Caso Serrambi completa 14 anos nesta quarta e pode ter novo capítulo

Em 3 de maio do ano de 2003, as estudantes Maria Eduarda Dourado e Tarsila Gusmão, ambas com 16 anos, desapareceram depois de um passeio de lancha com amigos, na praia de Serrambi, no Litoral Sul do estado. Dez dias depois, os corpos das duas garotas foram encontrados em estado de decomposição num canavial, no distrito de Camela, em Ipojuca. Nesta quarta-feira faz 14 anos que as duas adolescentes foram vistas com vida pela última vez.

Maria Eduarda e Tarsila foram vistas caminhando na praia antes de desaparecer. Foto: Divulgação

Maria Eduarda e Tarsila foram vistas caminhando na praia antes de desaparecer. Foto: Divulgação

O júri popular realizado no ano de 2010 absolveu os dois suspeitos do crime que, segundo a Polícia Civil, foram os irmãos kombeiros Marcelo e Valfrido Lira. Em março de 2015, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) julgou a apelação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) que pedia a anulação do júri. No entanto, a 1ª Câmara Criminal do TJPE decidiu por unanimidade manter o resultado do júri popular. Com isso, o advogado Bruno Lacerda, que atuou como assistente de acusação do MPPE, entrou com um recurso especial no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para recorrer da decisão dos desembargadores. O recurso ainda não foi julgado.

Corpos das duas adolescentes foram encontrados num canavial. Foto: Teresa Maia/DP

Corpos das duas adolescentes foram encontrados num canavial. Foto: Teresa Maia/DP

O pedido de anulação do julgamento que inocentou os kombeiros por quatro votos contra três foi feito pelos promotores Ricardo Lapenda e Salomão Abdo Aziz, que acompanharam o caso na época, e pelos pais da adolescente Tarsila Gusmão. Para justificar a realização de um novo julgamento, a acusação apontou três pontos considerados favoráveis à nulidade, mas os desembargadores não acharam os pontos suficientes para uma anulação.

A novela em torno do Caso Serrambi se arrastou por sete anos até chegar ao julgamento devido às divergências que existiram entre o então promotor de Ipojuca, Miguel Sales, falecido em outubro de 2014, e a Polícia Civil. O caso foi investigado cinco vezes, duas delas pela Polícia Federal, e em todas as conclusões os irmãos Marcelo e Valfrido foram apontados como autores do crime. Eles alegam que são inocentes.

Golpe de aluguéis de casas de praia e flats em resorts no site da OLX

O desejo de curtir as férias ou o carnaval numa casa de praia ou resort de luxo do Litoral Sul tem levado recifenses a caírem em um golpe pela internet. A ferramenta utilizada pelos criminosos é a OLX, plataforma que facilita a interação entre vendedores e compradores ou locadores e locatários. Atraídas por anúncios com fotos e preços convidativos, as vítimas fazem depósitos bancários ou pagamentos por boletos como garantia de reserva. As ofertas, em geral, são de casas ou apartamentos em hotéis de Porto de Galinhas e Muro Alto. A Polícia Civil investiga o esquema e alerta que antes de fechar qualquer negócio o cliente deve manter contato pessoal com o proprietário e conhecer o espaço em questão.

Maristela foi vítima e perdeu R$ 700. Foto: Roberto Ramos/DP

Maristela foi vítima e perdeu R$ 700. Foto: Roberto Ramos/DP

De janeiro a dezembro de 2016, a Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos registrou 141 boletins de ocorrências referentes a crimes de estelionato ou fraude. No mesmo período de 2015, foram 102. Segundo o delegado Derivaldo Falcão, cerca de 10% dos casos denunciados são de aluguéis falsos. O golpe não tem preocupado apenas veranistas. Donos de casas e flats também já procuraram a polícia. A proprietária de um flat em Muro Alto revelou que pelo menos oito pessoas a contactaram para terem certeza de que seu imóvel estava sendo oferecido para aluguel na OLX. “Das pessoas que nos procuraram, três perderam dinheiro com pagamentos antecipados. Alguém pegou fotos do nosso flat em outro site e as publicou na OLX. Usaram telefones e contas bancárias que não eram nossos para aplicar o golpe. Prestamos uma queixa na polícia, que está investigando o caso”, contou.

