Moradores do bairro dos Torrões reclamam por investimento

Do Diario de Pernambuco, por Raphael Guerra

A promessa da prefeitura de transformar os Torrões, Zona Oeste, no modelo de combate à criminalidade ainda não foi cumprida. Um ano e meio após a Secretaria de Segurança Urbana anunciar o projeto, que traria uma série de melhorias ao local, moradores relatam que muitos problemas continuam sem solução, como pontos de tráfico de drogas, prostituição, bares improvisados e som alto durante a madrugada.

Promessas da PCR não foram cumpridas. Fotos: Rapha Oliveira/Esp.DP/D.A Press

Promessas da PCR não foram cumpridas. Fotos: Rapha Oliveira/Esp.DP/D.A Press

Quem chega à comunidade de Roda de Fogo, principal do bairro, se assusta com a desorganização. O Diario esteve lá em maio de 2013. Na última semana, a reportagem flagrou os mesmos problemas. Barracos nas calçadas, ferros-velhos na praça, carros estacionados irregularmente. Para completar, o canal está cheio de lixo. Ao lado dele, há barracas de comidas.

O comerciante Antônio Barros, 54, é um dos insatisfeitos. “À noite, na praça, há muitos viciados e prostituição. Não podemos sair. O quintal da minha casa amanhece com fezes e urina.” Outra crítica é a falta de espaços de esporte e lazer. A prefeitura havia prometido para outubro de 2013 a inauguração do Centro Comunitário da Paz (Compaz), na Abdias de Carvalho, com quadras, biblioteca e espaços para crianças. A abertura já foi adiada três vezes.

Comunidade da Roda de Fogo reclama da situação do local

Comunidade da Roda de Fogo reclama da situação do local

A doméstica Clenira Correia, 47, conta que outro problema é a falta de assistência aos jovens. Ela tem um filho de 21 anos e uma filha de 24, ambos desempregados. “No fim de 2013, fizeram um cadastro, mas até hoje eles não foram chamados.” A Secretaria de Segurança Urbana havia prometido mapear os adolescentes e adultos que não estudam nem trabalham para encaminhá-los a supletivo, agência do trabalho e capacitação.

Secretaria alega falta de verba

Entre janeiro e julho, o bairro teve oito assassinatos. No mesmo período de 2013, foram seis. O secretário-executivo de Segurança Urbana, Eduardo Machado, diz que ações foram planejadas, mas ainda não colocadas em prática. Um dos problemas, segundo ele, é o Ministério do Planejamento liberar verbas de R$ 500 milhões.

“Temos três obras importantes. Uma é o mercado que vai abrigar 50 comerciantes retirados de cima do canal. Eles foram encaminhados a capacitação no Sebrae. Outra obra é a creche-escola em construção”, citou. A outra ação é a EcoEstação – ponto de recebimento de resíduos, metralhas, móveis e materiais recicláveis.

População pede mais segurança e melhorias urbanas

População pede mais segurança e melhorias urbanas

Sobre o lixo acumulado, a secretaria informou que, em novembro passado, removeu 469 toneladas e, em agosto deste ano, mais 395 toneladas. Em relação à saúde, está em construção uma Upinha Dia, e a Unidade Básica passa por reformas.
Quanto ao tráfico e à violência, o 12º Batalhão da Polícia Militar informou que a localidade tem viatura da Patrulha do Bairro, Polícia Amiga e posto policial. Denúncias podem ser feitas 3183-5392.

Disque-Denúncia oferece R$ 2 mil por informações sobre estuprador

O Disque-Denúncia Pernambuco está oferecendo até R$ 2 mil para quem tiver informações sobre o acusado de assaltar e estuprar uma mulher no bairro de Torrões. Segundo relato da vítima, o crime ocorreu na Rua da Lama, em março deste ano. A abordagem aconteceu quando a vítima caminhava com duas amigas. Ao se aproximar de moto, o acusado agrediu duas mulheres, que conseguiram fugir. A vítima foi forçada a subir na moto, sendo levada para o bairro de Torrões, local do estupro.

