Golpe de aluguéis de casas de praia e flats em resorts no site da OLX

O desejo de curtir as férias ou o carnaval numa casa de praia ou resort de luxo do Litoral Sul tem levado recifenses a caírem em um golpe pela internet. A ferramenta utilizada pelos criminosos é a OLX, plataforma que facilita a interação entre vendedores e compradores ou locadores e locatários. Atraídas por anúncios com fotos e preços convidativos, as vítimas fazem depósitos bancários ou pagamentos por boletos como garantia de reserva. As ofertas, em geral, são de casas ou apartamentos em hotéis de Porto de Galinhas e Muro Alto. A Polícia Civil investiga o esquema e alerta que antes de fechar qualquer negócio o cliente deve manter contato pessoal com o proprietário e conhecer o espaço em questão.

Maristela foi vítima e perdeu R$ 700. Foto: Roberto Ramos/DP

Maristela foi vítima e perdeu R$ 700. Foto: Roberto Ramos/DP

De janeiro a dezembro de 2016, a Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos registrou 141 boletins de ocorrências referentes a crimes de estelionato ou fraude. No mesmo período de 2015, foram 102. Segundo o delegado Derivaldo Falcão, cerca de 10% dos casos denunciados são de aluguéis falsos. O golpe não tem preocupado apenas veranistas. Donos de casas e flats também já procuraram a polícia. A proprietária de um flat em Muro Alto revelou que pelo menos oito pessoas a contactaram para terem certeza de que seu imóvel estava sendo oferecido para aluguel na OLX. “Das pessoas que nos procuraram, três perderam dinheiro com pagamentos antecipados. Alguém pegou fotos do nosso flat em outro site e as publicou na OLX. Usaram telefones e contas bancárias que não eram nossos para aplicar o golpe. Prestamos uma queixa na polícia, que está investigando o caso”, contou.

A enfermeira Maristela Vila Nova Dias, 31 anos, foi uma das vítimas. Além de ver os planos da família de passar o carnaval na praia serem desfeitos, perdeu R$ 700. O cunhado dela encontrou um anúncio de uma casa para alugar em Porto de Galinhas nos quatro dias de carnaval. A pessoa que oferecia o imóvel fez a postagem num grupo chamado OLX Recife no Facebook. Alegando que a procura era grande, pediu depósito antecipado de R$ 700 como garantia de reserva. O contato entre vítima e golpista aconteceu apenas via mensagens. O valor cobrado para a temporada de carnaval seria de R$ 1,9 mil. O anúncio afirmava que a casa era mobiliada, tinha três quartos (uma suíte), garagem, piscina e churrasqueira. O mesmo anúncio foi colocado em páginas do Maranhão, Brasília e Tocantins.

Casa inexistente nesta rua foi colocada em anúncio. Foto: Julio Jacobina/DP

Casa inexistente nesta rua foi colocada em anúncio. Foto: Julio Jacobina/DP

“Após várias conversas por mensagens do Facebook, eu e minha família decidimos alugar a casa. A pessoa que publicou o anúncio me passou o número de uma conta bancária e um CPF e fui verificar se de fato existiam. Vi que ambos eram de São João do Meriti (RJ). Quando perguntei porque os dados eram em nome de outra pessoa, ela respondeu que a casa era de uma prima que morava no Rio de Janeiro. Acreditei que fosse verdade, pois a conta era realmente do Rio”, relatou.

Alguns dias depois de fazer o depósito, Maristela e a família foram conhecer a casa. Ainda por meio de mensagens no Facebook, locadora e locatária marcaram encontro em Porto de Galinhas. “Quando chegamos, vimos que no endereço passado por ela, na Rua Tabajuba, não existia o número da casa. Tentei falar com ela pelo Facebook, mas as minhas mensagens não foram respondidas. Foi então que percebi que era um golpe”, contou. Maristela também registrou queixa. “Fui à Delegacia de Boa Viagem e fiz Boletim de Ocorrência. Espero que identifiquem quem está aplicando esses golpes. Isso acabou com o nosso carnaval, pois tivemos um prejuízo grande”, completou a enfermeira.