A enfermeira Maristela Vila Nova Dias, 31 anos, foi uma das vítimas. Além de ver os planos da família de passar o carnaval na praia serem desfeitos, perdeu R$ 700. O cunhado dela encontrou um anúncio de uma casa para alugar em Porto de Galinhas nos quatro dias de carnaval. A pessoa que oferecia o imóvel fez a postagem num grupo chamado OLX Recife no Facebook. Alegando que a procura era grande, pediu depósito antecipado de R$ 700 como garantia de reserva. O contato entre vítima e golpista aconteceu apenas via mensagens. O valor cobrado para a temporada de carnaval seria de R$ 1,9 mil. O anúncio afirmava que a casa era mobiliada, tinha três quartos (uma suíte), garagem, piscina e churrasqueira. O mesmo anúncio foi colocado em páginas do Maranhão, Brasília e Tocantins.

Casa inexistente nesta rua foi colocada em anúncio. Foto: Julio Jacobina/DP

Casa inexistente nesta rua foi colocada em anúncio. Foto: Julio Jacobina/DP

“Após várias conversas por mensagens do Facebook, eu e minha família decidimos alugar a casa. A pessoa que publicou o anúncio me passou o número de uma conta bancária e um CPF e fui verificar se de fato existiam. Vi que ambos eram de São João do Meriti (RJ). Quando perguntei porque os dados eram em nome de outra pessoa, ela respondeu que a casa era de uma prima que morava no Rio de Janeiro. Acreditei que fosse verdade, pois a conta era realmente do Rio”, relatou.

Alguns dias depois de fazer o depósito, Maristela e a família foram conhecer a casa. Ainda por meio de mensagens no Facebook, locadora e locatária marcaram encontro em Porto de Galinhas. “Quando chegamos, vimos que no endereço passado por ela, na Rua Tabajuba, não existia o número da casa. Tentei falar com ela pelo Facebook, mas as minhas mensagens não foram respondidas. Foi então que percebi que era um golpe”, contou. Maristela também registrou queixa. “Fui à Delegacia de Boa Viagem e fiz Boletim de Ocorrência. Espero que identifiquem quem está aplicando esses golpes. Isso acabou com o nosso carnaval, pois tivemos um prejuízo grande”, completou a enfermeira.

Atenção antes de fechar o negócio

É preciso cautela e atenção na hora de contratar aluguéis pela internet. O delegado de Repressão aos Crimes Cibernéticos, Derivaldo Falcão, alerta que consumidores não façam pagamento antecipado sem certeza do negócio. “A maior parte das vítimas de golpe na internet tenta comprar produtos ou serviços oferecidos por preço muito abaixo do mercado. No fim do ano passado e em janeiro chegaram várias queixas. Aconselhamos que as pessoas procurem sites originais, verifiquem se os links são verdadeiros e confirmem o máximo de informações”, pontuou. “Cerca de 10% das queixas de golpes que recebemos são de pessoas enganadas com anúncios de falsos aluguéis”, ressaltou Falcão.

Muitas vítimas também procuram a Delegacia de Repressão ao Estelionato. “As pessoas precisam, se possível, confirmar tudo in loco antes de fechar as compras”, diz o titular da especializada, Rômulo Aires. A OLX esclareceu que atua oferecendo uma plataforma para facilitar a interação entre vendedores e compradores. Em nota, afirmou ainda que toda negociação é realizada fora do ambiente do site. “A empresa não tem controle sobre as transações. Infelizmente, a plataforma foi utilizada por terceiros de má índole e a empresa repudia este tipo de atitude, pois ela vai contra os Termos e Condições de Uso do site. Vale reforçar que a OLX não está vinculada a nenhum grupo em mídias sociais e, portanto, não pode se responsabilizar pelas atividades realizadas nestes ambientes”, frisou o comunicado.

Cuidado

Faça um negócio seguro

Existe um padrão de preço para a região. Pesquise a área que deseja na OLX e compare os valores. Desconfie de anúncios que estão bem mais baratos que os demais
Antes de fechar negócio, se possível, visite o imóvel. Verifique o estado de conservação, converse com os vizinhos/zelador, veja as regras do condomínio etc
Evite depositar antecipadamente qualquer montante financeiro, é importante realizar a verificação acima antes
Busque sempre o contrato na hora da locação ou venda e verifique se os dados do contrato condizem com o acordado
Os contratos possuem cláusulas que buscam assegurar que nenhuma das partes seja prejudicada
Pesquise o endereço do imóvel e verifique no mapa se as informações estão de acordo com o explicado pelo responsável pelo anúncio
No caso do anúncio ser de uma corretora de imóveis, verifique o registro no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI)
A OLX disponibiliza, ainda, um botão de denúncia nos seus anúncios, possibilitando que qualquer pessoa aponte eventuais práticas irregulares ou conteúdos indevidos
Nesses casos, a empresa consegue deletar o anúncio e banir o usuário da plataforma. A OLX reforça que está sempre à disposição das autoridades para ajudar nas investigações

