PF realiza palestras sobre drogas em escolas do Grande Recife

Alunos de escolas públicas e particulares do Grande Recife estão recebendo orientações sobre prevenção ao uso de drogas. Tem sido cada vez maior a procura de gestores dos colégios, inclusive os de alto padrão, pela palestra realizada por servidores da Polícia Federal (PF) nas instituições de ensino. Segundo a PF, mais de 100 escolas foram visitadas e mais de 10 mil alunos assistiram às palestras do início de 2014 até este mês.

Alunos de escolas públicas e particulares tiram dúvidas nos encontros. Foto: PF/Divulgação

Alunos de escolas públicas e particulares tiram dúvidas nos encontros. Foto: PF/Divulgação

Tipos de drogas, causas e consequências do uso, os danos causados à saúde e até uma demonstração com a participação de cães farejadores tem sido realizada nas escolas. Até a última sexta-feira, seis escolas já estavam com palestras agendadas para o mês de agosto e outras seis para setembro. “Nossas palestras são realizadas em escolas, igrejas, associações, órgãos públicos e até em empresas. Faz parte das ações preventivas para evitar que crianças e adolescentes entrem no mundo das drogas. As palestras são gratuitas e podem ser agendadas por telefone”, explica o chefe de comunicação social da PF, Giovani Santoro.

No mês passado, um colégio particular tradicional da Zona Norte do Recife solicitou a realização da palestra por duas vezes para seus alunos dos 1º e 2º anos do ensino médio. Em sua página na internet, a instituição escreveu que o encontro teve “o objetivo de oportunizar momentos de reflexão e esclarecimentos sobre questões presentes na sociedade.”

Cães da Polícia Federal são treinados para achar drogas e fazem demonstração nas palestras. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Cães da Polícia Federal são treinados para achar drogas e fazem demonstração nas palestras. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Segundo Giovani Santoro, os estudantes que assistem às palestras recebem informações sobre efeitos e consequências do uso da maconha, crack, lança-perfume, cola de sapateiro, drogas sintéticas, álcool e cigarro. “As palestras são gratuitas e os alunos tiram muitas dúvidas durante as apresentações. De acordo com a faixa etária do público, o tempo e os temas da palestra são ajustados. Às vezes, os estudantes são muito pequenos e em outras escolas já são adolescentes”, conta Santoro.

Um dos momentos em que os estudantes ficam mais atento é na demonstração dos cães farejadores procurando drogas. “Com autorização da Justiça, levamos uma pequena quantidade de droga para as escolas e escondemos no local onde a palestra está sendo realizada. Quando os cães farejadores entram no espaço, eles identificam a pessoa que está com a droga”, explica Giovani.

A iniciativa tem sido bem recebida por alunos e pelos pais. O médico Tadeu Calheiros tem duas filhas adolescentes e uma de nove anos que estudam em colégios particulares nos bairros do Paissandu e das Graças e disse ser a favor das palestras realizadas para os estudantes. “Tenho uma filha de 16 anos, uma de 13 e uma mais nova e acho que essa iniciativa das palestras é muito válida. Acredito que o conhecimento e o esclarecimento são as melhores armas no combate e prevenção ao uso de drogas. Orientar os filhos sobre esse tema é um papel da família, sem dúvidas, mas é importante que a escola também se preocupe com isso”, ressaltou Calheiros.

Professora de Bom Conselho pode ter sido morta por policiais

Depois da dor e da revolta, a dúvida. Familiares e amigos da professora Alexandra Machado, 33 anos, estão se perguntando até agora de onde realmente partiu o tiro que a matou após um intenso tiroteio entre policiais e assaltantes. O crime aconteceu no final da manhã dessa quarta-feira, no município de Bom Conselho, no Agreste, e deixou grande parte da população do estado revoltada.

Alexandra tinha 33 anos. Foto: Facebook/Reproducao da Internet.

Alexandra tinha 33 anos. Foto: Facebook/Reproducao da Internet.