Atenção antes de fechar o negócio

É preciso cautela e atenção na hora de contratar aluguéis pela internet. O delegado de Repressão aos Crimes Cibernéticos, Derivaldo Falcão, alerta que consumidores não façam pagamento antecipado sem certeza do negócio. “A maior parte das vítimas de golpe na internet tenta comprar produtos ou serviços oferecidos por preço muito abaixo do mercado. No fim do ano passado e em janeiro chegaram várias queixas. Aconselhamos que as pessoas procurem sites originais, verifiquem se os links são verdadeiros e confirmem o máximo de informações”, pontuou. “Cerca de 10% das queixas de golpes que recebemos são de pessoas enganadas com anúncios de falsos aluguéis”, ressaltou Falcão.

Muitas vítimas também procuram a Delegacia de Repressão ao Estelionato. “As pessoas precisam, se possível, confirmar tudo in loco antes de fechar as compras”, diz o titular da especializada, Rômulo Aires. A OLX esclareceu que atua oferecendo uma plataforma para facilitar a interação entre vendedores e compradores. Em nota, afirmou ainda que toda negociação é realizada fora do ambiente do site. “A empresa não tem controle sobre as transações. Infelizmente, a plataforma foi utilizada por terceiros de má índole e a empresa repudia este tipo de atitude, pois ela vai contra os Termos e Condições de Uso do site. Vale reforçar que a OLX não está vinculada a nenhum grupo em mídias sociais e, portanto, não pode se responsabilizar pelas atividades realizadas nestes ambientes”, frisou o comunicado.

Cuidado

Faça um negócio seguro

Existe um padrão de preço para a região. Pesquise a área que deseja na OLX e compare os valores. Desconfie de anúncios que estão bem mais baratos que os demais
Antes de fechar negócio, se possível, visite o imóvel. Verifique o estado de conservação, converse com os vizinhos/zelador, veja as regras do condomínio etc
Evite depositar antecipadamente qualquer montante financeiro, é importante realizar a verificação acima antes
Busque sempre o contrato na hora da locação ou venda e verifique se os dados do contrato condizem com o acordado
Os contratos possuem cláusulas que buscam assegurar que nenhuma das partes seja prejudicada
Pesquise o endereço do imóvel e verifique no mapa se as informações estão de acordo com o explicado pelo responsável pelo anúncio
No caso do anúncio ser de uma corretora de imóveis, verifique o registro no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI)
A OLX disponibiliza, ainda, um botão de denúncia nos seus anúncios, possibilitando que qualquer pessoa aponte eventuais práticas irregulares ou conteúdos indevidos
Nesses casos, a empresa consegue deletar o anúncio e banir o usuário da plataforma. A OLX reforça que está sempre à disposição das autoridades para ajudar nas investigações

Algumas dicas importantes

Mesmo que o anunciante forneça a você informações e dados pessoais, isso não garante a sua veracidade ou idoneidade
Sempre que possível, peça a Nota Fiscal original e um recibo da compra
Nunca envie produtos antes de definir pagamento e forma de entrega. A OLX aconselha finalizar a venda em local público

Como identificar fraudes e golpes

O anúncio parece bom demais para ser verdade (preço muito baixo, doações etc)
Não confie se alguém pede o número da sua conta bancária, cartão de crédito ou pede para enviar dinheiro ao exterior
Nunca clique em nenhum link de e-mails que vem de quem afirma ser um banco ou instituição financeira
Quando é pedido que você envie o dinheiro antes de ver o item
O anunciante pressiona você para finalizar a compra
O anunciante envia mensagens com o português estranho. Exemplo: lindas cachorrinhas novos (parece um português falado por estrangeiros)
A olx.com.br sempre exibe as dicas de segurança à direita da visualização dos anúncios
Caso o produto ou serviço que você se interessou ou comprou tenha uma natureza duvidosa, não se esqueça de denunciar o anúncio. Basta acessar o anúncio pelo site ou aplicativo e clicar em “Denunciar”

Ações ousadas contra bancos cada vez mais perto da capital

O medo que já faz parte da rotina dos moradores de cidades do interior e de funcionários de agências bancárias de Pernambuco está tomando conta também de quem mora ou trabalha nos municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR). O sentimento invadiu o estado após os repetidos casos de explosões registrados pela polícia. Com armas utilizadas pelos exércitos brasileiro e norte-americano, grupos criminosos levam pânico às cidades quando decidem atacar bancos e terminais eletrônicos. O alvo da vez, na madrugada desta sexta-feira, foi a Praia de Porto de Galinhas, em Ipojuca, no Litoral Sul.

