a Polícia Militar, Corpo de Bom,beiros, Polícia Federal, Celpe, Compesa e Samu. O evento vai acontecer nas seis cidades que serão sede da Copa das Confederações, simultaneamente.

Serão entregues duas carretas equipadas para funcionarem como Centros Integrados de Comando e Controle Móvel, kit desencarcerador (equipamento usado pelos Bombeiros para liberar pessoas presas a ferragens em caso de acidentes automobilísticos), imageador aéreo (instalado na aeronave Grupamento Tático Aéreo – GTA da SDS), armamentos menos letais, plataforma elevada de observação, dentre outros.

Com informações da assessoria de comunicação

 

Robôs serão usados para detectar e detonar explosivos na Copa

Três robôs da Polícia Federal vão operar durante a Copa das Confederações para detectar bombas e explosivos no período da competição, de 15 a 30 de junho. De fabricação norte-americana, os equipamentos, que pesam mais de 40 quilos e têm quatro câmaras integradas, destroem os artefatos suspeitos com jatos d’água.

“Os robôs têm iluminação própria, capacidade para vasculhar locais e remover e desarticular ameaças. Estamos fazendo vários testes para que eles sejam usados nas duas copas que vão acontecer no aqui no Recife”, contou o perito criminal federal e coordenador de vistorias e contramedidas da PF, Laplace Ramalho Medeiros. Na manhã de ontem, um dos robôs foi testado para destruir um objeto dentro de uma mala. Apesar do tiro certeiro, o equipamento apresentou um pequeno defeito.

Robô funciona por controle remoto. Foto: Julio Jacobina/DP/D.A Press

Robô funciona por controle remoto. Foto: Julio Jacobina/DP/D.A Press

“O canhão soltou-se do corpo do robô, mas o alvo foi atingido. Estamos na fase final de treinamento dos 35 policiais federais que irão trabalhar diretamente com os robôs. Eles serão utilizados, por exemplo, em situações onde bolsas sejam esquecidas em lugares suspeitos ou quando os técnicos acharem necessário destruir algum objeto suspeito”, contou Laplace.

Ainda segundo o perito, as pessoas que vierem a Pernambuco devem ficar atentas às suas bagagens, pois aquelas esquecidas, se houver necessidade, serão destruídas. “As bolsas deixadas por esquecimento no aeroporto, em trens e metrôs podem ser abertas e danificadas, caso sejam consideradas suspeitas. Por isso, é preciso atenção”, ressaltou Medeiros.

Cães estão sendo treinados para a Copa

Willy, Parada, Zumbi e Apolo, os cães farejadores da Companhia Independente de Policiamento com Cães, estão fazendo uma série de treinamentos para identificar explosivos e evitar tragédias em caso de atentado terrorista na Copa das Confederações, em junho, e na Copa do Mundo, em 2014. Ontem, eles foram a grande atração da Estação Central de Metrô, em São José. O local foi escolhido por sua importância e movimentação. Quase 70 mil pessoas passam pela estação todos os dias.

Esse foi o primeiro exercício prático numa estação de metrô visando as competições que o estado receberá. Operação semelhante já foi feita no TIP, no Curado. Os cães levaram segundos para localizar a emulsão explosiva escondida dentro de um carro e na locomotiva. Na próxima semana, o teste será repetido no Centro de Manutenção do Metrô, em Cavaleiro, Jaboatão. “Os cães precisam ser treinados nestes locais para se familiarizarem com a movimentação, os ruídos. Tudo isso interfere no desempenho”, contou o chefe de Operações da CIPcães, o tenente Jonathan Gomes. Hoje, a Companhia conta com 97 animais adestrados.

As Copas, os Jogos Olímpicos e a segurança pública no Brasil

*Artigo

 

Embora em ritmo aquém do desejado, os investimentos necessários para a realização no Brasil da Copa das Confederações, Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016 estão avançando. Em uma área essencial, contudo, os planos ainda não estão traçados. O que o país fará para garantir a segurança pública nas cidades que sediarão os jogos e receberão, além das delegações, dezenas de milhares de turistas? O que será feito para assegurar que todos os órgãos públicos e de segurança disponham da infraestrutura tecnológica e de comunicações para atender às demandas de missão crítica?

O Brasil precisa definir rapidamente as respostas a essas questões. Especialmente, porque essas respostas não só estabelecerão o tipo de segurança e de tecnologia que se quer para esses eventos, mas também o legado de segurança pública que será oferecido à sociedade nos próximos anos.

Um dos passos a serem seguidos para equipar as cidades e os Estados é a definição, por parte do governo, da faixa de espectro de tecnologia LTE a ser utilizada pelos órgãos de segurança pública. De preferência uma faixa dedicada, capaz de atender às necessidades específicas dessa área, além de oferecer folga para o futuro.

É necessário iniciar o processo de especificação e padronização das tecnologias e dos equipamentos a serem utilizados. Entre as soluções que podem ser licitadas e utilizadas, estão: as redes Wi-Fi, os sistemas digitais de rádiocomunicação, as centrais de comando e controle, os computadores móveis, entre outros.

A grande tendência tecnológica, principalmente levando em conta as características do Brasil, é a implementação de centrais de comando e controle em que os aplicativos para despacho das ocorrências são os elementos mais importantes para que as forças possam tomar decisões precisas e de forma rápida no momento em que os problemas são detectados pelo sistema. Sem essa função, as centrais perdem em eficiência e não atendem às exigências de missão crítica que as operações de segurança demandam.

Nas licitações, a serem realizadas após o processo de escolha, é preciso que se garanta abrangência – para que todas as empresas possam se candidatar – e, ao mesmo tempo, seletividade, para que sejam habilitados somente fornecedores qualificados e bem preparados, capazes de atender às exigências de uma área estratégica e vital para o País.

Outro passo que representa um grande desafio é mensurar o porte do investimento que cada Estado e cada município vão requerer para atingir os níveis de exigência tecnológica da Fifa e do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos. E, nessa etapa, é preciso levar em conta que as soluções que forem adotadas precisam atender não somente a esses critérios, mas também serem capazes de se transformar num legado para a população. Ou seja, os novos sistemas de segurança pública devem também atender às necessidades da sociedade brasileira nos próximos anos.

Outra questão que precisa ser analisada é a capacitação do contingente que irá operar esses sistemas e dar suporte ao trabalho dos órgãos de segurança pública. Precisaremos contratar pessoas e treiná-las para operar os equipamentos, seja na rua, nos centros de comando e controle ou em corporações como Polícias Militar e Civil e Corpos de Bombeiros.

Se conseguirmos implementar uma boa infraestrutura de sistemas de videovigilância nas 12 capitais que sediarão os jogos da Copa do Mundo, o Brasil certamente se tornará uma referência em segurança pública e confiabilidade, pois conseguiremos entregar à população as melhores soluções disponíveis.

*Wagner Andrade

Diretor de novos negócios da Motorola Solutions no Brasil