Moradores do bairro da Iputinga estão reféns do medo

Moradores do barro da Iputinga, Zona Oeste do Recife, já não sabem mais a quem pedir ajuda diante dos inúmeros casos de assaltos ocorridos na localidade. As investidas criminosas acontecem a qualquer hora do dia ou da noite. E sem exagero. Os ladrões estão acordando cedo para tomar bolsas e celulares de trabalhadores e estudantes que saem de casa por volta das 6h. “Já ouvi os gritos de uma mulher bem cedinho dizendo que tinha roubado a bolsa dela aqui na rua”, disse uma moradora da Rua Doutor Gastão da Silveira.

Moradores estão assustados em andar nas ruas do bairro. Fotos: Divulgação

Moradores estão assustados em andar nas ruas do bairro. Fotos: Divulgação

Segundo moradores e comerciantes do local, os criminosos costumam agir de bicicletas ou de motocicletas. Viatura da Polícia Militar, dizem os denunciantes, é artigo raro no bairro. Grupos inteiros de estudantes já foram vítimas de assaltos. “Na semana passada dois rapazes em duas bicicletas assaltaram quatro meninas que voltavam da escola. Um deles mostrou um revólver para elas e levou os telefones celular. Isso aconteceu perto das 13h”, detalhou uma comerciante.

Crimes acontecem em várias ruas e a qualquer hora do dia ou da noite

Crimes acontecem em várias ruas e a qualquer hora do dia ou da noite

Diante do medo de sair de casa e de tanta orações que já fizeram pedindo proteção, os moradores da Iputinga pedem que polícia faça agora sua parte providenciando o reforço no policiamento na área. Um dos pontos onde também acontecem muitos assaltos é a Rua São Mateus, onde estão diversos estabelecimentos comerciais. A denúncia está feita, falta agora a ação da Polícia Militar de Pernambuco.

Moradores do Espinheiro fazem protesto neste sábado

Cansados da violência, moradores do bairro do Espinheiro, Zona Norte do Recife, decidiram sair às ruas para chamar a atenção das autoridades de segurança pública do estado. Neste sábado, a partir das 8h, eles farão uma caminhada pelas principais vias do bairro para pedir por mais policiamento. A caminhada da paz terá concentração ao lado da Igreja Matriz do Espinheiro.

Carro da vítima foi abandonado no Espinheiro. Fotos: Guilherme Verissimo/Esp DP/DA Press

População ficou assustada após crime praticado no bairro, na semana passada, por volta das 12h. Fotos: Guilherme Verissimo/Esp DP/DA Press

Os moradores pretendem percorrer as ruas Padre Silvino Guedes, Manoel de Carvalho, Carneiro Vilela, Avenida Santos Dumont, ruas Teles Júnior e Gomes de Matos Júnior. O ato será encerrado com um minuto de silêncio para lembrar a morte do condutor de transporte escolar Jorge Rodrigues de Lima Maciel, morto com um tiro na cabeça na quarta-feira da semana passada.

A caminhada foi anunciada no fim semana durante a missa da Igreja do Espiheiro. Panfletos convocando a população para a manifestação também estão sendo distribuídos no bairro em pontos comerciais e escolas. Nas ruas, moradores se queixam de assaltos frequentes a qualquer hora do dia. À noite, ninguém se sente seguro. As pessoas estão evitando sair. “Há 15 dias uma senhora foi assaltada por dois homens armados em uma motocicleta enquanto abria a porta da sacristia da igreja”, contou a secretária da paróquia, Zenaide Moraes de Oliveira.

Os autores do homicídio contra Jorge Rodrigues ainda não foram presos. O delegado Bruno Magalhães, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), informou que está avaliando as imagens captadas pelas câmeras de segurança dos condomínios próximos ao local, onde ocorreu o assassinato, e da Praça da rua 48, local onde os ladrões abandonaram o gol da vítima, logo após o crime. “São muitas imagens estamos fazendo o levantamento para tentar identificar os criminosos”, informou.

O policiamento na área é de responsabilidade do 13º batalhão. Segundo a assessoria de Comunicação Social, a PM faz rondas ostensivamente na região com emprego de viaturas e motos. Também há rondas de rotina com a Patrulha dos Bairros do Espinheiro e da Encruzilhada. Segundo o 13º BPM, não havia registro de homicídio na área nos últimos quatro meses.

Segurança será reforçada na Várzea

Por Raphael Guerra, do Diario de Pernambuco

Considerado um dos bairros da capital pernambucana mais preocupantes em relação à violência, a Várzea passará por ações conjuntas envolvendo órgãos da prefeitura e as polícias Civil e Militar. Ontem, uma reunião discutiu a situação da Várzea e definiu as primeiras estratégias.

Localidade está sendo considerada uma das mais violentas do Recife. Fotos; Bernardo Dantas/DP/D.A Press

Localidade da Zona Oeste está sendo considerada uma das mais violentas do Recife. Fotos:  Bernardo Dantas/DP/D.A Press

Medidas como reforço na iluminação pública, maior empenho na repressão ao tráfico de drogas e fechamento de bares irregulares serão algumas prioridades para os próximos meses.

As polícias Civil e Militar serão responsáveis por identificar as medidas que devem ser tomadas pela prefeitura para contribuir com a reorganização do espaço público e, consequentemente, coibir a ação da criminalidade.

Na avaliação da Secretaria de Segurança Urbana do Recife, o combate ao crime na Várzea é peça fundamental para tentar frear o aumento contínuo das estatísticas de assassinatos no município – que fechou o mês de fevereiro com aumento de 26,1% em relação ao mesmo período do ano anterior.

AJHJKahsjk

A falta de iluminação é um dos problemas apontados pela população

“Estamos discutindo uma série de providências para reverter a escalada da violência. Poderemos também colocar câmeras em alguns locais do bairro”, disse o secretário Murilo Cavalcanti. Além da Secretaria de Segurança Urbana, participarão a de Mobilidade e Controle Urbano e a Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb).

A dona de casa Maria Cândida de Melo, 62 anos, vive no bairro há mais de cinco anos. Ela afirmou que é preciso investir mais para que a população se sinta mais segura ao sair de casa. “Vejo que as viaturas da Polícia Militar passam pelas ruas, mas poderiam passar mais vezes”, disse. A opinião é compartilhada por outros moradores  que relataram terem receio de sair de casa à noite por conta de assaltos.

Compaz
Principal ação anunciada no início da gestão municipal para reduzir a violência, os Centros Comunitários da Paz (Compaz) continuam com as obras bastante atrasadas. A unidade do Cordeiro, primeira a começar a ser construída, deveria ter sido entregue em 2013. A nova previsão, segundo Cavalcanti, é de que a população a receba até o final do ano. Os Compaz terão bibliotecas, cursos, mediação de conflitos entre a população e áreas de lazer e esportes.