Caso em Porto de Galinhas assustou moradores e turistas. Fotos: Wagner Oliveira/DP

Caso em Porto de Galinhas assustou moradores e turistas. Fotos: Wagner Oliveira/DP

As ações são cada vez mais ousadas. Assaltantes chegam em grande números, explodem caixas eletrônicos e cofres de bancos, atiram contra delegacias e destacamentos da Polícia Militar, espalham grampos pela estrada para dificultar a perseguição policial e fogem, na maior parte das vezes, levando altas quantias em dinheiro. Em Porto, as agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica tiveram seus cofres explodidos. Em ambas agências, os criminosos, cerca de 18, fugiram levando malotes de dinheiro.

Criminosos queimaram dois carros na estrada que liga Porto a Serrambi

Criminosos queimaram dois carros na estrada que liga Porto a Serrambi

Para tentar barrar essa onda de violência foi criada no mês de julho do ano passado a Força-tarefa de Repressão aos Crimes de Roubo e Furto contra Instituições Financeiras, formada pelas polícias Federal, Civil e Militar. O aumento desenfreado da quantidade de investidas criminosas contra instituições financeiras no estado tem preocupado os representantes do Sindicato dos Bancários de Pernambuco. Não é de hoje que o sindicato faz alertas sobre a fragilidade das agências bancárias e cobra uma ação mais efetiva por parte das polícias. É fato que a polícia está tentando fazer a sua parte, mas ainda falta muito investimento em segurança, por parte do poder público e dos próprios bancos, para que essa insegurança tenha fim.

Cofres do Banco do Brasil e da Caixa Econômica foram explodidos

Cofres das agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica foram explodidos

Assaltos assustam Porto de Galinhas

Moradores e turistas que frequentam Porto de Galinhas, no Litoral Sul, estão assustados com assaltos cometidos entre as 21h e as 23h, na PE-009, estrada de 5,5 km que liga à praia de Maracaípe. Segundo uma moradora, os criminosos interditam a via tocando fogo em pneus e abordam os veículos. O perigo chegou também à beira-mar. Um grupo de assaltantes vem roubando telefones celulares, carteiras e outros objetos de quem caminha à noite.

Foto: André Marins/DP/D.A Press

Crimes estão sendo praticados à noite na estrada que liga à Maracaípe. Foto: André Marins/DP/D.A Press

A delegada Angela Patrícia afirmou que embora não tenha recebido queixas, iniciou as investigações. “Soube de uma ocorrência na estrada no dia 11, mas as vítimas não compareceram à delegacia. Com isso nosso trabalho fica difícil. Apesar disso, já estamos em diligências para chegar à autoria”, disse a delegada. No horário da noite, a  Delegacia de Porto de Galinhas funciona apenas para o registro de queixas.

“Os assaltantes agem na hora que os moradores estão voltando para casa, após largarem do trabalho. Ainda há o movimento dos turistas que costumam sair à noite para conhecer os bares e restaurantes ou passear na praça”, acrescentou a moradora.

Porto de Galinhas faz parte da Área Integrada de Segurança 10, formada por 43 localidade de Ipojuca e Cabo. A Secretaria de Defesa Social informa que de janeiro a julho de 2014 foram 2.866 ocorrências de furtos na área, contra 1.485 no mesmo período de 2015. No primeiro semestre de 2014 foram 1.487 roubos, contra 1.866 este ano.
O 18º Batalhão da Polícia Militar informou que a segurança em Porto de Galinhas e Maracaípe é feita por viaturas, duplas de SegWay e motopatrulhamento.

Ipojuca recebe 40 novas câmeras de monitoramento

O município de Ipojuca, na Região Metropolitana do Recife, recebeu 40 novas câmaras e uma central de videomonitoramento para auxiliar na prevenção à violência. A ação é resultado de um convênio entre a prefeitura e a Secretaria de Defesa Social (SDS). Os novos equipamentos têm qualidade HD, zoom e sistema marinizado, ou seja, à prova de corrosão.

Foto: Danilo Luiz/SECOM

Equipamentos já estão instalados. Foto: Danilo Luiz/SECOM

A central está instalada provisoriamente na Delegacia de Ipojuca, mas funcionará na sede da Secretaria Municipal de Defesa Social (SDS), que terá acesso às mesmas imagens que o Centro Integrado de Operações de Defesa Social (CIODS), localizado no Recife. Na segunda etapa do projeto, a meta da Prefeitura é ampliar a área de cobertura, cobrindo todas as praias (Muro Alto, Serrambi) e, também, os demais distritos (Nossa Senhora do Ó e Camela).

