Segurança reforçada no Recife Antigo nos dias de domingo

Por Max Felipe
Especial para o Diario

O Marco Zero, no Bairro do Recife, ganha reforço no monitoramento com 14 câmeras térmicas de longo alcance e abrangência de 360 graus que irão ajudar em ocorrências noturnas. Em funcionamento desde o início do mês, a unidade móvel da Plataforma de Observação Elevada – POE da Polícia Militar fica estacionada na Avenida Alfredo Lisboa, todos os domingos a partir das 12h e sai nas manhãs das segundas-feiras. Nos domingos em que não houver jogos de futebol, a Cavalaria e o Batalhão do Choque também estarão presentes.

A medida atende a uma reinvindicação dos comerciantes dos Armazéns do Porto para combater a insegurança na região, sobretudo tentativas de assaltos e boatos de arrastões na localidade, o que tem assustado clientes.

O veículo fica parado na Avenida Alfredo Lisboa a partir das 12h todos os domingos. Foto: Armazem do Porto/Divulgação

O veículo fica parado na Avenida Alfredo Lisboa a partir das 12h todos os domingos. Foto: Armazem do Porto/Divulgação

Segundo o empresário Tito Lívio Saraiva, os Armazéns do Porto reúnem cerca de cinco mil pessoas aos domingos. Segundo ele, geralmente no final da tarde, os vândalos se inflitram no meio dos clientes e turistas para fazer baderna. “Estou muito animado e tenho esperança na melhoria da segurança. Mas espero que não fique como um paliativo, seja realmente uma ação permanente”, pontuou.

O secretário-executivo da Secretaria de Defesa Social, Alexandre Lucena, confirmou que a unidade móvel será redirecionada do viaduto Capitão Temudo, na Joana Bezerra, para o Marco Zero todos os domingos. “Temos um problema sério no Recife Antigo e isso não pode continuar. Muitas vezes, os arrastões e assaltos são boatos e o medo de frequentar esse ponto turístico acaba acontecendo. Queremos propor aos cidadãos um lazer com mais tranquilidade. A partir das câmeras, vamos ter facilidade para ver de perto se há essas ocorrências e inibir os vândalos”, contou.

O comerciante Epitácio Henrique da Silva não avalia que essas medidas serão suficientes para inibir a violência na região. “A segurança precisa ser diariamente. Ainda ficamos assustados ao anoitecer”, contestou. Segundo o comandante do 16º Batalhão da PM, tenente-coronel Alexandre Cruz, responsável pelo policiamento do local, o Bairro do Recife tem um núcleo ostensivo de policiamento. Ele também acrescentou a utilização de veículos tripulados elétricos, além do aumento do efetivo nos finais de semana.

Piratas assaltam grupo no Parque das Esculturas

Quem imagina que piratas são personagens de continentes distantes, engana-se. Um caso registrado no Parque das Esculturas de Brennand, na frente do Marco Zero, na capital, é a prova de que eles estão bem próximos do recifense. Um autônomo de 27 anos, que pede para não ser identificado, contou que, no último domingo, por volta das 20h, estava com um primo e com um casal de amigos quando foram supreendidos por quatro jovens que se aproximaram em um pequeno barco movido a motor.

Amigos estavam do outro lado do Marco Zero quando um pequeno barco com quatro homens se aproximou. Dois deles desceram armados e anunciaram o assalto (PAULO PAIVA/DP/D.A PRESS)

Depois de anunciarem o assalto, os ladrões escaparam da mesma forma que chegaram: navegando tranquilamente. Uma câmera de segurança, instalada em fevereiro pelas secretarias de Segurança Urbana do Recife e de Turismo e Lazer, na Central do Artesanato, não captou as imagens porque estaria direcionada naquela noite para o Marco Zero.

O autônomo contou que costuma frequentar o Parque das Esculturas e nunca tinha passado por uma situação semelhante. “A gente imaginou que eram pescadores e não nos assustamos. De repente, estacionaram o barco e dois deles já desceram com armas em punho. Eles mandaram a gente ficar calado e não olhar para eles. Também chegaram a dar tapas no casal”, lembrou. O autônomo também brincou com a situação inusitada. “São os piratas do Marco Zero. Levaram relógio, celular, carteira e dinheiro.” As vítimas prestaram queixa do assalto, na mesma noite, na Delegacia de Boa Viagem. Logo após o crime, policiais militares chegaram ao local com bicicletas, mas não localizaram os ladrões.

A explicação para a câmera do Centro de Artesanato não ter captado as cenas do assalto é que estaria direcionada para o Marco Zero, que registrou um grande movimento no último domingo. O equipamento tem a capacidade de filmar em um ângulo de 360 graus até a altura do parque das esculturas e é manipulada no Núcleo de Monitoramento, localizado no prédio da Prefeitura do Recife.

