Ladrões invadem Igreja de São Miguel Arcanjo e furtam objetos

A Delegacia do Espinheiro está investigando o furto do Ostensório do Oratório da Igreja de São Miguel Arcanjo, localizada na Rua Marquês do Paraná, no bairro do Espinheiro, ocorrido nesse final de semana. A peça foi levada da igreja entre os dias 4 e 5 deste mês. O Ostensório é usado em atos da Igreja Católica para expor solenemente a Hóstia Consagrada sobre o altar ou para transportá-la em procissões. Além do Ostensório, os criminosos levaram ainda o cofre da igreja, uma mesa de som e um microfone sem fio.

Ostensório é

Ostensório é usado para expor a hóstia consagrada. Foto: WhatsApp/Divulgação

Não se sabe ainda quantas pessoas entraram no local, mas uma das portas da igreja foi arrombada e os fios do alarme foram cortados durante a ação criminosa. Havia uma pequena quantia de dinheiro no cofre e a igreja não tem câmeras de monitoramento. De acordo com o frei Paulo Sérgio Feitosa, pároco da Igreja do Espinheiro e reitor do Oratório de São Miguel Arcanjo, a central de alarme da igreja também foi destruída. “Percebemos que a igreja havia sido invadida nessa segunda-feira. Já procuramos a polícia e estamos esperando as investigações”, contou frei Paulo.

A Polícia Civil vai solicitar imagens das câmeras de segurança dos edifícios que ficam nas proximidades da igreja para tentar identificar os criminosos. Como peças iguais ou parecidas com o Ostensório não são vistas facilmente nas ruas, a igreja e a polícia esperam que quem tiver informações sobre os criminosos possam telefonar para o Disque-Denúncia pelo número (81) 3421-9595. O anonimato da ligação é garantido. A insegurança no estado está deixando a população cada dia mais assustada. Além dos constantes assaltos a bancos e ônibus, agora, nem as igrejas estão livres da criminalidade.

Moradores do Espinheiro fazem protesto neste sábado

Cansados da violência, moradores do bairro do Espinheiro, Zona Norte do Recife, decidiram sair às ruas para chamar a atenção das autoridades de segurança pública do estado. Neste sábado, a partir das 8h, eles farão uma caminhada pelas principais vias do bairro para pedir por mais policiamento. A caminhada da paz terá concentração ao lado da Igreja Matriz do Espinheiro.

Carro da vítima foi abandonado no Espinheiro. Fotos: Guilherme Verissimo/Esp DP/DA Press

População ficou assustada após crime praticado no bairro, na semana passada, por volta das 12h. Fotos: Guilherme Verissimo/Esp DP/DA Press

Os moradores pretendem percorrer as ruas Padre Silvino Guedes, Manoel de Carvalho, Carneiro Vilela, Avenida Santos Dumont, ruas Teles Júnior e Gomes de Matos Júnior. O ato será encerrado com um minuto de silêncio para lembrar a morte do condutor de transporte escolar Jorge Rodrigues de Lima Maciel, morto com um tiro na cabeça na quarta-feira da semana passada.

A caminhada foi anunciada no fim semana durante a missa da Igreja do Espiheiro. Panfletos convocando a população para a manifestação também estão sendo distribuídos no bairro em pontos comerciais e escolas. Nas ruas, moradores se queixam de assaltos frequentes a qualquer hora do dia. À noite, ninguém se sente seguro. As pessoas estão evitando sair. “Há 15 dias uma senhora foi assaltada por dois homens armados em uma motocicleta enquanto abria a porta da sacristia da igreja”, contou a secretária da paróquia, Zenaide Moraes de Oliveira.

Os autores do homicídio contra Jorge Rodrigues ainda não foram presos. O delegado Bruno Magalhães, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), informou que está avaliando as imagens captadas pelas câmeras de segurança dos condomínios próximos ao local, onde ocorreu o assassinato, e da Praça da rua 48, local onde os ladrões abandonaram o gol da vítima, logo após o crime. “São muitas imagens estamos fazendo o levantamento para tentar identificar os criminosos”, informou.

O policiamento na área é de responsabilidade do 13º batalhão. Segundo a assessoria de Comunicação Social, a PM faz rondas ostensivamente na região com emprego de viaturas e motos. Também há rondas de rotina com a Patrulha dos Bairros do Espinheiro e da Encruzilhada. Segundo o 13º BPM, não havia registro de homicídio na área nos últimos quatro meses.

Assaltos, mortes e muita violência

Duas vidas foram interrompidas de forma brutal pela violência na Região Metropolitana, em menos de oito horas. Um homem de 56 anos e uma mulher de 40 foram assassinados no bairro da Encruzilhada, no Recife, e no Loteamento São João e São Paulo, em São Lourenço da Mata, respectivamente. Os dois casos estão sendo investigados como assaltos, embora, no crime de São Lourenço, a polícia também apure outras hipóteses. Ninguém foi preso.