De acordo com a SDS Municipal, algumas situações já foram evitadas graças ao monitoramento, sobretudo em Porto de Galinhas, como por exemplo, a tentativa de incêndio criminoso na área de autoatendimento de um banco, algumas tentativas de assalto e arrombamentos de veículos.

Veja a distribuição dos equipamentos:

Porto de Galinhas: 23

Ipojuca-Sede: 9

Nossa Senhora do Ó: 8

Porto de Galinhas tem novos equipamentos para reforçar segurança

Moradores, turistas e frequentadores da praia de Porto de Galinhas, no Ipojuca, litoral sul pernambucano, poderão ficar um pouco mais tranquilos no quesito segurança. Isso porque a Secretaria Municipal de Defesa Social fez a entrega de novos equipamentos para aumentar o patrulhamento nas ruas.

Equipamentos começaram a funcionar na semana passada. Fotos: Prefeitura do Ipojuca/Divulgação

Equipamentos começaram a funcionar na semana passada. Fotos: Prefeitura do Ipojuca/Divulgação

A Guarda Municipal foi contemplada com seis novas bicicletas com kits compostos de acessórios de proteção, além de rádio de comunicação e lanternas. Além disso, a praia de Porto de Galinhas também ganhará dois novos tablados em madeira, que servirão de base para os quadriciclos que circulam pela localidade.

A Prefeitura do Ipojuca também disponibilizou novos equipamentos de isolamento, utilizados principalmente em eventos públicos e que tem o objetivo de conter a multidão, formando um corredor para evitar a invasão.

Com informações da assessoria de comunicação do Ipojuca.

Ipojuca fará conferência de Segurança

Acontece nos próximos dias 12 e 13, no Hotel Armação, em Porto da Galinhas, a II Conferência Municipal de Segurança, Proteção e Defesa Civil, que terá como tema A defesa do Ipojuca somos todos nós.

A Conferência terá a finalidade de criar e fortalecer debates entre autoridades e população sobre a segurança do Ipojuca. Durante a programação, será eleita a composição do Conselho Municipal de Segurança Pública do Ipojuca e abordada a necessidade de criação de um plano municipal de segurança e políticas públicas.

O assunto será discutido em palestras sob a orientação de autoridades jurídicas, científicas e especialistas de Pernambuco e outros estados. Nos meses de janeiro e fevereiro, pré-conferências foram realizadas no Ipojuca e nos seus distritos, onde oficinas temáticas sobre Defesa Civil e Social atuaram como um fórum para construir e nortear as autoridades sobre ações de prevenção e segurança, promovendo assim melhorias para o povo.

As inscrições para a Conferência estarão abertas nos dias do evento. Mas, os interessados em participar também podem acessar http://conferenciaprotegeipojuca.webnode.come realizar o cadastro antecipadamente.

Com informações da assessoria de comunicação

A conferência e a ideia de criar um Conselho Municipal de Segurança para a cidade de Ipojuca chegam em boa hora. Isso porque recentemente os moradores do município procuraram o Ministério Público de Pernambuco para reclamar do aumento da violência e até de toque de recolher em algumas localidades.

Leia mais sobre o assunto em:

Moradores de Ipojuca pedem ajuda devido a toque de recolher

Moradores de Ipojuca pedem ajuda devido a toque de recolher

A população de Ipojuca, distante 43 Km do Recife, está aterrozida. Segundo o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), moradores de duas localidades da cidade que abriga uma das mais famosas praias do Brasil estão sendo obrigados a não sair de casa à noite devido ao toque de recolher imposto por traficantes.

Comunidade Bairro 13 está assustada.

Comunidade Bairro 13 está assustada. Fotos: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press

O pedido de socorro por parte da população foi feitos aos promotores Paula Katarine e Rinaldo da Silva, o que fez o procurador-geral de Justiça, Aguinaldo Fenelon, recomendar à Secretaria de Defesa Social (SDS) reforço no policiamento na área. Ontem, viaturas do 18º Batalhão da Polícia Militar fizeram rondas na comunidade Bairro 13, em Nossa Senhora do Ó. Já a Polícia Civil fez diligências nas Salinas e na praia de Maracaípe, em Porto de Galinhas. Uma força-tarefa foi montada para investigar os crimes e oferecer patrulha nas localidades.