Apesar do governo municipal ter previsto a instalação de duas câmaras até fevereiro, apenas uma foi disponibilizada até agora. Ainda não há data para a colocação do outro equipamento. Além de tentar frear a violência no Parque das Esculturas, a estrutura tem o objetivo de evitar vandalismo nas esculturas. Procurada pelo Diario, assessoria de imprensa da Polícia Militar afirmou que só iria se pronunciar sobre o caso hoje.

Do Diario de Pernambuco

Marco Zero ganha câmera de monitoramento

Mais um equipamento de videomonitoramento está em funcionamento no Bairro do Recife. É que a Secretaria de Segurança Urbana do Recife instalou, nessa quinta-feira, uma câmera de videomonitoramento que irá reforçar a vigilância no Parque das Esculturas e no Marco Zero. As imagens captadas estão sendo monitoradas 24h por dia, no Centro de Operações da Prefeitura do Recife.

Equipamento já está funcionando. Foto: Inaldo Menezes/PCR

Equipamento já está funcionando. Foto: Inaldo Menezes/PCR

A câmera, instalada ao lado do Centro de Artesanato de Pernambuco, possui infravermelho, zoom de até 400 metros, giro de 360º horizontal e 270º vertical. O equipamento irá ajudar a coibir atos de violência no local e identificar suspeitos de atos de vandalismo.

Um bilhão que se ergue pelo fim da violência também no Recife

Um bilhão de mulheres dançando em favor do amor. Um bilhão de mulheres dançando contra a violência sexual e o estupro. A dança da revolução que promete quebrar a cadeia (Break the chain, em inglês) vai acontecer neste sábado, no Recife, às 19h. A praça do Marco Zero servirá como palco. O evento se chama Um bilhão que se ergue (One Bilion Rising) e acontece em cidades do mundo todo há 15 anos. São milhares de mulheres que se reúnem para dançar a mesma música coreografada contra a violência. No Brasil, em algumas capitais, como São Paulo, Brasília e Belo Horizonte, a dança será realizada amanhã, apesar da data oficial mundial do evento ter sido ontem.

Foto: Roberto Ramos/DP/D.A.Press

Na capital pernambucana, um grupo de ativistas se reuniu para o ensaio geral da coreografia ontem, no Marco Zero. Para o movimento oficial, 617 participantes estão confirmados na página do evento no Facebook, Um bilhão que se ergue – One bilion Rising – Recife/PE . Elas prometem puxar outras mulheres pela mão, para seguirem a batalha contra a violência. Para quem perdeu o ensaio geral, a música, composta por Tena Clark, pode ser ouvida pelo Youtube, pelo nome How to: “Break the Chain” Choreography.

Foto: Roberto Ramos/DP/D.A.Press

“Há muitos movimentos e protestos de mulheres contra a violência sexual ao redor do mundo, mas esse é diferente pois usamos o corpo para lutar em favor da liberdade dele mesmo”, disse uma das organizadoras do evento, a publicitária Larissa Santiago. No Recife, o ato está sendo organizado pelas mulheres do Coletivo da Marcha das Vadias, com apoio da Ong feminista SOS Corpo e do Fórum das Mulheres.

Como surgiu
Um bilhão que se ergue é um movimento que surgiu inicialmente nos Estados Unidos, quando a escritora feminista Eve Ensler fundou uma instituição de caridade sem fins lucrativos com o objetivo de usar as apresentações da peça Os monólogos da Vagina, que é baseada no livro mais famoso da autora, para beneficiar mulheres e meninas vítimas de violência e abuso sexual. A organização se chama V-Day.

Por que um bilhão de mulheres? Segundo uma pesquisa realizada pela V-Day, no mundo há por volta de 7 bilhões de pessoas, sendo que metade são mulheres. Uma em cada três delas no planeta será estuprada ou espancada em sua vida, ou seja, um bilhão de mulheres.

Por Carolina Braga

Do Diario de Pernambuco

 

Policial militar que agrediu músico será ouvido na Corregedoria da SDS

O policial militar acusado de ter agredido com um chute o percussionista Ítalo Diego José dos Santos, 19 anos, após ele estar detido por PMs, na noite do dia 8 deste mês, no Recife Antigo, será ouvido nesta segunda-feira pela Corregedoria Geral da Secretaria de Defesa Social. Ítalo foi ouvido ontem e relatou a agressão sofrida por ele na festa de abertura do carnaval do Recife. O músico alega ter sido vítima de violência praticada por policiais que faziam a segurança no Marco Zero.

Rapaz foi chutado perto do palco do Marco Zero. Foto: Reprodução/Facebook

O corregedor Sidney Lemos disse que será apurado ainda se o capitão da PM que na noite da festa atuava como chefe da segurança do evento e que teria sido agredido pelo músico poderia desempenhar a função. Ítalo, que é integrante do Maracatu Raízes de Pai Adão, contou que havia saído do espaço reservado aos artistas para ir ao banheiro. No entanto, foi barrado por não usar pulseira de acesso à área restrita, quando teve início a confusão. “Eu não prestei depoimento, não me perguntaram nada”, relatou o jovem.

Do Diario de Pernambuco