Após assalto e morte em Piedade, PM diz que vai reforçar policiamento

Enquando a Polícia Civil de Pernambuco segue investigando o latrocínio (assalto seguido de morte) que vitimou o bancário aposentado Manfredo de Andrade Sarda, 76 anos, na noite do último domingo, a Polícia Militar garantiu reforço no policiamento no bairro de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes. O aposentado foi morto depois que dois homens ainda não identificados invadiram sua casa, na Rua Brigadeiro Melibeu, e fizeram a família de refém. Manfredo tentou reagir, utilizando um revólver de sua propriedade, mas foi morto com um tiro no abdômen. O corpo dele foi cremado no Cemitério Morada da Paz, em Paulista. O caso está sendo acompanhado pela Divisão de Homicídios Sul.

Crime aconteceu nesta residência. Foto: Thalyta Tavares/Esp.DP

Por meio de nota, a Polícia Militar informou que “o policiamento no bairro de Piedade é  feito por Guarnições Táticas, que realizam rondas ostensivas com abordagens. No local existe o apoio do Grupo de Apoio Tático Itinerante (Gati) e Motopatrulheiros que recobrem toda a região. O comandante do 6º Batalhão, responsável pela área, já solicitou o reforço no bairro, que contará com rondas de motopatrulheiros garupados (dois policiais em uma moto), para dessa forma, coibir as incidências de crimes na região. A PM reitera a importância dos registros de ocorrências através do 190 e de Boletim de Ocorrência nas Delegacias da Polícia Civil.”

De acordo com familiares da vítima, Manfredo estava dormindo quando sua esposa foi surpreendida por um bandido dentro de casa. A família suspeita que o criminoso tenha entrado no imóvel pulando o muro. A dona da casa, Geruza Wacemberg, foi rendida e pediu que o seu filho abrisse a porta do imóvel, no térreo, para que o outro assaltante entrasse no imóvel. “Os criminosos estavam gritando muito e chegaram a apontar uma arma para a cabeça da nora de Manfredo, que é promotora de Justiça na Paraíba. Eles não respeitaram nem a presença de duas crianças do imóvel. No meio da confusão, Manfredo acordou e pegou um revólver calibre 22 que ela tinha guardado. Quando chegou na escada foi baleado por um dos ladrões”, contou um parente da vítima que preferiu não ter o nome publicado.

Caso Artur Eugênio: dois acusados foram condenados

Após a condenação de dois dos quatro acusados presos pela morte do médico Artur Eugênio Pereira, 36 anos, a expectativa da família agora é para que acontece o julgamento dos outros dois réus. O júri popular que estava sendo realizado desde a última quarta-feira condenou Cláudio Amaro Gomes Júnior a 34 anos e quatro meses de prisão em regime fechado. Já Lyferson Barbosa da Silva foi condenado a 26 anos e quatro meses de detenção, também em regime fechado.

Os pais do médico acompanharam o julgamento. Foto: Karina Morais/Esp.DP

Os pais do médico acompanharam o julgamento. Foto: Karina Morais/Esp.DP

A sentença foi anunciada às 4h desta segunda-feira. Logo após o anúncio, os defensores dos dois réus recorreram da decisão, para tentar diminuir as penas. A juíza Inês Maria de Albuquerque Alves, da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Jaboatão dos Guararapes, pediu várias vezes aos presentes para evitarem manifestações. A viúva do cirurgião, Carla Azevedo, gesticulou em agradecimento pela decisão. O julgamento que durou cinco dias aconteceu no Fórum de Jaboatão dos Guararapes.

Artur Eugênio foi encontrado morto no dia 12 de maio de 2014, na BR-101, no bairro de Comporta, Jaboatão. Segundo denúncia do Ministério Público, o crime teria sido motivado por desentendimentos entre ele e Cláudio Amaro Gomes, seu ex-chefe. Cláudio teria contado com a ajuda do filho, que teria pago Jailson para contratar outros dois envolvidos, Lyferson e Flávio Braz, para matar Artur Eugênio. Flávio morreu numa troca de tiros com a Polícia Militar no dia oito de fevereiro do ano passado.