Na denúncia feita ao MPPE, moradores das Salinas e do Bairro 13 relataram que não podem sair de casa depois das 21h por determinação dos traficantes. As reclamações da população incluem ainda o fechamento do comércio nesse mesmo horário. Um morador do Bairro 13 contou que pessoas armadas, inclusive com espingardas calibre 12, são vistas andando livremente pela localidade durante o dia. “Isso aqui está muito violento. Ninguém pode sair de casa nem de dia, nem à noite. Agora mesmo passaram umas quatro viaturas da Polícia Militar em alta velocidade por aqui”, apontou o morador.

Um grupo de jovens que estava na cobertura de uma casa foi abordado e revistado por PMs. Como nenhum deles foi encontrado com armas ou drogas, não foram levados para a delegacia. Informações extra-oficias apontam um dos rapazes como o responsável pelo medo imposto aos moradores. Uma reunião realizada entre a Prefeitura de Ipojuca, policiais Militar e Polícia Civil e o MPPE discutiu as ações de combate à iniciativa dos bandidos. “Não podemos admitir que bandidos imponham toque de recolher em lugar nenhum. Isso é muito grave”, ressaltou Fenelon.

Rapazes estavam na cobertura de uma casa quando a polícia chegou

Rapazes estavam na cobertura de uma casa quando a polícia chegou

Ainda entre as denúncias, os relatos de que as motos de 50 cilindradas (cinquentinhas) eram usadas para a entrega de drogas na cidade, resultaram numa determinação para abordagens e recolhimento das motonetas irregulares.

Segundo o delegado titular de Porto de Galinhas, Luciano Siqueira, desde o início do ano até ontem, apenas um homicídio foi registrado em Ipojuca. “A última morte da cidade foi no dia 14 de janeiro e o inquérito já está sendo concluído. Além disso, várias operações são realizadas com o objetivo de melhorar a segurança nas comunidades. Fazemos operações conjutas com a Polícia Militar. Amanhã (hoje) nossa equipe da delegacia seguirá com diligências em Nossa Senhora do Ó”, adiantou o delegado.

Entrevista – Comerciante do Bairro 13

“O crack está dominando tudo”

É verdade que as pessoas não podem mais sair de casa à noite?
As coisas aqui estão muito complicadas. A comunidade está assustada e a insegurança sem limites. Tenho um comércio e quando anoitece eu fecho as grades e fico atendendo as pessoas sem elas entrarem, pois o risco é muito grande. Algumas pessoas não saem mais de casa à noite.

Como está a situação do tráfico de drogas aqui na comunidade?
Eu não gosto nem de falar muito sobre essas coisas, mas como várias viaturas da polícia acabaram de passar por aqui e você mesmo viu, não tenho como dizer que está tranquilo, né? Esse tal de crack está domindo tudo por aqui.

Estão acontecendo muitos assaltos na localidade?
Com certeza. Eu, graças a Deus, nunca fui assaltada, mas outros comerciantes estão tendo muito prejuízo. E os bandidos andam armados e assaltam durante o dia mesmo. Parece que não têm medo de nada.

Praia de Porto de Galinhas é palco de vários assaltos

 

Viver no lugar onde está uma das mais belas praias do Brasil é um privilégio. Porém, moradores de Porto de Galinhas, no Litoral Sul do estado, já não sabem mais a quem apelar para conseguirem uma redução no número de assaltos na localidade. O blog tem recebido algumas denúncias da prática de roubos num dos cartões postais mais badalados de Pernambuco. O relato mais recente foi enviado para mim nessa sexta-feira. Um morador me escreveu dizendo o seguinte: “Gostaria de compartilhar com você o meu sentimento de impotência com relação aos frequentes assaltos na praia de Porto de Galinhas. Essa semana, a minha residência foi vítima de ladrões interessados em equipamentos que são de fácil comercialização, se é o que posso dizer.”

Ou seja, os assaltantes estão invadindo casas, roubando as pessoas e ainda escolhendo o que vão levar para conseguir repassar com facilidade depois. Realmente, Porto está precisando de mais atenção das autoridades. Coberta pelo 18º BPM, a área conta ainda com uma delegacia e a partir de agosto passará a ter apenas três viaturas da Polícia Militar para garantir a segurança dos moradores e visitantes. Quem frequenta a praia cobra ações também por parte do poder municipal. “O que parece é que a prefeitura do município não tem o menor interesse em resolver essas questões. Situações como essa, colocam em xeque uma recente atitude que tomei de comprar uma casa nessa região”, diz um leitor do blog.