Algumas dicas importantes

Mesmo que o anunciante forneça a você informações e dados pessoais, isso não garante a sua veracidade ou idoneidade
Sempre que possível, peça a Nota Fiscal original e um recibo da compra
Nunca envie produtos antes de definir pagamento e forma de entrega. A OLX aconselha finalizar a venda em local público

Como identificar fraudes e golpes

O anúncio parece bom demais para ser verdade (preço muito baixo, doações etc)
Não confie se alguém pede o número da sua conta bancária, cartão de crédito ou pede para enviar dinheiro ao exterior
Nunca clique em nenhum link de e-mails que vem de quem afirma ser um banco ou instituição financeira
Quando é pedido que você envie o dinheiro antes de ver o item
O anunciante pressiona você para finalizar a compra
O anunciante envia mensagens com o português estranho. Exemplo: lindas cachorrinhas novos (parece um português falado por estrangeiros)
A olx.com.br sempre exibe as dicas de segurança à direita da visualização dos anúncios
Caso o produto ou serviço que você se interessou ou comprou tenha uma natureza duvidosa, não se esqueça de denunciar o anúncio. Basta acessar o anúncio pelo site ou aplicativo e clicar em “Denunciar”

Pacto pela Vida será “enterrado” na Praia de Boa Viagem

Para protestar contra o aumento de assaltos, arrombamentos, explosões bancárias e as condições de trabalho para policiais e bombeiros militares de Pernambuco, a Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados (ACS/PE) realizará nesta quarta-feira (18), às 14h, na Praia de Boa Viagem, o “sepultamento” do Programa de Segurança Pública, Pacto Pela Vida. “Todos os dias assistimos aos índices de violência aumentar em Pernambuco, o que é inadmissível”, disse Albérisson Carlos, Presidente da ACS-PE.

Policiais civis já fizeram protesto semelhante. Foto: Teresa Maia/DP

Policiais civis já fizeram protesto semelhante. Foto: Teresa Maia/DP

“Tudo isso passa pelo despreparo e desrespeito das autoridades para com os policiais e bombeiros Militares de Pernambuco – nossas condições de trabalho são precárias, e não há valorização profissional. Os Policiais merecem respeito e melhores estruturas para poderem desempenhar seus serviços de forma digna e honrada”, completou Albérisson.

Segundo a ACS-PE, o “enterro” do Pacto Pela Vida será realizado na Praia de Boa Viagem, onde serão colocadas, na areia, mais de 700 cruzes simbolizando as vítimas da violência em Pernambuco, incluindo policiais e bombeiros militares mortos nos últimos meses. A concentrarção será em frente ao Hotel Internacional Palace.

Turista cearense baleada na Praia de Boa Viagem tem alta do HR

Já está na casa de familiares no Recife a turista cearense Maria Clara Souza Damaceno, 22 anos. Ela foi baleada de raspão no rosto, por volta das 10h desta segunda-feira, quando estava na praia de Boa Viagem, na Zona Sul, com mais duas amigas. As três jovens estavam sentadas em cadeiras na beira-mar, nas imediações do 2º Jardim, quando um homem se aproximou das vítimas e pediu os seus telefones celulares.

Crime aconteceu na Praia de Boa Viagem. Foto: Alcione Ferreira/DP/Arquivo

Crime aconteceu na Praia de Boa Viagem. Foto: Alcione Ferreira/DP/Arquivo

De acordo com parentes de Maria Clara, a estudante teria se assustado com o anúncio do assalto e corrido em direção à Avenida Boa Viagem. Foi nesse momento que o criminoso, que havia chegado à praia de bicicleta, correu atrás da vítima. Ele conseguiu pegar o celular da vítima e ainda efetuou o disparo que a atingiu de raspão no queixo. A vítima foi levada pelas amigas para o Hospital da Restauração (HR), no Derby, onde recebeu atendimento e foi liberada no início desta tarde.

A Polícia Civil já está investigando o caso. Uma equipe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) esteve no local e no hospital para colher as primeiras informações. Maria Clara Souza é moradora do Crato, no Ceará, mas está de férias no Recife. A jovem voltaria para casa no próximo sábado, mas, devido ao ocorrido, pode antecipar o retorno.

Casas de praia invadidas por bandidos no Litoral Sul

As casas de praia desocupadas ou sem reforço na segurança são o principal atrativo para criminosos que têm agido no Litoral Sul. Na noite do último domingo, a invasão de um imóvel de veraneio em Tamandaré terminou com troca de tiros entre os ocupantes da casa – onde estavam duas policiais militares – e dois ladrões. Não houve feridos. No mesmo fim de semana, dois imóveis fechados foram invadidos em Serrambi, no Condomínio Enseadinha. De um deles, os ladrões levaram duas garrafas de uísque e o aparelho de som.