Médico foi assassinado no dia 12 de maio de 2014. Foto: Tv Clube/Reprodução

Médico foi assassinado no dia 12 de maio de 2014. Foto: Tv Clube/Reprodução

A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) decidiu que o cirurgião Cláudio Amaro Gomes, acusado de ser mandante da morte do colega Artur Eugênio, irá a júri popular juntamente com Jailson Duarte César, também envolvido no assassinato. O Poder Judiciário negou um recurso protocolado pelos réus, que tentavam evitar o tribunal do júri. A data da sessão ainda não foi definida e a defesa de ambos pode recorrer.

Cláudio Amaro está preso no Centro de Observação e Triagem, em Abreu e Lima, desde junho de 2014. O médico responde por homicídio duplamente qualificado (por motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa da vítima). Jailson Duarte César responde por homicídio duplamente qualificado e dano qualificado.

Acusados da morte de médico serão julgados a partir desta quarta-feira

Dois acusados pela morte do cirurgião torácico Artur Eugênio de Azevedo, 36 anos, sentarão hoje no banco dos réus. O júri popular dos acusados Cláudio Amaro Gomes Júnior e Lyferson Barbosa da Silva acontece no Fórum de Jaboatão dos Guararapes e pode durar até sete dias. O crime que teve repercussão em todo o estado chocou também a comunidade médica depois que a Polícia Civil concluiu a investigação.

Os dois acusados do meio serão julgados primeiro. Foto: Reprodução/ TV Clube

Os dois acusados do meio serão julgados primeiro. Fotos: Reprodução/ TV Clube

O inquérito apontou que o médico Cláudio Amaro Gomes, que já havia sido chefe de Artur, seria o mandante do crime. Além dele, foram apontados no crime o seu filho Cláudio Júnior, Lyferson, e Jailson Duarte Cesar. Os quatro estão presos no Centro de Triagem, em Abreu e Lima. Havia um quinto envolvido, Flávio Braz de Souza, morto em troca de tiros com a polícia em fevereiro do ano passado, antes da decretação das prisões.

Os outros dois acusados, Cláudio Amaro Gomes e Jailson Duarte aguardam recurso da decisão de irem a júri popular. O pedido está sendo analisado pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). O médico Artur Eugênio foi assassinado no dia 12 de maio de 2014. O corpo do cirurgião foi encontrado na BR-101, no bairro de Comporta, no município de Jaboatão dos Guararapes. Segundo a denúncia do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), o crime teria sido motivado por desentendimentos profissionais entre Cláudio Amaro e a vítima. Os acusados negam participação no assassinato.

Médico foi assassinado no dia 12 de maio de 2014. Foto: Tv Clube/Reprodução

Artur Eugênio foi assassinado no dia 12 de maio de 2014

No início deste mês, a esposa e os pais de Artur concederam uma entrevista para falar sobre o julgamento. “Espero que agora esteja chegando ao final. Esse processo todo nos desgasta e reviver tudo isso, voltar a discutir em detalhes, é extremamente doloroso. Como se fosse mexer em uma ferida aberta. Mas a família está unida e se mantendo forte”, disse a médica Carla Azevedo, esposa de Artur, no dia da coletiva.

O médico Cláudio Amaro Gomes responderá por homicídio duplamente qualificado (por motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa da vítima). O acusado Cláudio Amaro Gomes Júnior será julgado por homicídio duplamente qualificado (por motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa da vítima) – em concurso material com furto qualificado mediante fraude com comunicação falsa do crime e dano qualificado pelo uso de substância inflamável, material usado para queimar o carro da vítima, que também foi roubado.

Já os acusados Lyferson Barbosa da Silva e Jailson Duarte César responderão por homicídio duplamente qualificado (por motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa da vítima) em concurso material com o crime de dano qualificado. Para a decisão de pronúncia, a juíza Inês Maria de Albuquerque Alves, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, levou em consideração os laudos periciais dos fatos anexados aos autos, além da audiência de instrução e julgamento realizada em sete datas entre os dias 14 de outubro de 2014 e 10 de junho de 2015. Nas audiências foram interrogados os réus e ouvidas cerca de 60 testemunhas.

O delegado Guilherme Caraciolo, que investigou o crime, disse na conclusão do caso que Artur sabia de muitas coisas erradas cometidas por Cláudio Amaro e não concordava com nenhuma delas. Eles chegaram, inclusive, a romper uma sociedade e Artur pretendia mover um processo por assédio moral contra Cláudio. No dia da apresentação do inquérito, Caraciolo falou que o superfaturamento de cirurgias e o recebimento de percentual do valor pago pelos convênios em casos onde o paciente precisasse de internação na UTI estavam entre as supostas acusações feitas contra Cláudio Amaro.