Carro da vítima foi abandonado no Espinheiro. Fotos: Guilherme Verissimo/Esp DP/DA Press

Carro da vítima foi abandonado no Espinheiro. Fotos: Guilherme Verissimo/Esp DP/DA Press

Após o crime na Encruzilhada, a polícia anunciou que vai solicitar imagens das câmeras da SDS e lojas para tentar identificar os assassinos. Jorge Rodrigues de Lima Maciel foi morto com um tiro na testa após ter reagido ao assalto. O homicídio ocorreu por volta do meio-dia, na Rua Gomes de Matos Júnior.

Dois homens chegaram em um carro, abordaram a vítima e um deles assumiu a direção do Gol de Jorge. A vítima entrou em luta corporal, foi baleada e morreu. O veículo foi abandonado na Rua Quarenta e Oito, Espinheiro, possivelmente por ter bloqueio automático. O bandido que dirigia fugiu em um ônibus. Impressões digitais foram colhidas no carro.

Peritos papiloscopistas do IITB encontraram várias digitais no carro.

Peritos papiloscopistas do IITB encontraram várias digitais no carro.

Segundo a delegada Andreá Busch, a possibilidade de latrocínio é a mais provável. De acordo com o perito Antônio Neto, Jorge foi baleado fora do carro, embora tenham sido encontradas manchas de sangue e massa encefálica na parte interna da porta e no banco. “Ele foi obrigado a sair do carro, não se conteve e tentou reaver a sua propriedade”, ressaltou Neto.

Crime aconteceu na Rua Gomes de Matos Júnior, na Encruzilhada

Crime aconteceu na Rua Gomes de Matos Júnior, na Encruzilhada

Um irmão da vítima disse à polícia que Jorge era casado e tinha uma filha, mas não informou sua profissão. Com a vítima foram encontrados documentos de uma empresa de terceirização em limpeza. O caso vai ser investigado pelo delegado Bruno Magalhães. O policiamento na área é feito por PMs do 13º Batalhão, em todos os turnos com carros e motos, através das rondas da Patrulha do Bairro.

Segundo assalto em dois meses

A empregada doméstica assassinada em São Lourenço tinha sido assaltada há dois meses na localidade onde mora, segundo familiares. O delegado Ramon Teixeira iniciou as investigações sobre a morte de Ana Paula Neres, 40, ocorrida por volta das 4h30 de ontem, enquanto esperava pelo ônibus, no Loteamento São João e São Paulo. Ele não descarta também a possibilidade de execução. A vítima, que seguia para o trabalho em Parnamirim, Recife, foi assassinada com dois tiros na cabeça. Dois suspeitos chegaram em uma moto.

O corpo foi sepultado à tarde, em São Lourenço. De acordo com a irmã da vítima, um pedreiro estava na parada de ônibus no momento do crime. “O rapaz disse que os criminosos chegaram de capacetes e mandaram os dois deitarem no chão. Ele deitou e cobriu a cabeça. Depois ouviu os homens mandarem minha irmã baixar a cabeça e atiraram”, disse a dona de casa.

Ela contou que após os tiros, de acordo com a testemunha, os suspeitos teriam mandado o homem sair correndo. “Quando ele voltou para encontrar minha irmã ela já estava morta e tinham levado a bolsa”, disse. “Minha irmã saía de casa muito cedo para ir trabalhar. Há dois meses, ela foi assaltada e levaram o celular dela. Vivia com medo de andar sozinha.”

O comando do 20º Batalhão, responsável pelo policiamento em São Lourenço e Camaragibe, informou que a segurança é feita por policiamento a pé, viaturas táticas e pela Patrulha do Bairro, que pode ser acionada pelo número 98600-8956, além do Grupo de Apoio Tático Itinerante (Gati).

Bancos assaltados após encerrar expediente no Recife

Assaltantes de bancos da Região Metropolitana do Recife (RMR) estão escolhendo um novo horário para fazer suas investidas criminais. Duas agências foram assaltadas ontem por volta das 17h, uma na Zona Norte outra na Zona Sul do Recife. Nos dois casos, segundo a polícia, os vigilantes tiveram as armas levadas pelos criminosos. Também nos dois assaltos, os suspeitos foram quatro homens que estavam em duas motos. Segundo o Sindicato dos Bancários, 33 bancos foram assaltados em Pernambudo do início do ano até ontem. Nas duas ocorrências não houve registro de feridos e até o fechamento desta edição nenhum suspeito havia sido preso.

Motoqueiros levaram dinheiro dos caixas e celulares em Boa Viagem. Fotos: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Motoqueiros levaram dinheiro dos caixas e celulares em Boa Viagem. Fotos: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

A primeira agência assaltada foi a da Caixa Econômica Federal (CEF) da Rua da Hora, no bairro do Espinheiro. De acordo com a polícia, os assaltantes chegaram à agência após o horário de expediente e entraram pela porta do auto-atendimento. O grupo seguiu até a porta que dá acesso à área interna do banco e ordenou que o segurança abrisse a porta. Com a negativa do segurança, os suspeitos deram chutes na porta e conseguiram entrar no local. Todos os suspeitos estavam com os rostos cobertos por capacetes. “Eles renderam o vigilante e levaram o revólver dele, além disso, fugiram com dois malotes, sendo um de documentos e outro de dinheiro. Os criminosos estão agindo no horário de fragilidade na segurança dos bancos”, ressaltou o diretor executivo do Sindicato dos Bancários, Wellington Trindade.

