Polícia investiga origem de tiro ao prédio da Prefeitura do Recife

A Polícia Civil de Pernambuco determinou a abertura de um inquérito policial para apurar de onde partiu o tiro que atingiu o sexto andar do prédio da Prefeitura do Recife, na Avenida Cais do Apolo, no Bairro do Recife. O projétil, de calibre ainda não identificado, passou pela janela e ficou alojado na coluna de uma das salas onde funciona a Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos.

Perícia já foi realizada no local. Foto: Roberto Ramos/DP/D.A Press

Perícia já foi realizada no local. Foto: Roberto Ramos/DP/D.A Press

A marca do disparo foi encontrada na manhã de ontem e comunicada à polícia pelo comando da Guarda Municipal. Peritos do Instituto de Criminalística (IC) estiveram no local ainda ontem para realizar a perícia, mas o resultado só deve ficar pronto em 30 dias. A conclusão do laudo vai ser fundamental para guiar a investigação policial.

De acordo com o chefe da Polícia Civil, delegado Antônio Barros, um Boletim de Ocorrência relativo ao caso foi aberto ontem. “Fomos comunicados pela Guarda Municipal sobre o disparo que atingiu o sexto andar e solicitamos a realização de uma perícia do IC no local. Além disso, vamos designar um delegado especial para apurar o caso. Por enquanto, são apenas essas informações que temos”, ressaltou Barros.

O tiro foi disparado em um horário que não havia ninguém na sala. Em todo sexto andar trabalha a equipe da secretária Ana Rita Suassuna. No andar acima funciona o gabinete do vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira.

O que a perícia do IC vai precisar identificar é o ângulo do disparo. A análise pode apontar se o tiro partiu do chão, onde funciona um estacionamento, do meio da rua ou até mesmo de algum prédio nas proximidades. Em matéria publicada na edição de ontem, lembramos que a perícia ajudou a esclarecer um crime ocorrido no ano de 2003 na Zona Sul do Recife.

A menina Lara de Menezes Albert, 7 anos, foi atingida na cabeça por uma bala perdida quando estava dentro do apartamento onde morava com a família no bairro de Boa Viagem. No primeiro momento da investigação, o caso era um mistério para a polícia, que não sabia de onde teria partido o tiro que feriu a garota. A perícia do IC concluiu que o disparo que atingiu Lara partiu de um apartamento de um prédio próximo ao dela.

O prédio
O edifício-sede da Prefeitura do Recife foi construído no final da década de 1960 e inaugurado no ano de 1975. Localizado às margens do Rio Capibaribe, o imóvel conta com 17 pavimentos e tem uma área de aproximadamente de 39 mil metros quadrados. Em 2011, o edifício-sede foi reformado. As mudanças incluíram a ampliação do mezanino, além de melhoria na acessibilidade e na segurança. No Palácio Antônio Farias funcionam os gabinetes do prefeito e do vice-prefeito, além de secretarias e órgãos.

Moradores do bairro dos Torrões reclamam por investimento

Do Diario de Pernambuco, por Raphael Guerra

A promessa da prefeitura de transformar os Torrões, Zona Oeste, no modelo de combate à criminalidade ainda não foi cumprida. Um ano e meio após a Secretaria de Segurança Urbana anunciar o projeto, que traria uma série de melhorias ao local, moradores relatam que muitos problemas continuam sem solução, como pontos de tráfico de drogas, prostituição, bares improvisados e som alto durante a madrugada.

Promessas da PCR não foram cumpridas. Fotos: Rapha Oliveira/Esp.DP/D.A Press

Promessas da PCR não foram cumpridas. Fotos: Rapha Oliveira/Esp.DP/D.A Press

Quem chega à comunidade de Roda de Fogo, principal do bairro, se assusta com a desorganização. O Diario esteve lá em maio de 2013. Na última semana, a reportagem flagrou os mesmos problemas. Barracos nas calçadas, ferros-velhos na praça, carros estacionados irregularmente. Para completar, o canal está cheio de lixo. Ao lado dele, há barracas de comidas.

O comerciante Antônio Barros, 54, é um dos insatisfeitos. “À noite, na praça, há muitos viciados e prostituição. Não podemos sair. O quintal da minha casa amanhece com fezes e urina.” Outra crítica é a falta de espaços de esporte e lazer. A prefeitura havia prometido para outubro de 2013 a inauguração do Centro Comunitário da Paz (Compaz), na Abdias de Carvalho, com quadras, biblioteca e espaços para crianças. A abertura já foi adiada três vezes.