Ainda segundo a polícia, a descoberta desses fatos por Artur Eugênio teria levado Cláudio Gomes a tramar sua morte. Segundo a polícia, Flávio foi a pessoa que atirou em Artur. Jailson foi o responsável por apresentar Lyferson e Flávio a Cláudio Amaro Júnior. O Valor acertado para e execução da vítima pode ter chegado a até R$ 100 mil. A arma utilizada no crime, uma pistola 9mm que pertencia a Flávio, nunca foi encontrada pela polícia.

Botão de pânico contra a violência em Jaboatão dos Guararapes

Por Carol Sá Leitão
Especial para o Diario

Medo, insegurança, constrangimento. Esses são alguns sentimentos que fazem parte da rotina de mulheres vítimas de violência doméstica. Em Pernambuco, 245 mulheres foram assassinadas em 2015, contra 321 em 2006, ano em que a Lei Maria da Penha foi homologada. Apesar da redução, esse tipo de crime continua sendo um problema de saúde pública. Para aumentar a proteção às mulheres, a Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes inicia hoje, em fase piloto, o uso de botões do pânico para proteger as vítimas de violência.

Foto: Valter Andrade/Divulgação

Foto: Valter Andrade/Divulgação

A iniciativa, que, segundo o município, é inédita no Nordeste, foi inspirada em um projeto realizado em Vitória, no Espírito Santo. Neste primeiro momento, dez mulheres que moram nos bairros de Jardim Jordão, Comportas, Cajueiro Seco, Guararapes, Prazeres e Massaranduba serão atendidas. A prefeitura adquiriu 50 equipamentos ao todo.

De acordo com a gerente de Enfrentamento à Violência Contra à Mulher de Jaboatão, Cristiana Magalhães, o projeto faz parte de um pacto criado para reduzir os casos. Através desse programa, 249 mulheres são acompanhadas em várias áreas. Todas foram objeto de medidas protetivas judiciais.

Cristiana explica que o equipamento, assim que acionado pela vítima, manda um aviso à Guarda Municipal de Jaboatão, tanto em sua central quanto nas viaturas da Patrulha Maria da Penha, via smartphone. Os agentes darão prioridade ao atendimento a essa ocorrência. O socorro deve chegar em cerca de dez minutos. “Essa iniciativa busca ser mais uma forma de prevenir as agressões, já que é um dispositivo que, no caso do acionamento, mesmo que a polícia não chegue a tempo de presenciar a agressão, o áudio ficará registrado e poderá ser usado como prova”, explicou.

A desempregada F.C., 32, é uma das mulheres que receberão o botão de pânico. Ela conta que as agressões do companheiro começaram com puxões de cabelo e evoluíram para socos, pontapés e empurrões. “Quando eu estava grávida do meu segundo filho, ele me dava murros.”

Ela acredita que a iniciativa e aumentar sua sensação de segurança. “A lei (Maria da Penha) tem dez anos. Meu ex-companheiro começou a me agredir há 11. Achei boa a ideia. Você não precisa pegar o telefone, pois o botão já vai resolver”, apontou.

Guardas municipais de Jaboatão usarão spray de pimenta

Da coluna Diario Urbano, por Jailson da Paz

Polícia Militar usa spray de pimenta. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press

Polícia Militar usa spray de pimenta. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press