Casa de condomínio foi arrombada no fim de semana. Foto: WhatsApp/Divulgação

Casa de condomínio foi arrombada no fim de semana. Foto: WhatsApp/Divulgação

As invasões têm se tornado um pesadelo. Uma mulher que foi vítima, em Tamandaré, disse que dois homens entraram na casa dela porque o muro é baixo e o portão de madeira pode ser facilmente aberto.

“Eles nos abordaram com armas pelos janelões da sala, que têm grades com um metro de altura. Nesse momento, uma das policiais que estava conosco conseguiu ir ao quarto e pegou a arma”, contou. Ontem a família prestou queixa da tentativa de roubo à Delegacia de Tamandaré. Descobriram que a moto usada pelos suspeitos tinha sido roubada em Barreiros. “Vamos investir na segurança da casa”, comentou a vítima.

A Polícia Civil não confirmou o número de arrombamentos e assaltos registrados nos últimos meses, mas pelo menos oito deles vieram à tona em Serrambi, em Ipojuca; Enseada dos Corais, no Cabo; e Tamandaré. Um dos mais violentos aconteceu no feriadão de 7 de setembro, quando quatro homens armados invadiram uma casa em Serrambi enquanto os ocupantes conversavam no terraço. Uma das vítimas foi feita refém e um dos assaltantes ameaçou matar uma criança.

A Polícia Militar informou que soldados recém-formados estão reforçando o efetivo. Segundo a PM, uma operação realizada no dia 12 teve a prisão de uma quadrilha de sete homens e uma mulher. A polícia não informou o número de inquéritos instaurados, mas adiantou que na sexta-feira cinco homens foram presos por manterem uma família refém em Enseada dos Corais.

Leia mais sobre o assunto em:

Assaltos assustam Porto de Galinhas

Cruzes fincadas na praia simbolizam a violência em Pernambuco

Para denunciar o crescimento da violência, policiais civis realizaram um protesto ontem. Eles pretendiam fincar 2.239 cruzes na Praça da Independência, bairro de Santo Antônio, para representar os assassinatos registrados, segundo a categoria, neste ano no estado.

Um total de xxx cruzes foram deixadas em Boa Viagem. Foto: Teresa Maia/DP/D.A Press

Um total de 2.239 cruzes foram deixadas em Boa Viagem. Foto: Teresa Maia/DP/D.A Press

Como a praça foi cercada por tapumes, o Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) optou por fazer o protesto na praia de Boa Viagem. De acordo com o presidente do Sinpol, Aúreo Cisneiros, o objetivo era mostrar à população a violência.

A categoria reivindica gratificação de risco de vida da função policial, equiparando com os delegados, que recebem 225% em relação ao salário-base. Ospoliciais pedem também revisão do plano de cargos e carreiras, reajuste de 8% com base na correção da inflação de 2014 e a convocação dos selecionados no último concurso público. Solicitam também a inclusão dos peritos papiloscopistas no quadro técnico.

Caso Serrambi: anulação de julgamento vai ser votada

Nesta terça-feira (10), o Caso Serrambi, como ficou conhecida a investigação das mortes das adolescentes Maria Eduarda Dourado e Tarsila Gusmão, pode ganhar mais um capítulo. A partir das 14h, a 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) vai se reunir e deve votar a apelação dos promotores para que o júri popular que absolveu os irmãos kombeiros Marcelo e Valfrido Lira, em setembro de 2010, seja anulado.

Marcelo e Valfrido foram absolvidos em 2010. Foto: Heitor Cunha/DP/D.A Press

Marcelo e Valfrido foram absolvidos em 2010. Foto: Heitor Cunha/DP/D.A Press

Em março de 2014, o procurador de Justiça Criminal do Ministério Público de Pernambuco Gilson Roberto de Melo Barbosa emitiu parecer negativo ao pedido. O procurador alegou fragilidade nas provas apresentadas contra os acusados.

Após seis dias de julgamento, os Lira deixaram o Centro de Triagem em Abreu e Lima, onde estavam presos, depois que os jurados decidiram por quatro votos contra três que eles eram inocentes em relação aos assassinatos.

Os pais das vítimas e os promotores que acompanharam o caso na época, Ricardo Lapenda e Salomão Abdo Aziz, não aceitaram o resultado e recorreram da decisão. A novela em torno do Caso Serrambi se arrastou por sete anos devido às divergências que existiram entre o então promotor de Ipojuca, Miguel Sales, falecido em outubro do ano passado, e a Polícia Civil.