Disque-Denúncia lança campanha por informações sobre casos de violência contra a mulher

Através de depoimentos, o Instituto de Identificação Tavares Buril (IITB) constituiu um retrato-falado do suspeito. A imagem será distribuída através de cartazes espalhados pelas delegacias do estado. “Esperamos auxiliar no processo de investigação, estimulando o público a fornecer informações que possam levar à identificação do criminoso”, explica a superintendente do Disque-Denúncia Pernambuco, Carmela Galindo.

O oferecimento da recompensa faz parte da nova campanha do Disque-Denúncia Pernambuco voltada para a conscientização do público sobre a importância de denunciar casos de violência contra as mulheres. “Os números de informações que recebemos todos os anos sobre o assunto nos alertou para a necessidade de trabalharmos com ainda mais afinco no estímulo para que as pessoas não fiquem caladas. É preciso denunciar casos como esse, e mesmo aqueles que tenham membros da família da vítima envolvidos”, alerta Galindo.

Quem tiver informações sobre o caso pode telefonar para 3421-9595, na Região Metropolitana do Recife e Zona da Mata Norte, ou (81) 3719-4545, no interior do estado. Também é possível repassar informações através do site da central www.disquedenunciape.com.br, que permite o envio de fotos e vídeos. O serviço funciona durante 24h, todos os dias da semana. O anonimato é garantido.

Número de Denúncias (Violência contra a Mulher na RMR):

2012= 444

2013= 562

2014= 168

Agressor:55% Marido, 14% Variado, 10% filho, 10% outros familiares;

Local: 88% residência e 10 % rua;

Instrumento utilizado: 70% Mãos, 14% variados;

Tipo de agressão: 58% Física, 23% Física e Verbal, 6% Variada.

Fonte: Disque Denúncia e SDS

Prefeito do Recife quer fazer um 6º Compaz na cidade

Mesmo não estando no plano inicial de governo, o prefeito do Recife, Geraldo Julio, já sinalizou que pretende construir um sexto Centro Comunitário da Paz (Compaz) na cidade. O mais novo Compaz deverá ser erguido no terreno da antiga fábrica de estopas localizado na Avenida Caxangá, no bairro do Zumbi. A ideia inicial era de fazer cinco centros. A Prefeitura do Recife está construindo os primeiros Compaz nos bairros dos Torrões, Totó, Santo Amaro, Ibura e Alto Santa Terezinha.

Novo Compaz será na Caxangá. Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press

Novo Compaz será na Caxangá. Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press

O principal objetivo do Compaz é oferecer alternativas para prevenir a criminalidade e o consumo de drogas, principalmente entre os jovens, além de funcionar como uma ferramenta de inclusão social. Esse trabalho será realizado através de políticas integradas e equipamentos de alta qualidade. O modelo é baseado em experiências que deram certos em outras cidades do mundo.

Pacto pela Vida do Recife terá que mudar realidade dos Torrões

O bairro dos Torrões, na Zona Oeste do Recife, passará por uma transformação nos próximos quatro anos. A poucos dias do lançamento das metas do Pacto pela Vida municipal, a Secretaria de Segurança Urbana anunciou que escolheu o local como modelo para redução da criminalidade, com investimentos que vão desde mudanças urbanísticas até a inserção dos jovens ao mercado de trabalho. Torrões, que abriga a comunidade de Roda de Fogo, foi considerada uma das cinco áreas mais críticas da capital pernambucana.

Segundo moradores, as ruas são mal iluminadas (JULIO JACOBINA/DA/D.A PRESS)
Segundo moradores, as ruas são mal iluminadas

O bairro dos Torrões, na Zona Oeste do Recife, passará por uma transformação nos próximos quatro anos. A menos de dez dias do lançamento das metas do Pacto pela Vida municipal, a Secretaria de Segurança Urbana anunciou que escolheu o local como modelo para redução da criminalidade, com investimentos que vão desde mudanças urbanísticas até a inserção dos jovens ao mercado de trabalho. Torrões, que abriga a comunidade de Roda de Fogo, foi considerada uma das cinco áreas mais críticas da capital pernambucana.

O Centro Comunitário da Paz (Compaz), que está sendo construído na Avenida Abdias de Carvalho, terá papel fundamental na mudança de perfil da população que vive no bairro. Em entrevista exclusiva ao Diario, o secretário-executivo de Segurança Urbana do Recife, Eduardo Machado, explicou que um mapeamento está sendo realizado para identificar os grupos de risco, entre eles os adolescentes e jovens maiores de 18 anos que não estudam e não trabalham.