Renderá muito debate a decisão da Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes em colocar nas ruas guardas com armas não letais. Leia-se, pistola de condutividade elétrica, conhecido também por taser, e spray de pimenta. A decisão já vigora e o detalhamento consta na Portaria 002/2016 da Secretaria Municipal de Ordem Pública e Segurança Cidadã. E a polêmica está nas ruas da cidade. Fico entre os que defendem o emprego dessas armas ao invés de armas letais, sendo indispensável, como manda a lei e o bom senso, o treinamento dos guardas. Melhor seria não usar nenhuma, porém regras permitem e ao leitor sugiro a leitura da portaria, disponível na edição eletrônica de 18 de fevereiro do Diário Oficial do município. Conhecer o conteúdo da portaria, sejamos favoráveis ou contrários ao que determina o documento, ajudará na fiscalização e possíveis correções de rumo do processo. Especialmente quando o emprego equivocado de tais armas por quem obteve o aval para portá-las. Diz a portaria, afinal, que elas devem ser o penúltimo “degrau” do uso diferenciado da força, ou seja, usá-las como recurso anterior à arma de fogo. E quando a ação do suspeita for de agressão ou de resistência ativa. O emprego do taser e do spray de pimenta requer dos guardas municipais o julgamento do momento seguro e da conveniência. É isso que o cidadão espera de um agente público exposto à pressão das ruas. Ao optar pelo uso das armas não letais, a Guarda Municipal de Jaboatão dos Guararapes trilha o exemplo da Polícia Militar e da Guarda Municipal do Recife. Na capital, utiliza-se apenas a pistola de condutividade elétrica. Em Jaboatão, o treinamento de armas não letais foi destinado aos cerca de 360 agentes lotados na Guarda Municipal, enquanto no Recife envolveu, no primeiro momento, parte dos 1.140 integrantes da corporação. A regra no Recife, desde a segunda metade de 2015, é capacitar todos os guardas municipais nomeados para o cargo. Isso prevaleceu para os 321 guardass efetivados para o cargo no mês de outubro. Explica o secretário de Ordem Pública de Jaboatão, Elmo José de Freitas, que o treinamento integra o “Combo da Ordem” do município. Esse inclui a instalação de centrais de videomonitoramento.

Jaboatão inaugura Sistema de Videomonitoramento

Para tentar inibir um pouco a violência no município, a Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes inaugura nesta quarta-feira, às 16h, na Praça Nossa Senhora do Rosário, o Sistema de Videomonitoramento de Jaboatão Centro, Regional 1. Serão instaladas dez câmeras, equipamentos que vão mapear as Avenidas General Manoel Rabelo, Barão de Lucena e Visconde do Rio Branco, as de maior movimento no Centro de Jaboatão. São nessas vias onde estão concentradas as agências bancárias e grande parte do comércio.

Foto: Marcelo Ferreira/PMJG

Central vai monitoras as 25 câmeras. Foto: Marcelo Ferreira/PMJG

Os equipamentos serão monitorados de forma conjunta com a Polícia Militar. O objetivo é agilizar as ações das equipes de patrulhamento e auxiliar no cumprimento da ordem pública de forma mais ampla, bem como no monitoramento do trânsito local. Os recursos usados para a aquisição e instalação das câmeras – um investimento de cerca de R$ 207 mil – são oriundos do tesouro municipal.

No total, 25 câmeras de monitoramento foram adquiridas para promover a segurança nos locais onde forem instaladas e preservar o patrimônio público contra ações de vandalismo. As outras 15 serão instaladas brevemente em Prazeres, Regional 5.

Para isto, o prefeito Elias Gomes assinou, em outubro de 2015, a autorização para contratação de uma empresa especializada em circuito fechado de TV, viando a implantação do sistema que permitirá o monitoramento. Um ônibus equipado com quatro monitores e seis câmeras (quatro externas e duas internas) foi adquirido em parceria com Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP).

Com informações da assessoria de imprensa

Jaboatão divulga lista de aprovados no concurso da Guarda Municipal

Com mais de duas semanas de antecedência em relação ao previsto no edital, a Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes divulga o resultado do concurso público da Guarda Municipal. A listagem pode ser acessada no Diário Oficial do município ou no site do Instituto de Apoio à Universidade de Pernambuco (Iaupe/UPENet), em www.upenet.combr. Ao todo, 262 pessoas realizaram a prova da última etapa do certame. Os 100 primeiros colocados ocupam as vagas. Os demais 162 ocuparão o cadastro reserva.

Veja a lista a partir da página 9 clicando aqui

Ciclistas têm reunião para debater sobre a segurança no Paiva

Devido à onda de assaltos a ciclistas que estão acontecendo no Paiva, mais precisamente no trecho entre a praça do pedágio da ponte e Barra de Jangada, vários grupos de bikes como Cabo Bike, Clube Loucos por Bike, Geração Bike, Pedalando com Tatu, Ciclistas de Cristo e outros participarão de uma reunião nesta sexta-feira, às 18h, no Hotel Barramares, em Piedade, Jaboatão dos Guararapes.

O grupo pretende se reunir com representantes da Rota dos Coqueiros (Paiva), com o deputado estadual Betinho Gomes e representantes da Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes.

No mês passado, a redação do Diario de Pernambuco recebeu denúncias de pessoas que estavam reclamando de assaltos na localidade. As queixas davam conta de que os ciclistas eram abordados por bandidos que saíam dos mangues para roubar as bicicletas.