Comunidade da Roda de Fogo reclama da situação do local

Comunidade da Roda de Fogo reclama da situação do local

A doméstica Clenira Correia, 47, conta que outro problema é a falta de assistência aos jovens. Ela tem um filho de 21 anos e uma filha de 24, ambos desempregados. “No fim de 2013, fizeram um cadastro, mas até hoje eles não foram chamados.” A Secretaria de Segurança Urbana havia prometido mapear os adolescentes e adultos que não estudam nem trabalham para encaminhá-los a supletivo, agência do trabalho e capacitação.

Secretaria alega falta de verba

Entre janeiro e julho, o bairro teve oito assassinatos. No mesmo período de 2013, foram seis. O secretário-executivo de Segurança Urbana, Eduardo Machado, diz que ações foram planejadas, mas ainda não colocadas em prática. Um dos problemas, segundo ele, é o Ministério do Planejamento liberar verbas de R$ 500 milhões.

“Temos três obras importantes. Uma é o mercado que vai abrigar 50 comerciantes retirados de cima do canal. Eles foram encaminhados a capacitação no Sebrae. Outra obra é a creche-escola em construção”, citou. A outra ação é a EcoEstação – ponto de recebimento de resíduos, metralhas, móveis e materiais recicláveis.

População pede mais segurança e melhorias urbanas

População pede mais segurança e melhorias urbanas

Sobre o lixo acumulado, a secretaria informou que, em novembro passado, removeu 469 toneladas e, em agosto deste ano, mais 395 toneladas. Em relação à saúde, está em construção uma Upinha Dia, e a Unidade Básica passa por reformas.
Quanto ao tráfico e à violência, o 12º Batalhão da Polícia Militar informou que a localidade tem viatura da Patrulha do Bairro, Polícia Amiga e posto policial. Denúncias podem ser feitas 3183-5392.

Mais câmeras e iluminação para reduzir a violência no Recife

Mais 40 novas câmeras de videomonitoramento serão instaladas no Recife até o fim do ano. Além disso, 20 mil pontos de iluminação serão implantados. O anúncio foi feito ontem, pelo prefeito Geraldo Julio, durante o evento Diálogos capitais, metrópoles brasileiras – segurança.

A medida pretende reduzir a escuridão na capital e, assim, melhorar a segurança. Pesquisa realizada pela organização Actionaid com mulheres pernambucanas apontou que muitas tinham medo de sair de casa à noite por causa da escuridão.

Câmeras serão distribuídas em cinco áreas da cidade, em trabalho feito em parceria com a polícia (Bruna Monteiro DP/D.A Press)

Segundo a Prefeitura do Recife, as 40 câmeras serão instaladas pela Secretaria de Segurança Urbana em duas etapas. Já a implatação das luzes será feita pela Emlurb e deve começar nos próximos 20 dias. “Precisamos deixar a cidade melhor e mais segura. As pessoas precisam estar nas ruas. Rua com muita gente ajuda a reduzir a criminalidade”, ressaltou Geraldo Julio.

De acordo com o comandante geral da Polícia Militar, coronel Carlos Pereira, os cinco batalhões que cobrem os bairros do Recife serão contemplados com câmeras e lâmpadas. O objetivo da prefeitura é terminar o ano com 140 câmeras na cidade. Atualmente, existem cem equipamentos em atividade.

Debate
O evento que discutiu ações para a melhoria da segurança pública do Recife contou com o debate Planejamento urbano e segurança pública. Participaram da conversa o diretor regional da ONU-Habitat, Elkin Velasquez, o sociólogo e idealizador do Pacto pela Vida do estado, José Luiz Ratton, e o coordenador do Laboratório de Estudos da Violência da Universidade Federal do Ceará, Cesar Barreira.

Segundo Ratton, a redução da criminalidade está ligada à implantação de políticas eficazes. “É necessária a implementação de políticas específicas de prevenção. Pernambuco foi o único estado do Nordeste a reduzir os índices de crimes nos últimos anos”, ressaltou o sociólogo.

Na opinião de Cesar Barreira, a violência tem vítimas preferenciais, o que, segundo ele, é comprovado pelos estudos da área. “As cidades precisam ser mais iluminadas, as calçadas melhoradas e políticas de seguranças eficazes implantadas”, ponderou Barreira.