Porta do Banco do Brasil foi destruída com um tiro

Porta do Banco do Brasil da Domingos Ferreira foi destruída com um tiro

O segundo caso foi registrado na Avenida Domingos Ferreira, em Boa Viagem. Nesse banco, os suspeitos também entraram como se fosse utilizar o auto-atendimento e seguiram armados para a porta que isolava a área interna do banco. Um dos criminosos fez um disparo e quebrou uma das portas de vidro da agência. “Eles levaram dinheiro dos caixas e telefones celulares de clientes e funcionários. Três foram até a área interna do banco e um deles ficou no salão do auto-atendimento. Chegamos a fazer rondas no bairro, mas, infelizmente, não encontramos ninguém”, revelou um militar do 19º Batalhão.

Na CEF da Rua da Hora criminosos estavam todos de capacetes

Na CEF da Rua da Hora criminosos estavam todos de capacetes

Investigação
O assalto à agência da CEF será investigado pela Polícia Federal (PF). Já a investida ao Banco do Brasil será apurada pela Delegacia de Repressão ao Roubo da Polícia Civil. “Os dois grupos realizaram os assaltos com as mesmas características e praticamente no mesmo horário. Os bancos precisam estar mais atento a esse horário em relação ao número de vigilantes nas agências e a polícia precisa se fazer mais presente”, ressaltou Wellington Trindade.

Comerciantes e moradores do Espinheiro pedem câmeras da SDS

Comerciantes e moradores do bairro do Espinheiro, no Recife, enviaram nota ao blog junto com pedido a ser feita à Secretaria de Defesa Social (SDS). Eles cobram a implantação de câmeras de monitoramento na Rua do Hora, no cruzamento com a Rua Barão de Itamaracá, e com a Rua Amélia, além de um equipamento na esquina da Rua do Espinheiro com a Rua Barão de Itamaracá, na Zona Norte da cidade.

Nando Chiappetta DP/D.A Press

Frequentadores do bairro estão assustados. Foto: Nando Chiappetta DP/D.A Press

Eles alegam que estão acontecendo constantes arrombamentos de carros, assaltos a bancos e roubos a transeuntes na localidade, que é um conhecido polo gastronômico do Recife. “Não temos nenhum respaldo da polícia, talvez, a presença das câmeras da SDS possa coibir esses delitos. Sei que temos uma delegacia e Patrulha do Bairro, mas isso também é pouco”, afirmou o comerciante Beto Lopes.

Leia mais sobre o assunto em:

Pernambuco terá mais 47 câmeras de monitoramento até o final deste mês

Morte em apartamento no Espinheiro será investigada pelo DHPP

A partir desta segunda-feira, o delegado Isaías Novaes, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), deve assumir o inquérito para apurar as circunstâncias da morte de Geraldo Martins de Souza Júnior, 27 anos, no último sábado, no Edifício Tamataúpe, 316, na Rua do Espinheiro, no bairro de mesmo nome. A Polícia Civil está investigando se a morte foi acidental ou proposital e se há envolvimento do crime com o uso de drogas. Por enquanto, há indícios de óbito por asfixia. Ontem pela manhã, peritos do Instituto de Criminalística estiveram no local para coletar material no apartamento.

Segundo testemunhas, a vítima estava com outros quatro homens dentro do imóvel, entre eles o proprietário, Péricles Filho, quando teria entrado em surto e tentado saltar do terceiro andar. Nesse momento, na tentativa de contê-lo, um dos colegas teria dado uma gravata em Geraldo. Uma testemunha, que pediu para não ser identificada, disse que ouviu muitos gritos vindos do apartamento. “Desde a madrugada já estava acontecendo um bate-boca, uma gritaria. Ele (a vítima) parecia estar descontrolado, querendo pular. Um dos homens estava na janela tentando impedir o salto e o outro segurava ele. Depois ouvi uma quebradeira e o silêncio”, contou.

Em seguida, dois homens foram vistos descendo com o corpo por um dos elevadores do edifício. Um deles, identificado apenas como Gabriel, contou à polícia que Geraldo era traficante de drogas e teria entrado em surto. Após pedirem socorro em um hospital, os colegas de Geraldo chamaram a polícia, que chegou ao local para investigar uma suspeita de overdose. O dono do apartamento morava no imóvel com o pai e um irmão mais novo. Moradores informaram que ele usava drogas e que o apartamento funcionaria como ponto de distribuição. O assunto já teria sido discutido em uma reunião de condomínio.

Do Diario de Pernambuco