Na época das denúncias, a assessoria de comunicação social da Polícia Militar de Pernambuco orientou os ciclistas a formalizarem uma queixa diretamente ao Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), cuja central telefônica é o 3181-3620, além, claro do próprio 190, bem como à Polícia Civil para que o fato seja investigado.

Já a Concessionária Rota dos Coqueiros, empresa responsável pela operação e manutenção do sistema viário do Paiva, informou que os trechos de rodovias que antecedem a praça de pedágio de Barra de Jangada e sucedem a praça de pedágio de Itapuama, são de responsabilidade do Governo do Estado por meio do Departamento de Estradas e Rodagem (DER).

Parentes e amigos querem solução para desaparecimento de adolescente

Há três meses sem uma resposta, parentes, amigos e entidades de defesa dos direitos das mulheres pretendem realizar nesta sexta-feira, no bairro do Curado IV, em Jaboatão dos Guararapes, um ato público para chamar a atenção das autoridades e da sociedade. Eles pedirão que a polícia apresenta uma solução para o caso do desaparecimento da adolescente Beatriz Vital, 15 anos.

A garota saiu de casa no dia 24 de janeiro para um passeio na praia com o namorado, um homem de 29 anos, com o qual tem uma filha de nove meses. Segundo a mãe da adolescente, a dona de casa Maria Celma Vital, 52, até agora, nenhum contato foi feito com a família para informar o paradeiro da jovem. O caso está sendo investigado pelo delegado Carlos Barbosa da Delegacia de Crimes contra a Criança e Adolescente e Atos Infracionaios de Jaboatão.

A dona de casa Maria Celma chora todos os dias sem notícias de Beatriz. “Minha filha saiu de casa no sábado para ir à praia com o namorado. Quando foi no domingo ele apareceu aqui pedindo o bíquini dela. Eu perguntei por ela e ele respondeu que Beatriz já estava na praia esperando pela roupa de banho. Desde então, não tivemos mais notícia da minha filha”, revelou Celma.

Segundo a gerente de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher de Jaboatão dos Guararapes, Bianca Freire, integrantes dos conselhos municipais de Direitos Humanos, da Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente e dos Direitos das Mulheres participarão do ato desta sexta. “Queremos mobilizar a comunidade e pedir à polícia que o caso seja tratado como violência doméstica e investigado com maior rigor”, ressaltou Bianca.

O delegado Carlos Barbosa, responsável pelo inquérito, rebateu as críticas ao trabalho da polícia. “O inquérito está em andamento. Estamos esperando uma documentação da Justiça para dar os próximos passos. Por enquanto, não podemos tratar o caso com um homicídio porque o corpo não foi localizado”, afirmou Barbosa. O suspeito já foi ouvido pela polícia e disse que após voltar da praia com a jovem a deixa na entrado do Curado IV, no entanto, segundo a polícia, não há testemunhas ou câmeras de monitoramento que comprovem essa versão.

Serviço:

Quem tiver informações sobre o paradeiro de
Beatriz pode telefonar para os seguintes números

Disque-Denúncia: 3421-9595
DPCA Jaboatão: 3182-5412

Audiência de instrução do caso Suany acontece nesta quarta em Jaboatão

Está prevista para o início da tarde desta quarta-feira (12) a primeira audiência de instrução e julgamento criminal dos acusados de matarem a auxiliar de almoxarifado Suany Muniz Rodrigues, 33 anos, que foi asassinada no dia 20 de fevereiro do ano passado durante um assalto ao ônibus da linha Barra de Jangada/Curado IV. A morte de Suany foi destaque no Diario de Pernambuco.

Suany, que trabalhava no Estaleiro Atlântico Sul, foi baleada na cabeça dentro do coletivo. Ela ainda chegou a ser socorrida, mas não resistiu. Dois homens envolvidos no crime foram presos e estão no Centro de Triagem, em Abreu e Lima. A vítima deixou uma filha de quatro anos que está sendo cuidado pelo pai e pelos avós.

PMs seguiram com o suspeito para o IML. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A.Press

Um dos suspeitos foi preso pela Polícia Militar. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A.Press

De acordo com o pai de Suany, Antônio Rodrigues, a audiência acontece no novo Fórum de Jaboatão dos Guararapes, na BR-101 Sul. Parentes e amigos da vítima estarão no local com cartazes pedindo justiça para o crime.