Saiba mais

40 câmeras
de monitoramento serão instaladas

20 mil pontos
de iluminação serão implantados no Recife

5 batalhões
de área serão beneficiados

Bairros atendidos:

11º BPM: Arruda, Fundão, Cajueiro, Água Fria, Campina do Barreto, Beberibe, Porto da Madeira, Bomba do Hemetério, Alto Santa Terezinha, Linha do Tiro, Alto José Bonifácio, Dois Unidos, Passarinho, Mangabeira, Alto José do Pinho, Morro da Conceição, Vasco da Gama, Apipucos, Macaxeira, Nova Descoberta, Brejo, Guabiraba, Córrego do Jenipapo, Dois Irmãos, Pau Ferro.

12º BPM: Afogados, Jiquiá, Estância, Areias, Caçote, Ilha do Retiro, Prado, Bongi, Mustardinha, Mangueira, San Martin, Jardim São Paulo, Barro, Tejipió, Sancho, Totó, Coqueiral, Torrões, Engenho do Meio, Cidade Universitária, Várzea, Caxangá.

13º BPM: Campo Grande, Torreão, Espinheiro, Aflitos, Derby, Graças, Rosarinho, Encruzilhada, Hipódromo, Ponto de Parada, Cordeiro, Zumbi, Madalena, Torre, Iputinga, Água Fria, Campina do Barreto, Arruda, Fundão, Cajueiro e Chã de Estrelas.

16º BPM: Recife Antigo, Santo Antônio, São José, Cabugá, Joana Bezerra, Coelhos, Ilha do Leite, Paissandu, Boa Vista, Soledade e Santo Amaro.

19º BPM: Boa Viagem, Pina, Brasília Teimosa, Imbiribeira, Ipsep, Mauricéia, Ibura, Jordão, Cohab (URS).

Prefeitura do Recife lança campanha 30 segundos contra o crack

Será lançada na noite desta segunda-feira, pela Prefeitura do Recife, a campanha 30 segundos contra o Crack. O lançamento acontece às 19h, no Cinema São Luiz, no bairro da Boa Vista. No evento, serão exibidos oito vídeos de meio minuto produzidos por cineastas pernambucanos para prevenir o uso da droga, além dos depoimentos dos participantes sobre a ação.

Crack está em vários pontos do Recife. Foto: Juliana Leitao/DP/D.A Press

Crack está em vários pontos do Recife. Foto: Juliana Leitao/DP/D.A Press

O material será veiculado gratuitamente em todas as principais emissoras locais. O projeto, idealizado pela Secretaria de Segurança Urbana, tem parceria com a Fundação Van Leer, ONG holandesa voltada para a defesa dos direitos de crianças e adolescentes e o Centro Josué de Castro.

Junto ao material visual, irá ao ar o hotsite da campanha (www.30scontraocrack.com.br), que contém seções informativas de como ajudar ao usuário junto aos endereços e telefones dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) especializados no tratamento da droga. Os vídeos tiveram a curadoria do jornalista André Dib e retratam visões diferentes sobre o tema para garantir um debate mais abrangente sobre o uso e prevenção do entorpecente. Participaram do projeto os cineastas Antônio Carrilho, Camilo Cavalcante, Kátia Mesel, Kleber Mendonça, Marcelo Lordello, Marcelo Pedroso, Neco Tabosa e Tuca Siqueira.

” Com essa campanha pretendemos alertar a população sobre a epidemia do crack. Estes filmes trazem perspectivas diferentes sobre o mesmo problema e os autores tiveram total liberdade para fazê-los. Queremos também promover o debate nas casas, nas escolas e na sociedade para mudarmos essa realidade”, disse o secretário de segurança urbana do Recife, Murilo Cavalcanti. Junto aos filmes, também serão exibidos depoimentos do curador André Dib e do gerente do Programa Atitude do Governo do Estado, Rafael West, sobre o projeto.

Com informações da Secretaria de Segurança Urbana

Jogo virtual ajuda os pequenos a identificarem boas e más ações

Ben é um personagem fictício que busca fazer o melhor por aqueles que cruzam seu caminho. Quando presencia alguém praticando bullying contra uma criança obesa, escolhe ficar na companhia dela no lugar de seguir com a turma de amigos. Se testemunha um idoso tentando atravessar a rua sozinho, aproxima-se e ajuda no percurso. Cenas corriqueiras, que são parte de nosso cenário real, mas que nem sempre recebem a atenção que deveriam ter.

