Presos fazem ioga para reduzir tensão

Do Diario de Pernambuco, por Anamaria Nascimento

Detento do Presídio Juiz Antônio Luiz Lins de Barros, Luiz Alberto Pessoa, 42 anos, conta que viu o mar sem sair da unidade que integra o Complexo Prisional do Curado, antigo Aníbal Bruno. A experiência aconteceu durante uma sessão de meditação em curso ministrado para 53 internos ontem. A aula faz parte do projeto de reabilitação de presos Prision Smart, criado pela Organização Internacional Arte de Viver.

Fotos: Fernando Portto/SJDH

Fotos: Fernando Portto/SJDH

As técnicas de ioga, meditação e respiração foram ensinadas pelo instrutor da Arte de Viver Ismael Mastrini. O curso chega ao fim hoje. As aulas acontecem desde segunda-feira na igreja localizada entre os pavilhões do presídio que tem capacidade para 992 detentos, mas que tem 3.228 internos atualmente.

O curso segue o mesmo modelo dos oferecidos em prisões da Argentina, Uruguai, Chile, Paraguai e México. No Brasil, experiências semelhantes foram realizadas no Rio de Janeiro, em 2012. “As realidades nos presídios são muito parecidas. O grupo normalmente chega com alguns receios, mas torna-se receptivo e termina o curso mais tranquilo e com menor índice de violência”, destacou Mastrini.

Luiz Alberto, que não quis comentar a pena que cumpre no presídio, disse que a experiência foi positiva e alegou sentir-se mais leve após os momentos de meditação. “Começamos o curso com meditações em tempos mais curtos. Depois, conseguimos flutuar. Vi a praia. Outros viram a família, um campo”, relatou Alberto.

Insalubridade
Um relatório da Human Rights Watch, divulgado este mês, mostrou que um dos maiores focos de HIV e tuberculose em Pernambuco está nos presídios. Intitulada “O estado deixou o mal tomar conta – a crise do sistema prisional do estado de Pernambuco”, a pesquisa apontou a existência de uma epidemia das duas doenças nas unidades prisionais do estado.

Segundo o documento, são 2.260 casos de tuberculose por 100 mil presos, ou seja, uma taxa quase 100 vezes maior que a média na população brasileira. A prevalência de infecções pelo vírus HIV é mais de 42 vezes maior que a verificada na população brasileira em geral, chegando a 870 casos por 100 mil presos.

Polícia conclui caso da adolescente Beatriz Vital e prende suspeito

O delegado Carlos Barbosa da DPCA de Jaboatão apresenta nesta terça-feira a conclusão do inquérito que apurou o desaparecimento da adolescente Maria Beatriz Vital, 15 anos. A garota estava desaparecida desde o dia 25 de janeiro deste ano e seu corpo foi encontrado carbonizado em um matagal, em Ponte dos Carvalhos, no Cabo de Santo Agostinho. Beatriz morava no Curado IV, em Jaboatão dos Guararapes.

Segundo a polícia, o suspeito do crime, que era namorado da vítima, foi indiciado pelo assassinato e acabou preso. Durante a fase de investigação o rapaz de 29 anos negou que tivesse envolvimento no desaparecimento da jovem. Os detalhes do caso serão revelados no auditório da sede operacional da Polícia Civil de Pernambuco, na Rua da Aurora, na Boa Vista.
Leia mais sobre o assunto:

Parentes e amigos querem solução para desaparecimento de adolescente

Detentos de Pernambuco também terão uniformes

Não são apenas os adolescentes da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) que passarão a usar fardamento no estado. De acordo com a Secretaria de Ressocialização (Seres), já foi escolhida a empresa que será responsável pela confecção do fardamento para todos os 29 mil presos em Pernambuco. Atualmente, apenas os detentos concessionados, ou seja, aqueles que têm autorização para trabalhar dentro do Complexo Prisional do Curado, antigo Aníbal Bruno, estão vestindo uma farda de cor laranja.A vestimenta de cor laranja está sendo usada pelos apenados desde o mês de fevereiro do ano passado.

A princípio, a determinação causou um certo mal-estar nas três unidades do complexo, o que não está mais acontecendo atualmente. Segundo a assessoria de comunicação da Seres, ainda não há uma data definida para que todos os presos do sistema penitenciário passem a usar o fardamento. A decisão, inclusive, pode trazer problemas para a administração penitenciária. Segundo agentes penitenciários do estado ouvidos em reserva pelo Diario, os presos não estariam dispostos a aceitar a imposição do uso de uniformes. “Alguns detentos já avisaram que irão se recusar a usar a farda e isso pode se transformar em um problema muito maior”, alertou um agente.

Leia mais sobre o assunto em:

Internos da Funase passarão a usar fardamento

Balas perdidas continuam acertando inocentes

 

Um suposto assaltante que estaria comemorando um assalto na tarde desse sábado foi assassinado logo após deixar o bar onde estava bebendo, no bairro do Curado. Além disso, uma mulher que estava trabalhando em seu salão de beleza acabou sendo atingida por uma das balas que era direcionada ao rapaz. A polícia ainda não sabe quem foi ou quem foram os autores dos disparos. Talvez o crime que vitimou duas pessoas ao mesmo tempo,  uma delas fatalmente, nem seja esclarecido e os culpados punidos. Mas o que intriga e revolta é que uma pessoa que nada tinha a ver com a história por pouco não perdeu a vida.

Uma cabeleireira, que estava trabalhando dentro do seu estabelecimento, foi ferida por uma bala perdida. A mulher foi socorrida e levada para um hosital. Ao que parece, não corre risco de morte. Porém, poderia entrar para as estatísticas como mais uma vítima de homicídio no estado. Até quando as pessoas irão insistir em usar armas de fogo para resolver os seus problemas e desavenças? Até quando pessoas inocentes irão pagar com a vida pela fúria incontrolável dos outros? São casos como esses que nos fazem entender o  motivo de Pernambuco ser apontado com um estado violento e perigoso para se morar. Embora a polícia tenha se empenhado para reduzir a criminalidade.

Veja abaixo a matéria publicada no portal do Diariodepernambuco.com.br na manhã deste domingo.

Uma bala perdida atingiu a dona de um salão de beleza na tarde do sábado quando quatro homens não identificados executaram um ex-presidiário no bairro do Curado, em Jaboatão. Segundo informações repassadas por testemunhas, Leonardo Bruno de Souza, mais conhecido na comunidade como Bruno Bicudo, estava bebendo em um bar na Rua Nossa Senhora Imaculada quando foi abordado por uma senhora que o perguntou o que ele comemorava.

O homem teria dito que estava feliz por uma ‘parada’ que deu certo. Pouco depois, ao passar pela Rua Nossa Senhora da Conceição, foi alvejado. Margarida Frutuoso Coelho da Silva, de 43 anos, que trabalhava na hora do crime, foi atingida dentro do salão de sua propriedade. A mulher foi socorrida para uma unidade de saúde próxima. O caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).