Até o momento, a polícia não tem pistas dos dois suspeitos de assaltarem a agência dos Correios e fazeram Alexandra e uma criança de um ano reféns. A cidade de 45 mil habitantes está de luto. Nessa quinta-feira, a cidade parou para acompanhar o sepultamento do corpo da professora. Muita gente levou faixas e cartazes homenageando Alexandra e cobrando justiça.

Foto: Blog do Tiago Padilha/Reproducao da Internet

Carro da professora Alexandra. Foto: Blog do Tiago Padilha/Reproducao da Internet

O “Blog do Poeta”, editado em Bom Conselho, publicou supostas fotos do carro da vítima, no qual ela morreu. O veículo, um Fiat Uno, tem 14 marcas de tiro. Na cidade, circulou o boato de que Alexandra teria sido morta durante o tiroteio entre a polícia e o bandido e não assassinada pelo assaltante na zona rural do município, como foi divulgado pela polícia. Apesar do caso está sendo investigado pela Polícia Federal (PF), o secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, comentou que apenas com o final do inquérito é que vai ser possível afirmar de onde partiu o tiro que matou Alexandra.

“Dentre em breve, a gente terá o desfecho desse caso. As informações preliminares davam conta que o tiro que a matou teria partido do assaltante, mas só o inquérito que está sendo conduzido pela Polícia Federal poderá dizer de que forma ela realmente foi morta”, afirmou Damázio. De acordo com o assessor de imprensa da PF, Giovani Santoro, a possibilidade de Alexandra ter sido morta por tiros disparados pelos policiais militares não está descartada. “Tudo está sendo investigado”, afirmou.

Pernambuco é um dos três estados que mais entrega armas

Pernambuco foi apontado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) como um dos três estados do Brasil que mais têm se empenhado pelo desarmamento e a queda da criminalidade no país. O instituto publicou um estudo, em parceria com a ONG Viva Rio, que apontou queda de 40,6% na de armas de fogo de 2002 a 2009, em todo o Brasil – o Estatuto do Desarmamento entrou em vigor em dezembro de 2003. O levantamento destaca Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo como as três unidades da federação com resultados mais positivos, embora não especifique um ranking.

Armas podem ser entregues sem burocracia. Foto: Juliana Santos/DB/D.A.Press

Armas podem ser entregues sem burocracia. Foto: Juliana Santos/DB/D.A.Press

Em Pernambuco, segundo a Polícia Federal, 3.591 armas e mais de 10 mil munições foram entregues de 23 de maio de 2011 a 15 de março deste ano. Para a PF, o aumento no valor do pagamento das indenizações – que agora variam de R$ 150 a R$ 450 e são depositadas em até 24 horas – e do número dos postos de entrega contribuíram para o crescimento na entrega de armas.

“A população de Pernambuco está entendendo que ter uma arma em casa não é sinônimo de segurança, principalmente quando essa arma não tem registro. Muitas vezes, os bandidos descobrem e acabam invadindo o imóvel para roubá-la”, alertou o assessor de comunicação da PF, Giovani Santoro. Ele também credita a redução da violência ao trabalho do Pacto pela Vida, implantado em 2007 pelo governo do estado, e que ganhará uma versão municipal no Recife, com metas a serem definidas em uma reunião no próximo sábado.

“Não restam dúvidas de que a Campanha do Desarmamento ajudou a recolher armas, mas a Polícia Militar, num período de um ano, apreende cerca de sete mil armas ilegais das ruas”, acrescentou o secretário de Defesa Social, Wilson Damázio.

Pernambuco foi o único estado do Nordeste a apresentar resultados positivos no combate à violência entre 2000 e 2010, período também abordado pelo estudo do Ipea. Segundo o Mapa da violência 2013 – Mortes por armas de fogo, divulgado no início de março, o estado reduziu em 27,8% o número de homicídios em 10 anos, enquanto Alagoas, Ceará e Bahia, por exemplo tiveram aumento na casa dos 200% no mesmo período.

Do Diario de Pernambuco