“Fizemos fotos do bairro, entrevistas com as pessoas. Os dados estão sendo cruzados com os da Secretaria de Assistência Social. O objetivo é chegar nos que mais precisam. No Compaz, haverá encaminhamento para supletivo, reforço escolar, agência do trabalho, curso de capacitação. Todas as faixas etárias serão atendidas”, afirmou Machado. Quadras esportivas para futebol, vôlei, basquete, biblioteca com salas de informática e para estudos de grupo fazem parte do projeto. “Também teremos uma estrutura para a mediação de conflitos, que será referência ao país”, completou.

Ao lado, praça, onde funciona um ferro-velho de dia e um suposto ponto de tráfico à noite (JULIO JACOBINA/DA/D.A PRESS)
Ao lado, praça, onde funciona um ferro-velho de dia e um suposto ponto de tráfico à noite

Ações articuladas
Em paralelo às atividades monitoradas, todas as secretarias vão unir forças com ações no bairro. Terrenos baldios que servem como ponto de tráfico de drogas, comércios em áreas públicas, estacionamentos irregulares, má iluminação. Esses problemas serão sanados, um a um, segundo promessa da prefeitura. “O maior investimento municipal será destinado à segurança urbana, que vai apontar, muitas vezes, o trabalho que deve ser realizado por outras secretarias. Estamos em diálogo frequente”, disse o secretário-executivo.

No ano passado, 18 homicídios foram registrados nos Torrões. Neste ano, pelo menos cinco já foram contabilizados pela polícia. A meta, seguindo o modelo estadual, é de redução de 12% ao ano. A partir de junho, haverá reuniões semanais de monitoramento para queda da criminalidade no Recife, com apresentação das ações já realizadas, seus resultados e novas ideias. O programa completo do Pacto pela Vida será apresentado no próximo dia 30, pelo prefeito Geraldo Julio.

Por Raphael Guerra, do Diario de Pernambuco

 

Sugestões da sociedade foram todas gravadas pela prefeitura

Maior integração da Guarda Municipal com a Polícia Militar, atenção aos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), melhoria na educação e na saúde, maior garantia aos direitos humanos, parcerias entre o governo e a prefeitura. Essas foram apenas algumas das sugestões dadas pelas cerca 600 pessoas que participaram neste sábado da consulta pública para a elaboração do Pacto pela Vida do Recife. O evento que aconteceu no Centro de Formação de Professores, na Madalena, foi bastante concorrido. Em todas as seis salas de debates, as críticas e sugestões foram gravadas para depois serem analisadas e discutidas pela prefeitura.

Todas as salas estavam lotadas. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A.Press

Todas as salas estavam lotadas. Foto: Wagner Oliveira/DP/D.A.Press

Antes de começar as reuniões nas salas temáticas, foi apresentado pelo gerente de análise criminal da secretaria de Segurança Urbana do Recife, Eduardo Alencar, o panorama criminal da cidade. Segundo Alencar, o Recife tem hoje uma taxa de 38, 3 mortes para cada 100 mil habitantes. “Em 2006, Recife tinha uma taxa de 72 assassinatos para cada 100 mil habitantes. A cidade conseguiu reduzir bastante, assim como o estado, após a implantação do Pacto pela Vida do estado”, ressaltou.

Alencar destacou ainda que das 598 mortes registradas no Recife no ano passado, um total de 163 aconteceram em nove bairros críticos apontados pelas estatíticas. Essas localidades concentraram 27% de todos os homicídios de 2012 e irão receber uma atenção especial da Prefeitura do Recife. Ao final da aberta do evento, o prefeito Geraldo Julio anunciu que o edita de licitação para a construção do Compaz do Bongi foi publicado no Diário Oficial deste sábado. A unidade fica perto do bairro dos Torrões, uma das comunidades marcadas com violenta pela prefeitura.

Leia mais sobre o assunto em:

Para atingir meta do Pacto, Recife “só” pode ter mais 402 assassinatos em 2013

População e PCR trocam informações para criar Pacto pela Vida Municipal