Arthur e Heitor Santos, de 4 e 3 anos, aprovaram o jogo e, apesar da pouca idade, acertaram todas as respostas (CRISTIANE SILVA/ESP.DP/D.A PRESS)

Escolher entre o certo e o errado pode parecer simples, mas às vezes o discurso fica só na teoria. E as crianças podem fazer a diferença caso aprendam desde cedo a praticar a chamada cultura de paz. Baseada em uma experiência desenvolvida de forma pioneira na Colômbia, a equipe da Secretaria de Segurança Urbana do Recife criou o jogo virtual A turma do Ben. Com leves toques na tela de um tablet, meninos e meninas de até 12 anos avançam no jogo quando optam por ajudar o próximo. Se a escolha é inversa, a brincadeira volta para o início. Quando ganham o desafio, ficam imunizados contra a violência. É algo como uma vacina do bem.

A ideia será lançada no Dia das Crianças, neste sábado, no Parque da Jaqueira e em mais quatro pontos da capital (Parque 13 de Maio, Parque Dois Irmãos, Parque Dona Lindu e Academia das Cidades dos Torrões). Cerca de 15 mil meninos e meninas deverão ser “imunizados”. “Especialistas afirmam que a idade crucial para a formação cidadã está entre 1 e 7 anos. Se a criança cresce em um ambiente de agressão familiar ou de uso de drogas, por exemplo, tenderá a repetir o comportamento mais tarde”, analisou o secretário Murilo Cavalcanti. A brincadeira estará disponível para as famílias das 8h às 17h.

Presos de Pernambuco irão trabalhar na Emlurb

Duzentos reeducandos que cumprem pena no regime semiaberto na Penitenciária Agroindustrial São João, em Itamaracá, e na Colônia Penal Feminina de Abreu e Lima passarão a fazer parte do Projeto Nova Chance. Uma parceria firmada entre o governo do estado e a Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Ressocialização (Seres) e da Emlurb, permitiu a utilização da mão de obra dos presos.

Detentos de Itamaracá farão parte do projeto. Foto: Alcione Ferreira/DP/D.A Press

Detentos de Itamaracá farão parte do projeto. Foto: Alcione Ferreira/DP/D.A Press

Os trabalhadores atuarão na limpeza urbana (serviços gerais de capinação, jardinagem e varrição), na recuperação de vias e espaços públicos, e nos serviços de manutenção nas áreas de eletricista, pedreiro, pintor, encanador, jardineiro e servente.

Segundo a assessoria de imprensa da Seres, o principal objetivo do projeto é promover a reintegração social através do trabalho. Além da remuneração, eles são beneficiados com a redução da pena, pois três dias dedicados à laborterapia significa um a menos na prisão.

Compaz do Alto Santa Terezinha deve ficar pronto em março de 2014

Oito meses foi o prazo dado pela Prefeitura do Recife para que o segundo Centro Comunitário da Paz (Compaz) seja entregue à população. O equipamento será erguido onde funcionava o Centro Social Urbano (CSU) Afrânio Godoy do Alto Santa Terezinha,  na Zona Norte, e começou a ser construído no final da semana passada com meta de ser a “âncora” do Pacto Pela Vida do Recife na região que registrou 110 homicídios em um raio de dois quilômetros no ano passado. O primeiro dos cinco centros está sendo construído no bairro do Cordeiro.

Maquete do Compaz. Foto: PCR/Divulgação

Maquete do Compaz do Alto Santa Terezinha. Foto: PCR/Divulgação

A obra do Compaz do Alto Santa Terezinha está orçada em R$ 7 milhões e o centro se unirá a outros equipamentos públicos que a PCR entregará na Zona Norte, a exemplo de quatro Upinhas 24h nos bairros de Linha do Tiro, Morro da Conceição – que já estão em construção -, Córrego do Jenipapo e Bomba do Hemetério. Ainda para beneficiar a região, A PCR  transformará o Centro Público de Casa Amarela em um polo de formação de mão de obra qualificada que terá ainda cursos de capacitação e pontos de atendimento da Defesa Civil, Todos Com a Nota e Junta de Alistamento Militar.

O Compaz do Alto Santa Terezinha vai oferecer à população atividades culturais, esportivas, acesso à Justiça e capacitação profissional. Ao todo, 18 bairros serão atendidos, entre eles três que estão nas áreas prioritárias do Pacto Pela Vida do Recife: Água Fria, Dois Unidos e Campo Grande. Serão mais de 221 mil pessoas beneficiadas, com foco nos jovens entre 15 e 29 anos, que são apontados como as principais vítimas da violência no Brasil.