Adolescentes foram fotografadas por um amigo na praia. Crédito: Divulgação

Adolescentes foram fotografadas por um amigo na praia. Crédito: Divulgação

O caso foi investigado cinco vezes, duas delas pela Polícia Federal, e em todas as conclusões os irmãos Marcelo e Valfrido foram apontados como autores do crime. Tarsila e Maria Eduarda foram encontradas mortas no dia 13 de maio de 2003, num canavial no distrito de Camela, em Ipojuca. Elas desapareceram no dia 3 de maio após um passeio de lancha na praia de Serrambi.

Porto de Galinhas tem novos equipamentos para reforçar segurança

Moradores, turistas e frequentadores da praia de Porto de Galinhas, no Ipojuca, litoral sul pernambucano, poderão ficar um pouco mais tranquilos no quesito segurança. Isso porque a Secretaria Municipal de Defesa Social fez a entrega de novos equipamentos para aumentar o patrulhamento nas ruas.

Equipamentos começaram a funcionar na semana passada. Fotos: Prefeitura do Ipojuca/Divulgação

Equipamentos começaram a funcionar na semana passada. Fotos: Prefeitura do Ipojuca/Divulgação

A Guarda Municipal foi contemplada com seis novas bicicletas com kits compostos de acessórios de proteção, além de rádio de comunicação e lanternas. Além disso, a praia de Porto de Galinhas também ganhará dois novos tablados em madeira, que servirão de base para os quadriciclos que circulam pela localidade.

A Prefeitura do Ipojuca também disponibilizou novos equipamentos de isolamento, utilizados principalmente em eventos públicos e que tem o objetivo de conter a multidão, formando um corredor para evitar a invasão.

Com informações da assessoria de comunicação do Ipojuca.

Guardas municipais reforçam segurança nas praias

Depois de já contar com a assistência da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, a partir de agora, a segurança nas praias de Boa Viagem e Pina será reforçada também pela presença da Guarda Municipal do Recife. Vinte e quatro agentes, dividido em dois turnos, serão dispostos nas proximidades dos novos postos de guarda-vidas para contribuir na proteção dos banhistas e turistas. Além disso, duas viaturas e quatro motocicletas darão apoio realizando rondas na área.

Os guardas municipais atuarão de maneira integrada com o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar na fiscalização das normas de utilização da orla marítima, coibindo veículos motorizados na faixa de areia, poluição sonora e outras irregularidades. Os agentes atuarão em duplas a pé, durante o dia até o início da noite. Já as viaturas do Grupamento Tático Operacional realizarão rondas entre as 18h e 6h.

Segundo o comandante da GMR, inspetor Marcílio Domingos, as duplas também reforçarão o patrulhamento nas áreas do Parque Dona Lindu e na Praça de Boa Viagem. “Esses dois espaços costumam ter uma grande concentração de pessoas, o que pode gerar mais conflitos. Por isso vamos atuar fortemente para cuidar, não apenas do patrimônio público, mas também da segurança dos moradores e turistas”.

Com informações da assessoria da Secretaria de Segurança Urbana

Polícia arma esquema para tentar conter arrastões nas praias do Rio de Janeiro

A Polícia Militar fluminense decidiu reforçar o policiamento na orla das praias da capital, a fim de evitar os arrastões, prática criminosa em que um grupo de marginais promove uma correria na praia lotada, aproveitando o tumulto para roubar os banhistas. O policiamento é o mesmo que já é feito, desde novembro, no fim de semana e nos feriados.

“Tínhamos reforço no fim de semana, mas sentimos necessidade de rever o planejamento e aumentar o efetivo. Agora o policiamento especial será feito também durante a semana. O BAC [Batalhão de Ações com Cães] tem ficado com a região do Arpoador e o BPChoque [Batalhão de Choque] em toda extensão da orla, pelas areias. Os motociclistas fazem patrulhamento nos calçadões”, explicou o comandante do batalhão do Leblon, tenente-coronel Marcus Amaral.

Ao todo são 300 homens de vários batalhões, divididos entre as areias, os calçadões e as ruas paralelas à orla, com apoio de unidades especializadas, como os batalhões de Ações com Cães e de Choque, o Regimento de Polícia Montada e os recrutas do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças.

No trecho da praia entre o Arpoador e São Conrado, que recebe o maior número de frequentadores, o efetivo é dividido em pontos estratégicos, das 8h às 20h. Segundo a Polícia Militar, a operação especial será mantida por tempo indeterminado neste verão ou sempre que houver necessidade em dias de sol e maior procura de banhistas pelas praias.

Da Agência Brasil